A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conteúdo do documento Introdução Características da amostra

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conteúdo do documento Introdução Características da amostra"— Transcrição da apresentação:

0 PARCEIROS EM PESQUISA Private Equity/Venture Capital: gestão estratégica e monitoramento das empresas do portfólio Apresentação dos resultados São Paulo, 22 de agosto de 2006

1 Conteúdo do documento Introdução Características da amostra Adicionando e protegendo valor: a entrada Adicionando e protegendo valor: a continuidade Outras mudanças estratégicas e desinvestimento Conclusões preliminares

2 Introdução: sucesso e fracasso do investimento individual em PE/VC
Pesquisas com investimentos individuais em PEVC (Weidig, 2004) Origem do sucesso Cerca de 30% de perda total ou parcial do investimento Cerca de 10% deram retornos de 400% ou mais Os lucros das bem sucedidas excederam 40 vezes as perdas das mal sucedidas (Sahlman 1990) O sucesso resulta de cada fase do processo de PEVC: Identificação de oportunidades de investimento Estruturação e fechamento de negócios com empreendedores Monitoramento do investimento Estruturação da saída

3 Sucesso e fracasso do investimento: o monitoramento
Como os investidores agregam/protegem valor? Estruturam seus investimentos de forma a atuar na governança e vida econômica (escalonamento da injeção de capital, penalidades etc.) Desenham sistemas de remuneração que proporcionem incentivos apropriados aos empreendedores/gestores (stock options, participação nos lucros, etc.) Envolvem-se ativamente na gestão das investidas (estratégias, operações, network) Preservam mecanismos para garantir liquidez (dividendos, liquidação) Fonte: (Sahlman, 1990) Por que monitorar o investimento? É crucial o monitoramento (Zider, 1998; Shepherd et al. 2005) para: Agregar valor mediante cooperação investidor-investida Minimizar riscos e conflitos de agência e adequação aos estágios da investida Foco da pesquisa

4 Questões chaves da pesquisa sobre monitoramento
Objetivo da pesquisa Questões principais Examinar como o investidor agrega e protege o valor do investimento: Na entrada na investida (“plano de 100 dias”) Na continuidade (monitoramento contínuo) Nas decisões extraordinárias (turnarounds, joint ventures, desinvestimentos) Quão ativamente os gestores de PE/VC se envolvem na gestão de suas investidas no Brasil? Como se dá esse envolvimento?

5 Conteúdo do documento Introdução Características da amostra Adicionando e protegendo valor: a entrada Adicionando e protegendo valor: a continuidade Outras mudanças estratégicas e desinvestimento Conclusões preliminares

6 Representatividade da amostra em comparação com o Censo 1999 - 2004
A amostra representa a maior parte do capital comprometido para investimentos em PE/VC no Brasil... Representatividade da amostra em comparação com o Censo CARACTERÍSTICAS DA AMOSTRA Percentual em relação ao Censo PE/VC Brasil 2005 (GV-CEPE) Número de empresas gestoras de PE/VC Fundos Número de veículos de investimento Censo PE/VC Brasil (GV-CEPE) Censo PE/VC Brasil (GV-CEPE) Amostra 27% Amostra 29% Número de empresas investidas Valor comprometido (US$ bi) Empresas Censo PE/VC Brasil (GV-CEPE) Censo PE/VC Brasil (GV-CEPE) Valor de 2004 Amostra 32% Amostra 77% Valor de 2006

7 ...e também é bastante representativa do ponto de vista das características das empresas investidas
Representatividade da amostra em comparação com o Censo : estágio de desenvolvimento* CARACTERÍSTICAS DA AMOSTRA Percentual de empresas investidas Amostra da pesquisa Censo PE/VC Brasil (GV-CEPE) Seed Capital Seed Capital Private Equity Private Equity Venture Capital Venture Capital *Seed = empresas em estágio pré-operacional; Venture Capital = Start-up e Expansion; Private Equity = Later Stage, Acquisition finance, MBI/MBO, bridge finance e turnaround

8 Representatividade da amostra em comparação com o Censo : modelo de participação acionária CARACTERÍSTICAS DA AMOSTRA Percentual de empresas investidas Amostra da pesquisa Censo PE/VC Brasil (GV-CEPE) Majoritários Majoritários 18% 21% Minoritários com acesso ao controle** Minoritários sem acesso ao controle * Minoritários com acesso ao controle** Minoritários sem acesso ao controle * 23% 14% 59% 65% * Inclui minoritários com ou sem direitos especiais ou poder de veto ** Inclui minoritários com veto e integrantes do bloco de controle

