A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parasitologia Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parasitologia Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia."— Transcrição da apresentação:

1 Parasitologia Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia

2 Parasitologia Parasitismo: Associação nociva entre seres vivos, onde há unilateralidade de benefícios; Parasito: Organismo agressor, menor e beneficiado; Hospedeiro: Organismo agredido, maior e que alberga o parasito.

3

4 Parasitologia Vírus, bactérias, fungos, protozoários e helmintos; Convencionou-se: Protozoários e Helmintos;

5 Parasitologia Zoonose: Doenças e infecções que são naturalmente transmitida entre animais vertebrados e os humanos. Ex: Doença de Chagas e Toxoplasmose.

6 Reinos Monera: procariotas – bactérias; Protista: eucariotas – protozoários e fungos; Plantae: eucariotas – vegetais; Fungi: eucariotas – fungos e cogumelos; Animália: eucariotas – répteis, aves, mamíferos, artrópodes, helmintos...

7

8 Procariotas x Eucariotas Procariotas não possuem núcleo diferenciado e cujo DNA permanece mergulhado no citoplasma; Eucariotas possuem núcleo diferenciado e DNA está contido em cromossomos intranucleares.

9

10

11

12 Relação Parasito- Hospedeiro Associação: Milhões de anos / Busca sobrevivência das espécies; Equilíbrio; Morte do hospedeiro: Não;

13 Relação Parasito- Hospedeiro Formas de Interação: Harmônicas ou positivas: benefício mútuo ou ausência de prejuízo. Ex: Comensalismo; Desarmônica ou negativas: prejuízo para um dos participantes. Ex: Canibalismo, predatismo e parasitismo. Equilíbrio da natureza; Ecologicamente importantes;

14

15 Relação Parasito- Hospedeiro Doença parasitárias pouco numerosas x milhões de casos (prevalência alta); Fatores: Espécie do parasito; Idade; Estado nutricional; Condições sanitárias; Resposta imunológica do hospedeiro.

16 Risco de infecção Populações que não dispõem de água potável correm alto risco de infecções (Foto OMS).

17 Relação Parasito- Hospedeiro Ação patogênica é classificada como: Traumática: Lesão de célula ou tecido (mecânica ou química). Ex: E.histolytica; Espoliativa: Absorve nutrientes ou sangue. Ex: A.lumbricoides (vitaminas); Tóxica: Metabólicos e enzimas. Ex: Ovo do S.mansoni;

18 Relação Parasito- Hospedeiro Ação patogênica é classificada como: Irritativa: Lesão por órgãos de fixação. Ex: G.lamblia; Mecânica: Dificulta a absorção ou obstrui dutos e glândulas. Ex: A.lumbricoides.

19 Relação Parasito- Hospedeiro Equilibro Parasito- hospedeiro; Quando não ocorre: Mata o hospedeiro; É eliminado. Ocorre (resposta imune x parasito): Parasito: Inerte / Não estimula SI; SI: Não reconhece ou falha.

20 Período de Interação Inicia: Infecção / Final: Cura ou morte; Parasitológico: Parasito; Clínico: Resposta do hospedeiro;

21 Períodos Parasitológicos Pré-patente: Desde a infecção até quando os cistos, ovos, larvas são evidenciados por algum método de diagnóstico em laboratório;

22 Períodos Parasitológicos Patente: facilmente evidenciados nos métodos de diagnóstico em laboratório; Subpatente: difícil de ser demonstrado (Ex: protozoários – sub e patente)

23 Períodos Clínicos Incubação: infecção / sintomas; Sintomático: paciente com sintomas; Latente: paciente infectado sem sintomas (latente / sintomático).

24 Parasitológicos + Clínicos Patente + sintomático; Subpatente + latente;

25 Mecanismo de Transmissão Cada parasito: forma de transmissão; Passos para transmissão (E.histolytica): Fonte de infecção: Portador; Forma infectante: Cistos; Veículo: Água e alimentos contaminados; Via de penetração: boca.

