A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES (CNO) da ESCOLA SECUNDÁRIA DE CANTANHEDE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES (CNO) da ESCOLA SECUNDÁRIA DE CANTANHEDE."— Transcrição da apresentação:

1 CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES (CNO) da ESCOLA SECUNDÁRIA DE CANTANHEDE

2 2 Acesso ao Ensino Superior

3 3

4 Acesso Ensino Superior Concurso nacional: exames nacionais Concurso especial: Maiores de 23 4

5 5 Acesso ao Ensino Superior Concurso nacional: exames nacionais

6 6 Podem candidatar-se ao ingresso num determinado curso e estabelecimento de ensino superior, os estudantes que satisfaçam as seguintes condições: · Tenham aprovação num curso do ensino secundário ou habilitação legalmente equivalente; · Tenham realizado, em 2009, 2010 ou 2011, as provas de ingresso, exigidas por esse curso nesse estabelecimento e tenham nessas provas uma classificação igual ou superior à classificação mínima por ele fixada. Quem pode candidatar-se à matrícula e inscrição no ensino superior?

7 7 · Quem satisfazer os pré-requisitos, caso sejam exigidos por esse curso nesse estabelecimento. · Quem tenha uma nota de candidatura igual ou superior ao valor mínimo fixado pela instituição de ensino superior. Quem pode candidatar-se à matrícula e inscrição no ensino superior?

8 8 Todos os cursos do ensino secundário (12.º ano) e os cursos que a lei define como equivalentes facultam o acesso ao ensino superior. Assim, entre outros, dão acesso ao ensino superior, em igualdade de circunstâncias: · Os cursos do ensino secundário regulados pelos Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março, tais como os cursos científico-humanísticos, tecnológicos, artísticos especializados, profissionalmente qualificantes, profissionais e ensino recorrente por módulos capitalizáveis Quais os cursos do ensino secundário que facultam o acesso ao ensino superior?

9 9 · Os cursos do ensino secundário regulados Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto · Os cursos do 12º ano da via de ensino · Os cursos do 12º ano da via profissionalizante · Os cursos técnico-profissionais (diurnos e pós-laborais) · Os cursos de nível III das escolas profissionais (planos de estudos não abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março), do Sistema de Aprendizagem e outros equivalentes Quais os cursos do ensino secundário que facultam o acesso ao ensino superior?

10 10 · Os cursos do ensino secundário recorrente por unidades/blocos capitalizáveis · Os cursos finalizados ao abrigo do Decreto-Lei n.º 357/2007, de 29 de Outubro · Os cursos de Educação e Formação. A titularidade de um curso de ensino secundário pode também ser obtida através de equivalência de outras habilitações, nomeadamente estrangeiras. Quais os cursos do ensino secundário que facultam o acesso ao ensino superior?

11 11 Qualquer curso do ensino secundário permite concorrer ao ingresso em qualquer curso do ensino superior. No actual sistema de acesso ao ensino superior não é necessário ter um determinado curso do ensino secundário para concorrer a um determinado curso do ensino superior. Também não é necessário ter cumprido, no curso do ensino secundário, um determinado plano curricular para concorrer a um determinado curso do ensino superior. Que curso do ensino secundário (ou disciplinas) é necessário ter para concorrer ao ingresso num determinado curso do ensino superior?

12 12 As provas de ingresso para acesso a um curso num determinado estabelecimento de ensino superior são as provas definidas por este para, com base nas classificações obtidas em exame nacional e em combinação com outros factores, seleccionar e seriar os candidatos ao ingresso nesse curso. Cada estudante deve realizar as provas de ingresso exigidas pelas instituições de ensino superior para os cursos a que pretende concorrer. As provas de ingresso exigidas para cada curso de ensino superior em cada instituição de ensino são as fixadas por estas e divulgadas no sítio da Internet através dos Guias das Provas de Ingresso (já disponíveis) e dos Guias da Candidatura. As provas de ingresso

13 13 O que são e objectivos das provas de ingresso As provas de ingresso para acesso a um curso numa determinada instituição de ensino superior são as provas exigidas por esta para, com base nas classificações obtidas em exame nacional e em combinação com outros factores, seleccionar e seriar os candidatos ao ingresso nesse curso. As provas de ingresso

