A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL - CNBB DOCUMENTO 87 2008 - 2010 DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DGAE Montagem e organização dos Slides:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL - CNBB DOCUMENTO 87 2008 - 2010 DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DGAE Montagem e organização dos Slides:"— Transcrição da apresentação:

1 CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL - CNBB DOCUMENTO DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DGAE Montagem e organização dos Slides: Diác. Adilson

2 OBJETIVO GERAL EVANGELIZAR, EVANGELIZAR, a partir do encontro pessoal com Jesus Cristo, como discípulos missionários, à luz da evang é lica op ç ão pelos pobres, promovendo a dignidade da pessoa, renovando a comunidade, participando da constru ç ão de uma sociedade justa e solid á ria, para que todos tenham vida e a tenham em abundância.

3 APRESENTAÇÃO As novas DGAE estão em sintonia com o Documento de Aparecida; As DGAE são o DOCUMENTO CHAVE para a AÇÃO EVANGELIZADORA MISSIONÁRIA (Todos os documentos são lidos e aplicados à partir das DGAE); As DGAE fazem parte da tradição da Pastoral Orgânica, suscitada desde o Plano de Emergência(1962), passando pelos Planos de Pastoral de Conjunto(1966), chegando até as Diretrizes da Ação Pastoral( ) e as DGAE(de 1999 até o presente).

4 Concílio Ecumênico Vaticano II 1962 a 1965 Plano de Emergência Plano de Pastoral de Conjunto Diretrizes da Ação Pastoral da Igreja no Brasil Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil... N O V O P E N T E C O S T E S Tertio Millennio Adveniente Projeto Rumo ao Novo Milênio Novo Millennio Ineunte Ser Igreja no Novo Milênio PROJETOS: Queremos ver Jesus, Caminho, Verdade e Vida Plano Nacional de Evangelização 2008 N O V O P E N T E C O S T E S

5 INTRODUÇÃO DGAE X IGREJA = COMOÇÃO E ALEGRIA DE SER DISCÍPULA MISSIONÁRIA PARA QUE TODOS TENHAM VIDA; O ESPÍRITO SANTO ENVIADO PELO PAI ATRAVÉS DE CRISTO É O PROTAGONISTA DA MISSÃO; DEUS ALIMENTA A CAMINHADA DA IGREJA EM FAVOR DA VIDA... CONHECER JESUS É O MELHOR PRESENTE - ELE É A NOSSA ALEGRIA; DIANTE DA REALIDADE DO MUNDO A IGREJA É CHAMADA A VIVER A DIMENSÃO PROFÉTICA DO BATISMO;

6 INTRODUÇÃO CONTEUDO CENTRAL DA MISSÃO: LEVAR VIDA PLENA A TODAS AS PESSOAS...; EVANGELIZAÇÃO: TAREFA DE TODOS OS FIÉIS(DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS DE CRISTO); EVANGELIZAÇÃO = PARTE DA EXPERIÊNCIA DO ENCONTRO PESSOAL COM JESUS CRISTO; DIOCESE = COMUNIDADE MISSIONÁRIA... MARIA NOS ACOMPANHA NA AÇÃO MISSIONÁRIA...

7 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA Realidade brasileira: Luzes e sombras – é preciso discernir os SINAIS DOS TEMPOS à luz do Espírito Santo; Transformações profundas(ciência x tecnologia) – alcance global – afetam todas as dimensões da vida... A análise da realidade parte do contexto do discipulado e da missionariedade da Igreja.

8 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 1. SITUAÇÃO SOCIOCULTURAL Fragmentação dos valores = fragmentação da vida (frustrações, ansiedades, angústias...) Os MCS como principais interlocutores na destruição dos valores e culturas... Globalização x incertezas, riscos... Individualismo x consumismo = felicidade imediata – cultura de morte

9 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 1. SITUAÇÃO SOCIOCULTURAL O perigo da massificação – fragilidade da família (jornada de trabalho, influência da TV e da internet...) O olhar de fé e de esperança mostram também aspectos positivos da mudança cultural: O valor fundamental da pessoa, da liberdade... Busca do sentido da vida... O Senhor caminha conosco na luta em favor da vida...