26 Mecanismo de Transmissão Passos para transmissão (P.falciparum): Fonte de infecção: Paciente com gametas; Forma infectante: Esporozoítos; Veículo: Picada da fêmea do A.darlingi; Via de penetração: Pele (sangue). Favorece: Densidade populacional; Precariedade dos serviços de saúde.

27 Tipos de Ciclo Biológico Alguns: Hospedeiro intermediário; Apenas uma espécie de hospedeiro definitivo / diversas espécies; Grande importância na manutenção e na dispersão da espécie;

28 Ciclo Biológico e Hospedeiros Facultativos: Vida livre / eventualmente parasita; Ex: Acantamoeba sp.

29 Ciclo Biológico e Hospedeiros Obrigatórios: Só sobrevivem em um hospedeiro; Ex: Leishmania sp. / Taenia sp.

30 Ciclo Biológico e Hospedeiros Estenoxeno: Apenas uma espécie de hospedeiro (esteno: estrito); Ex: A.lumbricoides e E.vermicularis apenas o homem.

31 Ciclo Biológico e Hospedeiros Eurixeno: Diversas espécies de hospedeiro (euri: largo/amplo); Ex: Toxopalsma gondii (homem/gato).

32 Ciclo Biológico e Hospedeiros Monoxeno: Apenas um hospedeiro (mono: um); Ex: A.lumbricoides (homem);

33 Ciclo Biológico e Hospedeiros Heteroxeno: Necessita hospedeiro intermediário; Ex: Taenia solium.

34 Tipos de Vetores Vetor: É um artrópode, molusco ou outro veículo capaz de transmitir o parasito entre dois hospedeiros. Pode ser vivo ou não vivo.

35 Tipos de Vetores Vetor Biológico: Quando o parasito se reproduz / desenvolve no vetor. Ex: Triatomíneo e o T.cruzi.

36 Tipos de Vetores Vetor Mecânico: Quando o parasito não se reproduz / desenvolve no vetor, Apenas transporta. Ex: Moscas e cistos de Amebas.

37 Tipos de Vetores Vetor Inanimado: Quando o parasito é transportado por objetos. Ex: Especulo vaginal e T.vaginalis.

38 Taxonomia Reconhece, classifica e identifica os seres vivos; Anopheles (transmissor da malárias): Reino: Animalia; Filo: Arthropoda; Classe: Insecta; Ordem: Díptera; Família: Culicidae; Gênero: Anopheles; Espécie: Anopheles darlingi

39 Taxonomia Nomenclatura latina e binomial; Gênero e espécie (Entamoeba histolytica); Gênero: Primeira letra maiúscula; Espécie: Primeira letra minúscula, mesmo se for nome de pessoa (T.cruzi); Pessoa: i (homem) e ae (mulher) cruzi / mariae Palavras grifadas ou escritas em itálico;

40 Taxonomia Quando a espécie possuir sub-gênero, este virá interposto entre o gênero e a espécie, separado por parênteses. Ex: Anopheles (Nyssorhynchus) darlingi

41 Taxonomia Podemos nos referir a um gênero sem mencionar a espécie, sendo o referido gênero precedido da abreviatura sp. Ex: Plasmodium sp.

42 Helmintologia Vários animais: vida livre e parasitas; Ascaris lumbricoides; Trichuris trichiura; Ancylostoma duodenale e Necator americanus; Enterobius vermicularis; Schistosoma mansoni; Strongyloides stercoralis; Taenia solium e Taenia saginata; Wuchereria bancrofti; Larva migrans.

43 Protozoologia Protozoários: Eucariotas, protista, unicelular, vida livre e parasitas; Amebíase; Giardia sp.; Trichomonas sp.; Leishmania sp.; Plasmodium sp.; Trypanossoma sp.; Toxoplasma gondii; Balatidium coli.


Carregar ppt "Parasitologia Professor MSc. Eduardo Arruda Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ Curso Superior de Farmácia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google