A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula 3 Administração Estratégica João Carlos Bragança.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula 3 Administração Estratégica João Carlos Bragança."— Transcrição da apresentação:

1 Aula 3 Administração Estratégica João Carlos Bragança

2 2 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa

3 3 Que orientação (Missão e Objetivos) deve tomar a empresa? Como estabelecer o propósito específico da empresa dentro de seu ambiente externo?

4 4 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa A estrutura analítica S.W.O.T. (os pontos fortes – Strenghts – e fracos – Weakenesses – da empresa em relação a seus concorrentes, bem como as oportunidades – Opportunities – e ameaças – Threats – do ambiente externo) auxilia o administrador estratégico a analisar os recursos da empresa (pontos fortes e fracos) para que seja estabelecida a Missão e os Objetivos da empresa. Nunca esquecer que o administrador estratégico (CEO e conselho) busca acomodar os interesses dos stakeholders quando é delineado o propósito da empresa. Recursos (pontos fortes e fracos) => Missão e Objetivos da empresa (orientação tomada dentro do ambiente externo)

5 5 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Qual a importância analítica da estrutura S.W.O.T.? Ajuda a delimitar o propósito da organização (missão e razão da existência). Possibilita a organização explorar oportunidades e minimizar ameaças do ambiente. => Destacar os pontos fortes (evidentes e potenciais) => Administrar o impacto dos pontos fracos ou corrigir quando possível. INFORMAÇÕES DO AMBIENTE + CONHECIMENTO DAS CAPACIDADES DA ORGANIZAÇÃO => Estratégias condizentes com os objetivos => Maiores chances de sucesso

6 6 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Variáveis consideradas na análise S.W.O.T.

7 7 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Quais os recursos (pontos fortes e fracos) da empresa? 1.Recursos Humanos Experiências, capacidades, conhecimentos, habilidades e julgamento dos funcionários. 2.Recursos Organizacionais Sistemas e processos da empresa, com suas estratégias, estrutura, cultura, administração de compras/materiais, produção/operações, base financeira, P&D, marketing, sistema de informações e controle. 3.Recursos Físicos Instalações e equipamentos, localização geográfica, acesso a matérias-primas, rede de distribuição e tecnologia.

8 8 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Quais os recursos (pontos fortes e fracos) da empresa? 1.Recursos Humanos 1.1. Conselho de Administração Deve ser diversificado de maneira que represente os Stakeholders (principalmente a minoria, credores, clientes e comunidade local). Perfil dos membros: a.Detenção de títulos: Negociáveis => satisfação dos acionistas; e Crédito => credibilidade da empresa. b.Duração: Estabilidade longa do Conselho => maior conhecimento sobre a organização; e Rotatividade periódica => novas perspectivas estratégicas.

9 9 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Quais os recursos (pontos fortes e fracos) da empresa? 1.Recursos Humanos - Continuação: 1.2. Alta Administração (=> Liderança Estratégica – Cap. 9) Visa o alcancem dos objetivos dos Stakeholders. A alocação dos administradores deve levar em conta suas vantagens como: experiência, estilo de administração, capacidade para tomada de decisão, formação de equipes, conhecimento sobre a organização e o setor. Indicadores dos pontos fortes e fracos: a.As empresas iniciantes possuem geralmente administradores criativos mas fracos em habilidades (conformação das rotinas); b.Empresas maduras precisam de administração forte mas também inovadora; c.Uma longa permanência significa consistência e estabilidade no desenvolvimento e na implementação de estratégias. Contudo, uma baixa rotatividade pode fomentar conformidade, complacência e incapacidade de explorar novas oportunidades.

10 10 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Quais os recursos (pontos fortes e fracos) da empresa? 1.Recursos Humanos – Continuação: 1.3. Administração Média, Supervisores e Funcionários Indicadores dos pontos fortes e fracos: a.Políticas de treinamento e desenvolvimento de pessoal. b.Qual a taxa de rotatividade do pessoal em comparação ao restante do setor? c.Quanta ênfase a organização deposita sobre a avaliação de desempenho? Recompensas associadas ao desempenho real.

11 11 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Quais os recursos (pontos fortes e fracos) da empresa? 2.Recursos Organizacionais Questões pertinentes: a.Os recursos devem estar em conformidade com as estratégias (corporativa, unidade de negócio e funcional). Seu encadeamento multidependente e bidirecional deve ser consistente – Caps. 4, 5, 6 e 7. b.A estrutura formal da organização é compatível para a implementação das estratégias? – Cap. 8. c.Os processos de tomada de decisão da empresa estão alinhados com as estratégias? Centralização ou descentralização – Cap. 5 e 9. d.A cultura (valores e padrões de crenças e comportamento que são praticados pelos membros) da organização é consistente com sua estratégia? – Cap. 9. e.O controle estratégico é apurado? – Cap. 10.

12 12 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Quais os recursos (pontos fortes e fracos) da empresa? 3.Recursos Físicos Questões pertinentes: a.A empresa compatibiliza suas operações com o estado da arte? b.A capacidade da organização é compatível com a demanda? c.A rede de distribuição da empresa é um meio eficaz de atingir clientes? d.Os fornecedores estão comprometidos com os propósitos da organização (custo baixo e qualidade)? e.A organização tem uma localização geográfica adequada (fatores de produção, canais de acesso e escoamento)? A Teoria resource-based postula que cada empresa é única na combinação de recursos humanos, organizacionais e físicos. Recursos adicionais => em sinergias singulares decorrentes da interface entre novos recursos e os existentes.

