A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Lígia Maria Ribeiro Gabriel David FEUP - Rua dos Bragas, 4050-123 Porto - PORTUGAL Tel. 351-2-2041842 - Fax: 351-2-2000808

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Lígia Maria Ribeiro Gabriel David FEUP - Rua dos Bragas, 4050-123 Porto - PORTUGAL Tel. 351-2-2041842 - Fax: 351-2-2000808"— Transcrição da apresentação:

1 1 Lígia Maria Ribeiro Gabriel David FEUP - Rua dos Bragas, Porto - PORTUGAL Tel Fax: URL: Progamação na Internet Organização e funcionamento da Internet: história da rede; a família de protocolos TCP/IP; arquitectura cliente-servidor; servidor de nomes. Navegação na rede: Gopher, Web. Linguagem HTML. Outros serviços da rede: correio electrónico; notícias da rede; transferência de ficheiros e configuração de um serviço de FTP anónimo; sessão interactiva remota. Documentos activos: CGI; applets Java; Javascript. Design de páginas: modelos de organização de páginas; folhas de estilo. Motores de pesquisa. Segurança e manutenção de sítios Web.

2 Internet - 2 Programação na Internet m Objectivos do módulo q A Internet como meio de comunicação à escala mundial e privada. q A WWW: estrutura e tecnologias; criação de documentos, concepção e desenvolvimento de sítios e perspectivas de desenvolvimento futuro. m Avaliação Trabalho prático (50%); avaliação final (50%)

3 Internet - 3 Bibliografia q Quercia V., Internet in a Nutshell, OReilly & Associates. q Comer D. The Internet Book, Prentice Hall Inc, q Stevens R., TCP/IP Illustrated, Vol.1, Addison-Wesley q Chuck Musciano, Bill Kennedy, HTML The Definitive Guide, 2nd ed., OReilly & Associates, 1997 q Danny Goodman, Dynamic HTML, OReilly, 1998 q S. Spainhour, V. Quercia, Webmaster in a Nutshell, OReilly q Thomas A. Powell, HTML: The complete reference, 2nd ed., Osborne/McGraw-Hill, 1999

4 Internet - 4 O início m A ARPA criou uma rede experimental chamada ARPANET. Era simultaneamente um backbone e uma rede experimental, onde novas aplicações eram testadas. m Inicialmente a ARPANET ligou 4 universidades e permitiu aos cientistas partilhar remotamente informação e recursos. m A ARPANET continuou a expandir-se durante as décadas de 70 e 80. Em 72 já ligava 37 nós e em 83, 562.

5 Internet - 5 Redes locais m Os investigadores da ARPA supuseram um futuro em que as organizações teriam os seus computadores ligados por uma ou mais LANs q a Xerox acabava de oferecer a várias universidades um protótipo da sua LAN - chamava-se Ethernet e tornar-se-ia na principal tecnologia de redes locais m as LANs são incompatíveis q tecnologias diferentes optimizadas para velocidade, fiabilidade, facilidade de instalação, capacidade ou custo q incompatibilidade eléctrica, de codificação, de computador q distâncias curtas

6 Internet - 6 Redes de grande área m WAN - wide area network q vence as distâncias pelo uso de modems q diferente de um conjunto de linhas de transmissão q em cada sítio ligado há um computador dedicado a lidar com os detalhes da transmissão, mesmo quando os outros computadores locais estão desligados - a WAN funciona por si q podem existir caminhos diferentes a ligar dois computadores q semelhante a uma LAN mais mais lenta q incompatível com as LANs, o que se resolve com o computador dedicado m a evolução tecnológica e as diferenças de requisitos implicam computadores de múltiplos fabricantes q são necessários sistemas de rede abertos q sistema de protecção de patentes é prejudicial nesta área

7 Internet - 7 Interligação m O objectivo de interligar LANs e WANs ficou conhecido por Internet, que é abreviatura de internetwork, e aplica-se tanto ao projecto como à rede protótipo que foi criada. m Havia um requisito básico de robustez, que devia permitir que caminhos alternativos fossem encontrados mesmo que parte da rede ficasse inoperacional (exemplo: caso de guerra nuclear) m Em1983 decidiu usar-se a família de protocolos TCP/IP na ARPANET. Generalizou-se a partir daí o uso do termo "Internet" para a rede constituída pelas redes que usam os protocolos TCP/IP.