14 14 Para cada um dos seus cursos, cada estabelecimento de ensino superior fixa: - no mínimo uma e no máximo duas provas de ingresso ( Excepção: Para acesso ao curso de Medicina permite-se a fixação de três provas de ingresso, prevendo-se que as mesmas integrem, obrigatoriamente, as áreas de Biologia, Física, Matemática e Química, nos termos do disposto no artigo 20.º-B do Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de Setembro, com a redacção que lhe foi dada pelo Decreto-Lei n.º 40/2007, de 20 de Fevereiro). - uma classificação mínima nos exames prestados como provas de ingresso As provas de ingresso

15 15 O exame nacional da prova de ingresso só será válido para efeitos de acesso ao ensino superior se a sua classificação for igual ou superior ao valor fixado. As instituições de ensino superior exigem uma classificação mínima nos exames prestados como provas de ingresso, fixada num valor igual ou superior a 95 pontos na escala de 0 a 200. Quando um exame é utilizado simultaneamente para aprovação num curso do ensino secundário e como prova de ingresso, poderá acontecer que tenha servido para obter aprovação na disciplina e não possa ser considerado como prova de ingresso por não atingir o mínimo eventualmente fixado. As provas de ingresso

16 16 Qual a validade dos exames nacionais como provas de ingresso? Os exames nacionais do ensino secundário podem ser utilizados como provas de ingresso no âmbito da candidatura à matrícula e inscrição no ensino superior no ano da sua realização e nos dois anos seguintes, sem necessidade de repetição no ano em que for concretizada a candidatura ao ensino superior. Assim, os exames realizados em 2009 e/ou 2010 podem ser utilizados na candidatura de Exames Nacionais / provas de ingresso

17 17 Quais as provas de ingresso em que cada estudante deve realizar exames? As provas de ingresso para acesso a um curso num determinado estabelecimento de ensino superior são as provas definidas por este para, com base nas classificações obtidas em exame nacional e em combinação com outros factores, seleccionar e seriar os candidatos ao ingresso nesse curso. Cada estudante deve realizar as provas de ingresso exigidas pelos estabelecimentos de ensino superior para os cursos a que pretende concorrer (são fixadas pelas instituições, indicadas no website). Exames Nacionais / provas de ingresso

18 18 Universidade de Aveiro – 1º exemplo Exames Nacionais / provas de ingresso

19 19 Universidade de Aveiro – 2º exemplo Exames Nacionais / provas de ingresso

20 20 Universidade de Coimbra – 3º e 4º exemplos Exames Nacionais / provas de ingresso

21 21 5º exemplo: Exames Nacionais / provas de ingresso

22 22 6º, 7º e 8º exemplos: Exames Nacionais / provas de ingresso

23 23 9º e 10º exemplos: Exames Nacionais / provas de ingresso

24 24 Politécnico de Aveiro 11º, 12º e 13º exemplos: Exames Nacionais / provas de ingresso

25 25 Politécnico de Aveiro 14º e 15º exemplos: Exames Nacionais / provas de ingresso

26 26 Politécnico de Coimbra 16º e 17º exemplos: Exames Nacionais / provas de ingresso

27 27 Politécnico de Coimbra 18º, 19º, 20º e 21º exemplos: Exames Nacionais / provas de ingresso

28 28 * Quando se realizam as inscrições para os exames nacionais do ensino secundário? As inscrições para os exames do ensino secundário, seja qual for o fim a que se destinam (aprovação na disciplina, melhoria de classificação, prova de ingresso), realizam-se nos seguintes prazos: Prazos de inscrição para a 1ª fase em 2011: Prazo normal: de 21 de Fevereiro a 2 de Março; Prazo suplementar: 3 e 4 de Março (sujeita ao pagamento de uma propina especial). Prazo de inscrição para a 2ª fase em 2011 : Prazo único: de 18 e 20 de Julho. Exames Nacionais / provas de ingresso

