A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Marcos Cassas 1 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE Bibliografia CORRÊA L. Henrique. Administração de Produção e Operações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Marcos Cassas 1 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE Bibliografia CORRÊA L. Henrique. Administração de Produção e Operações."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Marcos Cassas 1 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE Bibliografia CORRÊA L. Henrique. Administração de Produção e Operações. São Paulo: Atlas, GAITHER, N & FRAZIER, G. Administração da Produção e Operações. 8.ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, MOREIRA, Daniel Augusto. Administração da Produção e Operações. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001 IMPORTANTE ESTE MATERIAL FOI ELABORADO PARA AUXILIAR O PROFESSOR NA APRESENTAÇÃO DO ASSUNTO EM AULA. PARA EFEITO DE ESTUDO OS ALUNOS DEVERÃO CONSULTAR AS OBRAS CITADAS ACIMA.

2 Prof. Marcos Cassas 2 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES DEFINIÇÃO CAPACIDADE É A QUANTIDADE MÁXIMA DE TRABALHO QUE PODE SER PRODUZIDA NUMA UNIDADE PRODUTIVA. Fábrica, loja, máquina, posto de trabalho, isto é qualquer sistema de produção MEDIDAS DE CAPACIDADE PRODUTOS Toneladas de aço/mês – Siderúrgica Litros de gasolina/dia – Refinaria de petróleo Carros/mês – Montadora de automóveis Toneladas de papel/semana – Indústria de papel SERVIÇOS Assentos/vôo – Companhia aérea Refeições/dia – Restaurante Número de vagas – Escola Número de m² (ABL) – Shopping Center

3 Prof. Marcos Cassas 3 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Capacidade Instalada X Capacidade Utilizada Ex. Departamento de montagem Nº de funcionários = 5 Produtividade = 20montagens / H-H Jornada diária = 8h 600 MONTAGENS/DIA 5 x 20 x 12 = MONTAGENS/DIA = 0,75 ou 75% OCIOSIDADE DE 25% = 1,50 ou 150% 50% ACIMA DA CAPACIDADE PLENA CARGA800 MONTAGENS/DIA 800 = 1,00 ou 100% CAPACIDADE UTILIZADA CAPACIDADE INSTALADA = 5 x 20 x 8 = 800 montagens / dia OU REAL

4 Prof. Marcos Cassas 4 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Relação entre Capacidade Utilizada e Produção Efetiva PRODUÇÃO EFETIVA CAPACIDADE UTILIZADA EFICIÊNCIA DO SISTEMA = = 0,8666 ou 86,7% ( ) CAPACIDADE UTILIZADA UTILIZADA (600 ton/mês) Perdas: Perdas: refugos (80 ton/mês) PRODUÇÃO EFETIVA (520 ton/mês)

5 Prof. Marcos Cassas 5 D - Disc.: Administração da Produção I CAPACIDADE INSTALADA (OU REAL) PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Relação entre Capacidade Instalada, Capacidade Utilizada e Produção Efetiva (=) CAPACIDADE UTILIZADA(=) PRODUÇÃO EFETIVA (-) OCIOSIDADE (+) AUMENTO DE CAPACIDADE (-) PERDAS

6 Prof. Marcos Cassas 6 D - Disc.: Administração da Produção I EXERCÍCIO TIPO A 1. Um posto de trabalho opera a plena carga com 10 funcionários durante 8 horas por dia produzindo 150 peças/H-H. Sabendo-se que sua eficiência é de 75%, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva 2. Um posto de trabalho opera a plena carga com 20 funcionários durante 15 horas por dia produzindo 90 peças/H-H. Sabendo-se que sua eficiência é de 90%, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva 3. Um posto de trabalho opera a plena carga com 60 funcionários durante 12 horas por dia produzindo 900 peças/H-H. Sabendo-se que sua eficiência é de 85%, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios Quando trabalhamos a plena carga a Capacidade Instalada (CI) é igual a capacidade utilizada (CAPU) a) CAPU = 10 homens * 8 horas/dia * 150 pçs / HomemHora a) CAPU = pçs/dia b) Eficiência = Prod. Efetiva / CAPU 0,75 = PE/CAPU CAPU = 0,75 * = 9000 PÇS/DIA

