A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A tecnologia assistiva promovendo a saúde da pessoa com deficiência intelectual Recursos e técnicas que promovem o desenvolvimento da comunicação da pessoa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A tecnologia assistiva promovendo a saúde da pessoa com deficiência intelectual Recursos e técnicas que promovem o desenvolvimento da comunicação da pessoa."— Transcrição da apresentação:

1 A tecnologia assistiva promovendo a saúde da pessoa com deficiência intelectual Recursos e técnicas que promovem o desenvolvimento da comunicação da pessoa com deficiência intelectual Prof. Dr. Marcelo Duduchi Chefe do Depto. de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza Belo Horizonte 11/10/ h30 às 17h

2 Eixo 6 – A tecnologia assistiva promovendo a saúde da pessoa com deficiência intelectual. Palestra: Recursos e técnicas que promovem o desenvolvimento da comunicação da pessoa com deficiência intelectual. 60min. Tecnólogo com graduação em Tecnologia em Processamento de Dados pela FATEC-SP, CEETEPS, especialização em Automação Industrial pela EEI, mestrado em Neurociências e Comportamento e doutorado em Psicologia Experimental pela USP. Atualmente é professor pleno da FATEC-SP onde atua desde 1991 e pesquisador no Mestrado Profissional em Gestão e Tecnologia em Sistemas Produtivos do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS) além de atuar em outros cursos de graduação e pós-graduação em outras instituições de ensino (USJT, FIAP e IPOG). É sócio diretor da empresa QS Serviços de Informática e Educação. Possui mais de uma centena de trabalhos publicados em congressos nas áreas de Neuropsicolinguística e Computação onde pesquisa a construção de interfaces e o desenvolvimento de sistemas computacionais para educação, reeducação, avaliação e comunicação de pessoas com deficiências além de outros estudos em Ciência Cognitiva. É membro da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) onde atualmente é Diretor de Secretarias Regionais.

3 Eixo 6 – A tecnologia assistiva promovendo a saúde da pessoa com deficiência intelectual. Palestra: Recursos e técnicas que promovem o desenvolvimento da comunicação da pessoa com deficiência intelectual. 60min. Resumo: Em um esforço multidisciplinar em neuropsicolinguística, por mais de duas décadas, um grupo de pesquisadores e profissionais das áreas de psicologia, fonoaudiologia e computação têm atuado em pesquisa e desenvolvimento de sistemas computadorizados para comunicação, ensino e avaliação de pessoas com os mais diversos tipos de deficiências sensoriais, motoras ou de processamento cognitivo. Como resultado deste esforço, os sistemas de comunicação desenvolvidos permitem estabelecer ou restabelecer a comunicação de pessoas com os mais variados distúrbios de comunicação e linguagem. Tais sistemas podem ser acionados pelos mais diversos tipos de dispositivos de entrada tais como mouse, teclado, ponteiros, tela sensível ao toque e acionamento ocular e incorporam recursos de multimídia tais como o uso de voz digitalizada e recursos gráficos, dentre outros, permitindo a comunicação, tanto face a face quanto à distância. O meio dessa comunicação é ajustado às necessidades especiais de cada usuário, bem como às características de seu grupo de referência linguístico permitindo a comunicação baseada em variados códigos de escrita alfabética e representação pictorial. A tradução automática entre os vários códigos, permite também que a comunicação ultrapasse as barreiras impostas pelos desencontros entre os mais variados distúrbios sensoriais, motores e cognitivos, e entre os mais variados cabedais culturais e linguísticos. Os sistemas de ensino e avaliação permitem não apenas desenvolver e recuperar as habilidades de comunicação de pessoas com perdas motoras, sensoriais ou cognitivas como, também, compreender as necessidades especiais e os recursos potenciais de pessoas que até então, não podiam ser avaliadas por meio de testes psicométricos tradicionais. Foram desenvolvidos sistemas que oferecem recursos originais de avaliação e intervenção para detectar, prevenir e tratar distúrbios de aprendizagem e para superar barreiras de comunicação de educandos. Tais recursos aliados a técnicas desenvolvidas pelos profissionais que os usam são ferramentas poderosas para o desenvolvimento da comunicação da pessoa com deficiência intelectual

4 Deficiência Intelectual Funcionamento intelectual inferior à média:  manifestação antes dos 18 anos;  limitações associadas a 2 ou mais áreas: Comunicação Cuidado pessoal Habilidades sociais Saúde e segurança Habilidades acadêmicas Lazer trabalho

5 Deficiência Intelectual Possíveis níveis de atraso:  Neuro-psicomotor onde a criança demora: Firmar a cabeça, sentar, andar ou falar Dificuldades em deslocamento ou movimento  Aprendizagem escolar: Dificuldade de compreensão de regras ou ordens Dificuldade de sequenciar comandos em tarefas É necessário que se apresentem vários sinais e não somente um sinal isolado...

