A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE DA COPA 2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE DA COPA 2014."— Transcrição da apresentação:

1 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE DA COPA 2014

2 1 Code-P1 O QUE O BRASIL QUER COM A AGENDA DE SUSTENTABILIDADE DA COPA 2014 Garantir um legado sustentável Reforçar liderança como país megadiverso Mobilizar a sociedade para novos valores Articular sustentabilida de com inclusão social Promover ações estruturantes de sustentabilida de

3 2 Code-P2 PLANO OPERACIONAL MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE APROVADO PELO GECOPA EM SETEMBRO 2013 Projetos prioritários 1. Certificação e Gestão Sustentável das Arenas 2. Campanha Brasil Orgânico e Sustentável 3. Campanha Passaporte Verde 4. Resíduos e Reciclagem 5. Mitigação e Compensação de Emissões

4 3 Code-P3 1. CERTIFICAÇÃO E GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ARENAS Coordenação – ME Participantes – Representantes do Governo Federal, dos Estados, Cidades Sede, BNDES e gestores das arenas Objetivo – Garantir que as arenas tenham um padrão adequado de incorporação de práticas de construção e gestão sustentáveis certificadas por meio de selo reconhecido internacionalmente Legado – A Copa 2014 é a primeira a ter todas as Arenas Certificadas, e deve impulsionar o mercado da construção sustentável no país.

5 4 Code-P4 1. CERTIFICAÇÃO E GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ARENAS Iniciativa voluntária do governo brasileiro O processo de Certificação de Construção Sustentável, incorpora questões como: Certificação LEED Reaproveitamento do material de demolição dos estádios na própria construção Uso de materiais de construção certificados Eficiência energética e iluminação eficiente Ventilação natural Reservação e recirculação de água da chuva para rega e limpeza Torneiras e sistemas de descarga inteligentes, entre outros Certificação: duas + seis + quatro

6 5 Code-P5 ArenaCertificação Fortaleza (Castelão)LEED Certificado Salvador (Fonte Nova)LEED Prata Recife (Arena Pernambuco)LEED Prata Manaus (Arena da Amazônia)LEED Certificado Rio de Janeiro (Maracanã)LEED Prata Belo Horizonte (Mineirão)LEED Platinum Brasília (Estádio Nacional de Brasília)Em análise final pelo Green Business Council Porto Alegre (Beira Rio)Em análise final pelo Green Business Council Curitiba (Arena da Baixada)Em análise final pelo Green Business Council Natal (Arena das Dunas)Certificação Inmetro de Eficiência Energética e em fase de complementação dos relatórios finais para obtenção da certificação LEED São Paulo (Arena Corinthias)Fase de complementação dos relatórios finais para obtenção da certificação LEED Cuiabá (Arena Pantanal)Fase de complementação dos relatórios finais Para obtenção da certificação LEED 1. CERTIFICAÇÃO E GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ARENAS

7 6 Code-P6 Arena Castelão: - Redução de 67,6% no consumo potável, redução de 12,7% no consumo anual de energia, 97% dos resíduos do projeto foram desviados do aterro sanitário, 100% das tintas, selantes e colas com baixo teor de compostos orgânicos voláteis, 97,44% das estações de trabalho e 100% dos espaços compartilhados possuem controle de iluminação. Arena Fonte Nova - 20% dos materiais de construção feitos de material reciclado, 75% dos resíduos do projeto de construção desviados do aterro sanitário e 35% de sua energia proveniente de fontes renováveis como solar e eólica. Arena Pernambuco - Utilizou Aço com 87% de matéria prima reciclada e cimento com 30% de matéria prima reciclada, 17% da energia é gerada por painéis fotovoltaicos reduzindo 142,81 tCO2 por ano. Maracanã - Reduzirá 23% do custo operacional do consumo com energia, 71,14% de redução do consumo de água potável e 100% de redução de água potável na irrigação, 9% da energia está sendo gerada por painéis fotovoltaicos, amplo acesso a transporte público (trens de superfície e mais de 60 linhas de ônibus). 1. ALGUNS EXEMPLOS QUE CONTRIBUIRAM PARA A CERTIFICAÇÃO LEED DAS ARENAS

