A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Banco de Dados Prof.: Bruno Rafael de Oliveira Rodrigues.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Banco de Dados Prof.: Bruno Rafael de Oliveira Rodrigues."— Transcrição da apresentação:

1 Banco de Dados Prof.: Bruno Rafael de Oliveira Rodrigues

2 A linguagem declarativa de consulta SQL é um conjunto completo de comandos para definir, acessar e manipular BD, sendo padrão mundial de fato(mesmo SGBDs com linguagem própria, tem interface SQL) e de direito (ISO/IEC) para BD Relacionais.

3 A SQL foi criada para ser amigável. Por ser declarativa seu foco é o resultado. Você diz o que fazer sem precisar navegar por estruturas complexas, o que reduz o código necessário para acessar os dados

4 Algumas características do SQL: Trabalha com várias tabelas. Permite usar o resultado de uma instrução SQL em outra instrução SQL(sub-consultas). É de fácil aprendizado, não necessitando especificar o método de acesso ao dado. Linguagem para vários usuários como:. Linguagem embutida de manipulação de dados: não é uma linguagem de programação completa. Permite uso interativo direto ao BD por meio de um ambiente que faz a interface.

5 Pode ser dividida em 3 conjuntos: Linguagem de Definição de Dados (DDL): inclui comandos para definir, alterar e remover tabelas e índices; Linguagem de Manipulação de Dados (DML): inclui comandos para inserir, remover, atualizar e consultar os dados armazenados nas tabelas; Linguagem de Controle de Dados (DCL): inclui comandos para se trabalhar em ambiente multi-usuário, permitindo estabelecer níveis de segurança e manipular transações.

6 Comandos DDL: CREATE SCHEMA AUTHORIZATION Ou CREATE DATABASE

7 Exemplo: CREATE DATABASE bdcontatos Use bdcontatos

8 CREATE TABLE ( [[NOT] NULL][DEFAULT ][UNIQUE] [{, [[NOT] NULL][DEFAULT ][UNIQUE]}],[CONSTRAINT ] PRIMARY KEY ( ) [{,[CONSTRAINT ] FOREIGN KEY ( ) REFERENCES (NomeColunasReferencia) [ON UPDATE [RESTRICT|CASCADE|SET NULL]]}] [,[CONSTRAINT ] UNIQUE KEY ( )]);

9 Exemplo: CREATE TABLE contatos( codigo INTEGER NOT NULL AUTO_INCRIMENT, nome VARCHAR(65), telefone VARCHAR(14), VARCHAR(100) UNIQUE, sexo CHAR(1), nascimento DATE, PRIMARY KEY(codigo) );

10 Alguns Tipos de Dados Smallint a Integer ou INT a Decimal (n,m)numéricos com no máximo 15 dígitos cuja precisão é fornecida pela implementação do SGBD. REALponto flutuante de precisão simples DOUBLEponto flutuante com precisão dupla FLOAT(n)especifica a precisão desejada Varchar(n)campos alfanuméricos de até 255 caracteres CHAR(n)alfanumérico de até 255 caracteres DATEno (4 dígitos), mês e dia (2 dígitos cada) TIMEhora (2 dígitos), minuto (2 dígitos) e segundo (2 dígitos, podendo ter frações de 0 a ) TIMESTAMPDATE mais o TIME num único tipo. BooleanoTRUE, FALSE e UNKNOWN

11 A integridade relacional é garantida pelo BD e não pelo aplicativo. Chave estrangeira: FOREIGN KEY ( ) REFERENCES( )

12 Exemplo:

13 ON DELETE: apaga-se um registro na tabela pai e tiver ao menos um registro correspondente nas tabelas filhas

14 Podendo ser: RESTRICT (restrita): opção default (padrão): não exclui a linha se houver chaves estrangeiras que a referenciem. CASCADE (em cascata): se excluir uma linha da tabela pai, então serão apagadas todas as linhas das tabelas filhas que referenciam seu valor como chave estrangeira. SET NULL: o valor da chave a ser excluído na tabela pai. Só é válido para chaves estrangeiras alternativas. SET DEFAULT: remover a linha na tabela pai implica em colocar valores predefinidos (defaults) nos atributos da chave estrangeira de cada linha da tabela filha com o mesmo valor de chave estrangeira da chave primária da tabela pai.

15 ON UPDate: atualiza um registro na tabela pai e tiver ao menos um registro correspondente nas tabelas filhas. - Cascade: propagar a alteração da chave primária para as chaves estrangeiras que a referenciam. - Set NULL: a chave estrangeira que referencia a linha alterada terá valor nulo. Válido só para chaves estrangeiras alternativas. - RESTRICT: a chave primária não pode ser alterada, se houver chaves estrangeiras que a referenciem.

16 Comando Drop table Elimina completamente a definição da tabela Não há como recuperar uma tabela após ela ser eliminada. Sintaxe: DROP TABLE [CASCADE|RESTRICT];

17 Comando ALTER TABLE Acrescenta, altera, retira atributos e muda nomes, formatos das colunas e integridade referencial definidas na tabela.

18 ALTER TABLE {DROP { [{, }|CONSTRAINT ]}| {ADD [[NOT] NULL][SET DEFAULT ]| [CONSTRAINT especificação]}} [{RENAME }] [RENAME TABLE ] [MODIFY [[NOT] NULL][WITH DEFAULT]] [ADD [CONSTRAINT especificação] PRIMARY KEY ] [DROP PRIMARY KEY ] [{ADD [CONSTRAINT especificação] FOREIGN KEY (NomeColunaChaveEstrangeira) REFERENCES (NomeTabelaPai) [ON DELETE [RESTRICT|CASCADE|SET NULL]]}] [{DROP FOREIGN KEY (NomeColChaveEstrang) REFERENCES(NomTabelPai)}];

19 Exemplo: ALTER TABLE contatos add celular varchar(14)

20 Pratique: No MySQL gere as tabelas abaixo:


Carregar ppt "Banco de Dados Prof.: Bruno Rafael de Oliveira Rodrigues."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google