A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ABNT NBR 15270-3 Componentes cerâmicos Parte 3: Blocos cerâmicos para alvenaria estrutural e de vedação – Métodos de ensaio Determinação das características.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ABNT NBR 15270-3 Componentes cerâmicos Parte 3: Blocos cerâmicos para alvenaria estrutural e de vedação – Métodos de ensaio Determinação das características."— Transcrição da apresentação:

1 ABNT NBR Componentes cerâmicos Parte 3: Blocos cerâmicos para alvenaria estrutural e de vedação – Métodos de ensaio Determinação das características geométricas 1. Aparelhagem e instrumentação a)Paquímetro com sensibilidade mínima de 0,05 mm; b)Régua metálica com sensibilidade mínima de 0,5 mm; c)Esquadro metálico de 90 ± 0,5 0 ; d)Balança com resolução de até 10 g. 2. Recebimento, preparação e acondicionamento Os corpos-de-prova devem ser identificados, limpos, ter as rebarbas retiradas e colocados em ambiente protegido.

2 PROCEDIMENTOS Os corpos-de-prova devem ser colocados sobre superfície plana e indeformável. 1. Determinação das dimensões efetivas Os valores da largura são obtidos fazendo-se medições nas duas faces do bloco e à meia da altura do bloco. Os valores da altura são obtidos fazendo-se medições nas duas faces do bloco e no meio do comprimento do bloco. Os valores do comprimento são obtidos fazendo-se medições nas duas faces do bloco e no meio da largura do bloco. Resultados Valores individuais das dimensões das faces de cada um dos corpos-de-prova, em milímetros; Valor da média aritmética de cada uma das dimensões consideradas, em milímetros

3 2. Determinação da espessura das paredes externas e dos septos dos blocos A espessura das paredes externas deve ser medida nas quatro faces do bloco, sempre no meio da largura e no meio do comprimento, buscando o ponto onde a parede apresenta a menor espessura. As medições das espessuras dos septos devem ser obtidas na região central destes, utilizando no mínimo quatro medições, buscando os septos de menor espessura. Resultados Valores individuais das espessuras das paredes externas e dos septos, para cada um dos corpos-de- prova, em milímetros;

4 3. Determinação do desvio em relação ao esquadro (D) Deve-se medir o desvio em relação ao esquadro entre uma das faces destinadas ao assentamento e a maior face destinada ao revestimento do bloco, no meio do comprimento do bloco. 4). Determinação da planeza das faces (F Deve-se determinar a planeza de uma das faces destinadas ao revestimento através da flecha tomada na diagonal.

5 5. Determinação da área bruta ( A b ) da área líquida ( A liq ) A área bruta é obtida pela expressão L x C, expressa em cm 2. A área líquida é determinada exclusivamente para bloco estrutural. a)Após a determinação da área bruta, imergir os blocos em água fervente por 2 h ou em água à temperatura ambiente por 24h; b)Após saturados, os blocos devem ser pesados imersos em água à temperatura de (23 ± 5) 0 C; o valor obtido é a sua massa aparente m a ; c)Retirar os blocos, enxugá-los superficialmente com um pano úmido e pesá- los imediatamente, obtendo-se a sua massa saturada m u ; Onde: H – altura do bloco, y – massa específica da água, tomada igual a 1, em g/cm 3. Resultados Valores médios da área bruta e da área líquida.

6 6. Determinação do índice de absorção dágua a)Retirar do corpo-de-prova o pó e outras partículas soltas; b)Submeter os corpos-de-prova à secagem em estufa a (105 ± 5) 0 C; c)Determinar a massa individual, em intervalos de 1 h, até que duas pesagens consecutivas de cada um deles difiram em no máximo 0,25%, pesando-os imediatamente após a remoção da estufa; d)Medir a massa seca (m s ) dos corpos-de-prova após a estabilização das pesagens, expressando-as em gramas. e)Colocar os corpos-de-prova imersos em água à temperatura ambiente; f)Aquecer a água até entrar em ebulição e manter os corpos-de-prova imersos por 2 h; g)Os corpos-de-prova devem ser resfriados via substituição lenta da água quente do recipiente por água à temperatura ambiente; h)Retirar os corpos-de-prova da água, deixar escorrer o excesso de água, enxugar superficialmente com pano limpo e úmido e pesar, obtendo-se a massa úmida (m u ) Resultados Valores individuais da massa seca e do índice de absorção dágua(%).

