A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fraturas e Imobilizações Profa. Dra. Thalyta C. A. Teixeira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fraturas e Imobilizações Profa. Dra. Thalyta C. A. Teixeira."— Transcrição da apresentação:

1 Fraturas e Imobilizações Profa. Dra. Thalyta C. A. Teixeira

2 FRATURA É a ruptura total ou parcial de um osso, com ou sem desvio dos fragmentos; É quando ocorre a ruptura na continuidade do osso, sendo definida de acordo com seu tipo de extensão. Acontece quando o osso é exposto a um estresse maior que ele pode suportar, seja este por: impactos diretos, forças de esmagamento, movimentos de torção repentinos e contrações musculares extremas.

3 Fratura Existem dois tipos de fratura: – Fechadas: sem exposição óssea; – Abertas/Expostas: o osso está ou esteve exposto. Fraturas fechadas Fratura exposta

4 CAUSAS DE FRATURA òQuedas òEntorses òTraumas Diretos e Indiretos

5 Identificando uma fratura Compare o membro supostamente fraturado com o correspondente não comprometido. Procure a presença de: Deformações; Inchaço; Espasmo da musculatura; Feridas; Palidez. Procure a presença de: Dor à manipulação; Creptação óssea; Enchimento capilar lento; Diminuição da sensibilidade; Redução da temperatura.

6 SINAIS E SINTOMAS DE FRATURAS Dor intensa que aumenta com o movimento Edema do ponto fraturado Deformidade de contorno Perda de função (Dificuldade de movimento) Posição anormal do membro fraturado Mobilidade insólita de um ponto, como se ali houvesse uma nova articulação Sensação de creptação

7 TRATAMENTO Redução manual (fechada) Redução aberta ou Osteossíntese(cirúrgica) Imobilização Reabilitação

8 Primeiros Socorros Para Leigos – Manipular o mínimo possível o local afetado; -Não mover o paciente antes de conhecer a lesão; - Não lhe permitir levantar-se ou sentar-se – expor o local: cortar ou remover as roupas; – Não colocar o osso no lugar; – Proteger ferimentos com panos limpos e controlar sangramentos nas lesões expostas; – Imobilizar a área afetada antes de remover a vítima; – Aplique compressas de gelo para diminuir o edema, a dor e a progressão do hematoma. – Solicite socorro e mantenha a pessoa calma e aquecida. – Encaminhar para atendimento hospitalar.

9 Primeiros Socorros Fraturas Fechadas Imobilizar com tala ou material rígido; Não Movimente a parte fraturada; Não de nada de comer ou beber à vítima; Encaminhar para atendimento hospitalar. Fraturas Expostas Cobrir o ferimento com pano limpo; Estancar o sangramento; Prevenir contra o estado de choque;

10 Atendimento Inicial das Lesões de Extremidades - Para Não Leigos – Imobilizar com talas e/ou tração – Restaurar alinhamento do membros – Tratar as feridas – Restaurar a perfusão

11 Lesões da Coluna Vertebral – A coluna vertebral é composta de 33 vértebras sobrepostas, localizada do crânio ao cóccix, e no seu interior há a medula espinhal, que realiza a condução dos impulsos nervosos. – As lesões da coluna vertebral mal conduzidas podem produzir lesões graves e irreversíveis de medula, com comprometimento neurológico definitivo (tetraplegia ou paraplegia). – Todo o cuidado deverá ser tomado com estas vitimas para não surgirem lesões adicionais.

12 PRIMEIROS SOCORROS EM LESÃO DE COLUNA Manter a vítima agasalhada e imóvel Não mexer nem deixar ninguém tocar na vítima até a chegada de socorro Não virar a vítima Observar a respiração e estar pronto para iniciar a respiração boca a boca. NA FALTA DE SOCORRO: Transportar o paciente em maca Evitar abalos no transporte, para não agravar as lesões Atenção na mobilização: lesões no pescoço

13 TORÇÕES E OU ENTORSES  É a separação momentânea das superfícies ósseas ao nível da articulação.  É a torção forçada de uma articulação, que estira, ou rompe, seus ligamentos mas não desloca os ossos. Os ligamentos são estendidos além de suas capacidades.  Comuns nos membros inferiores (principalmente nos joelhos e tornozelos) Tortora, Gerard J Articulações

14 Sinais e Sintomas Dor intensa à movimentação Considerável inchação (edema) – decorrente da ruptura dos vasos sangüíneos Equimose no local – Extravasamento de líquidos (sangue) levando aos hematomas. Dor local imediata Aumento da temperatura Dificuldade para movimentar ou apoiar o membro acometido

15 Tratamento  Repouso: que ajuda a impedir lesões adicionais e promove a cura; ·Elevação da parte lesionada: para controlar o edema; ·Aplicação de frio: por 20 a 30 min, nas primeiras 24 a 48h, produz vasoconstrição, diminui o sangramento, o edema e o desconforto; ·Atadura compressiva: a compressão elástica ajuda a controlar o sangramento, reduz o edema e fornece suporte para os tecidos lesionados.

16 Estiramento (Distensão) É uma “tração muscular”, ou seja, lacerações musculares microscópicas e incompletas induzida pelo uso, alongamento ou estresse excessivos, com sangramento no tecido.