8 7 Code-P7 2.CAMPANHA BRASIL ORGÂNICO E SUSTENTÁVEL

9 8 Code-P8 Coordenação – MDS Participantes – MDS, MDA, MMA, MAPA, MTUR, PNUMA, ABRASOS, Estados e Cidades Sede Objetivo - Induzir relações favoráveis de mercado, estruturar a oferta e estimular a demanda por produtos orgânicos e sustentáveis, sendo eles: da agricultura familiar; orgânicos, com denominação geográfica de origem e do comércio justo. Estratégia - Promoção de uma Campanha de Consumo Consciente, que pretende sensibilizar consumidores finais e aumentar a demanda por estes produtos. Legado - A Campanha Brasil Orgânico e Sustentável contribuirá para fortalecer o setor buscando uma cadeia produtiva do setor mais estruturada e buscando gerar uma demanda diferenciada que vai promover inserção social, geração de emprego e renda e proteção ambiental.. 2. CAMPANHA BRASIL ORGÂNICO E SUSTENTÁVEL

10 9 Code-P9 Categoria de Certificação Contempladas (SELOS)  Produto Orgânico Brasil  Aqui tem Agricultura Familiar 2. CAMPANHA BRASIL ORGÂNICO E SUSTENTÁVEL

11 10 Code-P10 2. CAMPANHA BRASIL ORGÂNICO E SUSTENTÁVEL RESULTADOS a)Quiosques BOS Cidades da Copa receberam entre 11 e 27 de junho, Quiosques de Comercialização de Produtos Orgânicos e da Agricultura Familiar. b) Kits Lanche para os voluntários Os cerca de voluntários participantes do Programa Brasil Voluntário receberam um kit de alimentos orgânicos não perecíveis para reforço à sua alimentação.

12 11 Code-P11 2. QUIOSQUES - LAYOUT

13 12 Code-P12 2. KITS DE ALIMENTAÇÃO PARA OS VOLUNTÁRIOS

14 13 Code-P13 2. QUIOSQUE BRASÍLIA

15 14 Code-P14 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE Coordenação – PNUMA, MMA e MTur Participantes – PNUMA, MMA, MTur, ME e MDS Objetivo – Campanha para estimular consumo e produção sustentáveis com foco no turismo. Por meio da experiência da Copa 2014, a campanha pretende incentivar mudanças de comportamento nos turistas por meio da escolha de opções de consumo mais sustentáveis. Ao mesmo tempo, a iniciativa apoiará hotéis, pousadas, bares e restaurantes a aprimorarem a sua produção para métodos mais sustentáveis Campanha realizada em mais de 40 países pelo PNUMA e Organização Mundial do Turismo Legado – Conscientização do setor de turismo e do turista para a sustentabilidade com uso de novas ferramentas interativas, focada no interesse específico do usuário

16 15 Code-P15 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE – NOVA MARCA MUNDIAL O governo brasileiro firmou Memorando de Entendimento com o Programa das Nações Unidas Para o Meio Ambiente – PNUMA, com vistas a ter o apoio da instituição em iniciativas relacionadas à sustentabilidade da Copa Projeto Prioritário: Passaporte Verde Copa 2014 Cerca de 1000 novos acessos por dia, em canais de comunicação como website, aplicativo móvel e mídias sociais. O Passaporte Verde no facebook atingiu mais de 25 mil fãs desde o começo da Copa.

17 16 Code-P16 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE – PORTAL

18 17 Code-P17 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE – PORTAL

19 18 Code-P18 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE – APP MÓVEL

20 19 Code-P19

21 20 Code-P20 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE RESULTADOS A Campanha Passaporte Verde foi reformulada pelo PNUMA, tendo como mote a realização da Copa 2014 Nova marca: criada no Brasil para uso global Portal: plataforma de comunicação com roteiros Passaporte Verde, dicas, ações de sustentabilidade na Copa, notícias, apoio aos empresários do setor de turismo e mais; Aplicativo Móvel: dicas de sustentabilidade e informações georeferenciadas de roteiros e estabelecimentos Passaporte Verde Mídias Sociais: Estratégia de engajamento no Facebook e em outras redes sociais

22 21 Code-P21 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE RESULTADOS Roteiros Passaporte Verde - Todas essas ferramentas estão sendo utilizadas para difundir 60 roteiros Passaporte Verde, indicados pelas cidades e governo estaduais, numa articulação com as secretarias de turismo e meio ambiente. Jornadas – a campanha promoveu um conjunto de Jornadas de Sustentabilidade, workshops de sensibilização para negócios sustentáveis voltadas aos trades turísticos. Compromisso – como forma de estimular a adoção de práticas de gestão sustentável, o Trade turístico poderá fazer uma auto-avaliação dos estabelecimentos, e assumir metas de sustentabilidade para seus negócios.