7 7. Determinação da resistência à compressão Todos os corpos-de-prova devem ser ensaiados de modo que a carga seja aplicada na direção do esforço que o bloco deve suportar durante o seu emprego, sempre perpendicular ao comprimento e na face destinada ao assentamento. a)Medir a largura, altura e comprimento dos blocos; b)Regularizar as faces de trabalho dos corpos-de-prova com pasta de cimento (ou argamassa) em camada de no máximo 3 mm; c)Após o endurecimento das camadas de capeamento, imergir os corpos-de- prova em água no mínimo durante 6 h; d)Os blocos devem ser ensaiados na condição saturada; e)Proceder ao ensaio de compressão, regulando os comandos da prensa, de forma que a tensão aplicada, calculada em relação à área bruta se eleve progressivamente à razão de (0,05 ± 0,01) MPa/s. Resultados Valor médio das dimensões dos blocos; Resistência à compressão de cada corpo-de-prova, obtida dividindo-se a carga máxima pela média das áreas brutas das duas faces de trabalho; Resistência média dos blocos, expressa em MPa, com aproximação decimal, calculada com a média aritmética; Resistência característica à compressão estimada; Desvio-padrão (MPa) e coeficiente de variação (%). Valor de referência da resistência característica à compressão.

8 Características especiais Ensaios que podem secundar necessidades específicas e exigências particulares nos contratos de compra e venda. CaracterísticasDeterminaçõesSimbolosMétodo FísicasAbsorção inicialAAI Anexo E Mecânicas Módulo de deformação longitudinal dos componentes: Bloco (b), argamassa (a), graute (g) EbEb ABNT NBR 8522 EaEa EgEg Coeficiente de Poisson dos componentes: Bloco (b), argamassa (a), graute (g) טbטb ASTM E 132 ט a ט g

9 Aplicabilidade Caso o índice de absorção de água inicial (AAI) para os blocos cerâmicos estruturais e de vedação resulte superior a (30 g/193,55 cm 2 )/min, os blocos devem ser umedecidos antes do assentamento para o seu melhor desempenho. Se o valor do índice de absorção inicial (AI) resultar menor que o limite mencionado, os blocos podem ser assentados sem ser previamente molhados. Quantidade de corpos-de-prova Deve ser especificada em comum acordo entre fornecedor e consumidor em seus contratos de venda. Na ausência de tal especificação, recomenda-se que sejam ensaiados no mínimo seis corpos-de-prova.

10 Determinação do índice de absorção inicial a)Retirar do corpo-de-prova o pó e outras partículas soltas; b)Submeter os corpos-de-prova à secagem em estufa a (105 ± 5) 0 C, por no mínimo 24 h, retirar da estufa e aguardar no mínimo 2h, e depois o bloco deve ser pesado; c)Colocar os corpos-de-prova imersos lâmina de (3 ± 0,2) mm de água à temperatura ambiente; d)Após ( 60 ± 1) s, retirar o corpo-de-prova e rapidamente retirar o excesso de água da face ensaiada e determinar a massa final do corpo-de-prova; e)Calcular o índice como: AAI = (193,55x p)/ Área Onde: p – é a variação de massa do corpo-de-prova, em gramas; Área – é a área bruta ou área líquida dos blocos ensaiados, em cm 2.


Carregar ppt "ABNT NBR 15270-3 Componentes cerâmicos Parte 3: Blocos cerâmicos para alvenaria estrutural e de vedação – Métodos de ensaio Determinação das características."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google