A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Decisão de InvestimentoDecisão de Investimento –Identificação –Avaliação e Seleção –Risco X Retorno X Valor X Estratégia FinanciamentoFinanciamento –Acionistas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Decisão de InvestimentoDecisão de Investimento –Identificação –Avaliação e Seleção –Risco X Retorno X Valor X Estratégia FinanciamentoFinanciamento –Acionistas."— Transcrição da apresentação:

1 Decisão de InvestimentoDecisão de Investimento –Identificação –Avaliação e Seleção –Risco X Retorno X Valor X Estratégia FinanciamentoFinanciamento –Acionistas ou credores? –Processo de Captação –Capacidade de Pagamento –Riscos de Falência –Distribuição – Dividendos Decisão do Investidor IndividualDecisão do Investidor Individual –Perfil de Risco –Análise do Mercado –Identificação de Investimentos –Seleção –Diversificação –Monitoração do Mercado Técnicas e FerramentasTécnicas e Ferramentas –Psicologia –Painel do Mercado –Estatística e Matemática –Otimização de Risco –Bancos de Investimento Missão e Funções da Administração Financeira – Decisão de Investimento

2 Decisões de Investimento Corporativo Decisão de Investimento (Administrador Financeiro)Decisão de Investimento (Administrador Financeiro) –Riscos do Negócio e Estratégia –Oportunidades –Seleção de projetos –Gestão de recursos –Geração de valor –“Portfolio” de ativos FerramentasFerramentas –SWOT –Marketing –Orçamento de Capital –Fluxo de Caixa –Administração Financeira Estrutura de capitalEstrutura de capital –Mix de passivos –Custo Financeiro –Política de distribuição –Conflitos –Custos de falência –Decisão de investimento Ferramentas e TécnicasFerramentas e Técnicas –Matemática Financeira –Mercado Financeiro: Produtos e Serviços –Relacionamento e Reciprocidade –Estruturação de Operações

3 Técnicas de Análise Fluxo de Caixa – Técnica mais utilizada para avaliação de investimento em ativos corporativosFluxo de Caixa – Técnica mais utilizada para avaliação de investimento em ativos corporativos –Considera Valor do Dinheiro no Tempo –Avalia desempenho do ativo no decorrer do tempo –Pode ser adaptado a cada situação e ativo –Tem flexibilidade para diferentes tipos de negócio –Facilita comparações entre projetos –Permite composições de projetos –Também analisado como a diferença entre o valor de mercado e o custo de um ativo

4 Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - VPL Valor Presente LíquidoValor Presente Líquido –Representa o valor criado do investimento para a empresa considerando o VDT VP = F 1 + F 2 + F 3 + F 4 + F 5... (1+i) 1 (1+i) 2 (1+i) 3 (1+i) 4 (1+i) 5 (1+i) 1 (1+i) 2 (1+i) 3 (1+i) 4 (1+i) 5 VPL = VP - Investimento = VP – I 0 VPL = - I 0 + F 1 + F 2 + F 3 + F 4 + F 5 (1+i) 1 (1+i) 2 (1+i) 3 (1+i) 4 (1+i) 5 (1+i) 1 (1+i) 2 (1+i) 3 (1+i) 4 (1+i) 5  O projeto deve ser aceito se o VPL for positivo

5 VPL – ExemploVPL – Exemplo Uma máquina que custa R$5.000 gerará fluxos de caixa líquidos anuais de R$ A taxa de juros é de 5%a.a. VPL = - I 0 + F 1 + F 2 + F 3 + F 4 + F 5 (1+i) 1 (1+i) 2 (1+i) 3 (1+i) 4 (1+i) 5 (1+i) 1 (1+i) 2 (1+i) 3 (1+i) 4 (1+i) 5 VPL = (1,05) 1 (1,05) 2 (1,05) 3 (1,05) 4 (1,05) 5 (1,05) 1 (1,05) 2 (1,05) 3 (1,05) 4 (1,05) 5 = ,37 = ,37 = 195,37 = 195,37 Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - VPL

6 VantagensVantagens –Considera o valor do dinheiro no tempo –Quantifica a geração de valor para a empresa –Apresenta grande consistência em todas as situações –Fácil comunicação DesvantagensDesvantagens –Pode tornar difícil a comparação entre projetos diferentes Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - VPL