6 Deficiência Intelectual Por isso é importante avaliação multidisciplinar:  Avaliação do assistente social: Estudo e diagnóstico da dinâmica das relações, Situação do deficiente na família e sua aceitação Análise dos aspectos sócio-culturais.  Avaliação médica: Exame físico, Avaliações laboratoriais.  Avaliação do psicólogo: Aplicação de testes, provas e escalas avaliativas  Avaliação de profissionais especializados...

7 Deficiência Intelectual Nível 1:  Acompanhará as atividades de nível fundamental I e um pouco mais avançado  Adequação ocupacional podendo chegar a auto sustento parcial ou total na idade adulta Nível 2:  Pode se cuidar (vestir, despir, usar toalete, alimentar)  Se protege de perigos comuns do lar  Ajustamento social ao lar e à vizinhança Nível 3:  Grave e profundamente dependente  Deficiências múltiplas que interferem nos procedimentos normais, como paralisia cerebral, perda auditiva, etc.

8 Tecnologia assistiva De maneira geral os alunos com deficiências geralmente usam os mesmos recursos materiais que os outros alunos. Adaptações podem ser necessárias para facilitar a realização de atividades para quem possui alguma limitação motora, sensorial ou cognitiva.

9 Tecnologia assistiva Área do conhecimento interdisciplinar Relacionada à atividade e participação de pessoas com deficiência Visa autonomia, qualidade de vida e inclusão Engloba: - Produtos- Recursos - Metodologias- Estratégias - Práticas - Serviços

10 Tecnologia Assistiva Mara Lúcia Sartoretto e Rita Bersch ©2013

11 Tecnologias Assistivas Switch Mouse: Substitui a ação do mouse convencional por meio de 7 acionadores de toque simples, permitindo os movimentos direcionais do cursor, clique único, duplo-clique e acionamento da tecla direita do mouse. Também apresenta chave tipo liga/desliga para a função arrastar.

12 Tecnologias Assistivas Teclados alternativos: São dispositivos de hardware ou de software que oferecem uma alternativa para o acionamento de teclas, simulando o funcionamento do teclado convencional ou colmeias.

13 Tecnologias Assistivas Acesso via voz: além do software de reconhecimento de voz, a configuração adequada do sistema multimídia que dá suporte à interação humano-computador. Uso de leitores de tela.

14 Pesquisa Multidisciplinar em TI e Neuropsicolinguística Pesquisa em Neuropsicolinguística e informática visando o desenvolvimento de sistemas computadorizados aplicados a pesquisa e clínica neuropsicológica desde de 1991; Resolução de problemas específicos que dificultam a integração entre pessoas com deficiências e a sua comunidade-alvo; Desenvolvimento e adequação de dispositivos assistivos para que o maior número de pessoas tenham acesso aos softwares desenvolvidos;

15 Público alvo Deficiências Sensoriais; Distúrbios Motores; Problemas com Processamento Cognitivo;

16 31/3/ Áreas de Atuação dos Sistemas Avaliação; Educação; Reeducação; Comunicação; Capacitação;

17 Recursos Multimídia Interface Gráfica; Imagem Digitalizada; Animações; Som Digitalizado; Programação Dirigida a Eventos;

18 Dispositivos de Acionamento Tela Sensível ao Toque; Ponteiros para Varreduras; Acionador Vocálico; Acionamento Ocular; Reconhecimento de Imagem e Som; Outros...

19 Dispositivos de Acionamento Ponteiros para varredura

20 Dispositivos de Acionamento Mouses adaptados

21 Dispositivos de Acionamento Tela Sensível ao Toque

22 Dispositivos de Acionamento Painéis

23 Dispositivos de Acionamento Acionamento Ocular

24 Dispositivos de acionamento

25 Principais sistemas desenvolvidos Linha Imago  ImagoVox  ImagoAnaVox  ImagoDiAnaVox NoteVox; Tutores e softwares para avaliação Busca Signo;

26 ImagoDiAnaVox Adaptação às características clínicas, culturais e de personalidade do usuário; Transparência total; Verbos animados; Fotografias, filmes, vozes; Número ilimitado de imagens acessadas por categorias semânticas (pessoas, bebidas, comidas, etc);

27 ImagoDiAnaVox Todos os recursos de acionamento; Guarda frases e palavras; Possui silabário completo da língua portuguesa com diacríticos; Imprime conjunto de frases e mensagens; Faz conjugação de verbos; Permite acesso a comunicação em rede;