13 13 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa => Vantagem competitiva sustentada que não pode ser plenamente copiada pelos concorrentes => retornos financeiros. Recursos Humanos Recursos Organizacionais Recursos Físicos Vantagem Competitiva Sustentada

14 14 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Missão – trata-se do motivo da existência da organização. A missão da organização pode ser definida formalmente como uma declaração de propósito genérico onde é identificado o alcance das operações e aquilo que é oferecido aos stakeholders. Definição da Missão nos níveis: 1.Empresarial (da organização) – encerra um propósito genérico. O propósito fundamental da GM é fornecer produtos e serviços de qualidade tal que nossos clientes recebam um valor superior, nossos funcionários e parceiros partilhem de nosso sucesso e nossos acionistas recebam um retorno sustentado e superior sobre seus investimentos. 2.Unidade de negócios – propósito mais preciso em alcance e definição. Missão da GM é fabricar carros econômicos, esportivos, sedans e caminhões seguros e confiáveis.

15 15 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Como são estabelecidos os objetivos da empresa? Pela acomodação dos interesses dos diferentes stakeholders. Os objetivos são divididos em duas categorias (geral: crescimento, p.ex. e específico - observável e verificável : aumento das vendas em % em um determinado período de tempo, p. ex.). Parte-se, assim como da formulação da Missão, de uma estratégia direcional para uma mais específica que forneça uma orientação para tomada de decisão da administração e permita uma avaliação do desempenho da organização. A análise pode ser feita ao enumerar os interesses de cada stakeholder.

16 16 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Como é estabelecida a Missão da Organização?

17 17 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Interesses segundo atores: 1.Alta administração persegue: O interesse estrito dos acionistas (retorno sobre o investimento) e a satisfação dos stakeholders; ou O auto-interesse => estratégias que aumentam suas recompensas. Hebert A. Simon (Prêmio Nobel de Economia – 1978) pesquisou o comportamento do administrador no processo de tomada de decisão. Segundo ele, a posição hierárquica na empresa está atrelada as recompensas de seus atores. Tal constatação, justificaria o interesse que o CEO tem em aumentar o tamanho da organização. Os altos administradores tendem a enfatizar o desempenho da empresa apenas na medida em que isso impede a insatisfação dos acionistas e takeovers hostis (detentores de parcela significativa da empresa que reluta em uma determinada operação). A diferenças de lucros entre empresas de um setor serve como indicador sobre a postura da alta administração.

18 18 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Interesses segundo atores: 2.Conselho de administração: Está preocupado em selecionar (ou dispensar) o CEO, fixar suas compensações, aconselhar a alta administração e monitorar o desempenho da administração e empresa, visando o interesse dos acionistas (papel legal). Existe uma problemática quanto aos interesses dos acionistas que é representada pela nomeação do conselho de administração pelo CEO. Isso faz com que a alta administração exerça um poder no conselho de administração. Os investidores institucionais (fundos de pensão, mútuos e seguros) têm enfraquecido esse poder principalmente por exigir conselheiros mais independentes e qualificados.

19 19 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Interesses segundo atores: 3.Credores (detentores de títulos de créditos, bancos e outras instituições financeiras): Sua intenção geral é que a empresa mantenha uma posição financeira saudável, a fim de garantir tanto o capital quanto os juros sobre seus fundos emprestados.

20 20 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Observe que os objetivos gerais da alta administração, do conselho de administração e dos credores nem sempre são congruentes com os dos acionistas e os de outros stakeholders da empresa. A empresa torna-se uma entidade viável quando é capaz de fornecer mercadorias aos clientes, contribuir com o padrão de vida da sociedade, proporcionar empregos e canalizar benefícios financeiros e não financeiros a todos os stakeholders. Um artifício para tornar mais congruentes os objetivos (interesses) gerais da alta administração e os dos acionistas é conceder ações para alta administração. O argumento é que a posse de um número significativo de ações alinharia os interesses da alta administração com os dos acionistas. Contudo, esse artifício é satisfatório pouco antes da parcela patrimonial da empresa estar em sua maioria nas mãos da alta administração. A partir desse ponto, a alta administração pode buscar seus interesses em detrimento dos acionistas.

21 21 Cap 3: Ambiente Interno da Empresa Outra composição patrimonial que pode exercer influência na governança na organização: Corporate Governance – trata-se do sistema que caracteriza as empresas de capital aberto (sociedades anônimas) => aumenta o poder dos investidores institucionais na organização. Vale ressaltar, contudo, que o fracionamento do poder da S/A entre investidores institucionais e acionistas em bloco acabará por influenciar o desempenho da organização. =>Para tornar o sistema S/A eficaz o conselho de administração deve ser composto em sua maioria por conselheiros externos para avaliar o desempenho dos altos administradores em relação a missão e objetivos gerais estabelecidos.


Carregar ppt "Aula 3 Administração Estratégica João Carlos Bragança."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google