9 Existe correlação entre o estágio de desenvolvimento e o porte do investimento (grandes aportes se concentram em Private Equity); também há correlação entre modelo de propriedade e estágio de desenvolvimento (em Private Equity 80% têm acesso ao controle) Porte do investimento e modelo de propriedade por estágio de desenvolvimento CARACTERÍSTICAS DA AMOSTRA Número e percentual de empresas investidas Porte de investimento por estágio de desenvolvimento Modelo de propriedade por estágio de desenvolvimento Aporte grande* Majoritários Aporte médio** Minoritários com acesso ao controle Aporte pequeno*** Minoritários sem acesso ao controle Seed Capital Venture Capital Private Equity Seed Capital Venture Capital Private Equity * Acima de US$ 10 mi ** Entre US$ 1 mi e US$ 10 mi *** Abaixo de US$ 1 mi

10 Conteúdo do documento Introdução Características da amostra Adicionando e protegendo valor: a entrada Adicionando e protegendo valor: a continuidade Outras mudanças estratégicas e desinvestimento Conclusões preliminares

11 Identificação de focos de intervenção: diagnóstico de áreas funcionais
Os diagnósticos de áreas funcionais não são muito comuns, mas, quando acontecem, é alta a ocorrência na área financeira e controladoria Identificação de focos de intervenção: diagnóstico de áreas funcionais A ENTRADA Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 49 empresas com promoção de contatos pela gestora 100% = 92 empresas com respostas válidas Não houve diagnóstico de áreas funcionais Houve diagnóstico de áreas funcionais No caso das empresas de Seed Capital, houve diagnóstico em 87% das empresas da amostra Financeiro / Controladoria Administrativo RH TI Vendas / Marketing Produção / Operação Pesquisa e desenvolvimento Logística

12 Revisão de metas: freqüência
Revisões das metas originais (elaboradas durante o due diligence) são mais freqüentes quanto menos avançado é o estágio de desenvolvimento da empresa; porém sempre que o investimento é de grande porte ocorrem revisões, independente do estágio Revisão de metas: freqüência A ENTRADA Número e percentual de empresas investidas Houve revisão de metas Não houve revisão de metas Por estágio de desenvolvi-mento* Número de empresas 100% = 92 empresas com respostas válidas Seed Capital 15 Venture Capital 41 36 Private Equity Total: 92 Por porte de investimento** Número de empresas Pequeno 20 Empresas com respos- tas válidas Houve revisão de metas Houve participação da gestora 37 Não houve revisão de metas Não houve participação da gestora Médio baixo Médio alto 28 100% 55% 45% 0% 45% Grande 7 Total: 92 * Seed = empresas em estágio pré-operacional; Venture Capital = Start-up e Expansion; Private Equity = Later Stage, Acquisition finance, MBI/MBO, bridge finance e turnaround ** Pequeno: até US$ 1 mi; Médio baixo: de US$ 1mi a 10 mi; Médio alto: de US$ 10 mi a 50 mi; Grande: acima de US$ 50 mi

13 Revisão de metas: motivos
As revisões de meta, na maioria dos casos em que ocorrem, não são devidas a fatores exógenos à empresa (como mudanças nos cenários competitivo ou econômico), mas dependem essencialmente de motivos “internos” (estratégicos, organizacionais ou de gestão) Revisão de metas: motivos A ENTRADA Percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 41 empresas com revisão de metas nos 100 primeiros dias Mudança na estratégia após o deal closing Necessidade de propor metas desafiadoras à empresa investida Necessidade de desdobra- mento para outros níveis hierárquicos Revisão das capacidades da empresa Mudança no cenário competitivo Aprovação de financiamento Mudança no cenário econômico