8 Internet - 8 Rede de redes m A Internet é constituída por: q Backbones: infraestruturas de interligação de redes, como o NSFNET, nos USA, e o EBONE na Europa, bem como backbones comerciais q Redes regionais, ligando, por exemplo universidades e institutos de investigação; q Redes comerciais, por exemplo, para uso interno ou para fornecimento de serviços a assinantes, com ligações à Internet. q Redes locais, como a rede da FEUP

9 Internet - 9 Rede aberta m A Internet é um sistema de rede aberto uma vez que todas as suas especificações são públicas. m A colocação dos RFCs (normas) num computador da ARPANET possibilitava que fossem disponibilizados a todos os investigadores com acesso a esta rede. m A utilização da ARPANET foi um factor chave para o rápido desenvolvimento do próprio projecto da Internet.

10 Internet - 10 Unix e Internet m Na década de 80, o UNIX e o TCP/IP passam a ser amplamente utilizados pela comunidade científica, quer nas universidades, quer noutros centros de I&D. q Unix tinha sido criado nos laboratórios Bell para garantir portabilidade e foi entregue a universidades onde investigadores e estudantes o desenvolveram q ARPA e Universidade de Berkeley assinaram um contrato para distribuir TCP/IP no pacote Unix BSD, com a contrapartida de as aplicações de rede usarem o protocolo q poucas universidades tinham Internet mas muitas tinham LANs; o TCP/IP apareceu como alternativa aberta para produzir software de rede (partilhar impressoras, etc.) q a Internet generalizou-se, à custa das soluções privadas dos vários fabricantes

11 Internet - 11 Marcos m 1980 CSNET (Computer Science Net) m 1983 MILNET (Military Network) m 1986 NSFNET (National Science Foundation Network) 448Kbps m 1990 ARPANET é integrada na NSFNET m 1991 ANSNET (Advanced Networks and Services) 45Mbps m 1995 vBNS (very high speed Backbone Network System) 622Mbps

12 Internet - 12 Internet Society m A Internet Society (ISOC) é uma organização internacional, fundada em1992, dedicada à expansão, desenvolvimento e acessibilidade da Internet. q Desenvolvimento e manutenção de padrões q Evolução das tecnologias da Internet q Educação e investigação no domínio da Internet q Desenvolvimento de infraestruturas Internet

13 Internet - 13 Organismos m Internet Architecture Board (IAB) - controla o desenvolvimento de padrões e protocolos para a Internet e actua como interface entre a ISOC e outras entidades de desenvolvimento de padrões. q Internet Engineering Task Force - desenvolvimento técnico q Internet Engineering Steering Group (IESG) - actua como unidade de apoio à gestão do IETF. m Internet Assigned Numbers Authority (IANA) - coordena a atribuição de identificadores únicos na Internet, como nomes de domínios e de endereços IP.

14 Internet - 14 Internet Engineering Task Force Internet Engineering Task Force (IETF) - procura soluções para problemas técnicos e operacionais da Internet e desenvolve padrões e protocolos. Applications IP: Next Generation Operational Requirements Security User Services Internet Network Management Routing Transport General

15 Internet - 15 Internet Engineering Task Force m Os grupos de trabalho são constituídos unicamente por voluntários. m O trabalho cooperativo desenvolvido pelos membros de um grupo de trabalho realiza-se em grande parte através de listas de distribuição. m O IETF também realiza encontros, três vezes por ano. Estes encontros são abertos a todos os interessados.

