A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estruturando a Governança: AIDS SUS e Política de Incentivo Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estruturando a Governança: AIDS SUS e Política de Incentivo Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites."— Transcrição da apresentação:

1 Estruturando a Governança: AIDS SUS e Política de Incentivo Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais

2 AIDS SUS: estruturação da governança da resposta nacional em HIV/Aids e outras DST Execução: Valor total do Projeto: US$ 200 milhões * US$ 67 milhões de empréstimo * US$ 133 milhões contrapartida federal

3 Objetivos Aumentar o acesso aos serviços de prevenção, diagnóstico, tratamento em DST e HIV/Aids pelas populações vulneráveis; Melhorar o desempenho dos programas de DST e Aids nos três níveis de governo, por meio da gestão baseada em resultados e melhoria da governança. AIDS SUS: estruturação da governança da resposta nacional em HIV/Aids e outras DST

4 DLICOMPONENTE 1 -BaseAno 1Ano 2Ano 3Ano 4FreqüênciaVerificação 2 Proporção de HSH que reportaram uso de preservativos na última relação sexual dos últimos 12 meses TBD 2009 NA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 3 Proporção de PS que reportaram uso de preservativos na última relação sexual com cliente nos últimos 12 meses 90.1 % 2009 NA +10%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 4 Proporção de UD que reportaram uso de preservativos na última relação sexual dos últimos 12 meses TBD 2009 NA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 5Cobertura de PVHA acessando preservativo masculino 35% %42%45%49%AnualPlano de Necessidades de Insumos 6Cobertura de pessoas encarceradas acessando preservativo masculino 58% %64%67%70%AnualPlano de Necessidades de Insumos 13Proporção de HSH que reportaram ter acessado preservativos gratuitamente nos últimos 12 meses. TBDNA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 14Proporção de PS que reportaram ter acessado preservativos gratuitamente nos últimos 12 meses TDBNA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 15Proporção de UD que reportaram ter acessado preservativos gratuitamente nos últimos 12 meses. TBDNA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 16Proporção de HSH que reportaram ter realizado testagem para o HIV nos últimos 12 meses. TBDNA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 17Proporção de PS que reportaram ter realizado testagem para o HIV nos últimos 12 meses % 2009 NA +15%NATrienalPesquisa de amostragem probabilística Componente 1: Melhoria da vigilância, prevenção e controle das DST/aids nas populações vulneráveis

5 DLICOMPONENTE 1 -BaseAno 1Ano 2Ano 3Ano 4FreqüênciaVerificação 18Proporção de UD que reportaram ter realizado testagem para o HIV nos últimos 12 meses. TBDNA +15 % NATrienalPesquisa de amostragem probabilística 19Proporção da população sexualmente ativa que declara ter se testado para o HIV alguma vez na vida. 38% 2008 NA 44%TrienalPCAP 20Cobertura de HSH atendidos em serviços e/ou projetos que acessam preservativo. 35% % 42%45.5 % 49%AnualPlano de Necessidades de Insumos 21Proporção de SAE (SUS) que fornecem preservativos na pré-consulta de rotina. 32% %NA48%NABienalQualisus 22Proporção de gestantes testadas para HIV no pré-natal % 2006 NA 72%QuadrienalEstudo Sentinela Parturiente 23Proporção de gestantes testadas para sífilis no pré-natal % 2006 NA 25%QuadrienalEstudo Sentinela Parturiente 24Proporção de casos de aids em indivíduos com 13 anos ou mais de idade, com atraso de notificação. 40% %30%25%20%AnualSinan 25Proporção de SES executando 70% dos recursos do incentivo repassado no ano. 59% %71%77%83%AnualSIS-Incentivo 26Proporção de SMS das capitais executando 70% dos recursos do incentivo repassado no ano 54% %65%70%76%AnualSIS-Incentivo Componente 1: Melhoria da vigilância, prevenção e controle das DST/aids nas populações vulneráveis

6 DLICOMPONENTE 1 -BaseAno 1Ano 2Ano 3Ano 4FreqüênciaVerificação 27 Proporção das SES com metas de intervenção para grupos vulneráveis nos PAM/ano. 30% %50%60%70%Anual SIS-Incentivo 28 Proporção das SMS de capitais com metas de intervenção para grupos vulneráveis nos PAM/ano. 30% %50%60%70%Anual SIS-Incentivo 31 Proporção de SES alimentando o Sistema de Monitoramento do incentivo 35% %56%60%63%Anual SIS-Incentivo 32 Proporção de SMS das capitais alimentando o Sistema de Monitoramento do incentivo 19% %30%32%34%Anual SIS-Incentivo 34Proporção de estudos e pesquisas financiadas pelo Departamento voltados às populações vulneráveis NA17NABianualRelatório 36Proporção de subprojetos de cooperação internacional em Monitoramento e avaliação AnualRelatório Componente 1: Melhoria da vigilância, prevenção e controle das DST/aids nas populações vulneráveis

