A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Marketing Ambiental como Estratégia de Produto Samarco Mineração S. A. Prof. Ms. Guanayr Jabour Amorim

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Marketing Ambiental como Estratégia de Produto Samarco Mineração S. A. Prof. Ms. Guanayr Jabour Amorim"— Transcrição da apresentação:

1

2 Marketing Ambiental como Estratégia de Produto Samarco Mineração S. A. Prof. Ms. Guanayr Jabour Amorim

3 Administração Mercadológica II Ementa: desenvolvimento e administração do produto, administração do preço, seleção e administração dos canais de distribuição, administração da promoção de vendas, das relações públicas, da propaganda, da força de vendas e do marketing direto.

4 Critério de avaliação 1ª etapa: 40, 40 e 20 pontos 2ª etapa: 40, 30 e 30 pontos (sendo 12 pontos do FAVE); Material via webgiz

5 Programa de aula Apresentação e Introdução sobre Marketing Ambiental Industrial; Conceitos e características do mercado; Estudo de Caso Samarco Mineração S. A.; Sugestões de Associações e representações: ASGAM - Associação dos Gestores Ambientais do DF; ABRAGeA – Associação Brasileira de Gestores Ambientais; ANAGEA – Associação Nacional de Gestores Ambiental

6 Introdução ao Marketing Ambiental O que é o Marketing Ambiental? Também conhecido como marketing ecológico ou verde, o marketing ambiental é uma modalidade que visa enfocar as necessidades de consumidores ecologicamente conscientes e contribuir para a criação de uma sociedade sustentável.

7 Marketing Ambiental Exemplos de campanhas.

8 Introdução ao Marketing Ambiental Como ele surge? A primeira etapa coincide com a época em que a ecologia passou a merecer atenção, na segunda metade do século XX; A legislação ambiental, a pressão de grupos ambientalistas e o surgimento de consumidores que querem qualidade de vida; Posicionamento produto ou serviço no mercado; No Brasil, a legislação ambiental está alterando significativamente a economia; Consumidores verdes = exigências de consumidores = bolso e à imagem de uma empresa ou entidade; Os parceiros comerciais também estão ficando mais exigentes ecologicamente = exportação de produtos ecologicamente corretos… Um dos requisitos é a certificação ambiental, ISO e selos de garantia ecológica, que atestam que aquele produto é produzido em conformidade com as exigências ambientais.

9 Introdução ao Marketing Ambiental Desta forma, fica evidente que esta modalidade de marketing surge mais como uma resposta que empresas e outras entidades dão à sociedade que lhes cobra responsabilidade ambiental pelo processo de produção; Muitos países já introduziram os “eco-selos” ou “selos verdes’, que garantem que os produtos foram produzidos dentro de padrões severos e restritos de “qualidade ecológica” aprovados em nível nacional; Para usar o selo, a empresa submete-se a constantes supervisões e auditorias. Para os consumidores, os selos são uma referência importante na escolha e decisão de compra do produto; Já a obtenção da certificação ISO envolve a elaboração da análise do ciclo de vida do produto e da rotulagem ambiental.

10 O que uma empresa ganha com o Marketing Ambiental? Criar uma nova cultura empresarial; Quais materiais podem ser reciclados? O que pode ser feito para garantir mais durabilidade e longevidade aos produtos? Que tipo de componentes poluentes podem ser eliminados ou substituídos? redução de custos decorrentes de multas e indenizações = comunicação com a comunidade e população.

11 Introdução ao Marketing Ambiental Obtenção da certificação ISO para empresas Elaboração da análise do ciclo de vida do produto e da rotulagem ambiental; Elaboração da análise do ciclo de vida do produto e da rotulagem ambiental; Avaliar todos os estágios de sua produção, de forma a identificar os efeitos sobre o meio ambiente dos componentes e processos; Avaliar todos os estágios de sua produção, de forma a identificar os efeitos sobre o meio ambiente dos componentes e processos; Vai desde a extração de matérias-primas, inclusive o consumo de energia para fabricação, até a disposição adequada e reciclagem; Vai desde a extração de matérias-primas, inclusive o consumo de energia para fabricação, até a disposição adequada e reciclagem; A ISO e o selo verde são mais um recurso de marketing à disposição no mercado, pois informam ao público e aos clientes potenciais o comprometimento da empresa com as práticas ambientais. A ISO e o selo verde são mais um recurso de marketing à disposição no mercado, pois informam ao público e aos clientes potenciais o comprometimento da empresa com as práticas ambientais.

