A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

POLÍTICAS Y GESTIÓN EN SALUD Gestão de Projetos de Gestão de Projetos de Investimentos em Saúde ESCOLA DE GOVERNO DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRGIO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "POLÍTICAS Y GESTIÓN EN SALUD Gestão de Projetos de Gestão de Projetos de Investimentos em Saúde ESCOLA DE GOVERNO DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRGIO."— Transcrição da apresentação:

1 POLÍTICAS Y GESTIÓN EN SALUD Gestão de Projetos de Gestão de Projetos de Investimentos em Saúde ESCOLA DE GOVERNO DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRGIO AROUCA Profa Dra Luisa Regina Pessôa Julho de 2013 Planejamento em Saúde O caso da morte de uma mulher de 34 anos por câncer de mama

2

3 Carteira de Projetos Estratégicos

4 O Processo de Planejamento em Saúde Por que precisamos Planejar? Por que necessitamos de um método Planejamento? Planejamento? Planejamento é um processo permanente?

5 O Processo de Planejamento em Saúde Momento 1 - Explicando o problema Passo 1e 2 – Quem é o ator que planeja? Qual é a missão da organização do ator que planeja? Passo 3, 4 e 5 – Qual problema será objeto da intervenção? Como descrever o problema? Como explicar o problema? Momento 2 – Propondo intervenções Passo 6 – Como selecionar os nós críticos? Passo 7 – Como propor as intervenções? Momento 3 – Construindo Viabilidade Passo 8 – Como identificar os recursos críticos? Passo 9 – Como viabilizar os recursos críticos? Momento 4 – Gerenciando a Intervenção Passo 10 – Como construir a proposta de gerenciamento da intervenção? Passo 11 – Como gerir a implantação do projeto?

6 Momento 1 – Identificando o Problema Diagnóstico da situação problema A pergunta chave para este diagnostico é: QUAIS SÃO OS PROBLEMAS QUE A POPULAÇÃO DA SUA REGIÃO TEM SOFRIDO ? DA SUA REGIÃO TEM SOFRIDO ? Informantes CHaves Documentos Existentes Observacão dos Serviços MÉTODO DE ESTIMAtiva RÁPIDA O Processo de Planejamento em Saúde

7 Momento 1 – Identificando o Problema Eleição do PROBLEMA ESTRATÉGICO. A partir dos dados levantados, das visitas realizadas e das entrevistas com informantes-chaves, certamente, aparecerá uma extensa lista de problemas que poderão ser categorizados por tipo de problemas: Problemas ligados ao Meio Ambiente e Condicões de Saneamento: Falta de saneamento no bairro A. Problemas de Organização do Sistema de Saúde Local: Baixa cobertura de Atenção Primária; Dificuldade de acesso a exames de media complexidade Elevado número de mulheres com câncer de mama diagnosticado tardiamente. Problemas de Gestão de Serviços: Equipamentos parados, por falta de manutenção; QUAL DESTES PROBLEMAS SERÀ O PROBLEMA A SER ENFRENTADO ? O Processo de Planejamento em Saúde

8 Problemas ligados ao Meio Ambiente e Condicões de Saneamento : Falta de saneamento no bairro A. 10% dos domicílios sem esgoto em rede Problemas de Organização do Sistema de Saúde Local: Baixa cobertura de Atenção Primária – 54% da população-alvo Dificuldade de acesso a exames de media complexidade – 6 meses para mamografia e 3 meses para ultrassom Elevado número de mulheres com câncer de mama diagnosticado tardiamente. 75% dos casos diagnosticados tardiamente Problemas de Gestão de Serviços: Equipamentos parados, por falta de manutenção 1 equipo de ultrassom e 1 equipo de RX Momento 1 – Identificando e o Problema descrever os Como descrever os PROBLEMAS. Para descrevir um PROBLEMA é preciso dimensionar o TAMANHO do PROBLEMA

9

10 QUAIS SÂO AS CAUSAS QUE DEVEM SER ENFRENTADAS PARA SE SOLUCIONAR O PROBLEMA? O Processo de Planejamento em Saúde Momento 1 – Identificando eoProblema explicar o Como explicar o PROBLEMA.