7 Prof. Marcos Cassas 7 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO B 1. Uma empresa opera a plena carga com 320 funcionários durante 8 horas por dia produzindo 10 peças/H-H. Sabendo- se que há uma rejeição de 25% nas peças fabricadas, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva; c) A eficiência da empresa 2. Uma empresa opera a plena carga com 620 funcionários durante 15 horas por dia produzindo 7 peças/H-H. Sabendo- se que há uma rejeição de 35% nas peças fabricadas, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva; c) A eficiência da empresa 3. Uma empresa opera a plena carga com 48 funcionários durante 8 horas por dia produzindo 4, 5 peças/H-H. Sabendo- se que há uma rejeição de 10% nas peças fabricadas, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva; c) A eficiência da empresa a) CAPU = 320 * 8 * 10 = pçs / dia b) P.E. = CAPU * (1-perdas) P.E. = * (1-0,25) = pçs/dia c) E = P.E. / CAPU E = 19200/25600 = 0,75 = 75 %

8 Prof. Marcos Cassas 8 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO C 1. Uma metalúrgica opera com uma ociosidade de 30%. Sua capacidade instalada é dada por 28 funcionários trabalhando durante 8 horas por dia produzindo 60 peças/H-H. Sabendo-se que sua eficiência é de 85%, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva 2. Uma metalúrgica de trabalho opera com uma ociosidade de 10%. Sua capacidade instalada é dada por 88 funcionários trabalhando durante 8 horas por dia produzindo 24 peças/H-H. Sabendo-se que sua eficiência é de 95% determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva 3. Uma metalúrgica opera com uma ociosidade de 20%. Sua capacidade instalada é dada por 45 funcionários trabalhando durante 10horas por dia produzindo 12 peças/H-H. Sabendo-se que sua eficiência é de 70%, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva

9 Prof. Marcos Cassas 9 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO D 1. Uma indústria opera com uma ociosidade de 45%. Sua capacidade instalada é dada por 12 funcionários trabalhando durante 8 horas por dia produzindo 44 peças/H-H. Sabendo-se há uma rejeição de 5% nas peças fabricadas, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva; c) A eficiência da indústria 2. Uma indústria opera com uma ociosidade de 12%. Sua capacidade instalada é dada por 32 funcionários trabalhando durante 6 horas por dia produzindo 28 peças/H-H. Sabendo-se há uma rejeição de 1 % nas peças fabricadas, determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva; c) A eficiência da indústria 3. Uma indústria opera com uma ociosidade de 8%. Sua capacidade instalada é dada por 56 funcionários trabalhando durante 12horas por dia produzindo 13500, peças/H-H. Sabendo-se há uma rejeição de 16% nas peças fabricadas determinar: a) A capacidade utilizada; b) A produção efetiva; c) A eficiência da indústria

10 Prof. Marcos Cassas 10 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO E 1 Uma escola tem uma capacidade real de alunos. Sabendo-se que se matricularam apenas alunos e que ela trabalha com uma eficiência de 85%, pergunta-se: a) Qual a sua capacidade ociosa?; b) Quantos alunos se formaram? (produção efetiva) 2 Uma escola tem uma capacidade real de alunos. Sabendo-se que se matricularam apenas alunos e que ela trabalha com uma eficiência de 90%, pergunta-se: a) Qual a sua capacidade ociosa?; b) Quantos alunos se formaram? (produção efetiva). 3 Uma escola tem uma capacidade real de alunos. Sabendo-se que se matricularam apenas alunos e que ela trabalha com uma eficiência de 100%, pergunta-se: a) Qual a sua capacidade ociosa?; b) Quantos alunos se formaram? (produção efetiva)

11 Prof. Marcos Cassas 11 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO F 1. A fábrica PEGALEVE S.A. possui 10 funcionários trabalhando durante 8 horas/dia com uma produtividade de 75 peças/HH. Sabe-se que ela está operando com uma ociosidade de 30% e que a produção estabelecida pelo departamento de Marketing é de peças/dia. Qual o valor das perdas apresentado por ela? 2. A fábrica PEGALEVE S.A. possui 32 funcionários trabalhando durante 6 horas/dia com uma produtividade de 45 peças/HH. Sabe-se que ela está operando com uma ociosidade de 10% e que a produção estabelecida pelo departamento de Marketing é de peças/dia. Qual o valor das perdas apresentado por ela? 3. A fábrica PEGALEVE S.A. possui 92 funcionários trabalhando durante 8 horas/dia com uma produtividade de 87 peças/HH. Sabe-se que ela está operando com uma ociosidade de 25% e que a produção estabelecida pelo departamento de Marketing é de peças/dia. Qual o valor das perdas apresentado por ela?

