A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO E AULA INAUGURAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM ED. CAMPO A Educação do Campo e o Movimento Histórico Sociopolítico de sua.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO E AULA INAUGURAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM ED. CAMPO A Educação do Campo e o Movimento Histórico Sociopolítico de sua."— Transcrição da apresentação:

1 SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO E AULA INAUGURAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM ED. CAMPO A Educação do Campo e o Movimento Histórico Sociopolítico de sua construção: Concepções, Marcos e Perspectivas A Educação do Campo e o Movimento Histórico Sociopolítico de sua construção: Concepções, Marcos e Perspectivas Maria Antônia de Souza Maria Antônia de Souza Profa. do PPGEd Mestrado e Doutorado em Educação – UTP. Profa. do PPGEd Mestrado e Doutorado em Educação – UTP. Profa. do Curso de Pedagogia – UEPG. Profa. do Curso de Pedagogia – UEPG.

2 Objetivos: Análise de conjuntura do Movimento da Educação do Campo. Educação do Campo como fruto das lutas dos trabalhadores por terra e por reforma agrária. Processo de construção da Educação do Campo Concepções Marcos Perspectivas

3 Temas para debate Contexto da Educação do Campo no Brasil. Políticas e Práticas da Educação do Campo. Escolas do Campo: principais desafios

4 Contexto da Educação do Campo ASSENTAMENTOS DE REFORMA AGRÁRIA novembro/ famílias assentadas, municípios. PRONERA – Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária 89 projetos 380 mil assentados foram atendidos 47 universidades envolvidas 16 institutos e escolas técnicas jovens matriculados em cursos e projetos de escolarização.

5 Contexto da Educação do Campo povos Existência de povos que sobrevivem do e no campo. contexto da reforma agrária Luta intensificada no contexto da reforma agrária. do Lutas e movimentos pela educação são históricos no Brasil. Novidade: luta por educação do campo.

6 Contexto da luta por Educação do Campo Base: sociedade de classes Base: sociedade de classes Exploração e Expropriação dos trabalhadores Revelada nos baixos Índices de Desenvolvimento Humano – IDH. Escola: instituição de reprodução ideológica Estado: entre direitos e deveres e entre interesses de classes. Nova face: Nova face: aproximação dos movimentos sociais do Estado (gera modificações nas relações no interior dos grupos e no interior das instâncias governamentais). Força ideológica conservadora a ser superada... Força ideológica conservadora a ser superada...

7 A luta pela Educação do Campo confronta interesses sociais. Interesse do Estado como aparelho da classe dominante. Confronta duas lógicas educacionais: reprodutora x transformadora. para os dos Confronta duas concepções políticas de educação: para os povos do campo x dos povos do campo. Potencializa a formação de uma esfera pública.

8 Contexto da Ed. do Campo Esfera pública tais movimentos e organizações interagem com o Estado e as instituições "[...] ela se torna a arena onde se dá tanto o amálgama da vontade coletiva quanto a justificação das decisões políticas previamente acertadas" (p.15). Para Costa, não se trata de pensar esferas públicas "[...] paralelas e separadas da 'esfera pública burguesa'. Ainda que preservem os seus mecanismos próprios de comunicação, tais movimentos e organizações interagem com o Estado e as instituições" (COSTA, 2002, p.36).

9 Contexto da Educação do Campo: protagonismo da sociedade civil vontade política das forças democráticas organizadas espaço público diferente do modelo neoliberal [...] o compromisso ético e a opção pelo desenvolvimento de propostas que tenham por base o protagonismo da sociedade civil exige uma clara vontade política das forças democráticas organizadas para a construção de uma nova sociedade e de um espaço público diferente do modelo neoliberal, construído em cima de exclusões e injustiças (GOHN, 2005, p.113).

10 Concepções de Educação do Campo Educação Rural: Centralidade da decisão no Estado e nos governos. Educação do Campo: Centralidade dos processos educativos – sociedade/ movimentos sociais. Escola? Educação Pública? Projeto de Sociedade/ Campo/ Educação? Projeto de Sociedade/ Campo/ Educação?

11 MARCOS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO Práticas educativas do MST...; CFRs; ONG... Projetos de alfabetização de jovens e adultos => iniciados nos anos de 1990 (parcerias entre governos e movimentos sociais). Encontros e Conferências Encontros e Conferências voltadas ao debate da educação na reforma agrária.... (Constituição de um espaço público para debate da Educação do Campo). PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA, PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA, 1998.

12 PRÁTICAS COLETIVAS: da Educação Básica à Educação Superior Magistério da Terra – Braga, Pedagogia da Terra – Unijuí, Projetos de EJA – Formação de Educadores do Campo, 200_... Licenciatura em Educação do Campo, Geografia, Pedagogia, História, Direito, Agronomia.... Formação Técnica Formação Superior em Agroecologia – ELAA, Pós-Graduação Lato Sensu: cursos de Especialização.