10 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 2. SITUAÇÃO ECONÔMICA Globalização – concentração de poder e riqueza nas mãos de poucos x exclusão de muitos...; Os novos pobres: explorados, supérfluos e descartáveis; Desemprego estrutural; O grande capital subordina as economias locais; As populações rurais sofrem com a falta de terra e condições...

11 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 2. SITUAÇÃO ECONÔMICA Alto índice de corrupção na economia, vinculado ao narcotráfico; A exploração sexual... Apesar da disparidade de renda, algumas melhorias: o desemprego vem caindo e o no. de emprego formais crescendo – crescimento da economia...

12 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 3. SITUAÇÃO SOCIOPOLÍTICA Enfraquecimento da política e das relações comunitárias; Crescimento da violência e banalização da vida; Manipulação de embriões, a difusão do aborto, o desamparo às crianças e idosos... Falência do sistema penal e da saúde...

13 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 4. SITUAÇÃO ECOLÓGICA A devastação da Amazônia A agressão à dignidade e cultura indígenas Apropriação indébita dos recursos naturais A agressão à natureza – aquecimento global O favorecimento a um modelo que privilegia o capital-consumista e prioriza o agronegócio.

14 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 5. SITUAÇÃO RELIGIOSA Mentalidade individualista no campo religioso; Tendência à construção de uma religião própria de acordo com as convicções individuais e os SEM Religião Crescimento das práticas esotéricas... Crescimento da teologia da prosperidade Religiões midiáticas

15 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 5. SITUAÇÃO RELIGIOSA O secularismo e o relativismo O crescimento das seitas evangélicas O proselitismo destas seitas... A busca de Deus... O grande número de católicos envolvidos nas pastorais, grupos, movimentos, CEBs... Ainda há um Clero escasso... Aparecida nos conclama a uma verdadeira conversão pastoral...

16 Cristãos católicos, de 83,3% (1991) para 73,9% (2000); Cristãos evangélicos, de 9,0% (1991) para 15,6% (2000); Sem religião, de 4,7% da população (1991) para 7,4% (2000). CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 5. SITUAÇÃO RELIGIOSA Dados Complementares Dados do Censo de 2000

17 CAPÍTULO 1 (VER) A REALIDADE QUE NOS INTERPELA 5. SITUAÇÃO RELIGIOSA Dados Complementares – RN – Dados: Prof. Itamar de Souza DPOPULCATOLPROTES (96,61%)37.513(2,41%) (97,83%)49.741(2,67%) (91.61%) (4,18%) (83,57%) (8,92%) OBS: Da população total do RN, em 2000, (7,5%) se declaram sem religião.

18 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO Igreja = Sacramento Universal de salvação Igreja = Comunidade missionária = vocação à comunhão(Trindade = Fundamento) Igreja = Comunidade de Amor – seguidora de Cristo e servidora da humanidade... Igreja: Comunhão x Missão... Palavra e Eucaristia nutrem a Igreja = Casa e Escola de comunhão

19 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO EXIGÊNCIAS E OS ÂMBITOS DA EVANGELIZAÇÃO DIMENSÕES CONSTITUTIVAS DA EVANGELIZAÇÃO

20 AÇÃO PASTORAL / EVANGELIZADORA/ MISSIONÁRIA Serviço Diálogo Anúncio Testemunho de Comunhão PRÁTICA DE JESUS IGREJA DISCÍPULA MISSIONÁRIA...

21 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A VOCAÇÃO E MISSÃO DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS Discipulado e missionariedade: parte integrante da identidade cristã; Consiste: dar testemunho e anunciar Jesus a partir da experiência do encontro pessoal com Ele... = promover o REINO DA VIDA = Santidade... Relações sociais = promoção humana e autêntica libertação... Pobre = lugar social de Deus...