12 Prof. Marcos Cassas 12 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO G 1. Uma metalúrgica opera com uma ociosidade de 28% devido a manutenções periódicas. Sua capacidade instalada é dada por 5 máquinas trabalhando durante 8horas por dia durante 6 dias na semana. Sabendo-se que através de aumento de produtividade a capacidade utilizada pode ser aumentada em 10%, determinar a capacidade utilizada final. 2. Uma metalúrgica opera com uma ociosidade de 30% devido a manutenções periódicas. Sua capacidade instalada é dada por 10 máquinas trabalhando durante 12horas por dia durante 7 dias na semana. Sabendo-se que através de aumento de produtividade a capacidade utilizada pode ser aumentada em 25% determinar a capacidade utilizada final. 3. Uma metalúrgica opera com uma ociosidade de 17% devido a manutenções periódicas. Sua capacidade instalada é dada por 19 máquinas trabalhando durante 6horas por dia durante 5 dias na semana. Sabendo-se que através de aumento de produtividade a capacidade utilizada pode ser aumentada em 15% determinar a capacidade utilizada final.

13 Prof. Marcos Cassas 13 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios EXERCÍCIO TIPO H 1. Uma siderúrgica possui 4 postos de trabalho para tratamento superficial de chapas de aço apresentando as seguintes capacidades: ton/dia ton/dia ton/dia5.900 ton/dia ABCD Sabendo-se que ela trabalha com uma ociosidade de 15% e possui uma eficiência de 87%, calcular a sua Produção efetiva. Sabendo-se que ela trabalha com uma ociosidade de 15% e apresenta perdas de 10%, a) Calcular a sua Produção efetiva. b) Se a necessidade de capacidade é de 50 unid/dia, como você faria para balancear a linha? 2. Uma linha de produção possui 4 postos de trabalho apresentando as seguintes capacidades : 50 unid/dia25 unid/dia10 unid/dia25 unid/dia ABCD

14 Prof. Marcos Cassas 14 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Exercícios 3. Uma linha de produção possui 4 postos de trabalho apresentando as seguintes capacidades : 8 horas/dia 15 peças/hora ABCD 8 horas/dia 45 peças/hora 8 horas/dia 22,5 peças/hora 8 horas/dia 5 peças/hora Sabendo-se que ela utiliza 70% da capacidade instalada e apresenta perdas de 10%, a) Calcular a sua Produção efetiva. b) Se a necessidade de capacidade fosse de 360 peças/dia, como você faria para balancear a linha?

15 Prof. Marcos Cassas 15 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES 1. FATORES HUMANOS 2. COMPOSIÇÃO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS 3. FATORES EXTERNOS 4. FATORES OPERACIONAIS 5. INSTALAÇÕES 6. PROJETO DO PROCESSO FATORES QUE INFLUEM NA CAPACIDADE (AUMENTANDO OU DIMINUINDO)

16 Prof. Marcos Cassas 16 D - Disc.: Administração da Produção I 1. FATORES HUMANOS Quantidade de pessoas/Jornada de trabalho Pessoal bem treinado, bem motivado e bem pago aumenta produtividade. Nível de absenteísmo: mede as ausências dos trabalhadores no processo de trabalho, seja por atrasos, faltas ou saídas antecipadas no trabalho, de maneira justificada ou não. Onde: Total de homens-hora = horas normais (sem o DSR) x número de funcionários x dias úteis trabalhados. Índice de rotatividade (Turn over): mede o giro de entradas e saídas de pessoal. Custo de rotatividade de pessoal: rescisão de contrato de trabalho, recrutamento, seleção, treinamento, adaptação, advogados, justiça do trabalho etc. PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade d29

17 Prof. Marcos Cassas 17 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade Calcular o índice de absenteísmo e o turn over de uma indústria farmacêutica que apresentou as seguintes movimentações de pessoal, durante o mês de Novembro: Atrasos = horas Faltas (Justificadas e injustificadas) = horas Admissões = 230 empregados Demissões = 57 empregados São dados: Horário de trabalho: 2ª a 5ª das 7h15 às 17h00 e 6ª feira das 7h15 às 12h15 Dias úteis em novembro = 20 dias Número médio de funcionários = 520

