A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Orientação Técnica de Química 1 PCNP de Química: Laline K. Mariano Colaborador PCNP de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Orientação Técnica de Química 1 PCNP de Química: Laline K. Mariano Colaborador PCNP de."— Transcrição da apresentação:

1 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Orientação Técnica de Química 1 PCNP de Química: Laline K. Mariano Colaborador PCNP de Tecnologia: Antonio B.Maia

2 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Pauta: 18/10/2013 Período da manhã Café Vídeo de Acolhimento Vídeo Reflexivo: Luiz Carlos Menezes Oficina Socialização Química Orgânica Eletroquímica

3 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Pauta: 18/10/2013 Período da tarde Apresentação de critérios para as boas práticas Sala de informática (Planejamento de uma aula ) Socialização

4 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Palestra Apresentação da Palestra: Luiz Carlos de Menezes

5 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Currículo do Estado de São Paulo Envolvimento dos estudantes no processo de construção de seus próprios conhecimentos Estudo organizado a partir de fatos mensuráveis e perceptíveis Desenvolvimento de habilidades e competências

6 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Competências e Habilidades – Comunicação e expressão – Compreensão e investigação – Contextualização e ação Currículo do Estado de São Paulo

7 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Aprendizagem significativa: envolvimento ativo dos alunos no processo e, por isso, a proposta de discussões, aulas dialogadas, leituras de textos diversos, montagem de modelos, etc. Currículo do Estado de São Paulo

8 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica

9

10 Como fazer isso? Nos cadernos, essa dinâmica está proposta em Situações de Aprendizagem. Para melhor compreensão, vamos comparar abordagens dos livros didáticos e dos cadernos de Química.

11 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Química Orgânica

12 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Oficina Oficina 1 - Livro Didático – Capítulo 1 - Caderno volume 3, terceira série - Situação de aprendizagem 1 Socialização

13 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Caderno 3ª série – volume 3 Situação de aprendizagem 1 – provocar uma situação para percepção dos alunos daquilo que o ser humano pode retirar da biosfera. Sugestão oferecida: atividade de associação de palavras e como desenvolvê-la.

14 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Livro didático (Ser protagonista - PNLD) Abertura da Unidade O carbono e seus compostos: texto introdutório e questões para reflexão (tema: diferenciação dos compostos orgânicos dos inorgânicos) Sequência sugerida: texto descritivo sobre o carbono; atividades (exercícios); texto descritivo sobre ligações do carbono e suas representações; atividade experimental de final de capítulo

15 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Comparativo Livro – Situação para reflexão – Definições e texto descritivo sobre carbono e suas ligações – Exercícios – Atividade experimental para montagem de tetraedro – Exercícios – Texto de Ciência e tecnologia – Exercícios Caderno – Aproveitamento de ideias prévias sobre materiais da biosfera (situação para reflexão) – Busca de textos relacionados ao petróleo – Fontes de materiais e seus usos (petróleo e gás natural) – Avaliar estruturas e nomes para se chegar a regularidades e tendências

16 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Estratégias Estudar os textos propostos para o desenvolvimento das situações de aprendizagens, uma vez que eles serão o desfecho da 1ª situação de aprendizagem. Trazer partes da atividade 2 para auxiliar a interpretação do texto sobre o petróleo e seus derivados.

17 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica O professor deve se apropriar de leituras diversas que vão desde revistas de cunho científico até textos de jornais Com isso ganha em investimento pessoal e repertório para trabalhar com situações diferenciadas Estratégias

18 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Mesclando vivências Quando for trabalhar a definição de conceitos, ou mesmo ao se deparar com elas, solicita aos alunos que procurem no livro didático adotado, de modo a fazer a intersecção da situação de aprendizagem com a descrição do livro Passa a perceber que os conceitos apenas estão apresentados de maneiras diferentes no caderno e no livro

19 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Situação de aprendizagem 2 Composição, processamento e usos do petróleo, do gás natural e do carvão mineral

20 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Situação de aprendizagem 2 Atividade 1 Apesar de não ser necessário explicar sobre a forma das cadeias, nada impede que o professor trabalhe esses conceitos: ele é que está dentro da sala e tem a percepção sobre o interesse e a curiosidade dos alunos sobre o tema. Também pode aproveitar o livro didático para que o aluno busque tal conceito.

21 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Situação de aprendizagem 2 No texto sobre o gás natural aparecem os nomes metano, etano, propano e butano. Partindo deles, pode-se obter o gancho para começar o estudo dos hidrocarbonetos (atividade 2).

