A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Brasília, 5 de agosto de 2014 Superintendência de Inspeção Sanitária – SUINP Categorização de não conformidades,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Brasília, 5 de agosto de 2014 Superintendência de Inspeção Sanitária – SUINP Categorização de não conformidades,"— Transcrição da apresentação:

1 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Brasília, 5 de agosto de 2014 Superintendência de Inspeção Sanitária – SUINP Categorização de não conformidades, classificação de estabelecimentos quanto ao cumprimento das boas práticas e determinação do risco regulatório. III Symposium Sindusfarma - IPS/FIP - Anvisa

2 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa  Harmonização de procedimentos no âmbito do SNVS CONTEÚDO  Novos procedimentos do SNVS: Categorização de não conformidades, classificação de estabelecimentos quanto ao cumprimento das boas práticas e determinação do risco regulatório; Planejamento de Inspeções para Verificação das Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos e Insumos Farmacêuticos com Base no Risco Sanitário Associado.  Treinamentos

3 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Resolução RDC nº 47 de 19 de setembro de 2011 Procedimentos, programas e documentos padronizados do SNVS (BPF de medicamentos) e criação o sistema CANAIS. Instrução Normativa IN nº 05 de 19 de setembro de 2011 Cria GT para Gestão de Documentos do SNVS relativos a inspeções de BPF para medicamentos. HARMONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS - SNVS

4 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa DOCUMENTOS ELABORADOS 1.Programa de capacitação de inspetores de BPF Medicamentos (PROG-SNVS-001) 2.Elaboração de relatório de inspeção em Fabricantes de Medicamentos (POP-O-SNVS- 001) 3.Condução de inspeção (POP-O-SNVS-002) 4.Ações corretivas (POP-O-SNVS-003) 5.Comunicação das Inspeções (POP-O-SNVS-004) 6.Gerenciamento de documentos (POP-O-SNVS-010) 7.Elaboração de Relatório de inspeção Import. Distr. Armaz.Transp. de Medicamentos (POP-O-SNVS-011) 8.Elaboração de Relatório de inspeção nacional fabricante de Insumos (POP-O-SNVS- 012) 9.Elaboração de Relatório de inspeção em fabricantes para Produtos para saúde (POP- O-SNVS- 013) 10.Elaboração de POP Gerenciamento de documentos (POP-Q-SNVS-005) 11.Elaboração do Manual da qualidade (POP-Q-SNVS-006) 12.Elaboração de POP Auditoria (POP-Q-SNVS-007) 13.Elaboração de POP Treinamento (POP-Q-SNVS-008) 14.Elaboração de Programa de capacitação de cada ente do SNVS (POP-Q-SNVS-009)

5 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa 15. Categorização de não conformidades (POP-O- SNVS-014) 16. Planejamento de Inspeções com Base no Risco Sanitário Associado (POP-O-SNVS-015) DOCUMENTOS ELABORADOS RECENTEMENTE

6 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Categorização de não conformidades, classificação de estabelecimentos quanto ao cumprimento das boas práticas e determinação do risco regulatório. POP-O-SNVS-014

7 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa 1.Sistematizar a categorização das NC identificadas em fabricantes de medicamentos e insumos farmacêuticos, de acordo com o risco envolvido. 2.Classificar os estabelecimentos quanto ao cumprimento das BPF de acordo com a quantidade e o risco das não conformidades identificadas. POP-SNVS-014: OBJETIVOS

8 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa 3.Criar uma sistemática de agrupamento de estabelecimentos de acordo com o grau de cumprimento das BPF, para fins de planejamento de inspeções baseado em risco. POP-SNVS-014: OBJETIVOS

9 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa HEALTH CANADA: HEALTH PRODUCTS AND FOOD BRANCH INSPECTORATE. Guide-0023 – Risk Classification of Good Manufacturing Practices (GMP) Observations, WHO, Technical Report Series No. 981, 2013: Guideline on Quality Risk Management. RDCs da Anvisa POP-SNVS-014: REFERÊNCIAS

