A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Página 138/139 – cap: 09 Desembarque de Navio Negreiro no Recife.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Página 138/139 – cap: 09 Desembarque de Navio Negreiro no Recife."— Transcrição da apresentação:

1 Página 138/139 – cap: 09 Desembarque de Navio Negreiro no Recife

2 No Recife. Domingo, 16 de Fevereiro de Desde que estou em Pernambuco tenho visto chegar um grande numero de navios negreiros da costa d´Africa e de Moçambique. Postas de parte todas as considerações políticas, este espectáculo é bem próprio para despertar a curiosidade do Europeu. As embarcações empregadas neste commercio são de 200 a 400 toneladas; os escravos são amontoados no porão, e, acorrentados juntos; o alimento consiste em farinha de mandioca cozida com feijões; como vestuário trazem apenas uma tanga ; exhalam um fétido nauseabundo, assaz incommodo para perturbar o repouso das tripolações dos outros navios fundeados junto delles.

3 Os captivos celebram por meio de cantos e de palmas a entrada do navio no porto; não esperam, portanto, encontrar em terra um tratamento mais rigoroso do que o que experimentaram no seu paiz e á bordo. Os carregamentos, em geral, se compõem approximadamente de 1/10 de homens feitos ; 2/10 de mulheres de 18 a 25 annos, e o resto de crianças de ambos os sexos. Semelhantes carregamentos não apresentam probabilidades de revolta. Ha regulamentos que prescrevem o numero de escravos que os navios, de accordo com a sua tonelagem, podem transportar ; mas, são illudidos como quasi todas as leis portuguezas. Vi um pequeno navio, de 150 toneladas, vir da Angola com 340 escravos. As embarcações de 200 a 250 toneladas trazem de 400 a 500, mesmo vindo de Moçambique.

4 A travessia da costa d´Africa é muito curta; vi-a ser feita em 13 dias ; nestes casos a mortalidade é quasi nulla. Um negreiro de Moçambique que perde 10 % do seu carregamento é considerado como tendo feito uma boa viagem. Ao chegarem no Recife os negros devem ser depositados em um logar chamado Santo Amaro, designado pela autoridade para nelle fazerem quarentena, serem visitados e tratados pelos médicos; mas, esta sabia disposição é ainda quasi inteiramente desdenhada. Os negros são desembarcados, por chalupas, em Santo Amaro, mas vêm quasi logo depois, por terra, para a cidade. São expostos á venda nas ruas do Recife diante das casas dos seus senhores.

5 Veem-se ali 400 a 500 juntos, acocorados sobre tábuas; empestam o bairro todo, tanto quanto repugnam á vista pelas pústulas e outras moléstias de pelle de que um grande numero está affectado; estão sortidos nestes mercados por lotes de homens, mulheres, moleques e molecas. Todas as manhãs os conduzem ao mar para se banharem. A' tarde são fechados em armazéns, não com receio de que se evadam onde iriam parar estes pobres miseráveis que não sabem a lingua da terra mas, com medo de que não sejam furtados, cousa, dizem, assaz frequente. Alguns negros da sua nação, já habituados ao Brasil, vêm conversar com elles; os senhores aprovam este intercurso, que dá confiança aos recemchegados. Vi senhores que enviavam a ter com elles um negro folgasão e jovial para os excitar a cantar e mesmo a dansar. Já disse que este espectáculo lastimoso raramente apresentava scenas de dôr ou de desespero. Estes desgraçados serão insensíveis ou simularão sêl-o? E' o que não posso penetrar.

6

7

8


Carregar ppt "Página 138/139 – cap: 09 Desembarque de Navio Negreiro no Recife."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google