18 Prof. Marcos Cassas 18 D - Disc.: Administração da Produção I 2. COMPOSIÇÃO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS Diversidade reduz capacidade 3. FATORES EXTERNOS Exemplo: padrões de qualidade exigidos pelos clientes pode se constituir em uma barreira para aumento da capacidade. PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade Permite padronizar métodos de trabalho e materiais reduzindo tempos de operações e aumentando capacidade Exigem constantes preparações de máquinas deixando-as paradas e assim reduzindo capacidade PRODUTOS UNIFORMES E PADRONIZADOS PRODUTOS DIFERENTES d29

19 Prof. Marcos Cassas 19 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade 30 litros/hora Capacidade do tubo: 30 litros/hora 15 litros/hora 4. FATORES OPERACIONAIS Equipamentos com capacidades diferentes: o mais lento define a capacidade de produção. Capacidade do tubo: 15 litros/hora d29

20 Prof. Marcos Cassas 20 D - Disc.: Administração da Produção I 20 unid/dia10 unid/dia 5 unid/dia 20 unid/dia ABCD Observe a linha de produção abaixo com 4 postos de trabalho e suas respectivas capacidades: QUESTÕES: 1. Qual a capacidade da linha? 2. Como você faria para balancear a linha? PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade GARGALO DE UMA LINHA DE PRODUÇÃO É A UNIDADE PRODUTIVA DE MENOR CAPACIDADE

21 Prof. Marcos Cassas 21 D - Disc.: Administração da Produção I Montagem Oper. 10Oper. 20Oper. 30 Oper. 15Oper. 25Oper. 35 Produto AB Matéria Prima A Matéria Prima B 15 unid./hora9 unid./hora15 unid./hora 10 unid./hora12 unid./hora15 unid./hora 20 unid./hora QUESTÕES: 1. Qual a capacidade máxima de produção do produto AB, sabendo-se que ele é composto de 3 unidades de A e 2 de B? 2. O que acontece com a produção do produto AB se a operação 25 aumentar sua capacidade para 20unid./hora, através de um aumento de eficiência? Por quê? 3. Onde você colocaria o Controle de Qualidade para a operação 20: antes ou depois? Por quê? PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade

22 Prof. Marcos Cassas 22 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade Qual a capacidade máxima de produção do produto final, sabendo-se que ele é composto de 3 peças de A, 5 peças de B e 2 de C? Montagem Oper. 10Oper. 20Oper. 30 Oper. 15Oper. 25Oper. 35 Produto Final Peça A Peça B 150 unid./hora90 unid./hora120 unid./hora 80 unid./hora70 unid./hora50unid./hora 20 unid./hora Oper. 50Oper. 55Oper. 60 Peça C 40 unid./hora120 unid./hora150 unid./hora

23 Prof. Marcos Cassas 23 D - Disc.: Administração da Produção I 5. INSTALAÇÕES Quantidade de máquinas e equipamentos Idade das máquinas e equipamentos: máquinas mais antigas exigem mais manutenção, sofrem mais paradas, apresentam baixa eficiência etc. Arranjo físico Conforto: ruídos, iluminação, temperatura, ambiente. PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade Arranjo físico obedece seqüência do processo Arranjo físico não obedece seqüência do processo. O tempo de operação é mais longo, portanto menor capacidade. d29

24 Prof. Marcos Cassas 24 D - Disc.: Administração da Produção I CUSTO UNITÁRIO VOLUME DE PRODUÇÃO PRODUÇÃO ÓTIMA CUSTO MÍNIMO ECONOMIA DE ESCALA DESECONOMIA DE ESCALA PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade Em qualquer unidade produtiva, à medida que se aumenta o volume de produção os custos unitários dos produtos vão diminuindo. Isto ocorre até o momento em que a quantidade a ser produzida excede a capacidade de atendimento instalada da unidade produtiva. Depois deste ponto, entretanto, um volume adicional de produção resulta em custos unitários sempre crescentes pois, passa a ser necessário agregar-se mais recursos para aumentar a sua capacidade o que provoca um aumento no congestionamento de materiais e trabalhadores, o que contribui para elevar a ineficiência, a dificuldade para planejar, produtos danificados, moral reduzido, mais horas extras etc. Dimensão: a operação de unidades maiores custam menos do que menores (Economia de escala).

