A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parasitologia Clínica – Coccídios Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parasitologia Clínica – Coccídios Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia."— Transcrição da apresentação:

1 Parasitologia Clínica – Coccídios Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia

2 Coccídios Várias espécies de Eimeriina causam doenças em aves, gado e outros animais; Galinhas, patos, pombos, perus e faisões são infectados por mais de 20 espécies; Fácil caracterização do gênero pela presença de oocistos com 2 esporocistos de 4 esporozoítas cada.

3

4 Criptosporidiose

5 Introdução

6

7 Protozoário intracelular de enterócitos; Diarreia em crianças (imunocompetentes); Diarreia crônica, volumosa, desidratação, óbito (imunocomprometidos);

8 Epidemiologia Distribuição cosmopolita e mundial; Imunocomprometidos: 93% AIDS; Transmissão: Fecal – Oral; Água não tratada; Filtros e adição de cloro > não interrompem a transmissão;

9 Morfologia Oocistos: Pequenos, esféricos ou ovóides; Contém 4 esperozoítos livres no interior quando eliminados nas fezes.

10 Ciclo Biológico Monoxênico; Multiplicação assexuada; Multiplicação sexuada;

11 Ciclo Biológico Oocisto+água/alimentos>intestino delgado>liberam os 04 esporozoítos>penetram nos enterócitos>reprodução assexuada por merogonia(esquizogonia)>merozoítos>rompem >penetram em novas células> assexuado ou sexuado(gametogonia)>merozoíto>macro ou micro gameta> macrogametas + microgametas >ovo(célula)>rompe>libera o Oocisto>fezes.

12

13 Hábitat Microvilosidades do intestino delgado; Parênquima pulmonar, faringe, esôfago, vesícula biliar, ductos pancreáticos etc.

14 Patogenia Incubação: 02 – 14 dias; Infecção: 130 Oocistos ingeridos; Diarreia, vômitos, dor abdominal, febre, prostração e anorexia;

15 Patogenia Imunocompetentes: Enterocolite aguda que se cura espontaneamente entre uma e quatro semanas; Imunodeprimido(HIV): Má absorção, esteatorreia, diarréia aquosa, cólicas, flatulência, náuseas, vômitos, emagrecimento, desidratação.

16 Patogenia Imunodeprimido(HIV): Doença crônica x Nível de linfócitos T (CD4+); < 200 células / mm3; Doenças oportunistas: CMV;

17 Prevalência de criptosporidiose na síndrome diarréica do paciente HIV positivo. AMB rev. Assoc. Med. Bras;37(2):79-84, abr.-jun tab. AMB rev. Assoc. Med. Bras Durante o período de fevereiro de 1987 a junho de 1988, examinamos 542 amostras de fezes de 271 pacientes HIV positivos, com ou sem AIDS manifesto. Foram estudados 98 pacientes com diarréia aguda ou crônica e 173 pacientes sem diarréia. Pesquisaram-se nas amostras fezes da presença de Cryptosporidium sp., outros protozoários, helmintos e bactérias enteropatogências. Encontramos prevalência de 14,3% de Cryptosporidium sp. nos pacientes com AIDS e síndrome diarréica. Näo foi encontrado nenhum portador assintomático desse protozoário entre os pacientes HIV positivos analisados. A ocorrência de diarréia entre os pacientes estudados se associou significativamente com relação CD4/CD8 inferior a 0,4, com a presença de Cryptosporidium sp., classificado como grupo IV do Centers for Disease Control (CDC) e com coprocultura positiva para bactérias enteropatogênicas. Näo foi possível diferenciar, com dados clínicos, a diarréia causada pelo Cryptosporidium sp., daquela causada por outros agentes etiológicos (AU)

18 Diagnóstico Exame de fezes: Oocisto; Biopsia ou raspado da mucosa do intestino delgado.

19 Diagnóstico Imunofluorescência nas fezes; Biologia Molecular (PCR);

20 Tratamento Imunocompetente: limitada; HIV: Anti- retroviral: recuperar a resposta imune; Hidratação: perdas de até 20L / dia; Azitromicina, espiramicina e nitazoxanida; Difícil tratamento: parasito intracelular.

21 Isosporose

22 Introdução Isospora beli (1915); Isospora natalensis (1953); Parasitam o intestino delgado; Apresentam Oocistos com 02 esporocistos, contendo 04 esporozoítos;

23 Introdução Oocistos 30 x 12  m:

24 Ciclo Biológico Oocisto+água/alimentos>intestino delgado>liberam os 04 esporozoítos>penetram nos enterócitos>reprodução assexuada por merogonia(esquizogonia)>merozoítos>rompem >penetram em novas células> assexuado ou sexuado(gametogonia)>merozoíto>macro ou micro gameta> macrogametas + microgametas >ovo(célula)>rompe>libera o Oocisto>fezes.

25 Ciclo Biológico

26 Ciclo Biologico

27 Patogenia Imunocompetentes: Enterocolite aguda que se cura espontaneamente entre uma e quatro semanas; Imunodeprimido(HIV): Má absorção, esteatorreia, diarréia aquosa, cólicas, flatulência, náuseas, vômitos, emagrecimento, desidratação.

28 Patogenia

29 Diagnóstico Oocistos nas fezes;

30 Isosporose Epidemiologia: mundial / deficiência de serviços sanitários básicos; Tratamento: Sulfametoxazol+trimetropim; Pirimetamina.

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41 Sarcocitose Cistos nos tecidos musculares do hospedeiro intermediário; 126 espécies > 56 com hospedeiros definitivos; Humana: 1º Caso 1893 (até o momento: 70 casos) Sarcocystis hominis (1891); Sarcocystis suihominis (1976)

42 Morfologia Merontes: Endotélio de vasos sanguíneos do HI; Ovais: 7x3  m. Cistos ou Sarcocistos: Músculos do HI; Arredondados ou ovais: 720x240  m.

43 Morfologia Oocisto: Fezes do Homem (HD); Possui 2 esporocistos com 4 esporozoítos em cada um (maduros nas fezes); Freqüentemente saem rompidos, vendo- se apenas os esporocistos; Forma infectante para o HI.

44 Ciclo Biológico Muito tempo desconhecido; HI: Bovinos (Sarcocystis hominis ) e suínos (Sarcocystis suihominis); Fezes com o Oocisto (ou apenas esporocistos) > água/alimento>HI>Esporozoítos>músculos>cistos/sarc ocistos>ingeridos pelo homem (carne crua ou mal cozida)> bradzoítos> microgameta+ macrogameta>Oocisto.

45

46 Patogenia Humanos: Assintomática; Benígna.

47 Diagnóstico Muscular: Biópsia ou necropsia dos músculos esqueléticos e cardíaco; Intestinal: Identificação dos Oocistos ou Esporocistos nas fezes.


Carregar ppt "Parasitologia Clínica – Coccídios Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google