12 Quem pode desenvolver estratégias de Marketing Ambiental? O apoio das empresas aos projetos ambientais já são uma resposta à sociedade que está mais exigente em relação ao processo de produção e em relação à responsabilidade do setor produtivo para com os recursos naturais.

13 Quem é o consumidor verde? O consumidor verde prefere e paga mais por produtos ecológicos, não adquire produtos com empacotamento excessivo, prefere produtos com embalagem reciclável e/ou retornável, evita comprar produtos com embalagens não biodegradáveis, observa os selos verdes, entre outros comportamentos incorporados.

14 Consumidor Verde O consumidor verde é aquele que relaciona ao ato de comprar ou usar produtos com a possibilidade de colaborar com a preservação ambiental. O consumidor verde sabe que,recusando-se a comprar determinados produtos, pode desestimular a produção daquilo que agride o meio ambiente. Por isso, evita produtos que: - representem um risco à sua saúde ou de outros; - prejudique o ambiente durante a produção, uso ou despejo final; - consuma muita energia; - apresente excesso de embalagens ou seja descartável; - contenha ingredientes procedentes de habitats ou espécies ameaçados; - no processo de produção tenha usado indevida ou cruelmente animais; - afete negativamente outros povos, ou outros países.

15 Como identificar as oportunidades de se empregar o Marketing Ambiental? Quando o público alvo está mais interessado em conhecer as vantagens ambientais do produto; P atrocínio de atividades ecológicas. Marketing Ambiental é moda? Já não basta colocar uma logomarca ecológica nos rótulos ou colorir rótulos e embalagens em tons de verde...

16 Gestao Ambiental Para a Samarco, fazer bem feito é fazer bem para todo mundo. A Gestão Ambiental compreende um posicionamento pró- ativo, a identificação, o tratamento e o gerenciamento dos impactos resultantes da operação da empresa, que está sempre conciliada com a proteção responsável do meio ambiente. Para isso, a Samarco não mede esforços: utiliza tecnologias avançadas de controle ambiental; realiza gestão de solos, de recursos hídricos, de recursos atmosféricos e de resíduos sólidos; racionaliza o uso dos recursos naturais e energéticos; investe na manutenção das áreas verdes ao redor das unidades industriais, na reabilitação de áreas alteradas, na redução contínua de resíduos resultantes de suas operações, em trabalhos de educação ambiental para empregados e comunidades; e atua em diferentes fóruns, onde o assunto meio ambiente é discutido.

17 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS Clossário: Clossário: particulados: partículas líquidas ou sólidas presentes nas emissões para a atmosfera, como por exemplo, poeira, fumaça e vapor. aerossóis marinhos: pequenas gotículas ou partículas em suspensão na atmosfera formadas a partir da agitação marinha. restinga: vegetação que recebe influência marinha, presente ao longo do litoral brasileiro. Precipitadores eletrostáticos impedem o particulado de atingir a atmosfera.

18 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS Pela natureza do processo produtivo da Samarco, a emissão de particulados é o principal aspecto ambiental relacionado à atmosfera. Nas usinas de pelotização, a Samarco conta com diversos procedimentos de controle de poluição atmosférica, como lavadores de gases nas torres, filtros de mangas, sistemas de aspersão e umectação de vias internas.

19 Precipitadores Eletrostáticos Poluente do ar: qualquer material presente no ar e que pela sua concentração possa tornar este ar impróprio, nocivo ou ofensivo a saúde, inconveniente ao bem estar público, danoso aos materiais, a fauna e a flora, ou prejudicial a segurança, ao uso e gozo da propriedade e as atividades normais da comunidade. Poluentes Primários: originados diretamente das fontes de emissão. Poluentes secundários: formados na atmosfera através da reação química entre poluentes primários e constituintes naturais da atmosfera. Substâncias poluentes do ar: compostos de enxofre; compostos de nitrogênio; compostos orgânicos de carbono; monóxido e dióxido de carbono; compostos halogenados; material particulado.