7 Pay-Back – Tempo necessário para recuperação do investimento, isto é, para que os fluxos de caixa acumulados superem o custo (investimento) inicialPay-Back – Tempo necessário para recuperação do investimento, isto é, para que os fluxos de caixa acumulados superem o custo (investimento) inicial –No exemplo anterior sabemos que o período de pay- back está entre o quarto e o quinto ano Ao final do quarto ano, o fluxo acumulado é de 4.800, logo, o valor de é alcançado em 4 anos e 2 meses (Assumindo distribuição linear dos fluxos dentro do ano) Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - Payback

8 Para escolha de um projeto com base no Payback, a empresa pode escolher um período de corte, ou selecionar com base nos projetos de menor PaybackPara escolha de um projeto com base no Payback, a empresa pode escolher um período de corte, ou selecionar com base nos projetos de menor Payback VantagensVantagens –Fácil compreensão –Considera a incerteza de fluxos distantes –Preferência por liquidez Falhas do Pay-backFalhas do Pay-back –Não considera o Valor do Dinheiro no Tempo –Desconsidera os fluxos após o período de corte Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - Payback

9 Taxa Interna de Retorno – É aquela taxa que aplicada sobre o fluxo da caixa resulta em um VPL igual a zeroTaxa Interna de Retorno – É aquela taxa que aplicada sobre o fluxo da caixa resulta em um VPL igual a zero Reflete o ponto de equilíbrio financeiro do projetoReflete o ponto de equilíbrio financeiro do projeto Aquele projeto que resultar em uma taxa de retorno maior que a exigida será aprovadoAquele projeto que resultar em uma taxa de retorno maior que a exigida será aprovado O projeto deve ter TIR maior que a taxa mínima de atratividade da CompanhiaO projeto deve ter TIR maior que a taxa mínima de atratividade da Companhia A TIR é obtida por interpolação linear (máquinas ou computador) ou por tentativa de todas as taxas que tornam o VPL igual a zeroA TIR é obtida por interpolação linear (máquinas ou computador) ou por tentativa de todas as taxas que tornam o VPL igual a zero Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - TIR

10 VantagensVantagens –Considera o VDT e geralmente está diretamente associada ao Fluxo de caixa, conduzindo à mesma decisão –Fácil de ser compreendida e transmitida DesvantagensDesvantagens –Possibilidade de múltiplas taxas que tornam o VPL negativo –Casos de conflitos com o VPL para escolha entre projetos excludentes Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - TIR

11 Múltiplas taxas – Quando mais de uma taxa pode tornar o VPL igual a zero. Geralmente quando os fluxos de caixa tem valores negativos no decorrer dos períodosMúltiplas taxas – Quando mais de uma taxa pode tornar o VPL igual a zero. Geralmente quando os fluxos de caixa tem valores negativos no decorrer dos períodosExemplo: Um projeto de mineração que requer $60M de investimento, gera$155M no primeiro ano e requer um gasto de $100M para finalização. Ross (Pg. 227) Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - TIR

12 A taxa interna de retorno não apresenta suporte para a decisão neste casoA taxa interna de retorno não apresenta suporte para a decisão neste caso O critério do VPL funcional com fluxos de caixa não convencionais como neste casoO critério do VPL funcional com fluxos de caixa não convencionais como neste caso –O VPL é positivo para taxas de desconto entre 25% e 33,33% –A questão de execução do projeto pode considerar o VPL com o critério do menor custo Avaliação dos Fluxos de Caixa e Critérios de Investimento - TIR

13 Fluxos de Caixa – Análise e Premissas Fluxos de caixa relevantes –Fluxos de caixa relevantes – –Incluir apenas os fluxos adicionais decorrentes do novo projeto (Fluxos incrementais) –O Projeto deve ser analisado como uma mini- empresa (Stephen Ross) –Exemplos No caso de um novo produto a ser lançado, deve- se considerar apenas as receitas e custos incrementais decorrentes daquele produto No caso da compra de uma nova máquina para produção, deve-se considerar as receitas decorrentes das unidades adicionais produzidas (incrementais) como também custos adicionais