11 Momento 2 – Propondo a Intervenção Análise dos nós críticos e das possíveis soluções causas mais importantesnós críticos - Para obter uma solução efetiva devem ser identificadas as causas mais importantes - aqui denominadas nós críticos - que se pretende atacar com o Projeto. algo sobre o qual se pode intervirenfrentamento é possível de ser encarado É bom recordar que um NÓ CRITICO envolve a idéia de algo sobre o qual se pode intervir ou cujo enfrentamento é possível de ser encarado por quem elabora o Projeto de Intervenção. A identificação das causas de um problema é fundamental porque para se enfrentar o problema, devem ser atacadas suas causas. Por meio de uma análise cuidadosa das causas de um problema, podemos ter mas clareza sobre onde atuar ou quais causas devemos atacar. O Processo de Planejamento em Saúde

12 soluçõesestratégias enfrentamento do problema Com o problema bem explicado e identificadas as causas consideradas mais importantes, agora é o momento de pensar as soluções e estratégias para o enfrentamento do problema. Chegou o momento de iniciar a elaboração do Projeto de Intervenção propriamente dito. São objetivos deste momento: Desenhar as intervenções para o enfrentamento das causas selecionadas como nós críticos produtos e resultados Identificar os produtos e resultados para cada intervenções definida. ProdutosResultados Produtos e Resultados expresão a situação futura que se quer alcançar com a intervenção, e necesitam ser quantificados em metas que serão monitoradas e evaliadas. Momento 2 – Propondo a Intervenção Busca de uma solução efetiva O Processo de Planejamento em Saúde

13

14

15 Cada intervenção é formada por um conjunto de ações que devem ser desenvolvidas durante a execução do Projeto. Essas Intervenções consomem varios tipos de recursos: Econômicos Econômicos ( também denominados financeiros ); Organizacionais Organizacionais ( estrutura física, recursos humanos, equipamentos etc ); Cognitivos Cognitivos ( conhecimentos disponíveis e acumulados ); De Poder De Poder ( também denominados recursos políticos ). Neste momento é importante a presença de especialistas, para que contribuam na definição das soluções. As intervenções devem ser formuldas utilizando-se verbos de ação: capacitar, comprar, implantar, contratar e etc. Momento 2 – Propondo a Intervenção Busca de uma solução efetiva O Processo de Planejamento em Saúde

16 Nó Crítico Proposta de Intervenção Insuficiência do número de unidades.....Implantar 25 novas unidades..... Intervenção Produto Esperados com a realização da Intervenção Resultados Esperados Resultados Esperados Após a interveção Implantar 25 novas unidades Unidades construídas % da população-alvo atendida; 2 – Aumento em % do número de casos de detectados; 3 – Diminuição em...% do n de pacientes referidos. Equipamentos adquiridos. Contratação de Recursos Humanos efetivada Capacitação de trabalhadores realizada. Programa de Qualidade Implantado. Momento 2 – Propondo a Intervenção Busca de uma solução efetiva O Processo de Planejamento em Saúde

17 Momento 3 – Construindo Viabilidade Identificando e viabilizando os recursos críticos São considerados como Recursos Críticos aqueles indispensáveis para a execução da intervenção e que no estão disponíveis. Para tanto, é preciso identificar quem controla os recursos críticos e traçar estratégias capazes de construir viabilidade para o Projeto de Intervenção: atores que controlam Identificar os atores que controlam recursos críticos para implantação e funcionamento de cada intervenção; motivação Analisar a motivação de cada ator em relação aos objetivos pretendidos pelo Projeto; estratégias Desenhar estratégias viabilizadoras. O Processo de Planejamento em Saúde

18

19 Recurso Crítico Quem controla Motivação de quem controla Estratégia Implantação da Intervenção Aprovação......Ministério de SaúdeIndiferenteEnquadrar na regras Contratação.....Secretaria de SaúdeFavorávelRemunerrar para fixar o profissional... Funcionamento da Intervenção Aprovação $$ de custeio..... Consórcio Intermunicipal de.... contrário Mobilizar associações de bairros, moradores.... Credenciar......Secretaria de SaúdecontrárioMobilizar associação de mulheres.. Momento 3 – Construindo Viabilidade Identificando e viabilizando os recursos críticos O Processo de Planejamento em Saúde