10 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Quem? SNVS Quais tipos de atividades? Inspeções de rotina para a verificação das BPF (incluindo para inspeções extrazona). Quais categorias de produtos? –Medicamentos (inclui biológicos, homeopáticos e radiofármacos). –Insumos Farmacêuticos. Quais categorias de produtos não foram abrangidas? –Gases medicinais. –Produtos para saúde. POP-SNVS-014: ABRANGÊNCIA

11 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Medicamentos Processos em que um sutil desvio no controle de parâmetros pode resultar em produto:  Não uniforme  Não preencha os requisitos de suas especificações Processo de fabricação complexo Insumos farmacêuticos Processos em que:  Empregadas tecnologias mais avançada (ex. nanotecnologia)  Formação ou separação de moléculas com centros quirais  Possibilidade de formação de impurezas tóxicas DEFINIÇÕES: POP-SNVS-014

12 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Produto Crítico:  janela terapêutica estreita  alta toxicidade  indicação terapêutica significativa (terapias responsáveis pela manutenção da vida). DEFINIÇÕES: POP-SNVS-014 Produto de alto risco:  oferecem risco ao usuário mesmo quando presentes na forma de traços provenientes de contaminação cruzada (ex. art. 125 RDC 17/10). Produtos de baixo risco:  Demais.

13 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Não conformidade: –Deficiência ou desvio relativo às BPF identificado –Formalizada no relatório de inspeção. –Classificada como "Crítica", "Maior" ou "Menor". DEFINIÇÕES: POP-SNVS-014

14 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Crítica NC que provavelmente resulta em um produto em desacordo com : atributos críticos de registro (diretamente responsáveis pela pureza, identidade, segurança ou eficácia de um produto) e apresente risco latente ou imediato à saúde fraude (falsificação de produto ou de dados) ou adulteração. TIPOS DE NC

15 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa TIPOS DE NC Maior NC que possa resultar na fabricação de um produto que não seja compatível com os atributos críticos de seu registro. Menor NC que não possa ser categorizada como Crítica ou Maior, mas que seja um desvio das BPF.

16 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Atribuído de acordo com a natureza do desvio (algumas NC maiores podem receber um upgrade) Número de ocorrências do mesmo desvio Produtos de baixo risco, não críticos e processos de fabricação não complexos: NC Críticas reclassificadas como Maiores* CATEGORIZANDO UMA NC * Exceto quando se tratar de: Fraude (falsificação de dados, documentos e produtos) adulteração (produção de medicamento ou insumo farmacêutico utilizando matérias- primas/processos diferente daqueles registrados junto a Anvisa) Contaminação cruzada generalizada Segregação inadequada de produtos de alto risco Infestação ou condições não sanitárias Desvios generalizados que afetam múltiplos lotes.

17 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa 305 possíveis NC foram previamente categorizadas (Anexo do POP SNVS-014) Casos omissos: arvore de decisão (próximos slides) CATEGORIZANDO UMA NC

18 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa ÁRVORE DE DECISÃO: CATEGORIZAÇÃO DE NC

19 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa ÁRVORE DE DECISÃO: CATEGORIZAÇÃO DE NC

20 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa  múltiplos descumprimentos de um mesmo artigo/item: 1 NC  Na descrição da NC devem ser incluídas evidência (ex. registro, procedimento, entrevista ou observação visual). DESCREVENDO UMA NC

21 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa  Classificação: Satisfatório, Insatisfatório ou Em Exigência  Agrupamento: Grupos 1, 2 e 3, de acordo com o grau de cumprimento das BPF CLASSIFICAÇÃO E AGRUPAMENTO DE EMPRESAS

22 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa ÁRVORE DE DECISÃO 2: CLASSIFICAÇÃO E AGRUPAMENTO DE EMPRESAS

23 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa ÁRVORE DE DECISÃO: CLASSIFICAÇÃO E AGRUPAMENTO DE EMPRESAS

24 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Empresa tenha sido reinspecionada devido a resultado insatisfatório em inspeção prévia é classificada como Grupo 3. Ações corretivas completamente implementadas durante o período da inspeção, a empresa poderá ser classificada como Satisfatória, mas mantendo-se o enquadramento do grupo. Observações importantes ÁRVORE DE DECISÃO: CLASSIFICAÇÃO E AGRUPAMENTO DE EMPRESAS

25 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa POP SNVS-015 Agrupamento de empresas (risco regulatório): Dado considerado no Planejamento de Inspeções POP SNVS-015

26 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa PLANEJAMENTO DE INSPEÇÕES COM BASE NO RISCO POP SNVS-015 Proposta foi baseada nos guias do PIC/S e da EMA.