13 NO MOVIMENTO DA EDUCAÇÃO DO CAMPO Rede Mineira de Educação do Campo/MG Comitê de Educação do Campo/PR Rede de Educação do Semi-Árido Brasileiro/BA Vários estados: Articulação com Programa Saberes da Terra, Projovem Campo, Programa Escola Ativa, Pronera, 1998.

14 O CONHECIMENTO NA LUTA SOCIAL processo pedagógico político Assim, com os novos movimentos sociais, estamos diante de um processo pedagógico – e político, é sempre bom lembrar – igualmente novo no horizonte das lutas populares do campo brasileiro (MUNARIM, 2008, p. 14).

15 NO MOVIMENTO DA EDUCAÇÃO DO CAMPO... Grupos de pesquisas nas universidades. Parcerias universidades – movimentos. Formação continuada: governos e universidades. Concepção de educação em alternância: tempo escola, tempo comunidade, tempo pesquisa.... Reitera-se uma concepção curricular crítica e sociocultural. Reitera-se uma concepção curricular crítica e sociocultural.

16 POLÍTICAS E PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO construção coletiva Política e prática da construção coletiva. Práticas em parcerias... Prática de produção coletiva do conhecimento: Antunes-Rocha; Martins et al; Molina et al; Soares; Vendramini; Assesoar; MST... Prática coletiva na instância governamental: CEdoC; produção de material pedagógico; diretrizes curriculares; formação continuada etc.

17 Que concepção de prática? Vázquez (1977, p.248) nos oferece a categoria práxis criadora para se referir ao estado de criação humana. Para ele, O homem não vive num constante estado criador. Ele só cria por necessidade: cria para adaptar-se a novas situações ou para satisfazer novas necessidades. Repete, portanto, enquanto não se vê obrigado a criar. E, acrescenta o autor, que no processo verdadeiramente criador, a unidade de ambos os lados do processo – o subjetivo e o objetivo, o interior e o exterior – se apresenta de modo indissolúvel. (VÁZQUEZ, 1977, p. 248).

18 Políticas e Práticas da Educação do Campo Formação inicial Formação continuada Um processo de repensar conteúdos e metodologias. X Gestão democrática X rotina e cultura escolar autoritária. X Políticas compensatórias X políticas de formação humana e emancipação. X Práticas reiterativas X práticas criadoras.

19 Políticas e Práticas da Educação do Campo Programas Diretrizes: 2002; 2008; estaduais; decreto/2010 Diretrizes Estaduais (PR, 2006) Resoluções Há um processo de construção pública de políticas? Há um processo de construção pública de políticas? Participação das comunidades locais não organizadas politicamente, como vem sendo pensada?

20 Escolas do Campo: transformações em curso...

21 Escolas do campo: transformações em curso...

22 PERSPECTIVAS Cultura escolar: Cultura escolar: superar a força do paradigma tradicional no processo pedagógico. Superar hierarquias. Superar homogeneidades. Superar fragmentação: dos conteúdos, do processo de avaliação, da fragilização dos conteúdos. Ampliar a prática da pesquisa: valorização desde a instância governamental...

23 PERSPECTIVAS Política de Estado... Política de governo... Política dos movimentos sociais... Força política dos sujeitos organizados. => Rede de coletivos universidades movimentos organizações

24 PERSPECTIVA Enfrentamento de classes. Fortalecimento da ideologia da Educação Rural em políticas governamentais X fortalecimento da Educação do Campo. Ampliação nacional do debate da Educação do Campo. Força do conceito diversidade cultural – Atenção!

25 Dilemas... A nossa época de crise estrutural global do capital é também uma época histórica de transição de uma ordem social existente para outra, qualitativamente diferente. Essas são as duas características fundamentais que definem o espaço histórico e social dentro do qual os grandes desafios para romper a lógica do capital, e ao mesmo tempo também para elaborar planos estratégicos para uma educação que vá além do capital, devem se juntar. (MÉSZÁROS, 2005, p.76)

26 Dilemas... reconhecimento formal de direitos pelo Estado não encerra a luta pela cidadania O reconhecimento formal de direitos pelo Estado não encerra a luta pela cidadania, por uma sociedade diferente da que conhecemos... Qual é o aspecto que há em comum entre os povos do campo? Quais os pontos de diferenças culturais?

27 A história da Educação do Campo no Brasil... É a história da classe trabalhadora.... Revoluciona relações sociais construídas pela burguesia em diferentes momentos históricos.... Os homens e mulheres fazem a própria história na roça, na colônia, no sítio, na ilha, na escola... Homens e mulheres do campo... Trabalhadores(as) na lavoura e na educação. Ocupar, produzir e resistir... Ocupar, produzir e resistir... Também na educação já dizia o MST nos anos de


Carregar ppt "SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO E AULA INAUGURAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM ED. CAMPO A Educação do Campo e o Movimento Histórico Sociopolítico de sua."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google