A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CASO CLÍNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO SERVIÇO DE GASTROENTEROLOGIA LABORATÓRIO DE MOTILIDADE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CASO CLÍNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO SERVIÇO DE GASTROENTEROLOGIA LABORATÓRIO DE MOTILIDADE."— Transcrição da apresentação:

1 CASO CLÍNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO SERVIÇO DE GASTROENTEROLOGIA LABORATÓRIO DE MOTILIDADE DIGESTIVA / AMBULATÓRIO DÇS. ESÔFAGO IV Simpósio da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro Luiz J. Abrahão Jr. 2006

2 CASO CLÍNICO I) Anamnese: A.S.M., 30 a, masc., bco, casado, médico, natural RJ, há vários anos queixa- se de diarréia líquida/pastosa, 2-3 episódios /dia, sem sangue ou pus mas às vezes com muco, associada à dor abdominal em baixo ventre, flatulência e distensão abdominal. Tem crises que relaciona à ingesta de laticínios e à stress. Vários tratamentos empíricos para parasitoses. Acredita ser portador de síndrome do intestino irritável. Quando está pior usa Imosec e Buscopam. Apresenta ainda pirose e regurgitação ácida. Procurou para investigação e TTO pois recentemente perdeu um amigo com câncer de cólon. A.S.M., 30 a, masc., bco, casado, médico, natural RJ, há vários anos queixa- se de diarréia líquida/pastosa, 2-3 episódios /dia, sem sangue ou pus mas às vezes com muco, associada à dor abdominal em baixo ventre, flatulência e distensão abdominal. Tem crises que relaciona à ingesta de laticínios e à stress. Vários tratamentos empíricos para parasitoses. Acredita ser portador de síndrome do intestino irritável. Quando está pior usa Imosec e Buscopam. Apresenta ainda pirose e regurgitação ácida. Procurou para investigação e TTO pois recentemente perdeu um amigo com câncer de cólon. Antecedentes: NDN, etilismo social, não fuma. Antecedentes: NDN, etilismo social, não fuma. Exame Físico: PA: 120x70 mmHg, FC= 72 bpm, restante normal. Exame Físico: PA: 120x70 mmHg, FC= 72 bpm, restante normal.

3 CASO CLÍNICO II) Perguntas: Quais os prováveis diagnósticos? Quais os prováveis diagnósticos? Que exames solicitar? Que exames solicitar? Tratamento proposto. Tratamento proposto.

4 CASO CLÍNICO III) Exames: Hemograma, glicemia, uréia, creatinina, Na, K – Normais Hemograma, glicemia, uréia, creatinina, Na, K – Normais PFH, amilase e lipase – normais PFH, amilase e lipase – normais TOTL- 85 (basal), 107 (30”), 118 (60”), 109 (90”), 95 (120”) TOTL- 85 (basal), 107 (30”), 118 (60”), 109 (90”), 95 (120”) Anti-endomísio IgA – Negativo Anti-endomísio IgA – Negativo EDA: Esofagite por refluxo erosiva leve (Grau B) Urease negativo EDA: Esofagite por refluxo erosiva leve (Grau B) Urease negativo EPF – Negativo, Sangue oculto e leucócitos fecais - Negativos EPF – Negativo, Sangue oculto e leucócitos fecais - Negativos

5 CASO CLÍNICO III) Evolução: HD: SII HD: SII Prescrito dieta rica em fibras, Brometo de Otilônio 40 mg 12/12 h e Lanzoprazol 30 mg pela manhã. Prescrito dieta rica em fibras, Brometo de Otilônio 40 mg 12/12 h e Lanzoprazol 30 mg pela manhã. Desaparecimento dos sintomas de RGE e da dor abdominal, mantém episódios de diarréia apesar da dieta e medicamentos. Desaparecimento dos sintomas de RGE e da dor abdominal, mantém episódios de diarréia apesar da dieta e medicamentos.

6 COLONOSCOPIA

7 EXAME HISTOPATOLÓGICO Colite Linfocítica

8 EXAME HISTOPATOLÓGICO Íleo Terminal

9 Dor ou desconforto abdominal recorrente pelo menos em 3 dias por mês nos últimos 3 meses Associada com 2 ou mais dos seguintes achados: 1. Melhora com a evacuação 2. Início associado com uma alteração na freqüência das evacuações 3. Início associado com uma alteração na forma das fezes. Critérios preenchidos nos últimos 3 meses com início dos sintomas pelo menos 6 meses antes do diagnóstico Sintomas de suporte (urgencia,sensação de evacuação incompleta, muco nas fezes, distensão) não fazem parte dos critérios diagnósticos SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL Critérios diagnósticos - ROMA III

10 Colites Microscópicas Introdução Diarréia crônica: 4-5% da população (7-14% idosos) Colites microscópicas: - Diarréia crônica não sanguinolenta - Diarréia crônica não sanguinolenta - Mucosa colônica normal ou quase normal - Mucosa colônica normal ou quase normal - Histopatológico alterado - Histopatológico alterado Duas formas: Colite colágena e linfocítica Primeira descrição (CL): 1989 Lazenby e col. Nyhlin, APT, 2006.

11 Colite Linfocítica Epidemiologia 10 a 20% dos pacs. Com diarréia crônica Incidência semelhante à D. Crohn M:H – 2.4:1, pico entre anos Nyhlin, APT, 2006.

12 Colite Linfocítica Quadro Clínico Diarréia líquida sem sangue crônica ou recorrente Sintomas noturnos, dor abdominal e emagrecimento Sintomas associados: fadiga, náuseas e incontinência Início pode ser súbito, com curso crônico, recorrente e benigno Não há risco de câncer coloretal História natural? Associação com outras dçs autoimunes (tireoidites, Celíaca, DM, AR, asma) Nyhlin, APT, 2006.

13 Colite Linfocítica Diagnóstico Laboratório e fezes – N Clister opaco – N Colonoscopia – alterada em 30% (edema, enantema, alt. Padrão vascular) Bx- linfócitos intra-epiteliais 20/100 células epiteliais (N<5/100) Infiltrado linfo-plasmocitário na lâmina própria Nyhlin, APT, 2006.

14 Colite Linfocítica Tratamento Evitar cafeína, álcool, derivados de leiteEvitar cafeína, álcool, derivados de leite Casos leves: loperamida, colestiraminaCasos leves: loperamida, colestiramina Budesonida: 9 mg/dia (melhor TTO disponível)Budesonida: 9 mg/dia (melhor TTO disponível) - Recidiva de 61-80% após interrupção - Recidiva de 61-80% após interrupção Subsalicilato de bismutoSubsalicilato de bismuto PrednisolonaPrednisolona ProbióticosProbióticos Boswellia serrataBoswellia serrata Mesalamina (eficácia em 21-50%)Mesalamina (eficácia em 21-50%) ImunosupressoresImunosupressores Nyhlin, APT, 2006.

15 Colite Linfocítica Prognóstico 27 pacientes com CL: 80% assintomáticos em 3.5 anos27 pacientes com CL: 80% assintomáticos em 3.5 anos 63% : remissão em 6 meses após ataque inicial63% : remissão em 6 meses após ataque inicial Nyhlin, APT, 2006.


Carregar ppt "CASO CLÍNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO SERVIÇO DE GASTROENTEROLOGIA LABORATÓRIO DE MOTILIDADE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google