27 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa PLANEJAMENTO DE INSPEÇÕES COM BASE NO RISCO INICIALMENTE DESENVOLVIDO PARA FABRICANTES DE MEDICAMENTOS E INSUMOS FARMACÊUTICOS INCLUSÃO POSTERIOR DE FABRICANTES DE PRODUTOS PARA A SAÚDE

28 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Objetivo Dispor de uma ferramenta simples e flexível de análise de risco para ser usada pelo SNVS para o planejamento da duração, frequência e escopo das inspeções de BPF. PLANEJAMENTO DE INSPEÇÕES COM BASE NO RISCO

29 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa PLANEJAMENTO DE INSPEÇÕES COM BASE NO RISCO ABRANGÊNCIA SNVS: Insumos Farmacêuticos e Medicamentos. Não se aplica: novos estabelecimentos; novas áreas fabris (sem histórico de BPF); investigativas; verificação do cumprimento de NC; inspeções que a empresa tenha sido classificada como insatisfatória.

30 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Definições Índice de risco – combinação dos riscos intrínseco e regulatório. Risco intrínseco – risco inerente da complexidade das instalações, processos e produtos de um determinado estabelecimento, combinado com a criticidade potencial da falta destes produtos para o SUS (Portaria 1.554/13: Componente Especializado da Assistência Farmacêutica no âmbito do Sistema Único de Saúde). Risco regulatório – estimativa baseada nos dados da última inspeção. Reflete o nível de cumprimento das BPF. PLANEJAMENTO DE INSPEÇÕES COM BASE NO RISCO

31 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa ÍNDICE DE RISCO Complexidade Criticidade Histórico de BPF 1 - Quantificação do Risco 2 - Planejamento com Base no Risco A Frequência Reduzida (2 a 3 anos) B Frequência Moderada (1 a 2 anos) C Frequência Intensiva (≤ 1 ano) PLANEJAMENTO DE INSPEÇÕES COM BASE NO RISCO Edital de coleta de informações: seção 3 do Diário Oficial da União do dia 24 de julho de 2014 (aberto por 45 dias)

32 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa TREINAMENTOS E AUDITORIAS SUPERINTENDÊNCIA DE INSPEÇÃO SANITÁRIA Gerência Autorização de Funcionamento Gerência-Geral de Inspeção Sanitária Coordenação de Inspeção de Medicamentos Coordenação de Inspeção de Produtos para Saúde Coordenação de Inspeção de Insumos Farmacêuticos, Cosméticos, Saneantes e Alimentos Coordenação de Análise e Instrução de Recursos Coordenação de Gestão do Processo de Inspeção Sanitária (CGPIS)

33 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa TREINAMENTO (POP-O-SNVS-014) EstadoAprovados Amazonas (AM)1 Bahia (BA)2 Ceará (CE)1 Distrito Federal (DF)13 Espírito Santo (ES)11 Minas Gerais (MG)9 Paraná (PR)13 Pernambuco (PE)8 Rio de Janeiro (RJ)6 Rio Grande do Sul (RS)3 Santa Catarina (SC)2 São Paulo (SP)21 Total90 Treinamentos na modalidade EaD Presencial Servidores da GGINP

34 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa TRANSPARÊNCIA POPs do SNVS serão publicados no portal da Anvisa. IMPORTANTE: Os entes do SNVS podem adaptar parcialmente os procedimentos de acordo com suas particularidades (normas locais, capacidade operacional, etc.)

35 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa OBRIGADO! Nélio Cézar de Aquino Gerência-Geral de Inspeção Sanitária GGINP/SUINP/ANVISA


Carregar ppt "Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Brasília, 5 de agosto de 2014 Superintendência de Inspeção Sanitária – SUINP Categorização de não conformidades,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google