29 29 * Onde se apresenta a inscrição para exame? Os alunos internos e autopropostos realizam a inscrição na escola que estão a frequentar (pública ou particular e cooperativa com autonomia ou paralelismo pedagógico) ou na escola onde têm o seu processo escolar. Os alunos autopropostos podem inscrever-se: a) em escola pública da sua escolha ou na que estão a frequentar no presente ano lectivo, se for o caso; b) em escola particular e cooperativa dotada de autonomia ou paralelismo pedagógico, desde que aí estejam ou tenham estado inscritos no corrente ano lectivo (2010/2011) ou aí tenham concluído o curso secundário no ano lectivo imediatamente anterior (2009/2010). Exames Nacionais / provas de ingresso

30 30 · Onde se apresenta a inscrição para exame? Os alunos que frequentam o ensino profissional em escolas públicas ou particulares que não leccionam o ensino secundário regular inscrevem-se para as provas de ingresso numa escola secundária pública da área onde se situa a sua escola ou da área onde têm a sua residência. Os alunos que frequentam o ensino secundário recorrente em escolas públicas ou particulares que não leccionam o ensino secundário regular inscrevem-se para as provas de ingresso numa escola secundária pública da área onde se situa a sua escola ou da área onde têm residência. Exames Nacionais / provas de ingresso

31 31 · Onde se apresenta a inscrição para exame? Os alunos das escolas estrangeiras em Portugal inscrevem-se para os exames correspondentes às provas de ingresso numa escola secundária pública da área onde se situa a sua escola ou a sua residência. Os estudantes residentes no estrangeiro inscrevem-se para os exames correspondentes às provas de ingresso numa escola secundária pública da sua escolha, nos mesmos prazos que os restantes alunos, e realizam os exames nas datas e locais adiante referidos, não havendo lugar a qualquer época especial de exames. Exames Nacionais / provas de ingresso

32 32 Que documentos devem ser apresentados, por todos os estudantes, no acto de inscrição para os exames (exames a nível de escola e exames nacionais)? Os documentos a apresentar pelos estudantes no acto de inscrição para os exames são os seguintes: a) Boletim de inscrição, modelo n.º 0133 da Editorial do Ministério da Educação; Mesmo que não realize exames em 2011, caso pretenda candidatar-se ao ensino superior com exames nacionais realizados em 2009 e/ou 2010, deve preencher todos os itens e entregar o boletim de inscrição, à excepção do item 3, para efeitos de registo e posterior emissão da ficha ENES Exames Nacionais / provas de ingresso

33 33 Que documentos devem ser apresentados, por todos os estudantes, no acto de inscrição para os exames (exames a nível de escola e exames nacionais)? b) Fotocópia do cartão de cidadão/bilhete de identidade, com a apresentação do original para verificação; c) Documento comprovativo do cumprimento das condições de admissão a exame, se o estudante não tiver processo constituído no estabelecimento de ensino em que se inscreve; d) Boletim individual de saúde, se o estudante não tiver processo constituído no estabelecimento de ensino em que se inscreve; e) Recibo do pedido de atribuição de senha para acesso ao sistema de candidatura online, disponível no sítio da Internet caso pretenda concorrer ao ensino superior público. Exames Nacionais / provas de ingresso

34 34 A inscrição para os exames do ensino secundário está sujeita a propinas? Os alunos que frequentem, em regime diurno, o actual ensino secundário, não estão sujeitos ao pagamento de propina de inscrição em qualquer exame final nacional a que se apresentem como alunos internos (1ª ou 2ª fases). Todos os demais estudantes estão sujeitos ao pagamento da propina de 3 (três euros) por disciplina. A inscrição fora do prazo normal está sujeita ao pagamento suplementar de 20 (vinte euros), qualquer que seja o número de disciplinas. Nos exames para melhoria de classificação é devido o pagamento de 8 (oito euros) por disciplina.