14 Descontinuidades de gestão
No período inicial de entrada após o deal closing, as descontinuidades de gestão são mais freqüentes em temas relacionados ao controle, gestão financeira, administrativa e RH das empresas Descontinuidades de gestão A ENTRADA Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 71 empresas com descontinuidades de gestão 100% = 92 empresas com respostas válidas Não houve descontinuidade de gestão Houve descontinuidade de gestão No caso das empresas cujo gestor é líder, houve descontinuidades em 82% das empresas da amostra Controle gerencial Estratégia financeira Estrutura adminis-trativa/RH Estratégia comercial Estratégia de opera-ções/produção Jurídico Exemplos de descontinui-dades: Relatórios Indicado-res de desem-penho Auditoria interna Estrutura de capital de giro Relaciona-mento com bancos Headcount Cargos e funções Produtos Marketing Clientes Processos Venda/ Write-off de ativos Mudança estatutária Política fiscal

15 Os contatos promovidos pelas gestoras apresentam propósitos diferentes de acordo com o estágio de desenvolvimento da empresa investida, “abrindo portas” comerciais às empresas de Seed e Venture Capital e do setor financeiro às empresas de Private Equity Intervenções organizacionais na rede de stakeholders: contatos promovidos pelas gestoras A ENTRADA Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) Seed Capital e Venture Capital Private Equity Empresas de Seed e Venture Capital Seed e Venture Capital: 100% = 47 empresas em que houve contatos promovidos Private Equity: 100% = 27 empresas em que houve contatos promovidos 100% = 56 empresas analisadas Não houve promoção de contatos Houve promoção de contatos Empresas de Private Equity 100% = 36 empresas analisadas Não houve promoção de contatos Com potenciais clientes (fora do portfólio da gestora) Com outras empresas do portfólio da gestora Com bancos ou agentes financeiros Com potenciais fornecedores (fora do portfólio da gestora) Houve promoção de contatos

16 Substituições e/ou complementações de cargos são muito comuns no período de entrada, sobretudo na figura do CFO/Controller Intervenções organizacionais na equipe executiva: cargos substituídos / complementados A ENTRADA Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 61 empresas com substituição/complementação de cargos Ocorrendo substituição, o CFO foi substituído em: 92% no estágio Seed Capital 96% no estágio Private Equity 100% = 92 empresas com respostas válidas Em investimentos em estágio Private Equity, o CEO foi substituído em 50% das empresas que tiveram substituição/complementação Não houve substituição de cargos Substituições focadas em empresas no estágio Private Equity Houve substituição de cargos CFO/ Controller CEO Diretor de Vendas Diretor de Produção/ Operações Diretor de Marketing Diretor de RH Diretor de TI Outro Diretor

17 Conteúdo do documento Introdução Características da amostra Adicionando e protegendo valor: a entrada Adicionando e protegendo valor: a continuidade Outras mudanças estratégicas e desinvestimento Conclusões preliminares

18 Formas de monitoramento
Após o período de entrada, o monitoramento das empresas normalmente não se dá apenas pela participação no conselho, mas também pelo monitoramento de indicadores de desempenho e até alocação de pessoal Formas de monitoramento A CONTINUIDADE Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 85 empresas com participação no conselho e outras formas de monitoramento 100% = 98 empresas com respostas válidas Mais raro em empresas em estágio de Venture Capital (15%) Empresas com respos- tas válidas Monitoramento apenas através de participação no conselho Monitoramento com participação no conselho e outras formas de monitoramento Também monitoramento periódico de indicadores de desempenho Também alocação de pessoal Também reuniões extraordinárias e visitas periódicas Também software de gestão 100% 13% 87%

19 Conselho de administração
A maioria do conselho sob controle dos gestoras de PE/VC é mais freqüente em investimentos de Private Equity (62%); considerando também co-investidores, a obtenção de maioria é também comum em Seed Capital Conselho de administração A CONTINUIDADE Percentual e número de empresas Empresas em que a maioria dos assentos pertence a gestoras de PE/VC Empresas em que a maioria dos assentos pertence a gestoras e co-investidores Número de empresas com respostas válidas Seed Capital Venture Capital Private Equity Total 10 29 29 68 Nota: foram incluídas apenas as empresas que informaram a composição completa do conselho de administração

20 Métricas mais utilizadas
Os indicadores financeiros são utilizados quase sempre mensalmente, enquanto indicadores mercadológicos e sobretudo aqueles de produção, no geral, são utilizados de maneira menos freqüente Métricas mais utilizadas A CONTINUIDADE % de utilização pelas gestoras Acima de 85% De 65% a 85% De 40% a 65% De 15% a 40% Seed Capital Venture Capital Private Equity De 0 a 15% Indicador Mensal 2 a 4 x/ ano Mensal 2 a 4 x/ ano Mensal 2 a 4 x/ ano Financeiros Faturamento EBITDA Burn rate Dívida líquida Capital de giro líquido Mercadoló-gicos Volume de venda Mix de produtos Market share Grau de satisfação dos clientes Produção Volume de produção Lead time Capacidade utilizada Perdas de produção