14 Custos irrecuperáveis (Sunk Costs)Custos irrecuperáveis (Sunk Costs) –São custos que já foram pagos anteriormente à decisão sobre o projeto –Independente da decisão, já foram incorridos e foram ou terão que ser pagos –Não devem ser considerados nos fluxos ou análise do novo projeto Exemplos: - Custos relacionados pesquisas e testes de mercado - Consultorias preliminares - Pesquisa e desenvolvimento (Grande dilema) Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

15 Efeitos colateraisEfeitos colaterais –Todos os custos incrementais decorrentes do projeto devem ser incluídos, mesmo aqueles que afetam outros projetos –Custos de erosão – Efeito em outros produtos/projetos causado pelo novo em questão –Deve estar associado à estratégia de marketing da empresa Ex. O lançamento de uma nova cerveja pode causar queda de vendas nas demais marcas da mesma empresa. Esta queda de vendas deve ser considerada no fluxo do novo produto Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

16 Custos Indiretos ou despesas alocadas –Custos Indiretos ou despesas alocadas – –Despesas indiretas que são contabilmente alocadas a todos os produtos –Não devem ser consideradas nos fluxos de caixa a menos que sejam incrementais decorrentes da operação do novo projeto Ex. Um sistema de ar-condicionado que é utilizado em toda a empresa tem seus custos alocados. Caso uma nova linha de produção irá utilizar o sistema, sem necessidade de aumento de sua capacidade, seus custos não devem ser considerados Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

17 Custos de OportunidadeCustos de Oportunidade –Ganhos que são perdidos em decorrência do projeto –Os efeitos colaterais citados anteriormente podem, de certa forma, ser entendidos como custos de oportunidade Ex. Para instalação de um novo projeto, um galpão atualmente alugado será utilizado. A receita de aluguel que vai ser perdida deve ser considerada no fluxo como um custo de oportunidade Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

18 Custo de Oportunidade do CapitalCusto de Oportunidade do Capital –A taxa de desconto do fluxo de caixa é considerada um custo de oportunidade que representa a alternativa de investimento que se tem ao invés do projeto –A taxa de desconto do fluxo pode também ser vista como o custo de oportunidade dos investidores, portanto podendo então ser o custo de financiamento da companhia –A taxa de desconto também é vista como taxa mínima de atratividade (TMA) –O custo de oportunidade está associado ao risco dos investidores na Companhia Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

19 Necessidades de Capital de GiroNecessidades de Capital de Giro –O projeto deve considerar nos fluxos as necessidades de caixa decorrentes dos requerimentos de itens como estoques, crédito a clientes, etc. –As necessidades de capital de giro podem ser estimadas de acordo com as necessidades do projeto ou com as condições financeiras de curto prazo da empresa Ex. Requerimentos de compra de estoques Aumentos de vendas a crédito que não representam entradas imediatas de caixa Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

20 Custos de FinanciamentoCustos de Financiamento –Os custos de financiamento como despesas de juros e dividendos não devem ser incluídos por não representarem custos para os ativos –Na medida em que a taxa de desconto pode considerar a estrutura de capital da empresa, os custos de financiamento dos ativos estarão sendo considerados no VPL –A decisão de investimento deve estar ligada apenas à qualidade dos ativos em questão e é, portanto, independente da decisão de financiamento Fluxos de Caixa – Análise e Premissas

21 Ganhos/perdas FiscaisGanhos/perdas Fiscais –O menor ou maior pagamento de impostos em decorrência do projeto devem ser considerados nos fluxo de caixa futuros –Os custos de depreciação não representam fluxos de caixa na medida em que são despesas contábeis. Entretanto, seu efeito sobre despesas de impostos deve ser considerado nos fluxos de caixa Fluxos de Caixa – Análise e Premissas Princípios de Finanças Corporativas – Ross, Stephen - Parte V Administração Financeira – Brigham, Eugene – Caps. 11 e 12


Carregar ppt "Decisão de InvestimentoDecisão de Investimento –Identificação –Avaliação e Seleção –Risco X Retorno X Valor X Estratégia FinanciamentoFinanciamento –Acionistas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google