A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Corrêa, M. D. V.*; Leite, M. O.** Ribeiro;A. F. S. *** *Michelle Diniz Vidal Corrêa Pós Graduanda do Curso de Gestão, Qualidade e Segurança Alimentar –

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Corrêa, M. D. V.*; Leite, M. O.** Ribeiro;A. F. S. *** *Michelle Diniz Vidal Corrêa Pós Graduanda do Curso de Gestão, Qualidade e Segurança Alimentar –"— Transcrição da apresentação:

1 Corrêa, M. D. V.*; Leite, M. O.** Ribeiro;A. F. S. *** *Michelle Diniz Vidal Corrêa Pós Graduanda do Curso de Gestão, Qualidade e Segurança Alimentar – (COPEP-UBM), Barra Mansa, RJ, Brasil. **Marilene de Oliveira Leite, Doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Coordenadora do Curso de Pós Graduação em : Gestão, Qualidade e Segurança Alimentar (COPEP-UBM), Barra Mansa, RJ. Brasil. ***Amós Felix da Silva Ribeiro, Graduando em Curso de Nutrição ( UBM), Barra Mansa, RJ. Brasil. CURSO DE NUTRIÇÃO – UBM, Rua Vereador Pinho de Carvalho 267, Barra Mansa – RJ, Brasil. PREVENÇÃO DE SÍNDROME METABÓLICA EM COLABORADORES DE UMA MICRO EMPRESA DA REGIÃO SUL FLUMINENSE: UMA PREOCUPAÇÃO Introdução A síndrome metabólica (SM) representa um conjunto de fatores de riscos de origem metabólica que promovem o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e de diabetes mellitus (DM) tipo 2 Independentemente do grupo ou entidade que define a SM, os fatores de risco são praticamente os mesmos; obesidade (especialmente a obesidade abdominal), níveis pressóricos elevados, distúrbios no metabolismo da glicose e hipertrigliceridemia e/ou baixos níveis de HDL colesterol (STEEMBURG et al., 2007). Medidas não- medicamentosas são a primeira atitude a ser tomada, buscando uma mudança de estilo de vida centrado em atividade física regular e uma dieta balanceada (BRANDÃO et al., 2005). A ingestão de fibras dietéticas (fibras insolúveis, celulose, hemicelulose e lignina e fibras solúveis, a pectina) encontradas, principalmente, em cereais, leguminosas e frutas é uma alternativa para a redução dos fatores de riscos para as doenças cardiovasculares (DVC) e metabólicas (QUEIROZ et al., 2010). Resultados e Discussão O grupo de colaboradores apresentaram valores de pressão arterial (64% normotensos, 23% hipertensos moderado, 14% hipertensos leve) ( fig.1), Trigicerídeos ( 69,5% bom, 13% limítrofe e 17,5% alto) mg/dl) glicemia ( 91,5% normal e 8,5% hipoglicemia) (fig.2), Colesterol total (69,6% bom, 21,7% limítrofe 8,7% alto) ; valores de IMC ( 38% eutrofia, 33% pré obesidade, 21% obesidade I e 8% obesidade grau II) (fig.3). Esses valores mostram uma relação elevada sinalizando desenvolvimento da SM. Todos fazem uso de bebida alcoólica regularmente. Não praticam nenhuma atividade física.Após o 3º mês 86% dos colaboradores apresentaram melhora do quadro glicêmico, 69% reduziram pressão arterial e 100% conseguiram reduzir algum percentual em peso (fig. 4 e 5). A empresa Elektro investiu em ações para diminuir os Indicadores Críticos de Saúde constatados nos exames médicos de 2003: metade de seus colaboradores apresentava sobrepeso, outros 15% eram obesos, 42% registravam colesterol alto e 35% estavam com triglicérides alto, enquanto que a hipertensão atingia 10% dos funcionários. Objetivo Geral Metodologia Trata-se de um estudo investigativo descritivo. Coletou-se de 13 prontuários dados como:hábitos de vida, exames laboratoriais (bioquímico sanguíneo de: Triglicerídeos, Colesterol total, Glicemia de Jejum) de um único exame laboratorial e três valores de aferência de pressão arterial, e composição corporal (peso (kg) e estatura (m)), lançados em 03/06/2011, 06/07/2011 e 05/08/2011. Coletar dados em prontuários, de um grupo de colaboradores de uma micro empresa estabelecidos conforme os critérios de diagnóstico de exames de rotina com vista a prevenção de Síndrome Metabólica. Referência Bibliográfica BRANDÃO, A.P.; BRANDÃO, A.A.; BERENSON, G.S.; FUSTER, V. Síndrome metabólica em crianças e adolescentes. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Volume 85, Nº 2, Agosto, STEEMBURGO, T.; DALL'ALBA, V.; GROSS, J. L.; AZEVEDO, M. J. Fatores dietéticos e síndrome metabólica. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. Vol.51, n.9, pp , QUEIROZ, M.S.R.; JANEBRO, D.I.; SABAA-SRUR, A.U.O.; CUNHA, M.A.L; DINIZ, M.F.F.M.1. Análise dos componentes da síndrome metabólica antes e após a suplementação dietética com farinha da casca do maracujá, em pacientes diabéticos. RBAC. Vol. 42, n3, p , PRESSÃO ARTERIAL Conclusão Conclui-se que as empresas têm dado valor significativo à qualidade de vida dos seus colaboradores, e tendo em vista as necessidades em específico deste grupo, buscou-se realizar algumas sugestões de hábitos saudáveis palpáveis a sua realidade através de uma reeducação alimentar individualizada através de acompanhamento de nutri- cionista com visitas regulares, a fim de consumir alimentos mais saudáveis e menos calóricos e acompanhamento do peso; envolvendo uma equipe multidisciplinar cen- trado na mudança dos hábitos de vida. IMC GLICOSE AJS – 57 anos FIGURA – 1 PRESSÃO ARTERIAL FIGURA -2 GLICOSE FIGURA -3 IMC FIGURA 4 - EVOLUÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL EM 03 MESESFIGURA 4 - EVOLUÇÃO IMC EM 03 MESES


Carregar ppt "Corrêa, M. D. V.*; Leite, M. O.** Ribeiro;A. F. S. *** *Michelle Diniz Vidal Corrêa Pós Graduanda do Curso de Gestão, Qualidade e Segurança Alimentar –"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google