21 A atuação das gestoras nas empresas investidas após o período de entrada vai além do controle gerencial e financeiro, chegando até à definição da estratégia empresarial e recrutamento/remuneração de pessoal Envolvimento dos gestores em atividades internas das empresas investidas A CONTINUIDADE Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 69 empresas com envolvimento em atividades internas 100% = 99 empresas com respostas válidas Não se envolve em atividades internas Envolve-se em atividades internas Em empresas no estágio de Seed Capital o envolvimento das gestoras chega a 93% Gestão financeira, controle gerencial e auditoria Recrutamento, remuneração Marketing/ Comercial TI Definição da estratégia empresarial Planejamento operacional P&D, inovação, novos produtos Outros

22 Exceto pelo suporte de profissionais externos à empresa, as atividades nas quais a gestora se envolve variam em função do estágio, sendo comum o envolvimento em atividades comerciais em empresas de Seed e Venture Capital e M&A/financeiras em Private Equity Envolvimento dos gestores em atividades com contatos externos às empresas investidas A CONTINUIDADE Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) Seed Capital e Venture Capital Private Equity Seed e Venture Capital: 100% = 43 empresas em que houve contatos promovidos Private Equity: 100% = 26 empresas em que houve contatos promovidos Empresas de Seed e Venture Capital 100% = 56 empresas analisadas Não se envolve em ativida-des externas Envolve-se em atividades externas Empresas de Private Equity 100% = 43 empresas analisadas Não se envolve em ativida-des externas Suporte de consultores/ profissionais legais, tributários, societários, trabalhistas,... Aquisição de outras empresas Negociação com bancos ou agentes financeiros Vendas de unidades operacionais/filiais (spin-offs) Negociação de contratos com clientes chaves Negociação de contratos com fornecedores chaves Envolve-se em atividades externas

23 Conteúdo do documento Introdução Características da amostra Adicionando e protegendo valor: a entrada Adicionando e protegendo valor: a continuidade Outras mudanças estratégicas e desinvestimento Conclusões preliminares

24 Turnaround: ocorrência
Turnarounds mostram-se pouco mais freqüentes no estágio de Venture Capital Turnaround: ocorrência OUTRAS MUDANÇAS ESTRATÉGICAS E DESINVESTIMENTO Número e percentual de empresas investidas Ocorrência por estágio de desenvolvimento* Ocorrência de turnaround Não ocorreu Ocorreu turnaround 100% = 99 empresas analisadas Ocorreu turnaround Não ocorreu Seed Capital Venture Capital Private Equity * Seed = empresas em estágio pré-operacional; Venture Capital = Start-up e Expansion; Private Equity = Later Stage, Acquisition finance, MBI/MBO, bridge finance e turnaround

25 Turnaround: motivo e liderança na execução
Os motivos para turnaround são sobretudo relacionados a questões de mercado e, na maioria dos casos, a gestora se envolve diretamente (61% dos casos) Turnaround: motivo e liderança na execução OUTRAS MUDANÇAS ESTRATÉGICAS E DESINVESTIMENTO Percentual de empresas investidas Área de origem do turnaround Equipe líder do turnaround 100% = 23 empresas com turnaround (possibilidade de múltiplas respostas) 100% = 23 empresas com turnaround Soma = 61% Marketing/ Vendas Finanças Operação RH Equipe da gestora e da empresa investida Apenas equipe da gestora de PE/VC Novo corpo de diretores Apenas equipe da empresa investida Interim Mgmt/ equipe externa