28 ImagoDiAnaVox

29

30

31

32 ImagoDiAnaVox configuração

33

34

35

36 31/3/ Acionamento Ocular

37 Notevox Para alfabetizados; Apresenta caracteres e números; Permite o aumento de vocabulário; Possui busca a palavras pré-gravadas; Imprime frases e mensagens; Fala palavras e frases digitadas pelo usuário;

38 Notevox

39 TT System O módulo 1 treina e mostra diferenças de formas de escrita das palavras; O módulo 2 testa e registra acertos e erros de escrita; Trabalha com a sílaba tônica de palavras (consciência fonológica);

40 TT System

41 Tutores - Sistemas computacionais indicados na avaliação cognitiva, educação e reabilitação Trabalham com o conceito de modelo- comparação entre outras possibilidades; Permitem a programação por parte do terapeuta ou experimentador; Permitem o trabalho com treino e teste do usuário só ou junto do terapeuta, experimentador ou educador; Registram informações em milisegundos;

42 Tutores - Sistemas computacionais indicados na avaliação cognitiva, educação e reabilitação Recursos gráficos permitem o uso de símbolos, figuras, fotos, filmes e textos; Voz sintetizada ou digitalizada permitem ao educador, experimentador ou terapeuta usar recursos onde o computador fale ao usuário Navegação para acesso a objetos comunicativos por meio de menus ou outros dispositivos multiplicam as possibilidades em termos de quantidade de itens; Acessibilidade por meio de mouse, teclado, tela, ponteiros de cabeça, acionadores por sopro, toque ou movimento, acionadores oculares;

43 Tutores - Sistemas computacionais indicados na avaliação cognitiva, educação e reabilitação Resultado das experiências provenientes do IBV o MTS apresenta-se como uma alternativa interessante como software de apoio à terapia, avaliação e escola. Desenvolvido com o intuito de permitir a aplicação de uma ampla gama de testes, o MTS apresenta uma grande variedade de configurações possíveis.

44 Tutores - Sistemas computacionais indicados na avaliação cognitiva e reabilitação O MTS é capaz de manipular até 12 imagens diferentes simultaneamente, além de figuras-modelo e um plano de fundo. Cada uma delas apresenta algumas propriedades que podem ser editadas, tais como tamanho, posição, ação quando clicada etc.

45 Tutores - Sistemas computacionais indicados na avaliação cognitiva e reabilitação Quanto aos sons: o software permite a utilização de alguns sons gravados. Estes podem ser associados a certos eventos durante os testes, tais como a escolha (in)correta de uma questão, a explicação de um procedimento ou do conjunto de procedimentos ou a finalização de determinado teste. Quanto aos vídeos: a utilização de vídeos no início e no fim de cada avaliação caracteriza-se como uma particularidade capaz de aumentar o dinamismo das avaliações.

46 Tutores - Sistemas computacionais indicados na avaliação cognitiva e reabilitação

47

48

49

50 Tutores

51 Busca Signo Contém todo vocabulário da Língua Brasileira de Sinais; Permite busca por Quiremas; Algoritmo avançado de busca; Permite a realização de pesquisas sobre a recuperação de sinais; Registra informações; Fará parte da Enciclopédia de Língua Brasileira de Sinais;

52 Busca Signo

53

54

55

56 Vamos conversar?

57 Deficiência Intelectual Deficiente Intelectual educável:  Tem uma limitação mas pode se desenvolver em algumas áreas,  As vezes não percebida nos 1os anos de vida  Acompanhará as atividades de nível fundamental I e um pouco mais avançado,  Adaptação social que pode levar a independência na comunidade,  Adequação ocupacional podendo chegar a auto sustento parcial ou total na idade adulta,

58 Deficiência Intelectual Deficiente Intelectual treinável:  Tem dificuldades em: Acompanhar atividades do ensino fundamental I Desenvolver independência e sustentar-se  É capaz de: Cuidar de sí (vestir, despir, usar toalete, alimentar) Se proteger de perigos comuns do lar Ajustamento social ao lar e à vizinhança Auxiliar nas tarefas do lar

59 Deficiência Intelectual Deficiente Intelectual dependente:  Grave e profundamente dependente  Deficiências múltiplas que interferem nos procedimentos normais, como paralisia cerebral, perda auditiva, etc.  Grande dificuldade no programa escolar normal  Foco na possibilidade de cuidar de si mesmo e nas habilidades sociais mesmo precisando de assistência contínua.


Carregar ppt "A tecnologia assistiva promovendo a saúde da pessoa com deficiência intelectual Recursos e técnicas que promovem o desenvolvimento da comunicação da pessoa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google