A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejando e Gerenciando Estoques em uma Cadeia de Suprimentos Flávio Botana Mar/Abr 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejando e Gerenciando Estoques em uma Cadeia de Suprimentos Flávio Botana Mar/Abr 2007."— Transcrição da apresentação:

1 Planejando e Gerenciando Estoques em uma Cadeia de Suprimentos Flávio Botana Mar/Abr 2007

2 Gestão de Estoques Dinheiro empatado Custo Alto Cliente não abastecido Máquina Parada Ter estoques aumenta o custo, mas melhora o atendimento (V ou F ?)

3 Conceito Anos 80 Zero Estoque Sim ou Não ? ESTOQUE ESTRATÉGICO

4 Exemplos para Análise Hospital Cia. Aérea Restaurante Concessionária Veículos Gráfica ( Indústrias )

5 Definição Estoques são acúmulos de recursos materiais entre fases específicas de processos de transformação (física, de estado, ou de local) com o objetivo de criar independência entre elas.

6 Exemplo Chuva Consumo de Água Represa Equalizar no total e no específico

7 Tipos de Estoque Matérias Primas / Materiais –Regula Taxa de suprimento (fornecedor) e de demanda (produção) Material em processo Produtos –Regula taxa de produção e de demanda para o mercado Materiais para manutenção, reparo e operação

8 Porque surgem os estoques? Incerteza de Previsões –Suprimento –Demanda

9 Porque surgem os estoques? Impossibilidade / Incapacidade de coordenar suprimento e demanda –Capacidade (chuva) –Tecnologia (set up) –Informação –Obtenção (lote econômico)

10 Porque surgem os estoques? Especulação –Escassez –Oportunidade

11 Porque surgem os estoques? Necessidade de preencher os canais de distribuição (pipeline)

12 Modelo Básico de Gestão de Estoques

13 Lote Econômico

14 Estoque de Segurança

15 Curva ABC

16 Gestão Inovadora Terceirização Just in Time

17 Terceirização Os estoques das matérias primas são do fornecedor Pedidos sob demanda Consignação 1 estoque para vários clientes

18 Terceirização Exemplo –Fabrica de tintas in house –Manutenção

19 Just in Time Filosofia –Produção sem estoques –Produção enxuta (lean production) –Eliminação de desperdícios –Manufatura em fluxo contínuo –Esforço contínuo na solução de problemas

20 Just in Time Objetivos operacionais –Qualidade –Flexibilidade

21 Just in Time Os estoques reduzem os sintomas e escondem os problemas, que nunca são resolvidos Quanto mais problemas mais estoques A idéia é reduzir os estoques para tornar os problemas visíveis e soluciona-los

22 Just in Time Abordagem tradicional: –Empurrar a produção Abordagem Just in Time –Puxar a produção

23 Just in Time Fornecimento de Materiais –Lotes reduzidos –Recebimentos freqüentes e confiáveis –Lead times de fornecimento reduzidos –Altos níveis de Qualidade

24 Just in Time tupiniquim

25 Just in Time Aplicações na indústria gráfica –Exemplos –Discussões

26

27 Tecnologia de Informação Flávio Botana Abr 2007

28 Você já ouviu isso? Minha empresa tem problemas de comunicação! Eu entendi que.... Mas ninguém me avisou que.....

29 Informação Se a nossa empresa é a máquina A informação é o combustível que a faz movimentar

30 Interpretação da TI Processo de Evolução Processo de Inovação

31 Revolução Industrial x Revolução da Informação Texto Peter Drucker –HSM Management Ano 4 no. 18 Jan/Fev 2000

32 A Era da Informação Os efeitos da Revolução da Informação na indústria ( e portanto na sociedade industrial de hoje ) se assemelham aos efeitos da Revolução Industrial na agricultura (e por conseguinte na sociedade agrícola da época).

33 Informação em abundância Hoje a informação é muito acessível. É possível ter muita informação sobre qualquer coisa rapidamente No meio desta muita informação, você tem informação certa e errada; útil e inútil; adequada e inadequada

34 Informação x Conhecimento O Conhecimento é a informação aplicada. O Conhecimento filtra, analisa e transforma a informação gerando um resultado melhor do que se tinha.

35 A Empresa do Conhecimento Não ao uso tradicional da tecnologia de informação: automatizar os processos com a mesma visão do século XIX.

36 A Empresa do Conhecimento –Sim ao novo uso da tecnologia de informação: usar as informações obtidas com a TI para criar novos domínios de atividade. Busca de detalhes valiosos - CRM Realização de simulações Geração de novos negócios -Consultoria

37 Tecnologia de Informação A informação em uso

38 Tecnologia de Informação Uso tradicional –Gestão Softwares de prateleira Softwares especialistas –Melhoria do fluxo de trabalho

39 Informação Aplicada Quem faz a comunicação é quem recebe a informação Simplicidade Adequação Correção

40 Melhoria do fluxo de trabalho Análise das Tarefas: Eliminação: a tarefa pode ser eliminada? Combinação: a tarefa pode ser combinada com outra tarefa? Mudança de seqüência, locais ou pessoas:algo pode ser melhorado nisso? Melhoramentos: o método de execução pode ser melhorado?

41 Software x Necessidade Definir quem é o dono de quem Software é ferramenta. Não faça nada que o software ofereça e que você não precisa Não deixe de fazer o que você precisa mas o software não oferece.

42 Conceito de Informação Informação única, certa e acessível Informação é inserida na origem Quem precisa da informação é responsável por acessá-la Cuidado com papel Linguagem adequada

43 Projeto de Gerenciamento Estratégico da Informação Classificação e armazenamento da informação Identificação de necessidades e requisitos de informação Coleta / Entrada de Informação Desenvolvimento de produtos e serviços de informação Distribuição e disseminação de informação Tratamento e apresentação da informação Análise e Uso da informação

44 O novo profissional Profissional tradicional Profissional da informação Profissional de TI

45 Tecnologia de Informação O novo uso –Redução de distâncias –O cliente no comando –Novos produtos e serviços Personalizações –Integração de mídias

46 Tecnologia de Informação O novo uso –Exemplos

47


Carregar ppt "Planejando e Gerenciando Estoques em uma Cadeia de Suprimentos Flávio Botana Mar/Abr 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google