35 35 Quando se realizam os exames? 1ª Fase Exames Nacionais / provas de ingresso

36 36 Quando se realizam os exames? 2ª Fase Exames Nacionais / provas de ingresso

37 Em que circunstâncias devem os estudantes inscrever-se para realizar provas na 2.ª FASE DE EXAMES? A inscrição para exames na 2.ª fase não depende da inscrição prévia na 1.ª fase. Os alunos que não comparecerem ou reprovarem na 1.ª fase dos exames nacionais ou nos exames a nível de escola para alunos com necessidades educativas especiais de carácter permanente não necessitam de se reinscrever para realização dos mesmos exames na 2.ª fase, uma vez que são admitidos automaticamente a esta última fase. Os alunos que se inscreverem para exame num determinado tipo de prova e pretenderem realizar outro tipo de exame na 2ª fase têm de efectuar nova inscrição. 37

38 Em que circunstâncias devem os estudantes inscrever-se para realizar provas na 2.ª FASE DE EXAMES? Os alunos que pretenderem realizar exames de equivalência à frequência, exames nacionais de disciplinas em que não houve inscrição na 1.ª fase ou em que não foram admitidos a exame e, ainda, para melhoria de classificação de exames que já tenham sido efectuados na 1.ª fase têm, obrigatoriamente, que proceder a nova inscrição para serem admitidos à 2.ª fase. Os alunos que realizam exame exclusivamente como prova de ingresso e pretendam repetir o exame na 2.ª fase têm também que proceder a nova inscrição para serem admitidos à 2.ª fase. 38

39 39 As vagas para cada curso em cada instituição de ensino superior são fixadas anualmente pelas próprias instituições, tendo em consideração os recursos de cada uma e subordinadas às orientações gerais estabelecidas pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e divulgadas antes do início da candidatura pela Direcção-Geral do Ensino Superior através do Guia da Candidatura ao Ensino Superior Público e do Guia da Candidatura ao Ensino Superior Privado e Universidade Católica Portuguesa. A fixação de vagas

40 40 As vagas dos estabelecimentos de ensino superior público são colocadas a concurso através de um concurso nacional organizado pela Direcção-Geral do Ensino Superior. No concurso nacional, cada estudante pode concorrer a um máximo de seis pares estabelecimento/curso, isto é, a seis combinações estabelecimento/curso, que indicará por ordem de preferência. Concorrer ao ensino superior

41 41 A candidatura ao Concurso Nacional de Acesso de 2011 é apresentada através do sistema online, no site da Direcção-Geral do Ensino Superior (www.dges.mctes.pt).www.dges.mctes.pt Assim, os estudantes que pretenderem candidatar-se ao ensino superior público devem pedir a senha de acesso à candidatura online e apresentar o recibo do pedido de atribuição de senha na escola secundária onde se inscrevem para os exames nacionais, juntamente com o respectivo boletim de inscrição nos exames. Como, quando e onde se apresenta a candidatura ao concurso nacional?

42 42 O pedido de atribuição de senha está disponível no sítio da Internet devendo o estudante seguir todos os procedimentos indicados, de modo a que o possa imprimir, assinar e entregar na escola secundária respectiva para validação. Senha de acesso

43 43 O pedido de atribuição de senha de acesso à candidatura online deve ser feito, preferencialmente, durante o período de inscrição para a 1.ª fase dos exames nacionais e entregue na escola secundária juntamente com o boletim de inscrição. Contudo, o pedido poderá ainda ser feito até ao final do prazo de candidatura a cada fase do concurso. Uma vez atribuída a senha de acesso à candidatura online, o candidato pode utilizar a mesma senha em qualquer das fases da candidatura. A apresentação da candidatura à 1.ª fase do concurso nacional tem lugar de 21 de Julho a 17 de Agosto Senha de acesso

44 44 As vagas para alguns cursos do ensino superior público são, dadas as características específicas destes, colocadas a concurso através de concursos locais, organizados pelos próprios estabelecimentos de ensino. As vagas dos estabelecimentos de ensino superior particular e cooperativo são colocadas a concurso através de concursos institucionais, isto é, de concursos organizados por cada estabelecimento de ensino, apenas para os seus cursos. O acesso aos cursos da Universidade Católica Portuguesa é objecto de concurso próprio organizado pela instituição. Concorrer ao ensino superior

45 45 A ordenação dos candidatos a cada curso de cada instituição de ensino superior é feita pela ordem decrescente de uma nota de candidatura, calculada utilizando as seguintes classificações: Classificação final do ensino secundário com um peso não inferior a 50% Classificação das provas de ingresso com um peso não inferior a 35% Classificação dos pré-requisitos de seriação, quando exigidos com um peso não superior a 15% Concorrer ao ensino superior

