A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Disciplina: Tomada de Consciência: o caminho do fazer ao compreender Professor: Fernando Becker Alunas: Deisi Bohm, Graziela Souza e Scheila Ludke Ano/Sem.:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Disciplina: Tomada de Consciência: o caminho do fazer ao compreender Professor: Fernando Becker Alunas: Deisi Bohm, Graziela Souza e Scheila Ludke Ano/Sem.:"— Transcrição da apresentação:

1 Disciplina: Tomada de Consciência: o caminho do fazer ao compreender Professor: Fernando Becker Alunas: Deisi Bohm, Graziela Souza e Scheila Ludke Ano/Sem.: 2010/1 * PIAGET, Jean. [1974] Fazer e Compreender. São Paulo: Melhoramentos/Edusp. Conclusões Gerais, Item III, p.179 – 183. DA PERIFERIA PARA O CENTRO E O PAPEL DO FUTURO *

2 P C C S O Subjetividade Objetividade

3 A ultrapassagem da ação pela conceituação [...] não modifica em nada as relações entre a periferia e os dois centros C e C, nem as relações de equilíbrio entre os progressos em direção à interiorização lógico-matemática e em direção à exteriorização de explicação causal [...] Item 1

4 Observações: 1) Se pode explicar a ultrapassagem da ação pela conceituação (domínio dos sucessos pelo das razões) invocando a capacidade adquirida pelo indivíduo de construir indefinidamente novas operações sobre as precedentes, isso não significa que haja aí construções puras sem referência a um movimento retrospectivo que leve novamente da periferia para os centros das estruturações operatórias.

5 Cada nova construção se apóia, em seu ponto de partida, sobre elementos que são retirados dos níveis anteriores por abstrações por reflexões. Abstração por Reflexão: já consiste em pesquisar nos mecanismos formadores e em aproximar-se assim das regiões mais centrais. Abstrações Reflexas: Reflexão consciente.

6 2) Processo de explicação causal = ao que se constata na direção da exteriorização: - Partindo dos fenômenos mais aparentes para procurar sua razão: deslocar o problema; levantá-lo novamente a propósito da explicação encontrada; -Partindo de um modelo A: que explica o fenômeno periférico P, isolando a razão, tratar-se-á de encontrar o porquê ou o como de tal transformação invocada no modelo A, donde a necessidade de um modelo B relacionado a um dos aspectos de A. -E assim por diante, com uma alternância sem fim dos porquê e dos como. -Essa seqüência de razões atinge, por aproximações sucessivas as regiões centrais (C), o objeto.

7 Ora [...]mesmo nas regiões onde a conceituação ultrapassa amplamente a ação e inspira suas minúcias [...] há correlação constante entre os progressos da interiorização (em direção a C) e os da exteriorização (em direção a C); Ora são as estruturas e os operadores construídos pelo pensamento autônomo do matemático que servem imediatamente como instrumentos explicativos na física; Ora é a descoberta de novos fatos experimentais, que levantam problemas para o teórico e levam à construção (por reconstrução) de novos instrumentos matemáticos. Fatos notáveis:

8 Prolongamento espetacular desse constante equilíbrio entre os movimentos de interiorização e de exteriorização, que se pode perceber desde seu início mais modesto, no caso das estruturas operatórias e das explicações causais baseadas nas ações experimentais das crianças.

9

10

11 Referências PIAGET, Jean. [1974] Fazer e Compreender. São Paulo: Melhoramentos/Edusp. Conclusões Gerais, Item III, p.179 – 183.


Carregar ppt "Disciplina: Tomada de Consciência: o caminho do fazer ao compreender Professor: Fernando Becker Alunas: Deisi Bohm, Graziela Souza e Scheila Ludke Ano/Sem.:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google