22 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Situação de aprendizagem 2 Atividade 2 A análise da tabela não precisa de material de apoio mas a observação das estruturas, sua representação e o desafio de compreender as variações das fórmulas genéricas: necessidade de trabalhar com modelos. Vamos montá-los?

23 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica ROTEIRO PARA MONTAGEM DO MODELO DE ISOPOR PARA MOLÉCULAS ORGÂNICAS I- Ligação simples Colocar um palito na linha que marca o diâmetro da bola de isopor. Na mesma linha diametral colocar outro palito em ângulo de 120° com o primeiro palito. Repetir o procedimento 2 para o terceiro palito. Colocar um palito em ângulo de 90° com um dos três palitos. Abrir o ângulo de 90° para 104,9° com cada palito da linha diametral. 23

24 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica II- Ligação dupla Colocar um palito na linha que marca o diâmetro da bola de isopor. Na mesma linha diametral colocar outro palito em ângulo de 120° com o primeiro palito. Repetir o procedimento 2 para o terceiro palito. Colocar paralelamente a um dos palitos outro palito para representar a ligação dupla. 24 ROTEIRO PARA MONTAGEM DO MODELO DE ISOPOR PARA MOLÉCULAS ORGÂNICAS

25 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica III- Ligação tripla Colocar um palito na linha que marca o diâmetro da bola de isopor. Na mesma linha diametral colocar outro palito em ângulo de 180° com o primeiro palito. Colocar paralelamente a um dos palitos outros dois palitos para representar a ligação tripla. Os modelos montados nessa atividade servem de modelo para montagem dos demais, facilitando, assim, o procedimento. 25 ROTEIRO PARA MONTAGEM DO MODELO DE ISOPOR PARA MOLÉCULAS ORGÂNICAS

26 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Utilizando os modelos: – relação entre número de carbono e hidrogênio com o tipo de ligação (simples, dupla e tripla) – visualização da mobilidade rotacional da ligação simples versus rigidez da ligação dupla – estudo das moléculas isômeras – etc. Situação de aprendizagem 2

27 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Atividade 3 Vem na mesma dinâmica das anteriores, partindo da contextualização com o texto O carvão mineral como fonte de materiais Atividade sugerida: pesquisa sobre as estruturas do grupo característico das funções orgânicas e outras informações Situação de aprendizagem 2

28 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Atividade 3 Novamente o professor pode trabalhar com o livro didático que vai trazer muitas informações para o preenchimento do quadro Pode-se incrementar a atividade, propiciando a construção de pensamento lógico, observando-se o que vai mudando de um grupo para outro Situação de aprendizagem 2

29 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Composição, processamento e usos da biomassa Sugestão de encaminhamento: pesquisa sobre temas da mídia, que são os combustíveis da biomassa: etanol, biodiesel e biogás Por que pesquisar? Qual o papel desse instrumento? Situação de aprendizagem 3

30 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica A biosfera como fonte de alimento para o ser humano Atividade 1 Estudo da composição dos alimentos baseando-se nas informações nutricionais dos alimentos contidas em embalagens Situação de aprendizagem 4

31 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Por que partir das embalagens de alimentos? Por que trabalhar com as informações nutricionais? Situação de aprendizagem 4

32 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica A embalagem é o contexto para o trabalho com substâncias que serão foco da atividade 2 É um material que toda população tem acesso e, muitas vezes, não faz uso Há um tema transversal que está sendo abordado: a obesidade (saúde) Situação de aprendizagem 4

33 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Com os dados dos rótulos chegar-se-á aos grupos de alimentos e sua respectiva carga calórica Somente depois de uma discussão contextualizada com um assunto que interessa ao jovem (a obesidade) serão vinculadas os conhecimentos formais relativos às funções orgânicas (situação de aprendizagem 3 – atividade 2) Situação de aprendizagem 4

34 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Avaliação Depois de toda essa metodologia de ensino, da aprendizagem significativa e construção dos conhecimentos, como avaliar tudo isso?

35 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Referências Caderno do professor: química, ensino médio – 3ª série, volume 3 – SEESP Caderno do aluno: química, ensino médio – 3ª série, volume 3 – SEESP Lisbôa, J. C. F. (organizador). Ser Protagonista Química: ensino médio – volume 3 Lima, M. B. e Lima-Neto, P. Construção de modelos para ilustração de estruturas moleculares em aulas de Química. Revista Química Nova, 22(6), 1999, p. 903.


Carregar ppt "SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Orientação Técnica de Química 1 PCNP de Química: Laline K. Mariano Colaborador PCNP de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google