46 46 No concurso nacional o processo de colocação combina: · a ordem de preferência em que o candidato colocou cada par estabelecimento/curso a que concorreu; · a posição em que o candidato ficou nas listas ordenadas referentes aos pares estabelecimento/curso a que concorreu. Ordenação dos candidatos a cada curso

47 47 As principais acções obrigatórias relacionadas com a candidatura no ano da sua realização são as seguintes: 1. Realização, em 2009, 2010 ou 2011, dos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas para os pares estabelecimento/curso a que concorre e neles ter obtido a classificação mínima fixada; 2. Inscrição para os pré-requisitos, se for o caso, e sua realização; 3. Apresentação da candidatura. Algumas acções a realizar

48 48 Poderá obter informações detalhadas acerca dos cursos de ensino superior e das respectivas condições de acesso através: ·- do contacto directo com as instituições de ensino superior; ·- de publicações divulgadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; ·- de outras publicações especializadas existentes no mercado; · - do endereço electrónico Informações sobre os cursos de ensino superior e as respectivas condições de acesso

49 49 Ao consultar uma publicação acerca do ensino superior ou do acesso ao ensino superior, verifique sempre: - Se se trata de uma edição actualizada; - Se foi editada por uma entidade idónea. Informações sobre os cursos de ensino superior e as respectivas condições de acesso

50 50 Acesso ao Ensino Superior Concurso Especial: Maiores de 23…..

51 51 A Lei de Bases do Sistema Educativo consagrou o direito ao acesso ao ensino superior a indivíduos que, não estando habilitados com um curso secundário ou equivalente, façam prova, especialmente adequada, de capacidade para a sua frequência. A Lei n.º 49/2005, de 30 de Agosto, veio estabelecer a flexibilização do sistema, ao atribuir a cada uma das instituições a responsabilidade pela selecção dos alunos adultos, privilegiando como critério a experiência profissional dos candidatos. Acesso Maiores de 23…..

52 52 Podem inscrever-se para a realização das provas os candidatos que completem 23 anos até ao dia 31 de Dezembro do ano que antecede a realização das provas. A inscrição para a realização das provas é apresentada no estabelecimento de ensino superior onde o candidato pretende ingressar. Acesso Maiores de 23…..

53 53 1 O candidato ficará sujeito obrigatoriamente a: a) a uma apreciação do seu currículo escolar e profissional; b) a uma avaliação das suas motivações, podendo esta ser feita através de uma entrevista; c) a uma realização de provas teóricas e ou práticas de avaliação dos conhecimentos e competências indispensáveis ao ingresso e progressão no curso, sendo estas organizadas com base em diferentes perfis de candidatos e dos cursos a que se candidatam. 2 As provas devem incidir, exclusivamente, sobre as áreas de conhecimento directamente relevantes para o ingresso e progressão no curso. Critérios de Avaliação

54 54 Para a realização das referidas provas podem inscrever-se os candidatos que: completem 23 anos até ao dia 31 de Dezembro, do ano que antecede a realização das mesmas e não sejam titulares da habilitação de acesso ao ensino superior (se realizaram e obtiveram aprovação nas provas de ingresso para o curso superior onde pretendem ingressar, são titulares da referida habilitação de acesso). Acesso Maiores de 23…..

55 55 De que forma? Satisfazendo as condições e critérios de seriação fixados pelos estabelecimentos de ensino superior, Sujeitando-se ao número de vagas fixadas pelos estabelecimentos de ensino superior e Satisfazendo os pré-requisitos quando exigidos. Quando? De 1 a 31 de Março (confirmar datas em cada instituição de ensino) Acesso Maiores de 23…..

56 56 Onde me devo dirigir? Ao estabelecimento de ensino superior onde pretende ingressar. Consulte os regulamentos (http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Estudantes/Acesso/Concurso s+Especiais/Maiores+de+23+anos/Regulamentos/Regulamentos. htm) Acesso Maiores de 23…..

