A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COLÓIDES Irene Garcia. Colóides na indústria 1) Hidrogéis superabsorventes 2) Lipossomas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COLÓIDES Irene Garcia. Colóides na indústria 1) Hidrogéis superabsorventes 2) Lipossomas."— Transcrição da apresentação:

1 COLÓIDES Irene Garcia

2 Colóides na indústria 1) Hidrogéis superabsorventes 2) Lipossomas

3 Hidrogéis são materiais de natureza polimérica capazes de absorver e reter água em sua estrutura sem se dissolver. Hidrogéis

4 Materiais poliméricos superabsorventes, como polieletrólitos à base de copolímeros de acrilamida-acrilato, têm se mostrado eficientes em melhorar as propriedades físico-química do solo, por isso são usados como condicionadores de solo. Condicionadores sintéticos melhoram as propriedades estruturais do solo na medida em que aumentam a capacidade de retenção de água, melhoram a permeabilidade do solo e taxas de infiltração, reduzem a erosão causada pela água e os ventos e contribuem para o uso eficiente da água. Hidrogéis

5

6 Estruturas coloidais formadas pela auto- organização de bicamadas de fosfolipídios em solução. Alec Bangham Lipossomas

7 Figura 1: Representação da estruturais de fosfolipídio. Lipossomas

8 Figura 2: Representação estrutural de lipossoma. Lipossomas

9 Figura 3: Lipossoma x micela. Lipossomas

10 Figura 4: Tipos de lipossomas. CLASSIFICAÇÃO Lipossomas

11 vesículas unilamelares pequenas ou SUV (small unilamellar vesicles), 20 d 50 nm. vesículas unilamelares pequenas ou SUV (small unilamellar vesicles), 20 d 50 nm. vesículas unilamelares grandes ou LUV (large unilamellar vesicles), d 100 nm d 1 μm, vesículas unilamelares grandes ou LUV (large unilamellar vesicles), d 100 nm d 1 μm, vesículas unilamelares gigantes ou GUV (giant unilamellar vesicles), d 1 μm vesículas unilamelares gigantes ou GUV (giant unilamellar vesicles), d 1 μm vesículas multilamelares ou MLV (multilamellar vesicles). 400 nm d 3,5 μm. vesículas multilamelares ou MLV (multilamellar vesicles). 400 nm d 3,5 μm. multivesiculares ou MVL (multivesicular liposomes) multivesiculares ou MVL (multivesicular liposomes) Lipossomas

12 Figura 5: Aplicações gerais

13 Figura 6: Representação estrutural de lipossoma carreador. Lipossomas

14 Figura 7: Modo de ação de lipossomas. Lipossomas

15 Figura 8: Mecanismo geral de ação de lipossomas.

16 vetorizadores otimizaçãodostratamentos fármaco alto volume dedistribuição x Lipossomas

17 Lipossomas e suas aplicações terapêuticas: estado da arte, C. M. Batista; C. M. B. de Carvalho; N. S. S. Magalhães, Rev. Bras. Cienc. Farm. v.3, 2007 Figura 9: Lipossoma e macrófagos. Lipossomas

18 Lipossomas e suas aplicações terapêuticas: estado da arte, C. M. Batista; C. M. B. de Carvalho; N. S. S. Magalhães, Rev. Bras. Cienc. Farm. v.3, 2007 Lipossomashttp://www.youtube.com/watch?v=04SP8Tw3htE&NR=1

19 Requisitos para aplicação na indústria farmacêutica Requisitos para aplicação na indústria farmacêutica - pureza dos fosfolipídios - estabilidade - biodegradabilidade - biocompatibilidade - tamanhos em nm (para via intravenosa) material utilizado processo de preparação processo de preparação relação físico-química com o meio relação físico-química com o meio Lipossomas

20 Aplicações Aplicações Carreadores de fármacos anticancerígenos Doxil®: 1995 (FDA) Daunoxome®: 1996 (FDA) Antinflamatório Ambisome ® : 1997 (FDA) Vacinas Epaxal®: 1994 (mercado suíço) Lipossomashttp://www.doxil.com/learn_doxil/about_doxil.jsp

21 Figura 32: Representação da absorção de lipossomas pela pele e camadas da pele. Cosmética Cosmética Lipossomas* de Cafeína, Creatina e D Pantenol - Aceleram o metabolismo celular, estimulando a digestão das gorduras e os processos bioquímicos da pele. Lipossomas* de Hamamélis - Aumentam o tônus da pele auxiliando no combate à flacidez. Lipossomas

22 Indústria de alimentos como Emulsificantes. Indústria de alimentos como Emulsificantes. Indústria química, de material de limpeza Indústria química, de material de limpeza e química ambiental: Íons metálicos podem se ligar nos lipossomas que em seguida podem ser precipitados e separados. Lipossomas Lipossomas

23 Como preparamos?

24 Figura 8: Preparação de lipossomas pela hidratação de filme lipídico. Preparação Preparação Lipossomas Lipossomas

25 Figura 11: Preparação de lipossomas por evaporação em fase reversa. Lipossomas Lipossomas

26 Propriedades Ratio between the intensity of the emission bands, at 370 nm (I 1 ), due to the transition of mol.L -1 pyrene in ?? Methylcellulose, 100mmol.L 1 NaCl in different C 12 TAB concentrations.

27

28 Referências n RUDZINSKI, W. E.; DAVE, A. M.; VAISHNAV, U. H.; KUMBAR, S. G.; KULKARNI, A. R.; AMINABHAVI, T. M. Hydrogels as Controlled Release Devices In Agriculture, Designed Monomers and Polymers, v.5, p.39–65, n SANTILLÁN, J.; WILLIAMS, Q. A high-pressure infrared and X-ray study of FeCO3 and MnCO3: comparison with CaMg(CO3)2-dolomite, Physics of the Earth and Planetary Interiors, v.143, p , n G kong et al. Cancer research, 60, 6950, 2000 n n Lipossomas e suas aplicações terapêuticas: estado da arte, C. M. Batista; C. M. B. de Carvalho; N. S. S. Magalhães, Rev. Bras. Cienc. Farm. v.3, n ome.htm ome.htm ome.htm n n Santos, N., Castanho, M.A.R.B. Química Nova, 25, 1181, 2002 n Frézard, F. et alii, Química Nova, 28, 511, 2005.


Carregar ppt "COLÓIDES Irene Garcia. Colóides na indústria 1) Hidrogéis superabsorventes 2) Lipossomas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google