25 Prof. Marcos Cassas 25 D - Disc.: Administração da Produção I Uma metalúrgica produz autopeças e apresenta a seguinte distribuição de custos: CUSTOS FIXOS MENSAIS Salários + Enc.R$ ,00 Aluguel galpão R$ 6.520,00 Energia Elétrica R$ 3.260,00 Diversos R$ 4.500,00 TOTAL R$ ,00 Calcular o custo total unitário para os seguintes volumes de produção: a) peças b) peças O que você observou? Como se chama esse efeito? SOLUÇÃO CUSTOS VARIÁVEIS UNITÁRIOS Matéria Prima R$ 110,00 /Peça Mão de Obra R$ 85,00 /Peça Gastos Ind. de Fabr.R$ 29,00 /Peça TOTAL R$ 224,00/Peça a) peças CT = CF + cv X Q CT = X 2000 = R$ b) peças CT = CF + cv X Q CT = X 3500 = R$ CONCLUSÃO: QUANTO MAIOR O VOLUME DE PRODUÇÃO MENOR SERÁ O CUSTO TOTAL UNITÁRIO. ESTE EFEITO SE CHAMA ECONOMIA DE ESCALA. PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade

26 Prof. Marcos Cassas 26 D - Disc.: Administração da Produção I 6. PROJETO DO PROCESSO PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade PROCESSO TOTALMENTE MANUAL PROCESSO TOTALMENTE AUTOMATIZADO Os processos de produção variam desde aqueles totalmente manuais até os totalmente automatizados d29

27 Prof. Marcos Cassas 27 D - Disc.: Administração da Produção I Volume de Produção Custo Unitário Instalação Pequena Processo Manual Instalação Média Processo Semi-automático Instalação Grande Processo Automático Custo unitário Mínimo Produção Ótima Em qualquer unidade produtiva, para cada grau de automatização (manual, semi-automático e automático), à medida que se aumenta o volume de produção os custos unitários dos produtos vão diminuindo. Isto ocorre até o momento em que a quantidade a ser produzida excede a capacidade de atendimento instalada da unidade produtiva. Então, passa a ser necessário agregar-se mais recursos para aumentar a sua capacidade o que provoca aumento no custo unitário dos produtos. Neste ponto é o momento de passar a unidade produtiva para novo grau de automatização. PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade

28 Prof. Marcos Cassas 28 D - Disc.: Administração da Produção I PROVÃO/2002

29 Prof. Marcos Cassas 29 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO/OPERAÇÕES Fatores que Influem na Capacidade 1. FATORES HUMANOS Quantidade de pessoas/Jornada de trabalho Pessoal bem treinado, bem motivado e bem pago aumenta produtividade. Nível de absenteísmo Índice de rotatividade 2. COMPOSIÇÃO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS PRODUTOS/SERVIÇOS Diversidade reduz capacidade 3. FATORES EXTERNOS Padrões de qualidade exigidos pelos clientes pode se constituir em uma barreira para aumento da capacidade 4. FATORES OPERACIONAIS Equipamentos com capacidades diferentes: o mais lento define a capacidade de produção (Gargalo) 5. INSTALAÇÕES Quantidade de máquinas e equipamentos Idade das máquinas e equipamentos Arranjo físico Conforto: ruídos, iluminação, temperatura, ambiente. Dimensão: a operação de unidades maiores custam menos do que menores (Economia de escala) 6. PROJETO DO PROCESSO Grau de Automatização RESUMO d16 d18 d19 d23 d26

30 Prof. Marcos Cassas 30 D - Disc.: Administração da Produção I O objetivo fundamental da análise é verificar como se comportam os custos e a receita ( e conseqüentemente o lucro) sob diversas alternativas de volume de produção. CUSTOS FIXOS: são aqueles que independem da quantidade produzida. Ex. Aluguel do prédio, impostos prediais, depreciação, manutenção das instalações, salários do pessoal administrativo. CUSTOS VARIÁVEIS: são aqueles que variam de acordo com o volume produzido. Ex. matéria prima, mão de obra AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio

31 Prof. Marcos Cassas 31 D - Disc.: Administração da Produção I Exercício: Custo Fixo = R$ ,00/mês Preço de Venda = R$ 50,00/unidade Custo Variável = R$ 20,00/unidade R = pv x Q = 50xQ CT = CF + cv x Q = xQ AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio

32 Prof. Marcos Cassas 32 D - Disc.: Administração da Produção I AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio LUCRO = RECEITA – CUSTO TOTAL RECEITA = PREÇO DE VENDA UNITÁRIO x QUANTIDADE VENDIDA CUSTO TOTAL = CUSTO FIXO + CUSTO VARIÁVEL UNITÁRIO x QUANTIDADE VENDIDA LUCRO = RECEITA – CUSTO TOTAL RECEITA = PREÇO DE VENDA UNITÁRIO x QUANTIDADE VENDIDA CUSTO TOTAL = CUSTO FIXO + CUSTO VARIÁVEL UNITÁRIO x QUANTIDADE VENDIDA L = R – CT R = pv x Q CT = CF + cv x Q L = pv x Q – (CF + cv x Q) L = pv x Q – CF - cv x Q L = Q (pv - cv) – CF Substituindo Fatorando, obtemos:

33 Prof. Marcos Cassas 33 D - Disc.: Administração da Produção I HIPÓTESES PARA USO DAS FÓRMULAS Usadas para um único produto Custo fixo, custo unitário variável e preço de venda não se alteram com o volume produzido Tudo que é produzido é vendido. Não há formação de estoques AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio

34 Prof. Marcos Cassas 34 D - Disc.: Administração da Produção I AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio - Exercícios EXERCÍCIO TIPO A 1) Calcular o ponto de equilíbrio de uma metalúrgica sabendo-se que o custo fixo mensal é de R$ ,00, o custo variável unitário é de R$ 15,00 e o preço de venda unitário é R$ 30,00. 2) Calcular o ponto de equilíbrio de uma metalúrgica sabendo-se que o custo fixo mensal é de R$ ,00, o custo variável unitário é de R$ 25,00 e o preço de venda unitário é o triplo do custo variável. 3) Calcular o ponto de equilíbrio de uma metalúrgica sabendo-se que o custo fixo mensal é de R$ ,00, o custo variável unitário é metade do preço de venda unitário o qual é de R$ 350,00.

35 Prof. Marcos Cassas 35 D - Disc.: Administração da Produção I AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio - Exercícios EXERCÍCIO TIPO B 1.Sabendo-se que uma empresa apresenta um custo fixo de R$ ,00/mês, preço de venda de R$19,00/unidade e R$ 15,00/unidade de custo variável, determinar a produção necessária para obter um lucro de R$ ,00/mês. 2.Sabendo-se que uma empresa apresenta um custo fixo de R$ ,00/mês, preço de venda de R$25,00/unidade e R$ 10,00/unidade de custo variável, determinar a produção necessária para obter um lucro de R$ ,00/mês. 3.Sabendo-se que uma empresa apresenta um custo fixo de R$ ,00/mês, preço de venda de R$ 58,00/unidade e R$ 26,00/unidade de custo variável, determinar a produção necessária para obter um lucro de R$ ,00/mês..

36 Prof. Marcos Cassas 36 D - Disc.: Administração da Produção I AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ALTERNATIVAS DE CAPACIDADE Análise do Ponto de Equilíbrio - Exercícios EXERCÍCIO TIPO C 1.Sabendo-se que uma empresa apresenta um custo fixo de R$ ,00/mês, preço de venda de R$64,00/unidade e R$ 33,00/unidade de custo variável, determinar o valor do seu lucro quando ela estiver produzindo unidades. 2.Sabendo-se que uma empresa apresenta um custo fixo de R$ ,00/mês, preço de venda de R$ 113,00/unidade e R$ 63,00/unidade de custo variável, determinar o valor do seu lucro quando ela estiver produzindo unidades. 3.Sabendo-se que uma empresa apresenta um custo fixo de R$ ,00/mês, preço de venda de R$ 195,00/unidade e R$ 77,00/unidade de custo variável, determinar o valor do seu lucro quando ela estiver produzindo unidades.


Carregar ppt "Prof. Marcos Cassas 1 D - Disc.: Administração da Produção I PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE Bibliografia CORRÊA L. Henrique. Administração de Produção e Operações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google