20 Precipitadores Eletrostáticos Os precipitadores eletrostáticos, que retêm o material particulado proveniente da queima de pelotas no forno e o impedem de atingir a atmosfera. Medidores nas saídas das chaminés de exaustão permitem monitorar, de forma instantânea, o desempenho do equipamento e agir preventivamente, caso qualquer desvio seja detectado. Os dados ficam disponíveis on-line na rede Samarco e alarmes são acionados antes que a concentração atinja os níveis-limite.

21 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS Principais fontes poluição Cigarro; Atividade Industrial; Queimadas; Automóveis e Caminhões.

22 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS O que é pó? Pó: conjunto de partículas sólidas, comuns da atmosfera, provenientes das mais variadas formas, provindas por forças naturais, como: vento, erupções vulcânicas ou terremoto e atividades humanas, por processos que incluem: moenda, demolição, escavamentos, peneiramento. O pó pode ser de origem mineral, vegetal ou animal.

23 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS TermosSignificado Aerossóis Suspensão de partículas atmosféricas de formato coloidal Fog Termo denominado para altos níveis de vapor de água Neblina Denota a diminuição da visibilidade devido a presença de partículas Fumaça Partículas formadas pela combustão incompleta de combustíveis NévoaPartículas líquidas Descrição de termos para partículas atmosféricas

24 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS Emissão de pó e a saúde humana. Causas de efeitos adversos do pó: Capacidade do sistema respiratório de remover as partículas no ar inalado, retendo-as nos pulmões; Presença, nas partículas, de substâncias minerais que possuam propriedades tóxicas; Presença de partículas de compostos orgânicos, que possuem propriedades carcinogênicas; Capacidade das partículas finas de aumentar os efeitos fisiológicos de gases irritantes também presentes no ar, ou de catalisar e transformar quimicamente estes gases, criando espécies mais nocivas.

25 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS Que mal causa?  pele  olhos  ouvidos  ossos  órgãos internos pulmão e vias aéreas → Mais Grave = Sistema Respiratório Humano

26 GESTÃO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS Filtros de Manga: Os Filtros de mangas são utilizados para filtragem de material particulado na maioria dos processos industriais nas áreas de: Alimentos Borracha Carvão Cerâmica Cimento Fertilizantes Fumo Fundições Madeira Metalúrgica Mineração Papel e Celulose Processamento de Produtos Rochosos Química e Petroquímica Têxtil entre outras

27 Princípios de Operação: 1. Ao entrar no filtro, o ar com material particulado sofre uma queda brusca de velocidade. Dessa forma, as partículas de maiores dimensões depositam-se na moega; 2. O ar com material particulado de menor granulometria vai em direção às mangas; 3. O material particulado é retido na superfície externa das mangas à medida que o ar passa através das mesmas; 4. Livre de material particulado, o ar vai em direção ao compartimento de ar filtrado, de onde pode ser exaurido para a atmosfera ou retornado ao processo.

28 GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A Samarco gerencia seus resíduos sólidos industriais de forma cada vez mais racional, aumentando os índices de reutilização e reciclagem e reduzindo o volume de material disposto em aterros. - O projeto de reabilitação da área da primeira mina explorada pela empresa - chamada Cava do Germano, hoje exaurida – é o grande destaque da Samarco no programa de reabilitação de áreas alteradas. - Cava será preenchida com rejeito arenoso proveniente do processo de beneficiamento do minério de ferro, formando uma pilha de 150m, com relevo similar ao original e cobertura vegetal semelhante à da região. Cava de Germano – Mariana - MG

29 GESTÃO DE BARRAGEM DE REJEITOS Durante o processo de beneficiamento do minério de ferro, parte desse material não é aproveitado. São os chamados rejeitos, que devem ser dispostos de maneira segura para garantir que o efluente industrial não seja lançado nos rios da região, preservando, assim, o ambiente; Seguindo as melhores práticas e técnicas existentes. Além de ser depósito de rejeitos, ela também permite o aumento da recirculação de água no processo, diminuindo a necessidade de captação de água nova; Para que a operação da barragem – uma das maiores da América Latina, com cerca de 120 metros de altura – seja sempre estável, a Samarco também implantou um processo de gestão que envolve equipe técnica responsável, consultoria especializada e auditoria externa internacional. No futuro, a barragem do Germano será reabilitada e reintegrada à paisagem do entorno.