57 57 A aprovação nas provas de acesso ao ensino superior pode ser utilizada em mais que um curso no mesmo estabelecimento de ensino? Sim, desde que esteja previsto no regulamento da instituição e que as provas realizadas sejam idênticas em todos os cursos. (consultar Regulamento da instituição). Acesso Maiores de 23…..

58 58 Já possuo um curso superior, posso inscrever-me para a realização de provas por esta via? Sim, as provas para Acesso e Ingresso no Ensino Superior para maiores de 23 anos, contemplam todos os candidatos (maiores de 23 anos), independentemente das habilitações académicas de que são titulares, desde que não sejam titulares da habilitação de acesso para o curso pretendido. (entende-se por habilitação de acesso a titularidade de um curso de ensino secundário ou equivalente e a realização de exames nacionais que se constituem como provas de ingresso para o curso pretendido) Acesso Maiores de 23…..

59 59 Após a aprovação nas provas de acesso a colocação é automática? Não, os candidatos aprovados nas provas de acesso apresentam candidatura através dos Concursos Especiais a realizar nos estabelecimentos de ensino, durante o mês de Agosto. Acesso Maiores de 23…..

60 60 Como concorrer? 1º Escolher um curso 2º Verificar se o mesmo tem acesso pelo Maiores de 23 3º Verificar o calendário da instituição para a inscrição e realização das provas 4º Seguir todos os passos que a Instituição definir Acesso Maiores de 23…..

61 61 Exemplo: Escola Superior de Educação de Coimbra A candidatura é feita no Serviço de Gestão Académica no seguinte horário: 2ª a 4ª: das 10 às 17 horas 5ª e 6ª: das 10 às 20 horas in https://www1.esec.pt/ Acesso Maiores de 23…..

62 62 Exemplo: Escola Superior de Educação de Coimbra Acesso Maiores de 23…..

63 63 Regimes Especiais de Acesso ao Ensino Superior Decreto-Lei n.º 272/2009, de 1 de Outubro: estabelece as medidas específicas de apoio ao desenvolvimento do desporto de alto rendimento e procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 393-A/99, de 2 de Outubro, que regula os regimes especiais de acesso e ingresso no ensino superior Decreto-Lei n.º 393-A/99, de 2 de Outubro: regula os regimes especiais de acesso e ingresso no ensino superior Portaria n.º 854-B/99, de 4 de Outubro: aprova o Regulamento dos regimes especiais de acesso ao ensino superior Acesso Maiores de 23….. Legislação

64 64 Concursos Especiais de Acesso ao Ensino Superior Decreto-Lei n.º 393-B/99, de 2 de Outubro : regula os concursos especiais de acesso e ingresso no ensino superior Portaria n.º 854-A/99, de 4 de Outubro : aprova o Regulamento dos concursos especiais de acesso ao ensino superior Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de Março : regulamenta as provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos Decreto-Lei n.º 40/2007, de 20 de Fevereiro : institui e regula um concurso especial para acesso ao curso de Medicina por titulares do grau de licenciado Acesso Maiores de 23….. Legislação

65 65 Concursos Especiais

66 66 Sou titular de um CET. Como posso ingressar no Ensino Superior? Os titulares de um Diploma de Especialização Tecnológica, obtido após a conclusão de um CET podem concorrer à matrícula e inscrição no ensino superior através de um Concurso Especial para os cursos previamente fixados pelo órgão legal e estatutariamente competente de cada estabelecimento de ensino superior ou para os cursos definidos no âmbito de protocolos firmados entre estabelecimentos de ensino não superior e estabelecimentos de ensino superior. Tal não prejudica que outros estabelecimentos de ensino superior considerem determinado CET como habilitação de acesso aos seus cursos. Concursos Especiais

67 67 Sendo matéria da competência dos estabelecimentos de ensino superior, qualquer dúvida sobre a fixação dos CET que facultam o ingresso para cada um dos seus cursos, deverá ser colocada junto dos mesmos ou junto do estabelecimento de ensino onde realizou o CET. Relativamente às regras e prazos de candidatura, uma vez que se trata de um concurso especial, deverá contactar o estabelecimento de ensino superior no qual pretende ingressar, a quem cabe fixar as vagas em cada um dos seus concursos especiais, fixar os critérios de seriação e decidir sobre as candidaturas apresentadas. Concursos Especiais

