A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AGROENERGIA: UM NOVO PARADIGMA AGRÍCOLA Roberto Rodrigues Sertãozinho/SP, 04 de setembro de 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AGROENERGIA: UM NOVO PARADIGMA AGRÍCOLA Roberto Rodrigues Sertãozinho/SP, 04 de setembro de 2008."— Transcrição da apresentação:

1 AGROENERGIA: UM NOVO PARADIGMA AGRÍCOLA Roberto Rodrigues Sertãozinho/SP, 04 de setembro de 2008

2 2 30/3/2015 EnergiaEducação ÁguaDemocracia AlimentosPopulação Meio ambienteDoenças PobrezaTerrorismo & guerra AGRICULTURA Fonte: Alan MacDiarmid, em São Carlos – SP Os dez maiores problemas para a humanidade nos próximos 50 anos

3 3 30/3/2015 Mudança no perfil de consumo: Mudança no perfil de consumo: - sabor - qualidade - rastreabilidade - saúde - meio ambiente - produtos orgânicos Tendências

4 Tendências Demanda por Alimento (2000 – 2025) + 62,0% Fonte: Bourlaug, N., Agroanalysis, Vol. 27, nº 03 (março/2007) Elaboração: GV Agro Tendências demográficas:

5 5 30/3/2015 Projeção da população urbana e rural no mundo Fonte: ONU Elaboração: GV Agro Rural Urbana Tendências

6 6 30/3/2015 Aumento da renda ( ) Fonte: FMI Nota: PIB a preços de 2005 Tendências - Mundo: 4,6% a.a - Países do G-7: 2,2% a.a - Países em desenvolvimento: 7,1% a.a Participação no PIB mundial Países do G-7 59,5% 53,6% Demais desenvolvidos 15,8% 15,6% Países em desenvolvimento 24,7% 30,8%

7 7 30/3/2015 Consumo per capita de alimentos no mundo Fonte: FAO, Nota: não inclui cereais utilizados para a alimentação animal Substituição de cereais e amidos por carnes, lácteos, doces, frutas, alimentos processados... (kg / pessoa / ano) Tendências

8 8 30/3/2015 Mundo: oferta e demanda por alimento Fonte: FAO (2003) Elaboração: AGE – MAPA ¹ todas as carnes consumidas (em milhões de toneladas)

9 Estoques mundiais de grãos Fonte: USDA Nota: * Soja, Milho, Trigo e Cevada. Em mil toneladas Elaboração: GV Agro Produção x Consumo Mundial de Grãos*: somatório (2000/ /08) Brasil produz excedentes para abastecer os estoques mundiais

10 Exportações brasileiras do Agronegócio (1997 – 2007) Fontes: AgroStat Brasil / MAPA e MDIC Elaboração: GV Agro

11 11 30/3/2015 Fonte: UN COMTRADE Elaboração: GV Agro Principais Produtos (em valor) Exportações brasileiras do Agronegócio Exportações Agronegócio: US$ 1,35 bilhão (84,4%) Exportações Total Brasil: US$ 1,59 bilhão

12 12 30/3/2015 Fonte: AgroStat Brasil Elaboração: GV Agro Principais Produtos (em valor) Exportações brasileiras do Agronegócio

13 13 30/3/2015 Países Desenvolvidos de US$ 14,4 bi para US$ 34,8 bi Variação ( *): +11,7% a.a. Países em Desenvolvimento de US$ 6,2 bi para US$ 29,1 bi Variação ( *): +21,3% a.a. Fonte: Aliceweb-MDIC. Nota: * jun/07 a mai/08 Elaboração: GV Agro US$ 20,5 bi US$ 63,9 bi O aumento da importância dos países em desenvolvimento Exportações brasileiras do Agronegócio

14 % 14 30/3/2015 Século XXI: o início de uma nova Era Desafio para a humanidade: DIVERSIFICAR AS FONTES DE ENERGIA Até 2030, a demanda mundial por energia deverá crescer 58%. Fontes: Nakícenovic, Grübler e MaConald, 1998 e Energy Information Administration - EIA/USA

15 15 30/3/2015 Por que biocombustíveis?

16 16 30/3/2015 Mais países produzindo Mistura compulsória Eliminando todos os mitos Estratégia global Organização do mercado

17 17 30/3/2015 Matriz energética – Brasil e Mundo Fonte: MME/BEN (2007) Elaboração: GV Agro Total do Mundo: Mtep A cana-de-açúcar passou a ser a 2ª principal fonte de energia em Fontes renováveis: 45,8% Participação no consumo total Brasil 2,1% 48,5% 100% Mundo Mais países produzindo

18 A ENERGIA DO AGRONEGÓCIO = ENERGIA SUSTENTÁVEL Matriz Energética do Agronegócio 18 30/3/2015 Fonte: Embrapa Monitoramento por Satélite (2008) A Importância do Agronegócio para a Matriz Energética no Brasil * O setor agrícola CONSOME: 4,5% do total (9,1 MTEP) * O setor agrícola PRODUZ: 28,5% do total (68,3 MTEP)

