A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PARTE IV Violência Contra o Idoso. Maus tratos: uma ação única ou repetida, ou ainda ausência de uma ação devida, que causa sofrimento ou angústia, e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PARTE IV Violência Contra o Idoso. Maus tratos: uma ação única ou repetida, ou ainda ausência de uma ação devida, que causa sofrimento ou angústia, e."— Transcrição da apresentação:

1 PARTE IV Violência Contra o Idoso

2 Maus tratos: uma ação única ou repetida, ou ainda ausência de uma ação devida, que causa sofrimento ou angústia, e que ocorre em uma relação em que haja expectativa de confiança (Action on Elder Abuse, apud Caderno de violência contra a pessoa idosa, 2007). Maus-tratos contra Idosos

3 ... Toda ação ou omissão que prejudica o bem-estar, a integridade física, psicológica ou a liberdade e o direito ao pleno desenvolvimento do idoso sendo praticados por familiares ou pessoas que convivam no espaço doméstico com o idoso. Pode ser cometida dentro ou fora de casa (Caderno de violência contra a pessoa idosa, p28) Maus-tratos contra Idosos

4 Violência Física É o uso da força física para compelir os idosos a fazerem o que não desejam, para feri-los, provocar dor, incapacidade ou morte. Podem-se citar como exemplo tapas, beliscões, contusões, queimaduras, contenção.

5 Violência Psicológica Corresponde a agressões verbais ou gestuais com o objetivo de aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou isolar do convívio social.

6 Violência Sexual Violência Sexual Ato ou jogo sexual utilizando pessoas idosas. Esses abusos visam a obter excitação, relação sexual ou práticas eróticas por meio de aliciamento, violência física ou ameaças, sem o consentimento da pessoa idosa.

7 Abandono É uma forma de violência que se manifesta pela ausência ou deserção dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem socorro a uma pessoa idosa que necessite de proteção e assistência.

8 Negligência Refere-se à recusa ou à omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos por parte dos responsáveis familiares ou institucionais.

9 Violência Financeira ou Econômica Consiste na exploração imprópria ou ilegal ou ao uso não consentido pela pessoa idosa de seus recursos financeiros e patrimoniais.

10 Violência Medicamentosa É administração por familiares, cuidadores e profissionais dos medicamentos prescritos, de forma indevida, aumentando, diminuindo ou excluindo as dosagens estabelecidas. (Caderno de Violência Contra a Pessoa Idosa – 29)

11 No Brasil, os idosos passaram a partir de 2003 a contar com um instrumento legal de proteção contra a violência. Pela lei número de 1º de outubro de 2003 passou a vigorar o Estatuto do Idoso que versa em seu artigo quarto: Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade e opressão, e todo atentado a seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei

12 Pesquisas Analise de boletins de ocorrência em SP, no período de 1991 a 1998, apontou que a violência psicológica é a forma de maus tratos mais frequente registrada naquela delegacia, seguida da violência física (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, 2000).

13 No Brasil no ano de ,4% das mortes em indivíduos com mais de 60 anos ocorreram por causas externas. (Gawryszewski et al., 2004)

14 Pesquisa realizada por Gaioli et al (2008) no município de Ribeirão Preto-SP analisou os registros relacionados a maus tratos a idosos encontrados nas delegacias de polícia no ano de 2005 utilizando laudos de exames de corpo de delito. constatou-se que 87% foram vitimas de maus-tratos no domicílio e 13% foram vitima de outra forma de violência. 57% daqueles que sofreram violência não procuraram atendimento médico Quanto ao tipo de lesão que foi mais recorrente 36% foram vitima de traumatismo

15 A percepção da violência Pesquisa coordenada por Aguas (1996) revelou: Argentina 90% dos idosos percebiam a violência através de agressividade, insulto com palavras, falta de respeito, indiferença e abandono. Apenas 10% referiam questões sociais e aspectos econômicos.

16 A percepção da violência Chile 26,8% dos idosos apontaram já ter sofrido alguma forma de violência e 3,2% todas as formas de violência. Os que sofrera maus-tratos psicológicos somaram 55,1% da amostra.

17 A percepção da violência Brasil 65%, consideravam maus-tratos a forma preconceituosa como são tratados pela sociedade em geral, as baixas aposentadorias, o desrespeito que sofrem nos transportes públicos e a falta de leitos hospitalares para idosos. O nível micro só foi relatado como abandono por parte das famílias.

18 Em 2001, a organização Mundial de Saúde coordenou um estudo multicêntrico em oito países (Argentina, Áustria, Brasil, Canadá, Índia, Quênia, Líbano e Suécia) sobre a percepção que os idosos e profissionais de saúde tinham sobre a questão da violência.

19 No Brasil, este estudo foi realizado na cidade do Rio de Janeiro e a violência estrutural aparece em maior destaque descrita por fenômenos tais quais: desrespeito dos motoristas de ônibus, a falência da saúde pública, fazendo com que os aposentados gastem o dinheiro com remédios e planos de saúde. Este estudo também mostrou que uma das causas da violência, na visão dos idosos e dos profissionais de saúde, seria a ausência de políticas públicas que garantam os direitos dos cidadãos.

20 Fatores de risco Todo evento que se configura como um obstáculo ao nível individual ou ambiental e que potencializa a vulnerabilidade do indivíduo a resultados desenvolvimentais negativos (Pesce, Assis, Santos e Carvalho, 2004)

21 Fatores de risco dependência econômica do cuidador da pessoa idosa, o abuso do álcool e/ou drogas pelo familiar cuidador (Grossi e Souza, 2003).

22 Fragilidade, Estado fisiológico e vulnerabilidade da própria velhice, Despreparo da família, Condições sociais e econômicas precárias. (Freitas et al., 2006)

23 Utilização do álcool pelo cuidador, Falta de privacidade e autonomia por parte dos idosos (Swageerty et al, 2006). Ageismo - discriminação do idoso. (Couto e Koller, 2005).

24 Fatores de Proteção São fatores com potencial de minorar eventuais efeitos negativos ou disfuncionais na presença do risco. São entendidos também como mediadores (Cowan, Cowan e Schulz, 1996)

25 Fatores de Proteção Em relação às reações de enfrentamento dos idosos diante de uma situação de violência verificou-se muitos deles recorriam à religião ou a outros parentes (Silva, Oliveira, Joventino e Moraes, 2008).

26 Rede de Apoio Laços sociais reduzem os riscos de depressão entre idosos e aumentam sua auto-confiança (Garcia, et al. 2004). Melhor habilidade em nível cognitivo (Bourque, et. al. 2005)

27 Rede de Apoio A rede social influencia diretamente a saúde e o bem estar porque fornece fontes de auto-estima, de vínculos afetivos, aumento da competência, reforço do senso de pertença, fortalecimento da imagem pessoal e promoção do senso de auto- eficácia (Samuelson, 1996).

28 Mensagem final (Augusto Cury, Dez leis para ser feliz da Editora Sextante, 2003)

29 Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um não. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.


Carregar ppt "PARTE IV Violência Contra o Idoso. Maus tratos: uma ação única ou repetida, ou ainda ausência de uma ação devida, que causa sofrimento ou angústia, e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google