A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aparelho urinário 2006/2007 João Alpendre Serviço Universitário de Radiologia do Hospital Pulido Valente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aparelho urinário 2006/2007 João Alpendre Serviço Universitário de Radiologia do Hospital Pulido Valente."— Transcrição da apresentação:

1 Aparelho urinário 2006/2007 João Alpendre Serviço Universitário de Radiologia do Hospital Pulido Valente

2 TÉCNICAS RADIOLÓGICAS TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ECOTOMOGRAFIA RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDÓMEN OUTRAS TÉCNICAS (urografia de eliminação….) ORDEM?

3 TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA

4 Lembrar a anatomia Linhas de referência Densidades básicas Ar Gordura Água Músculo Cálcio TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA

5 Rins Topografia: Retroperitoneais Na metade superior do abdómen Envoltos pela gordura perirrenal e fascia perirrenal

6 Relações com outros órgãos: Face posterior: Segmento diafragmático: Diafragma, 2 últimos arcos costais Segmento lombar: psoas, quadrado lombar, aponevrose do transverso; grande dorsal e massa comum paravertebral

7 Face anterior: RD: Fígado (fundo saco peritoneal hepato-renal); Ângulo hepático; duodeno

8 RE: Baço e cauda do pâncreas, ângulo esplénico, ansas delgado

9 Contorno interno: Hilo: pedículo vascular (vasos, nervos, bacinete, uretero)

10 POLOS Glândulas Supra-renais Adjacentes ao polo superior de cada rim rodeadas pela gordura peri-renal

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22 Orientação: Oblíquos para baixo, fora e diante, empurrados pelo psoas que aumenta o seu diâmetro inferiormente. O psoas condiciona também a rotação de 30º ao longo do eixo crânio- caudal

23

24 Morfologia: Forma de feijão. Grande eixo crânio-caudal Duas faces convexas, anterior e posterior Dois contornos, externo(convexo) e interno (côncavo),cujo centro é o hilo do órgão Dois pólos, superior e inferior cm diâmetro bipolar

25 Estrutura Cápsula Parênquima renal: Cortex Medula Seio renal

26

27

28

29

30 UROGRAFIA DE ELIMINAÇÃO

31

32

33 ÁRVORE EXCRETORA

34

35

36

37

38 Vasos

39

40 TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA Vantagens Resolução espacial Resolução de contraste Desvantagens Função Histologia Radiação, contraste Não é em tempo real Bexiga

41 TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA Indicações Caracterização de massas renais Estadiamento de massas renais Litíase do aparelho urinário Traumatismos Patologia vascular (estenose artéria renal, trombose venosa) Intervenção Contra-indicações Contraste Radiação

42 Lembrar a anatomia Nível do corte Plano anatómico Sinais nas diferentes ponderações Ar, cálcio (sempre hiposinal) Água (hipo sinal T1, hipersinal T2) Gordura (forma grosseira hiper sinal, à excepção na saturação) Músculo (isosinal) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

43 T1

44 T1 com supressão gordura

45 T2

46 T1 com gadolínio e saturação de gordura, fase nefrográfica cortico-medular

47 T1 com gadolínio e saturação de gordura, fase nefrográfica

48

49

50 RESSONÂNCIA MAGNÉTICA Vantagens Sem radiação ionizante Não usar contraste iodado Maior resolução tecidular Desvantagens Campo magnético Dispendiosa/menos acessível/demorada/hábito Litíase

51 RESSONÂNCIA MAGNÉTICA Indicações: Habitualmente utilizada em doentes com contra-indicações à utilização de contraste iodado Estudo pélvico Contra-indicações: Pace-maker…

52 Cortes sagitais e axiais Parênquima (cortical e medular) Seio renal Ecogenicidades Anecogénico (urina); hipoecogénico; isoecogénico (parênquima); hiperecogénico (seio renal) ECOTOMOGRAFIA

53 Vantagens: Acessibilidade Portátil Caracterização sólido/líquido Tempo real Sem contraste ev Sem radiação Bexiga Desvantagens Dependente do examinado (janela, colaboração) Dependente do operador Reprodutibilidade Função Uretero

54 ECOTOMOGRAFIA Indicações Dimensões, topografia Dilatação da árvore excretora Caracterização sólido/líquido Estudo pélvico Intervenção Contra-indicações Não tem

55 RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDÓMEN Na metade superior do abdómen Envoltos pela gordura perirrenal Permitindo a sua visualização no RX Polo superior do RE-espaço intervertebral D11-D12 (expiração e decúbito dorsal) Polo inferior do RD-contorno superior de L3 RE 1cm acima do RD (fígado)

56 RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDÓMEN LIMITAÇÕES ÓBVIAS INDICAÇÃO: 1 LITÍASE

57 LESÕES RENAIS OCUPANDO ESPAÇO

58

59

60

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70 CÓLICA RENAL DIREITA

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80 HOMEM IDOSO, INTERNADO POR IRA

81

82

83

84 Doente com hematúria total

85

86

87

88 OBSTRUCAO CRÓNICA

89 TRAUMA

90 DOENTE COM HIPERTENSÃO ARTERIAL CONTROLADA COM 4 ANTI-HIPERTENSIVOS

91 LESÕES VASCULARES

92

93

94 DOENTE COM AUMENTO DA UREIA E CREATININA

95

96

97 Doente com febre, vómitos, dor lombar

98 Doente diabético, com febre, disúria

99

100

101

102

103

104

105

106

107

108

109 GENITAL FEMININO Ecografia: Suprapúbica Endocavitária RM TC- Não

110

111

112

113

114

115

116

117

118

119

120

121

122

123

124

125

126

127

128

129

130

131

132

133

134 APARELHO GENITAL MASCULINO Próstata e vesículas seminais Ecografia Suprapúbica Endocavitária RM TC- não

135

136

137


Carregar ppt "Aparelho urinário 2006/2007 João Alpendre Serviço Universitário de Radiologia do Hospital Pulido Valente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google