A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Independência do Brasil Unidade 6 Temas 1 a 3. Fatores da independência Independência dos Estados Unidos. Revolução Francesa. Iluminismo. Pacto colonial.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Independência do Brasil Unidade 6 Temas 1 a 3. Fatores da independência Independência dos Estados Unidos. Revolução Francesa. Iluminismo. Pacto colonial."— Transcrição da apresentação:

1 Independência do Brasil Unidade 6 Temas 1 a 3

2 Fatores da independência Independência dos Estados Unidos. Revolução Francesa. Iluminismo. Pacto colonial. Interesses ingleses no comércio colonial. Aumento do controle português sobre a colônia (crise do comércio do açúcar e do Oriente).

3 AS REGRAS DO PACTO COLONIAL COLÔNIA Matérias-primas Gêneros Tropicais BRASIL Garantir lucros para Metrópole Produtos com alto valor comercial PACTO COLONIAL METRÓPOLE Produtos manufaturados Escravos PORTUGAL

4 Aumento do controle Impôs várias restrições aos navios coloniais, para evitar contrabando. Maior controle na região das Minas. Contradição: desenvolvimento de um mercado interno. Produtores insatisfeitos. Pacto Colonial Incompatível com a nova realidade

5 ERA POMBALINA Marquês de Pombal: Ministro de Estado dos Negócios da Marinha e dos Domínios Ultramarinos Crescimento da das indústrias, do comércio e da produção agrícola decorreria da exploração da colônia e controle do contrabando. Declínio da mineração

6 AS MEDIDAS TOMADAS POR POMBAL Fortalecer o exclusivo comercial metropolitano Cobrança de no mínimo cem arrobas anuais de ouro. Companhias Comerciais: monopólio da navegação e do comércio Transferência da capital de SALVADOR para RIO DE JANEIRO Enriquecimento de produtores rurais: cacau, couro, algodão, tabaco Obrigação do uso do idioma português

7 DESCONTENTAMENTO DOS COLONOS Pombal foi incapaz de impedir a crise colonial Inglaterra após Revolução Industrial precisa escoar seus produtos Contrabando aumentou e produtos ingleses na Colônia A metrópole intensifica o controle para o DESCONTENTAMENTO DOS COLONOS

8 Causas da Inconfidência Com o esgotamento das jazidas de ouro, os colonos tinham grandes dificuldades em cumprir a exigência das cem arrobas anuais. Portugal, inconformado com a diminuição dos lucros, resolveu empreender um novo imposto: a derrama (cobrança dos impostos atrasados). Sua arrecadação era feita pelo confisco de bens e propriedades que pudessem ser de interesse da Coroa.

9 Conspiração em Minas as elites intelectuais e econômicas da região mineradora, influenciadas pelo iluminismo, começaram a se articular em oposição à dominação portuguesa. No ano de 1789, um grupo de poetas, profissionais liberais, mineradores e fazendeiros tramavam tomar controle de Minas Gerais. O plano seria colocado em prática na data marcada para a cobrança da derrama. Entre os inconfidentes estavam poetas como Cláudio Manoel da Costa e Tomas Antonio Gonzaga; os padres Carlos Correia de Toledo, o coronel Joaquim Silvério dos Reis; e o alferes Tiradentes, um dos poucos participantes de origem popular dessa rebelião.

10 Estamos, disse, em uns países novos, Onde a polícia não tem ainda entrado, Pode o rigor deixar desconcertado O bom prelúdio desta grande empresa. Convém que antes que os meios da aspereza Se tente todo o esforço de brandura. Não é destro cultor, o que procura Decepar aquela árvore, que pode Sanar, cortando um ramo, si lhe acode Com sábia mão a reparar o dano; Para se radicar do soberano O conceito, que pede a autoridade, Necessária se faz uma igualdade De razão e discurso; quem duvida, Que de um cego furor corre impelida A fanática idéia desta gente? Que a todos falta um condutor prudente Estamos, disse, em uns países novos, Onde a polícia não tem ainda entrado, Pode o rigor deixar desconcertado O bom prelúdio desta grande empresa. Convém que antes que os meios da aspereza Se tente todo o esforço de brandura. Não é destro cultor, o que procura Decepar aquela árvore, que pode Sanar, cortando um ramo, si lhe acode Com sábia mão a reparar o dano; Para se radicar do soberano O conceito, que pede a autoridade, Necessária se faz uma igualdade De razão e discurso; quem duvida, Que de um cego furor corre impelida A fanática idéia desta gente? Que a todos falta um condutor prudente Que os dirija ao acerto? Quem ignora Que um monstruoso corpo se devora A si mesmo, e converte em seu estrago O que pensa e medita? Ao brando afago Talvez venha ceder: e quando abuse Da brandura, e obstinados se recuse A render ao meu Rei toda a obediência, Então porei em prática a violência; Farei que as armas e o valor contestem O bárbaro atentado; e que detestem A preço do seu sangue a torpe idéia. Disse; e deixando a todos a alma cheia De uma nobre esperança, já passava A saber de Garcia, nem lhe dava Notícia dele algum dos três Pereiras." (Vila Rica, Canto VII)

11 Ideias Mesmo tendo caráter separatista, os inconfidentes não pretendiam: a independência da nação brasileira, apenas da capitania de Minas Gerais. dar fim à escravidão africana. CONTRADIÇÃO DO MOVIMENTO Fundação de uma universidade em Vila Rica Desenvolvimento de manufaturas têxtis e da siderurgia Perdão de todas as dívidas com a Fazenda Real

12 Conjuração Baiana – MOVIMENTO POPULAR A Conjuração Baiana pretendia alcançar a independência do domínio português com uma sociedade igualitária. Esse movimento, também chamado de Revolta dos Alfaiates foi uma conspiração articulada por pequenos comerciantes e artesãos, destacando-se os alfaiates, além de soldados, religiosos, intelectuais, e setores populares. Em agosto de 1798 começam a aparecer nas portas de igrejas e casas, panfletos que pregavam um levante geral e a instalação de um governo democrático, livre e independente.

13 Diferenças A participação popular e o objetivo de emancipar a colônia e abolir a escravidão, marcam uma diferença desse movimento em relação à Inconfidência Mineira, que marcada por uma composição social mais elitista, não se posicionou formalmente em relação ao escravismo.

14 Nas ruas As ruas de Salvador foram tomadas pelos revolucionários Luiz Gonzaga das Virgens e Lucas Dantas que iniciaram a panfletagem como forma de obter mais apoio popular e incitar à rebelião. Os panfletos difundiam pequenos textos e palavras de ordem, com base naquilo que as autoridades coloniais chamavam de "abomináveis princípios franceses".

15 P.153 (1,2 E 3) P.158 (1E 3) TAREFA


Carregar ppt "Independência do Brasil Unidade 6 Temas 1 a 3. Fatores da independência Independência dos Estados Unidos. Revolução Francesa. Iluminismo. Pacto colonial."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google