16 Internet - 16 Request For Comments m Os resultados e recomendações de um grupo de trabalho apresentam-se usualmente à comunidade Internet sob a forma de RFCs. m Como obter RFCs: para

17 Internet - 17 Atribuição de endereços m A IANA delega noutras entidades a administração da atribuição de identificadores únicos na Internet: q InterNIC (Internet Network Information Center) URL: m Cada uma destas entidades é responsável por diversos tipos de registos. URL:

18 Internet - 18 A Internet na Europa [Telecoms] m Início das redes na Europa q ITU, X.25 m IXI (International X.25 Interconnection) 1987, 64Kbps m EuropaNET 2Mbps q PTT holandesa m TEN , 34Mbps q British Telecom [Universidades] m JANET (Joint European Academic Network) 1970 m EARN (European Academic Research Network) 1983 m EBONE (European Backbone) 1992, IP

19 Internet - 19 A Internet em Portugal m A Internet em Portugal q Anos 80X.25 q Nó EARN em Lisboa q 1986 FCCN URL:http://www.fccn.pt RCCN RCTS

20 Internet - 20 Características actuais m Crescimento e uso comercial da Internet q Duplicação em ~10 meses Metade dos cibernautas ligaram-se no último ano! q Metade dos nós têm carácter comercial q AUPs (Acceptable Use Policy) q ISP (Internet Service Provider)

21 Internet - 21 Iniciativas de desenvolvimento m NII e GII (Global Information Infrastructure) q The Information Super Highway G7 Live m NREN (National Research and Education Network) USA, 3Gbps m Missão para a Sociedade da Informação q Livro Verde

22 Internet - 22 Tecnologia actual m High-Speed Networking q Tecnologias e normas Frame relay DQDB (Distributed Queue Dual Bus) ATM (Asynchronous Transfer Mode) Broadband-ISDN

23 Internet - 23 Funcionamento da Internet m a Internet não foi projectada para serviços específicos mas como uma infraestrutura genérica e eficiente para suportar qualquer aplicação de rede m novas infraestruturas suportam novas indústrias m a maior parte dos serviços que usam a Internet não existiam quando ela foi criada m Transmission Control Protocol / Internet Protocol

24 Internet - 24 Mecanismos de comunicação m circuito dedicado para ligar dois computadores q caro; taxa de ocupação do hardware baixa m partilha de um circuito por várias ligações q económico; taxa de ocupação superior q problema: possível ocorrência de atrasos inaceitáveis se as transmissões não puderem ser interrompidas (uma transmissão demorada pode obrigar muitas rápidas a esperar) q solução: forçar todas as transmissões a serem rápidas, limitando o tamanho máximo de cada uma; obriga a partir as mensagens maiores em pacotes; envia-se à vez um pacote de cada uma das transmissões activas q a velocidade de transmissão é proporcional ao tamanho total da mensagem e à carga global da rede, absorvendo flutuações devidas a mensagens longas

25 Internet D2 D3 D4 D5 D B A C D E F 1 F2 F3 F1 E A D B F C E Partilha de uma linha q Mensagem C E espera pouco e termina ainda antes da A D, iniciada antes q As mensagens A D e B F partilham o hardware

26 Internet - 26 Comutação de pacotes m LANs e WANs usam comutação de pacotes m todos os pacotes têm o mesmo formato q cabeçalho com os endereços dos computadores emissor e receptor q dados m cada computador tem um endereço numérico único m o hardware q observa os cabeçalhos dos pacotes que passam na rede q copia para a memória do computador os que lhe são destinados q avisa o computador da ocorrência m a partilha da rede é automaticamente gerida pelo hardware de interface; não sobrecarrega as máquinas m software de divisão em pacotes na máquina

27 Internet - 27 Comunicação entre redes m As redes usam tecnologias de comutação de pacotes incompatíveis q características eléctricas q esquemas de endereçamento dos nós q formato dos pacotes m Vencer a distância q modems, fibras ópticas m Ligar redes q colocar um computador como nó de duas ou mais redes q funciona como gateway m Muitos dispositivos podem ligar-se à rede q impressoras, caixas registadora, câmaras de vídeo


Carregar ppt "1 Lígia Maria Ribeiro Gabriel David FEUP - Rua dos Bragas, 4050-123 Porto - PORTUGAL Tel. 351-2-2041842 - Fax: 351-2-2000808"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google