23 22 Code-P22 3. CAMPANHA PASSAPORTE VERDE LEGADO 1.GUIA PRÁTICO Manual com subsídios técnicos para incorporação de práticas de sustentabilidade em hotéis, bares e restaurantes. 2. VÍDEO AULA Vídeo-aula sobre produção e consumo sustentável no turismo. O vídeo estará disponível no hotsite para educação empresarial online e disseminação em larga escala para o setor no Brasil e exterior, via PNUMA. 3. COMPROMISSO DE SUSTENTABILIDADE Estabelecimentos compromissados com a produção sustentável, por meio do Passaporte Verde, e roteiros sustentáveis para incentivar o consumo consciente.

24 23 Code-P23 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES Coordenação – MMA Participantes – Governo Federal (MCTI), Estados e cidades sede, Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas Objetivo – Contabilizar as emissões geradas pelo evento e apresentar estratégias para redução, neutralização e compensação Legado - Incorporação, como política pública, da prática de redução de GEE na realização de grandes eventos e de grandes obras de infraestrutura em nível nacional. Criação de capacidade para o desenvolvimento de políticas municipais de mudança do clima nas Cidades Sede

25 24 Code-P24 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES INICIATIVAS  Projeto teve o apoio da Embaixada Britânica e o envolvimento de equipe de consultoria que trabalhou na Olimpíada de Londres  Oficinas de capacitação nas Cidades Sede  Lançado o Guia para Inventário de Gases de Efeito Estufa e Estratégias de Mitigação – abril de 2012 Inventário Ex-Ante de emissões da Copa 2014 – efetivado no primeiro semestre de 2013 com a projeção das emissões relacionadas ao evento. Inventário Ex-Post – Já em curso, será concluído no segundo semestre de 2014

26 25 Code-P25 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES METODOLOGIA: três principais fontes de emissões de GEE Operações Veículos oficiais Geradores estádios, estruturas temporárias, espaços oficiais Energia elétrica estádios e espaços oficiais Resíduos gerados nos estádios e espaços oficiais e seu transporte Transporte público para os estádios e espaços oficiais Obras Estádios Aeroportos Mobilidade urbana Outros Espectadores e profissionais Viagens aéreas Internacionais e Nacionais Hospedagem

27 26 Code-P26 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES AVALIAÇÃO EX-ANTE  ton. CO2 eq.  Categorias: obras, operações, espectadores e profissionais

28 27 Code-P27 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES AVALIAÇÃO EX-ANTE  ton. CO2 eq. OBS: maior parcela de emissões decorre do aéreo transporte internacional

29 28 Code-P28 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES COMPENSAÇÃO Iniciativa Baixo Carbono na Copa do Governo brasileiro - em Abril de 2014, o MMA lançou Edital com chamada pública às empresas brasileiras detentoras de créditos de carbono a promoverem a doação de créditos para a compensação das emissões da Copa. Todas as empresas doadoras receberão um Selo Baixo Carbono fornecido pelo MMA, com base na Lei Geral da Copa Até 27 de junho, o Brasil já compensou 9 vezes mais do que o estimado para as emissões diretas de GEE gerados pela Copa do Mundo. Até agora foram compensadas 535,5 mil toneladas de gás carbônico equivalente (tCO2eq) Ao todo, 14 empresas aderiram à chamada pública de doação de crédito de carbono. O prazo para doação continua aberto até o dia 18 de julho.

30 29 Code-P29 4. MITIGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES MITIGAÇÃO – Principais iniciativas  Arenas sustentáveis - Ex: redução de emissões em 29% no Mineirão e em 24% na Arena Pernambuco)  Coleta seletiva e reciclagem – todas as cidades-sede  Mobilidade urbana – uso de biodiesel B100 na frota de ônibus de SP e Curitiba; uso de metrô para acesso aos estádios no RJ, Recife  Ciclovias e projetos de compartilhamento de bicicletas  Uso de biocombustíveis em geradores utilizados como fonte primária de geração de energia elétrica nos eventos (algumas cidades-sede)  Uso de energia elétrica como fonte primária e os geradores apenas como backup, com vistas a ter fonte primária de geração de energia elétrica renovável (algumas cidades-sede)