17 Costumam ocorrer nos músculos que movimentam duas articulações, como os :  Músculos posteriores da coxa que flexionam os joelho e estendem a articulação dos quadris  Quadríceps, na face anterior da coxa  Na panturilha  Bíceps, no braço. Sinais e Sintomas Dor aguda ou pontada no momento da lesão  Sensibilidade e Inchaço  Equimose após 24 horas Tratamento - Repouso, gelo, compressão e elevação;

18 Contusão É o tipo de lesão nos tecidos causada por impacto, chute ou queda, onde pequenos vasos sanguíneos se rompem, produzindo assim o hematoma. Pode apresentar sinais semelhantes aos da fratura fechada. Geralmente as partes lesadas constituem músculos, fáscias e ligamentos. Sinais e Sintomas Na região surge uma hiperemia (vermelhidão) Se houver rompimento de algum vaso (veia), ficará um hematoma (roxo). Tratamento Repouso, aplicação de gelo e compressão e elevação a área lesada.

19 LUXAÇÃO OU DESLOCAMENTO  Chama-se luxação ao fato de 2 ossos se desarticularem. Popularmente diz-se que eles "saíram do lugar".  É o deslocamento da extremidade de um osso ao nível de sua articulação;  Ocorre quando as superfícies articulares dos ossos formadores das articulações estão em desalinho, ou seja, fora do contato anatômico.

20 Sinais e Sintomas Dor mesmo imobilizado e em repouso. Deformação local Impossibilidade de movimentação Inchaço no local Equimose OBS: A dor só irá melhorar quando esta articulação for colocada em sua posição natural, ato que só deve ser realizado por médicos, sob pena de piorar a lesão

21 Conduta Imobilize a articulação luxada Encaminhe a vítima ao pronto socorro o mais breve possível. Evite movimentar a articulação atingida Imobilize a região Coloque o acidentado em repouso Procure um médico O que NÃO fazer : Não tente colocar a articulação no lugar !

22 IMOBILIZAÇÃO Improvise uma tala, amarre delicadamente o membro lesado (braços ou pernas) a uma superfície, como uma tábua, revista dobrada, vassoura ; Use tiras de pano, ataduras ou cintos, sem apertar muito para não dificultar a circulação sanguínea; Em casos de fratura de punho, antebraço, cotovelo, costelas ou clavícula improvise uma tipóia com um pedaço grande de tecido com as pontas presas ao redor do pescoço. Isto serve para sustentar um braço Só use a tipóia se o braço ferido puder ser flexionado sem dor ou se já estiver dobrado;

23 Imobilizações Não tente colocar o osso “no lugar”. Movimente-o menos possível e mantenha-o. Se encontrar resistência no membro fraturado, imobilize-o na posição em que se encontra. O comprimento das talas deve ultrapassar as articulações acima e abaixo do local da fratura e sustentar o membro atingido. Envolva as talas com panos ou qualquer outro material macio a fim de não ferir a pele. Não amarre o local da fratura.

24 Ao imobilizar braços e pernas, deixe os dedos visíveis, de modo a verificar qualquer alteração. Se estiverem inchados, roxos ou dormentes, as tiras que amarram as talas devem ser afrouxadas.

25 Para imobilizar uma perna, é necessário utilizar duas talas longas, que devem atingir o joelho e o tornozelo, de modo a impedir qualquer movimento dessas articulações; vítima com perna fraturada não deve caminhar; Aplicar uma tala para imobilizar na posição que se encontrar. Verificar se há pulso distal e perfusão capilar; fixação com tiras de pano talas de madeira nas laterais tala sob a perna fraturada

26 Na Fratura de fêmur e fratura de pelve (bacia) Imobilizar totalmente os membros inferiores, incluindo- se a articulação do quadril; Utilizar cobertores, talas rígidas grandes e bandagens triangulares ou tiras de pano para fixação; Nos casos de fraturas de pelve e fêmur com grande hemorragia, deve-se prevenir o estado de choque e priorizar o transporte. cabo de vassoura cobertor tiras de pano

27 Transporte de Acidentados O transporte de acidentados deve ser feito por equipe especializada em resgate (Corpo de Bombeiros, Anjos do Asfalto, outros). O transporte realizado de forma imprópria poderá agravar as lesões, provocando seqüelas irreversíveis ao acidentado. A vítima somente deverá ser transportada com técnicas e meios próprios, nos casos onde não é possível contar com equipes especializadas em resgate.

28 TRANSPORTE DE ACIDENTADOS Evitar que o transporte inadequado, provoque lesões mais graves no acidentado; Primeiros Socorros – Cuidado especial com a vítima inconsciente; – Imobilizar o pescoço antes do transporte, utilizando o colar cervical; – Movimentar a vítima em bloco, impedindo particularmente movimentos bruscos do pescoço e do tronco; – Colocar em prancha de madeira; – Encaminhar para atendimento hospitalar.

29 Uma Pessoa - De Apoio Passe o seu braço em torno da cintura da vítima e o braço da vítima ao redor de seu pescoço.

30 Uma Pessoa - Nas costas Dê as costas para a vítima, passe os braços dela ao redor de seu pescoço, incline-a para frente e levante-a.

31 Duas Pessoas – Cadeirinha Faça a cadeirinha conforme abaixo. Passe os braços da vítima ao redor do seu pescoço e levante a vítima.

32 Duas pessoas - Segurando pelas extremidades Uma segura a vítima pelas axilas, enquanto a outra, segura pelas pernas abertas. Ambas devem erguer a vítima simultaneamente.

33 Três Pessoas Uma segura a cabeça e costas, a outra, a cintura e a parte superior das coxas. A terceira segura a parte inferior das coxas e pernas. Os movimentos das três pessoas devem ser simultâneos, para impedir deslocamentos da cabeça, coluna, coxas e pernas.

34 Quatro Pessoas Semelhante ao de três pessoas. A quarta pessoa imobiliza a cabeça da vítima impedindo qualquer tipo de deslocamento.


Carregar ppt "Fraturas e Imobilizações Profa. Dra. Thalyta C. A. Teixeira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google