A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ATEROSCLEROSE Heitor A. Paula Neto. ATEROSCLEROSE 1. Definição 2. Fisiopatologia 3. Fatores de risco colesterol (LDL vs HDL) diabetes hipertensão tabagismo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ATEROSCLEROSE Heitor A. Paula Neto. ATEROSCLEROSE 1. Definição 2. Fisiopatologia 3. Fatores de risco colesterol (LDL vs HDL) diabetes hipertensão tabagismo."— Transcrição da apresentação:

1 ATEROSCLEROSE Heitor A. Paula Neto

2 ATEROSCLEROSE 1. Definição 2. Fisiopatologia 3. Fatores de risco colesterol (LDL vs HDL) diabetes hipertensão tabagismo 4. Complicações angina estável claudicação infarto agudo derrame necrose de extremidades aneurisma 5. Tratamento dietoterapia fatores de risco farmacológico angioplastia pontes 6. Restenose 7. Paradoxo Mediterrâneo

3 DEFINIÇÃO

4 Doença inflamatória das artérias elásticas (aorta, carótida e ilíaca) e musculares (coronária e poplítea); Caracterizada por deposição de lipídeos (colesterol) na íntima, reação fibrosa- inflamatória e diminuição da luz dos vasos;

5

6 FISIOPATOLOGIA

7 DEPOSIÇÃO DE COLESTEROL NA ÍNTIMA OXIDAÇÃO DO COLESTEROL POR RADICAIS LIVRES DE OXIGÊNIO INFLAMAÇÃO E REMODELAMENTO infitração de macrófagos; proliferação e migração de células musculares; deposição de colágeno e matriz FORMAÇÃO DA PLACA DE ATEROMA

8 CAPA FIBROSA CENTRO NECRÓTICO ateroma PLACA DE ATEROMA

9 FATORES DE RISCO

10 COLESTEROL - Colesterol é o principal componente lipídico da placa de ateroma - Níveis aumentados de colesterol (LDL principalmente) estão associados a aumentos no risco de doenças cardíacas - Diminuição nos níveis de colesterol diminui os riscos de doenças cardíacas

11 quilomicron VLDL triglicerídeos colesterol HDL colesterol LDL triglicerídeos colesterol lipoproteina lipase COLESTEROL Total: 200mg/dL (5.2mM) LDL: 100mg/dL (2.6mM)

12 COLESTEROL - LDL é o “mau colesterol” faz o transporte de colesterol para os tecidos mais diretamente associado a risco cardíaco maior potencial aterogênico mais suscetível a deposição - HDL é o “bom colesterol” faz o transporte reverso de colesterol potencial anti-aterogênico potencial terapêutico em estudo

13 DIABETES Incidência de aterosclerose até 40 anos: - 5% não diabéticos - 45% diabéticos. Hiperlipidemia;. HDL;. glic-LDL (favorece deposição);. glic-colágeno (favorece deposição);. Obesidade;. Hipertensão

14 HIPERTENSÃO Toda a superfície dos vasos está exposta aos fatores pró-aterogênicos. No entanto, a distribuição das lesões não é uniforme e é fortemente influenciada por fatores hemodinâmicos. Aparecimento principalmente em locais de fluxo perturbado. Hipertensão pode agravar o potencial pró-aterogênico dos fatores hemodinâmicos TABAGISMO Aumento da incidência em tabagistas Aumento da expectativa de vida e diminuição da incidência após abandono Possível papel para compostos tóxicos e aumento da geração de espécies reativas de oxigênio

15 COMPLICAÇÕES CLÍNICAS

16 CLÍNICA / DIAGNÓSTICO - Sinais clínicos pouco evidentes – doença silenciosa pode-se ter até 75% de diminuição da luz sem manifestações clínicas aparentes - Manifestação clínica só aparece pelas complicações - Avaliação rotineira e periódica da circulação dos grandes vasos. Ressonância. Doppler. Cateterismo - Atenção aos fatores de risco - prevenção As manifestações clínicas da aterosclerose são decorrentes da diminuição da luz ou oclusão do vaso e comprometimento do aporte sangüineo para os tecidos São variáveis em sintomatologia e gravidade dependendo da extensão e local da lesão

17 ANGINA ESTÁVEL - Dor no peito durante ou após atividade física indicativo de aporte sanguíneo comprometido para o tecido cardíaco - Sem manifestações em repouso CLAUDICAÇÃO - Dor nas pernas e dificuldade de andar indicativo de má perfusão de membros inferiores

18 FORMAÇÃO DA PLACA DE ATEROMA DIMINUIÇÃO DA LUZ DO VASO FRAGILIDADE DA PLACAFRAGILIDADE DA PAREDE ATIVAÇÃO DO SISTEMA DE COAGULAÇÃO ROMPIMENTO DA PLACA ANEURISMA CALCIFICAÇÃO

19 Rompimento da placa expõe uma superfície altamente trombogênica (fator tecidual, fosfatidilserina, colágeno)

20 INFARTO / AVC - Desprendimento de trombo a partir da placa ou da placa propriamente, ocasionando oclusão de artérias menores, isquemia tecidual e necrose - infarto - Infarto agudo do miocárdio - Acidente Vascular Cerebral

21 NECROSE DE EXTREMIDADES - Desprendimento de trombo a partir da placa ou da placa propriamente, ocasionando oclusão de artérias menores, isquemia tecidual e necrose - infarto

22 ANEURISMA - Fragilidade da parede do vaso em decorrência do aumento de pressão (congestão) local - Susceptível a rompimento e hemorragias graves, choque e morte

23 TRATAMENTO

24 TRATAMENTO CONSERVADOR Dietoterapia Eliminação dos fatores de risco Controle farmacológico do colesterol Controle dietético/farmacológico do Diabetes... TRATAMENTO INVASIVO Angioplastia TRATAMENTO CIRÚRGICO Pontes

25 DIETOTERAPIA E FATORES DE RISCO - Manutenção dos níveis de colesterol e triglicerídeos por alteração da dieta - Tratamento da hipertensão - Tabagismo - Atividade física - Diabetes controlada

26 FARMACOLÓGICO (STATINAS) Inibidores da síntese de colesterol

27 ANGIOPLASTIA BALÃO STENT

28 PONTES Enxerto de parte de um vaso para substituição do trecho obstruído da coronária - safena; - mamária - radial

29 RESTENOSE RE-ESTENOSE: reoclusão do trecho desobstruído por reação inflamatória em resposta a angioplastia Utilização de stents farmacológicos (drogas imunossupressoras)

30 PARADOXO MEDITERRÂNEO (FRANCÊS) - Dieta rica em gorduras animais e colesterol (manteiga e queijos) - Incidência relativamente baixa de doenças cardíacas - Consumo diário moderado de vinho tinto Estudos mostram a presença de compostos anti-aterogênicos e anti-oxidantes no vinho Derivados da casca da uva – polifenóis e resveratol

31


Carregar ppt "ATEROSCLEROSE Heitor A. Paula Neto. ATEROSCLEROSE 1. Definição 2. Fisiopatologia 3. Fatores de risco colesterol (LDL vs HDL) diabetes hipertensão tabagismo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google