31 30 Code-P30 5. RESÍDUOS E RECICLAGEM Coordenação – MMA e Comitê Interministerial de Inclusão de Catadores (Secr. Geral da Presidência) Participantes – Governo Federal, Governos dos Estados e Cidades Sede, Federação Nacional dos Catadores e BNDES Objetivo – Organizar a gestão de resíduos das Cidades-Sede, incluindo a destinação adequada, a coleta seletiva com inclusão dos catadores, e iniciativas voltadas à minimização da geração de resíduos e substituição de embalagens na operação Copa. Legado - Implementação de politicas de coleta seletiva, inclusão de catadores e reciclagem nas Cidades Sede.

32 31 Code-P31 5. RESÍDUOS E RECICLAGEM RESULTADOS Todas as Cidades Sede da Copa tem ações envolvendo inclusão de catadores em parceria com as Cooperativas e associações, coleta seletiva e destinação às cooperativas de Catadores. Nas Arenas e Instalações Complementares sob responsabilidade do Projeto FIFA/COL/Coca Cola Nas áreas de entorno das arenas e Fan Fests - ações executadas pelas Cidades Sede e apoiadas pelo Governo Federal. Somadas as duas iniciativas, a Copa deverá propiciar a contratação direta de cerca de 2400 catadores de materiais recicláveis organizados nas principais Associações e Cooperativas.

33 32 Code-P32 5. RESÍDUOS E RECICLAGEM RESULTADOS O governo federal abriu linha de apoio financeiro às Cidades Sede para inclusão de catadores nas áreas de entorno e Fan Fests 05 Cidades tiveram seus projetos aprovados, num montante de cerca de R$ 2,1 milhões – Manaus, Belo Horizonte, São Paulo, Natal e Fortaleza. (Informação atualizada em 08/07). Esses projetos deverão mobilizar cerca de 710 catadores durante todo o período da Copa. Somadas as 12 Cidades, a projeção é de que se tenha cerca de 1500 catadores atuando no entorno e Fan Fests Os catadores atuam na sensibilização aos torcedores, coleta seletiva, triagem e encaminhamento do material reciclável às cooperativas.

34 33 Code-P33 Catadores no entorno da Arena CorinthiasEntorno Arena Amazônia CATADORES EM AÇÃO

35 34 Code-P34 Tenda para central de resíduos do entorno da FIFA FAN FEST - Praia do Forte Entorno Arena Castelão CATADORES EM AÇÃO

36 35 Code-P35 Divulgação do trabalho dos catadores nos hotéis Totens de divulgação no entorno do Mineirão Equipe SLU e Catadores em BH CATADORES EM AÇÃO EM BELO HORIZONTE

37 36 Code-P36 5. RESÍDUOS E RECICLAGEM RESULTADOS Adicionalmente, em 2011 o BNDES abriu linha de financiamento a fundo perdido (doação) para a estruturação da coleta seletiva em caráter permanente nas Cidades Sede – Projeto Cidades da Copa. Já aprovaram projetos - Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro, totalizando em torno de R$ 79 milhões. Em processo de assinatura – São Paulo – R$ 41 milhões Em processo de consulta - outras 4 Cidades - Cuiabá, Salvador, Fortaleza e Manaus

38 37 Code-P37 5. RESÍDUOS E RECICLAGEM RESULTADOS CAMPANHA EDUCATIVA A FIFA produziu uma animação com o Mascote da Copa, Fuleco promovendo a Coleta Seletiva, que será exibida nos telões em todos os estádios da Copa. Além disso as cidades-sede poderão utilizar a imagem do Mascote promovendo a coleta seletiva e o slogan "Marque um golaço: Recicle" nas suas campanhas educativas nas áreas externas aos estádios. A expectativa é que ao menos 3,8 milhões de espectadores (60 mil lugares por Arena x 64 jogos) sejam atingidos pela Campanha, que será veiculada tanto dentro como fora dos estádios

39 38 Code-P38 Legado para 2016 – um dos legados mais importantes da Agenda de Sustentabilidade da Copa é que grande parte dos esforços e estratégias desenvolvidos para 2014 poderão ter rebatimento na Agenda de Sustentabilidade dos Jogos olímpicos, pois envolvem os mesmos atores institucionais. Legado para Olimpíadas


Carregar ppt "Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE DA COPA 2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google