20 VIDEO AVALIANDO VIDEO EXECUTANDO

21 Momento 4 – Gerenciando a Intervenção Atividades e responsáveis definidos no tempo e espaço; A principal finalidade deste passo é designar responsáveis pelas intervenções e estabelecer prazos para o cumprimento das ações ResultadosProdutosResponsávelPrazo 80% da População- alvo atendida; 25 Unidades construídas. Coordenador do Programa de meses Aumento em....% do nº de casos diagnosticados..... Equipos adquiridos Programa de qualidade Implantado. O Processo de Planejamento em Saúde

22 Momento 4 – Gerenciando a Intervenção Monitoramento e avaliação das atividades propuestas. Este momento é crucial para o êxito de um Projetto de Intervenção porque não basta contar com um projeto bem formulado e com garantia de disponibilidade de recursos demandados. É preciso desenvolver um sistema de gerenciamento que controle e avalie a implementação das intervenções, indicando as correções de rumo quando sejam necessárias. Esse sistema de gerência deveria também garantir uma eficiente utilização dos recursos, promovendo a comunicação entre planejadores e executores. O suceso de um Projeto de Intervenção, ou a posibilidade de que seja realamente implementado, depende de como será executado seu gerenciamento. O Processo de Planejamento em Saúde

23

24 MÉTODO – Avaliação de Projetos Sociais A prática de política baseada na equidade; O aumento da eficiência do gasto social; A preocupação com a relação oferta/demanda, de modo de garantizar la plena utilizacion de los servicios; O incremento e avanço do conhecimento técnico; A construção de uma nova institucionalidade para a gestão de projetos sociais. (COHEN e FRANCO, 1999) Momento 4 – Gerenciando a Intervenção Monitoramento e avaliação das atividades propuestas. O Processo de Planejamento em Saúde

25 Momento 4 – Gerenciando a Intervenção Monitoramento e avaliação das atividades propostas. MÉTODO – Avaliação de Programas e Serviços Avaliação de Estrutura: compreende as modificações de estrutura física, dos recursos tecnológicos e organizacionais dos serviços – mede modificação na produção e/ou novas tecnologias implantadas em curto e médio prazo – p.ex. novas unidades implantadas, aumento no número de exames; Avaliação de Processo: envolve as atividades realizadas para os clientes e as relaciones entre elas e a qualidade dos serviços prestados – mede efeitos e resultados nos indicadores de assistência e organização de serviços a curto e médio prazo – p. ex. diminuição da taxa de infecção hospitalar ou de mortalidade hospitalar; Avaliação de Resultado: engloba o que é finalístico para ao população em termos de melhorias das condições de saúde e no funcionamento do sistema de saúde – mede impacto nos indicadores populacionais de morbi- mortalidade em médio e longo prazo – p. ex. diminuição da mortalidade infantil. ( DONABEDIAN, 1980 ) O Processo de Planejamento em Saúde

26

27 Problemas ligados ao Meio Ambiente e Condicões de Saneamento : Falta de saneamento no bairro A. 10% dos domicílios sem esgoto em rede Problemas de Organização do Sistema de Saúde Local: Baixa cobertura de Atenção Primária – 54% da população-alvo Dificuldade de acesso a exames de media complexidade – 6 meses para mamografia e 3 meses para ultrassom Elevado número de mulheres com câncer de mama diagnosticado tardiamente. 75% dos casos diagnosticados tardiamente Problemas de Gestão de Serviços: Equipamentos parados, por falta de manutenção 1 equipo de ultrassom e 1 equipo de RX Momento 1 – Identificando e o Problema descrever os Como descrever os PROBLEMAS. Para descrevir um PROBLEMA é preciso dimensionar o TAMANHO do PROBLEMA

28

29

30

31 Luisa Regina Pessoa ENSP-FIOCRUZ Heloisa Helena R. de Alencar Camilla Maia Franco Simone Agadir Santos


Carregar ppt "POLÍTICAS Y GESTIÓN EN SALUD Gestão de Projetos de Gestão de Projetos de Investimentos em Saúde ESCOLA DE GOVERNO DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRGIO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google