22 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A MISSÃO SEGUNDO O TRÍPLICE MÚNUS 1.MINISTÉRIO DA PALAVRA: -Querigma: anúncio e acolhida da Palavra -Necessidade de uma PASTORAL BÍBLICA -A Catequese permanente -formação bíblico-teológica-catequética permanente... -Pregação da Palavra x carisma da profecia -Profecia e martírio...

23 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A MISSÃO SEGUNDO O TRÍPLICE MÚNUS 2. MINISTÉRIO DA LITURGIA: Liturgia: Fonte e cume de toda ação missionária e do ser da Igreja; Sacramentos: Sinais da comunhão com Deus Trindade Santa; Domingo: Dia do Senhor – Pastoral do domingo (Eucaristia ou Celebração da Palavra); Importância do Ano Litúrgico; A piedade / religiosidade popular como importante no processo de evangelização;

24 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A MISSÃO SEGUNDO O TRÍPLICE MÚNUS 2. MINISTÉRIO DA LITURGIA: Importância da música de acordo com o Tempo Litúrgico; Necessidade das Comissões de Liturgias em cada Diocese... Liturgia x Inculturação(é preciso recuperar expressões culturais, o ritmo, o canto e a música, os instrumentos musicais, as vestes, os espaços, os gestos e símbolos das diferentes culturas, sem prejuizo das normas litúrgicas gerais...

25 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A MISSÃO SEGUNDO O TRÍPLICE MÚNUS 2. MINISTÉRIO DA LITURGIA: - Desafios quanto a liturgia: Promoção de uma liturgia + popular e inculturada, onde os pobres e excluidos tenham + espaço para celebrar a sua fé; Participação em celebrações ecumênicas, dado o caráter eclesial da liturgia As celebrações transmitidas pela mídia(...) respeitem as normas litúrgicas Liturgia x criação x cuidado com a preservação da natureza.

26 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A MISSÃO SEGUNDO O TRÍPLICE MÚNUS 3. MINISTÉRIO DA CARIDADE: Comunhão FraternaServiço aos pobres OPÇÃO PREFERENCIAL PELOS POBRES Fontes da Vida Eclesial: Palavra e Sacramento; Centro da Vida Cristã: Caridade – amor - doação: CARIDADE LIBERTADORA

27 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A FORMAÇÃO DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS - Necessidade de uma formação permanente dos discípulos missionários; - A comunhão eclesial: atrai os fiéis... - Itinerário de formação(aspectos fundamentais): - Encontro com Cristo; - Conversão; - Discipulado; - Comunhão; - Missão

28 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO A FORMAÇÃO DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS O itinerário de formação deve reforçar 4 eixos: Experiência Religiosa Vivência comunitária Formação bíblico-doutrinal Compromisso missionário

29 CAPÍTULO 2 (JULGAR) DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS NUMA IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO ESPIRITUALIDADE DO DISCÍPULO MISSIONÁRIO Escuta da Palavra(na bíblia e na vida); Participação na Eucaristia(Liturgia) Oração pessoal Abandono nas mãos do Espírito Santo Doação de si aos demais

30 1 – PROMOVER A DIGNIDADE DA PESSOA 1.1 DESAFIO: A construção da identidade pessoal e da liberdade autêntica numa sociedade consumista. 1.2 A FÉ CRISTÃ: A dignidade absoluta da pessoa – Filhos de Deus, nós o somos (1Jo 3,2,) DIMENSÕES CONSTITUTIVAS DA EVANGELIZAÇÃO: Serviço, Diálogo, anúncio, Testemunho de Comunhão CAPÍTULO 3 (AGIR) PISTAS DE AÇÃO PARA A MISSÃO EVANGELIZADORA

31 1 – PROMOVER A DIGNIDADE DA PESSOA Justificativa: Respeitar a dignidade da pessoa: Defender e promover a dignidade da vida... Tratar o ser humano como fim e não como meio... Tratar toda pessoa sem discriminação e sem preconceito... = À LUZ DA PESSOA DE JESUS CRISTO...