19 19 30/3/2015 Fonte: BPStatistical Review of World Energy Elaboração: GV Agro Região Tropical: favorável à produção de cana Consumo per capita de energia Mais países produzindo

20 Fontes: IEA, CONAB e IBGE Notas: para o cálculo da área, considerou-se um rendimento de litros/ha. Elaboração: GV Agro Mercado potencial para o etanol Substituição de parte da gasolina 3 CENÁRIOS: 5%, 10% e 20% de etanol Mundo: demanda potencial por etanol (bilhões de litros / ano) Área demanda para cana 34,4 milhões de ha (mistura de 20%) Demanda mundial por etanol nos 3 cenários (em bilhões de litros por ano): 60,1 120,2 e 240,5. Mais países produzindo

21 Cana: uma máquina de absorver Carbono 3m 2m 1m 2m 3m 4m 22 a 36 toneladas de C / ha 3 a 5 toneladas de C / ha 5 a 7 anos 21 30/3/2015 Fonte: UNICA - Pólo de Biocombustíveis (Weber Amaral) Eliminando todos os mitos

22 Emissões de CO 2 em 2005: 20 maiores poluidores 22 30/3/2015 Fonte: Embrapa Monitoramento por Satélite 50% das emissões Eliminando todos os mitos

23 Emissões mundiais de CO 2 em 2005 Fonte: Embrapa Monitoramento por Satélite É importante que outros países passem a usar o etanol de cana Eliminando todos os mitos

24 Cana – melhores práticas agrícolas e ambientais Fonte: UNICA FERTILIZANTES - baixa utilização de fertilizantes - uso da vinhaça - uso da torta de filtro - 0,43 toneladas de fertilizantes/ha DEFENSIVOS - pouco uso de inseticidas - uso de fungicidas: quase zero - controle biológico de pragas - uso de variedades resistentes PERDAS DE SOLO - apresenta pequena perda de solo - preparo reduzido de solo - cerca de 12,4 toneladas / ha AUTO-SUFICIÊNCIA ENERGÉTICA - toda energia utilizada no processo industrial é gerada na própria usina a partir da queima do bagaço da cana. Eliminando todos os mitos

25 Cana-de-açúcar: sustentabilidade da produção Fontes: UNICA e Carvalho, Luiz (2008) Elaboração: GV Agro Brasil: consumo fertilizantes dados de 2006 (toneladas/ha) Brasil: perdas de solo (toneladas/ha) Nota: Para determinar o consumo de fertilizantes por hectare dividiu- se a estimativa de consumo de fertilizantes pela área de cada cultura Eliminando todos os mitos

26 Fontes: IBGE e CONAB Nota: Área Disponível = Área agricultável – (Área de lavouras + Área de pastagens) Eliminando todos os mitos Produção com sustentabilidade

27 27 30/3/2015 Área Preservada ** Área Plantada (milhões de ha) Produção (milhões de toneladas) 7,1 milhões de ha foram preservados Fonte: IBGE (Censo Agropecuário: ; PAM (1990 até 2006); e LSPA (2007 e 2008) Elaboração: GV Agro Nota: * Estimativa **Área calculada a partir da produtividade média de 1970 Eliminando todos os mitos Cana-de-açúcar: evolução da produtividade

28 28 30/3/2015 Produção de cana (07/08) 4,9 milhões de ha (+ 1,6%) 341 milhões de toneladas (+ 2,9%) Produção de amendoim (07/08) 220,0 mil toneladas 27% maior do que na safra passada Produção de soja (07/08) 1,5 milhão de toneladas 2,3% maior do que na safra 06/07 Fontes: CONAB e IEA/SP Elaboração: GV Agro Eliminando todos os mitos A produção de cana em São Paulo

29 29 30/3/2015 Energia contida no combustível / Energia fóssil utilizada para produzi-lo 9,3 * Combustíveis completamente não renováveis possuem valor inferior a 1. * Valores superiores a 1 indicam quanto renovável é o combustível. Fonte: World Watch Institute Eliminando todos os mitos Balanço Energético

30 Etanol: produtividade por cultura Fonte: International Energy Agency (2005) litros / ha Eliminando todos os mitos

31 Gasolina: um concorrente protegido no Brasil 31 Nota: Preços reais deflacionados pelo Consumer Price Index-Urban (petróleo) e IGP-DI (álcool e gasolina) - julho/2008 Fontes: FMI, BLS, CEPEA/ESALQ, FGV e ANP Elaboração: GV Agro 31 30/3/2015 Petróleo Gasolina Álcool Hidratado Preços da gasolina e do álcool (R$/litro) Preços do petróleo (US$/barril)

32 32 30/3/2015 Fonte: UNICAMP Excluídas a Região Amazônica, Pantanal e declividades superiores a 12% Eliminando todos os mitos Solo e clima adequados a produção de cana-de-açúcar sem irrigação