30 A água é um insumo fundamental no processo produtivo da Samarco, desde a planta de beneficiamento em Germano (via úmida) às etapas de pelotização em Ubu, passando pelo mineroduto; Pioneira na gestão dos recursos hídricos, a Samarco foi a primeira empresa brasileira do setor de mineração a obter a outorga de direito de utilizá-los; A empresa também foi pioneira, em seu setor, na implementação do tratamento de efluentes líquido; Monitoramento da Água de Lastro. GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS Samarco: pioneira na implementação do tratamento de efluentes líquidos, no setor. Glossário: outorga de direito: documento concedido pelos órgãos públicos responsáveis pela gestão das águas. bioindicadores: organismos usados como indicadores das características físicas e químicas de certos ambientes. consumo específico de água nova: consumo de água em m3 por tonelada de concentrado de minério produzido.

31 GESTÃO DOS RECURSOS ENERGÉTICOS Responsável por cerca de 18% do custo Samarco, a energia elétrica aparece como insumo determinante. Para aumentar sua disponibilidade e diminuir seu custo final, a empresa investe na geração própria de energia através da gestão de duas hidrelétricas: Muniz Freire (investimento 100% Samarco, no Espírito Santo) e Guilman-Amorim (investimento 50% Samarco e 50% Belgo-Mineira, em Minas Gerais). Ou ainda, pesquisando alternativas de espécies vegetais, como o capim elefante, para substituição do uso do carvão mineral, cuja queima emite gases que são os principais responsáveis pelo Efeito Estufa. Se o projeto se mostrar viável, a empresa utilizará a biomassa carbonizada do capim elefante como combustível.

32 REABILITAÇÃO DE ÁREAS ALTERADAS As atividades econômicas podem causar alterações no meio ambiente. No caso da mineração, o processo industrial envolve a remoção da camada vegetal, do solo e das rochas que estão acima dos depósitos minerais. O programa envolve desde a reabilitação das áreas mineradas e antigas estradas de acesso, barragem de rejeitos e pilhas de estéril a propostas pioneiras, incluindo o uso de bioindicadores como aves e abelhas nativas. O trabalho de reabilitação começa com o plantio de espécies nativas, que vão atrair e manter aves e insetos polinizadores e dispersores de sementes, além de outros animais. O projeto Avifauna auxilia na manutenção da população de certas aves ameaçadas e reintroduz espécies consideradas extintas na região, como o Macuco (Tinamus solitarius). barragem de rejeitos: estrutura construída segundo critérios geotécnicos com o propósito de conter o rejeito gerado no processo produtivo, impedindo assim que ele cause impactos em outras áreas. pilhas de estéril: pilha artificial formada pelo material não aproveitável que recobre a jazida de minério a ser lavrada.

33 DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL Ao invés de apenas publicar um relatório anual de desempenho, a empresa realiza reuniões com as comunidades em que está inserida e atores sociais interessados; Nelas, são apresentados todos os dados e fatos referentes à sua atuação socioambiental no ano anterior; Essa atitude de respeito contribui para o estreitamento das relações com a comunidade e estabelece um canal de comunicação direto e interativo; Nesses fóruns, mais do que ouvir uma prestação de contas, as pessoas podem questionar, expressar suas dúvidas e apresentar problemas e sugestões para, junto com a Samarco. Projeto Árvores

34 REFERÊNCIAS: AGUIAR, Mônica Lopes. Poluição atmosférica e seu controle. DEQ – UFSCar, São Carlos :

35 ESTUDO DE CASO - exercícios Defina o conceito de Marketing Ambiental. Quais são os principais benefícios do MKT ambiental para as empresas? Quais estratégias uma empresa pode adotar para desenvolver o MKT Ambiental? Explique qual a função dos filtros de manga. Quais as funções dos bioindicadores ambientais e quais os modelos que a Samarco utiliza em seus monitoramentos. Qual a importância do monitoramento da Água de Lastro da Samarco? Quais são os principais efeitos para a saúde humana ocasionados pela emissão de gases atmosféricos? Metodologia do trabalho, capa, mínimo de uma lauda por questão e digitado em folha A4. Fonte Arial 12, Títulos Data para entrega Prof. Ms. Guanayr Jabour Amorim


Carregar ppt "Marketing Ambiental como Estratégia de Produto Samarco Mineração S. A. Prof. Ms. Guanayr Jabour Amorim"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google