32 1 – PROMOVER A DIGNIDADE DA PESSOA Jesus é o CAMINHO, a VERDADE e a VIDA, diante: - da vida sem sentido; - do desespero de um mundo sem Deus - da idolatria dos bens terrenos - do subjetivismo hedonista - da despersonalização - da exclusão - das estruturas de morte - da natureza

33 1 – PROMOVER A DIGNIDADE DA PESSOA PISTAS DE AÇÃO: Pessoa, testemunho, busca, acolhimento e acompanhamento; A pessoa e as diversas situações de vida; A pessoa e a família A pessoa, o trabalho e a moradia A pessoa, a pobreza, a exclusão e as ameaças à vida A pessoa, a oração e a celebração

34 2 – RENOVA R A COMUNIDADE 1.1 DESAFIO: 1.1 DESAFIO: A fragmentação da vida e a busca de relações mais humanas 1.2 A FÉ CRISTÃ: Onde dois ou mais estiverem reunidos, eu estarei no meio deles (Mt 18,20) DIMENSÕES CONSTITUTIVAS DA EVANGELIZAÇÃO: Serviço, Diálogo, anúncio, Testemunho de Comunhão CAPÍTULO 3 (AGIR) PISTAS DE AÇÃO PARA A MISSÃO EVANGELIZADORA

35 2 – RENOVA R A COMUNIDADE Pistas de ação: Diálogo dentro das comunidades Comunidades, dons, serviços e ministérios Diálogo ecumênico Diálogo inter-religioso Comunidade essencialmente missionária

36 3 – CONSTRUIR UMA COMUNIDADE SOLIDÁRIA 1.1 DESAFIO: 1.1 DESAFIO: O escândalo da exclusão e da violência na sociedade consumista nos interpela à realização da Solidariedade. 1.2 A FÉ CRISTÃ: 1.2 A FÉ CRISTÃ: A realização da solidariedade – Não havia necessitados entre eles (At 4,34) DIMENSÕES CONSTITUTIVAS DA EVANGELIZAÇÃO: Serviço, Diálogo, anúncio, Testemunho de Comunhão CAPÍTULO 3 (AGIR) PISTAS DE AÇÃO PARA A MISSÃO EVANGELIZADORA

37 3 – CONSTRUIR UMA COMUNIDADE SOLIDÁRIA Justificativas: - A dignidade da pessoa está profanada; - A opção pelos pobres está implícita na fé cristológica; - A Igreja é chamada a ser SACRAMENTO DE AMOR, DE SOLIDARIEDADE E DE JUSTIÇA; - O compromisso social tem raízes na fé cristã... - A cooperação ecumênica em vista do bem comum faz parte da missão da Igreja...

38 3 – CONSTRUIR UMA COMUNIDADE SOLIDÁRIA Pistas de ação: - Compromisso solidário - Compromisso social e político - Compromisso missionário nos novos aerópagos... - Diálogo com as culturas - Crescente urbanização - Mundo da educação - MCS - Compromisso com as questões que envolvem toda a humanidade

39 CONCLUSÃO Ai de mim se eu não evangelizar Só uma Igreja missionária e evangelizadora experimenta a fecundidade e a alegria de quem realmente realiza sua vocação - A Igreja do Brasil assume o compromisso com a Missão Continental convocada por Aparecida; - A caminhada da Igreja do Brasil tem se mostrado missionária... - A CNBB elaborará mais um projeto missionário para a aplicação das atuais DGAE.


Carregar ppt "CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL - CNBB DOCUMENTO 87 2008 - 2010 DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DGAE Montagem e organização dos Slides:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google