7 Componente 2: Aprimoramento da governança descentralizada e da capacidade de inovação DLICOMPONENTE 2BaseAno 1Ano 2Ano 3Ano 4FreqüênciaMeio de Verificação 7 SES executando 70% das metas do PAM 50% %70%80%85%Anual SIS-Incentivo 8 SMS das capitais executando 70% das metas do PAM 39% %55%62%66%Anual SIS-Incentivo 9 Proporção de SES com informações epidemiológicas e financeiras de DST, HIV e aids em sites institucionais TBD 2009 >5%>10%>15%>20%AnualRelatório 10 Proporção de SMS de capitais com informações epidemiológicas e financeiras de DST, HIV e aids em sites institucionais. TBD 2009 >5%>10%>15%>20%AnualRelatório 11 Proporção de projetos de OSC financiados com desembolso vinculado ao alcance de resultados. 25% %50%75%85%AnualSIMOP 12Plano Nacional de Metas para DST/ HIV/AIDS (2014 a 2019) aprovado pela SVS/MS. NAOutlineDraftfinalizadoaprovadoAnualRelatórios

8 DLICOMPONENTE 2BaseAno 1Ano 2Ano 3Ano 4FreqüênciaMeio de Verificação 29 Proporção de SES que realizaram capacitação em gestão e governança. 0%20%30%40%50%Anual SIS-Incentivo 30 Proporção de SES capacitadas para aumento do desempenho físico e financeiro. 0%20%30%40%50%AnualRelatório 33 Proporção de SES e SMS das capitais capacitadas pelo Departamento em vigilância epidemiológica e relacionamento de banco de dados (100%) AnualRelatório 35Estudos de avaliação de impacto (é o nº 30 do MOP) NAdesenvol vimento realizaçãoAnualRelatório 37Numero de técnicos incluídos no quadro permanente do Departamento AnualRelatório 38Proporção de licitações do Departamento executadas pelo DLOG/MS 10%25%50%65%75%AnualRelatório 39 Numero de DSEI com Plano de DST/Aids implantado 2634AnualSIASI Componente 2: Aprimoramento da governança descentralizada e da capacidade de inovação

9 Principais Atividades AIDS SUS Realizar mapeamento dos programas de DST/Aids das SES, capitais e OSC para identificar problemas e recomendações que melhorem a gestão e aumentem o desempenho físico e financeiro (agosto 2011) Realizar adequação do instrumento de planejamento e programação (PAM) das SES e SMS (Agosto 2011) Identificar mecanismos que promovam a gestão por resultados dos programas de DST/Aids das SES e capitais Estabelecer mecanismos para premiação e sanções de SES e SMS (capitais) Implementar estratégias de gestão interfederativa para cooperação entre os 26 estados e DF. (novembro 2011)

10 A partir da análise dos seguintes documentos: Estudo do Departamento, realizado pelo Instituto de Saúde de São Paulo GT-Incentivo (COGE e Departamento) Consulta de opinião dos Coordenadores estaduais e das capitais sobre o PAM 2012 GT-Departamento: análise sobre o financiamento das OSC ( ) GT-Departamento: análise dos PAM das SES Relatórios semestrais e dados do SIS-Incentivo PAM 2012 e Incentivo: reformulação do instrumento de planejamento e programação e monitoramento

11 Principais achados/recomendações: Tendência: supressão das áreas temáticas, com objetivo de não fragmentação ; As ações passam a ser procedimentos operacionais para alcance das metas, portanto não integram o PAM (memória de cálculo local). Metas SMART alinhadas: Metas e compromissos nacionais Correspondência com a situação epidemiológica Ações integradas de DST/Aids e hepatites virais Aumento da visibilidade das pactuações (medicamentos e preservativos), pelo SICLOM e Plano de Necessidades e revalidação pelos gestores estaduais e municipais PAM 2012 e Incentivo: reformulação do instrumento de planejamento e programação e monitoramento

12 Aumento da transparência: disponibilização de desempenho físico e financeiro na Internet. Entendimento do Incentivo como Piso Variável da Vigilância e Promoção em Saúde (PVVPS, conforme Portaria nº 3.252/09) Inserção nos instrumentos (Plano de Saúde, Programação das Ações em Saúde) PAM 2012 e Incentivo: reformulação do instrumento de planejamento e programação e monitoramento

13 Revisão do Incentivo: valores, critérios, OSC e repactuações serão objetos de discussão em conjunto com CONASS E CONASEMS, em Grupo de Trabalho específico no GT-VS/CIT Reorganização das estratégias de planejamento, para elaboração do PAM: oficinas, capacitações, supervisões, Cadernos de Planejamento e Gestão, Encontros Macrorregionais, site do Incentivo (incluindo link para Sustentabilidade, Gestão e Cooperação Interfederativa) Ampliar modelo participativo: formação de GT, com participação das SES, SMS e OSC para a reorganização das estratégias. Proposta de composição: 2 Estados; 2 Municípios; 2 OSC. DST, Aids e HV na agenda política dos Secretários de Saúde PAM 2012 e Incentivo: próximos passos

14 Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais


Carregar ppt "Estruturando a Governança: AIDS SUS e Política de Incentivo Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google