26 Joint venture: ocorrência e motivos
Joint ventures foram pouco freqüentes e, quando ocorreram, deram-se principalmente em empresas em fase de desenvolvimento (Venture Capital), buscando incremento de receita, seja pela melhoria do portfólio de produtos, seja aumentando o mercado de alcance Joint venture: ocorrência e motivos OUTRAS MUDANÇAS ESTRATÉGICAS E DESINVESTIMENTO Número e percentual de empresas investidas (possibilidade de múltiplas respostas) Ocorrência por estágio de desenvolvi-mento* Private Equity Ocorrência de joint venture 100% = 99 empresas analisadas Venture Capital Ocorreu joint venture Motivo para joint venture 100% = 12 empresas em que ocorreram joint ventures Não ocorreu Complementar portfólio Aumentar mercado de alcance Necessidade industrial * Venture Capital = Start-up e Expansion; Private Equity = Later Stage, Acquisition finance, MBI/MBO, bridge finance e turnaround

27 Desinvestimento: momento de ocorrência
Dos 23 casos de desinvestimentos reportados pelos gestores, os investimentos duraram em média de 4 a 5 anos Desinvestimento: momento de ocorrência OUTRAS MUDANÇAS ESTRATÉGICAS E DESINVESTIMENTOS Número de empresas desinvestidas (total = 23 empresas) Média: 51 meses Fora do tempo planejado No tempo planejado Menos de 12 meses De 13 a 24 meses De 25 a 48 meses De 49 a 72 meses Mais de 73 meses

28 Desinvestimento: intensidade e forma
Dos 23 casos de desinvestimentos reportados pelos gestores, os desinvestimentos totais foram a maioria, com alta ocorrência de buy-backs; os desinvestimentos parciais ocorreram freqüentemente sob a forma de IPOs Desinvestimento: intensidade e forma OUTRAS MUDANÇAS ESTRATÉGICAS E DESINVESTIMENTOS Número de empresas desinvestidas Forma de desinvestimento Intensidade Desinvesti-mento total Desinvesti-mento parcial Total Buy-back 8 8 IPO 3 6 9 Outras formas* 6 6 Total 17 6 23 * Outras formas: outro gestor de PE/VC; empresa privada; investidor privado; diretores da empresa investida; write-off; outros

29 Conteúdo do documento Introdução Características da amostra Adicionando e protegendo valor: a entrada Adicionando e protegendo valor: a continuidade Outras mudanças estratégicas e desinvestimento Conclusões preliminares

30 Síntese das Conclusões
A entrada Diagnósticos de áreas nem sempre realizados (53%) e, quando ocorrem, predominam as áreas financeira e de controladoria (92%) Revisões de metas ainda menos freqüentes (45%) e, em geral, motivadas por questões estratégicas à empresa (ex: mudança na estratégia, necessidade de propor metas desafiadoras etc.) Descontinuidades de gestão freqüentes (77%) e relacionadas à gestão administrativa/financeira Contatos promovidos diferenciam-se conforme o estágio de desenvolvimento da empresa investida, “abrindo portas” comerciais às empresas de Seed e Venture Capital e financeiras às empresas de Private Equity Substituições de cargos freqüentes (66%) e concentradas na figura do CFO (85% das substituições) Monitoramento contínuo focado não apenas na participação no conselho, mas envolvendo também o monitoramento periódico de indicadores e até alocação de pessoal da gestora nas empresas investidas Maioria dos assentos no conselho detidas pelas gestoras de PE/VC ocorre com freqüência no estágio Private Equity (62% das empresas) Indicadores de performance financeira (ex: faturamento, EBITDA) monitorados mensalmente, outros indicadores (mercadológicos e sobretudo de produção) monitorados com menor freqüência Alto envolvimento dos gestores na definição da estratégia empresarial, financeira e seleção de pessoas-chave Freqüente o envolvimento das gestoras em contatos externos (comerciais) no estágio Seed e Venture Capital e com o setor financeiro no estágio Private Equity A continuidade

31 Síntese das conclusões (cont.)
Outras mudanças estratégicas e desinvestimentos Turnarounds Baixa ocorrência de turnarounds (23%) e, quando ocorrem: Principalmente por razões mercadológicas Com alto envolvimento dos gestores na sua condução Joint ventures Pouco freqüentes (12%), concentradas no estágio Venture Capital e focadas no crescimento do negócio (aumentando portfólio de produtos e mercado de alcance) Desinvestimentos Tempo médio da empresa investida no portfólio de 4 a 5 anos Predominam os desinvestimentos totais e normalmente ocorrem dentro do tempo planejado: Alta ocorrência de buy-backs nos desinvestimentos totais Alta ocorrência de IPOs nos desinvestimentos parciais


Carregar ppt "Conteúdo do documento Introdução Características da amostra"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google