33 Biomas do Brasil AMAZÔNIA Fonte: Ministério do Meio Ambiente

34 Fontes: IBGE / MMA / MAPA : 5,2 milhões km 2 (61%*) : 4,2 milhões km 2 (49%*) * Percentual com relação ao território brasileiro. Amazônia Legal X Amazônia Bioma

35 Bioma Amazônia Amazônia Legal Produção de Soja – Bioma Amazônia (2007) Bioma Amazônia Fontes: CONAB / IBGE / INPE / MMA / SIPAM / ADA Elaborado por: CONAB / DIGEM / SUINF / GEOTE Áreas que são responsáveis por aproximadamente 70% da produção de soja na Amazônia Legal Outros biomas 4,1% da soja produzida no Brasil Em 2007, a soja Em 2007, a soja ocupou 0,20% ocupou 0,20% da área total do Bioma do Bioma A área de soja no Bioma diminui em % Soja no Bioma: mil ha (2006) 836 mil ha (2007)

36 Amazônia Legal: desmatamento anual 36 30/3/2015 * Dado estimado Fonte: INPE / Sistema PRODES Elaboração: GV Agro -31% -25% -18%

37 Amazônia Legal: desmatamento acumulado entre 1988 e 2007 Fonte: INPE / Sistema PRODES Elaboração: GV Agro Somatório das áreas desmatadas na Amazônia Legal por UF A área total da Amazônia Legal é de 420 milhões de ha.

38 38 30/3/2015 Pecuária mais eficiente liberação de terras para a produção agrícola Fontes: IBGE (Censo Agropecuário) e IEA/SP Elaboração: GV Agro *lotação média de São Paulo (2006) Eliminando todos os mitos Brasil: rebanho bovino x pastagem

39 Indústria da Cana = Energia e Alimentos Cana de Açúcar Caldo Bagaço Vinhaça Palha Açúcar Etanol Combustível Etanol 2ª geração Cogeração Vapor Eletricidade Fertilizante Biogás Eletricidade Fertilizante Combustível Cogeração Vapor Eletricidade 39 30/3/2015 Fonte e Elaboração: UNICA Estratégia global

40 40 30/3/2015 Fonte: Cogen e Unica O bagaço resultante do processamento da cana representa 30% do volume total. Matéria-prima para a produção de bioeletricidade. Estratégia global Estimativa do potencial da bioeletricidade no Brasil

41 41 30/3/2015 Fonte: OCDE Elaboração: GV Agro Tarifa americana As questões do protecionismo agrícola Análise Estimativa de Apoio ao Produtor – PSE (média ) Estratégia global Subsídios no comércio internacional

42 Investimentos previstos: novas usinas 42 30/3/2015 Fonte: UNICA Nota: dados estimados

43 Brasil:projeções para o setor sucroalcooleiro Fonte: UNICA

44 44 30/3/2015 Desafios ao setor Limitações Comerciais? - mercados protegidos (externos) - concorrente protegido (interno) - auto-suficiência (meta dos países) - ciclos de baixa/alta Expansão Constante da Oferta - balanço de oferta e demanda - investimentos

45 45 30/3/2015 Desafios ao setor Regulação Setorial - gasolina e GNV vs. Álcool - a questão tributária - a questão de carregamento dos estoques - o processo de comercialização Pesquisa e Desenvolvimento - variedades e interesses - eficiência energética - mecanização, irrigação, solos pobres e clima Planejamento Gestão

46 46 30/3/2015 As grandes questões Onde queremos chegar? - mercado interno - mercado externo Contratos de longo prazo Modelo de produção Zoneamento agroecológico e financiamento Infraestrutura e logística Estocagem

47 47 30/3/2015 As grandes questões Tecnologia: subprodutos Recursos humanos Política tributária Verificação, rastreabilidade e certificação Commoditização Definição do futuro do álcool hidratado Álcoolquímica

48 48 30/3/2015 As grandes questões Integração rural: corte mecanizado Treinamento da mão-de-obra rural Criação de um mercado global: parcerias Comunicação e informação Indústria de equipamentos Protecionismo: tarifas e subsídios Coordenação: Secretaria Executiva de Agroenergia

49 49 30/3/2015 O novo tempo 1. Investimentos Estrangeiros: perigo de desnacionalização do setor? 2. Um outro Consecana - regionalizado? - individualizado por unidade? - por cluster? - remuneração: do bagaço, das folhas, da eletricidade? 3. Fortalecimento das Cooperativas - comércio de cana por “pool”? - custo de produção? - agregação de valor: indústria própria? (pellets) - mecanização em “pool”? 4. Tecnologias - novas variedades - equipamentos adequados - reconversão de áreas: frutas, madeira, pequenos animais 5. Liderança e Legitimidade

50 50 30/3/2015   (11) Obrigado!


Carregar ppt "AGROENERGIA: UM NOVO PARADIGMA AGRÍCOLA Roberto Rodrigues Sertãozinho/SP, 04 de setembro de 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google