68 68 Sou titular de uma licenciatura. Como posso candidatar-me ao ensino superior? O titular de um curso superior pode candidatar-se ao ensino superior através do concurso especial a ele destinado. O processo de candidatura decorre no estabelecimento de ensino superior que o estudante pretenda frequentar, sendo esse estabelecimento que determina as regras de selecção e seriação dos estudantes, bem como o número de vagas, pelo que, deverá contactar a instituição de ensino superior na qual está interessado e aí obter mais informações. O titular de curso superior poderá também aceder ao ensino superior através do Concurso Nacional (ensino superior público) ou dos Concursos Institucionais (ensino superior privado). Concursos Especiais

69 69 Transferências, mudanças e reingressos

70 70 Interrompi os meus estudos de um curso de ensino superior. Que devo fazer para reingressar? Podem requerer o reingresso os estudantes que tenham estado matriculados e inscritos no mesmo estabelecimento de ensino superior nacional no mesmo curso ou em curso que o tenha antecedido. Para o efeito, deverá efectuar o requerimento de reingresso junto dos serviços académicos da instituição de ensino superior que frequentou. Transferências, mudanças e reingressos

71 71 Gostaria de saber como posso efectuar transferência ou mudança de curso para uma instituição do ensino superior português? Podem requerer a mudança de curso ou a transferência os estudantes que tenham estado inscritos e matriculados num curso superior num estabelecimento de ensino superior nacional e não o tenham concluído e os estudantes que tenham estado inscritos e matriculados em estabelecimento de ensino superior estrangeiro em curso definido como superior pela legislação do país em causa, que o tenham concluído ou não. Para o efeito, deverá dirigir-se aos serviços académicos da instituição de ensino superior para onde se pretende transferir ou mudar de curso, a fim de efectuar o respectivo requerimento e obter informações sobre este concurso. Transferências, mudanças e reingressos

72 72 Cursos de Especialização Tecnológica

73 73 Cursos de Especialização Tecnológica Os cursos de especialização tecnológica (CET) são cursos pós- secundários não superiores que visam a aquisição do nível V de formação profissional, o qual se caracteriza por: a) Ser uma formação técnica de alto nível; b) A qualificação dela resultante incluir conhecimentos e capacidades que pertencem ao nível superior; c) Não exigir, em geral, o domínio dos fundamentos científicos das diferentes áreas em causa; d) As capacidades e conhecimentos adquiridos através dela permitirem assumir, de forma geralmente autónoma ou de forma independente, responsabilidades de concepção e ou de direcção e ou de gestão.

74 74 Cursos de Especialização Tecnológica Os planos de formação destes cursos estão direccionados para uma efectiva inserção profissional e para assegurar também o reconhecimento dessas aprendizagens para efeitos de prosseguimento de estudos no ensino superior. Estes planos compreendem as componentes de formação geral e científica e de formação tecnológica, que perfazem cerca de 860 h (aproximadamente um ano) e complementada pela formação em contexto de trabalho (540h, entre três a seis meses) a ser realizada em várias empresas da região.

75 75 Cursos de Especialização Tecnológica Os planos de formação destes cursos estão direccionados para uma efectiva inserção profissional e para assegurar também o reconhecimento dessas aprendizagens para efeitos de prosseguimento de estudos no ensino superior. Estes planos compreendem as componentes de formação geral e científica e de formação tecnológica, que perfazem cerca de 860 h (aproximadamente um ano) e complementada pela formação em contexto de trabalho (540h, entre três a seis meses) a ser realizada em várias empresas da região.

76 76 Cursos de Especialização Tecnológica O que confere? A conclusão de um CET com aproveitamento: Confere um Diploma de Especialização Tecnológica; Pode dar acesso a um Certificado de Aptidão Profissional de nível V, reconhecido a nível europeu. Os titulares de um diploma de especialização tecnológica podem concorrer à matrícula e inscrição no ensino superior através do concurso especial. Ver Decreto Lei nº 88/2006 que regulamenta os CET

77 77 Cursos de Especialização Tecnológica 1º exemplo: Instituto Superior de Engenharia de Coimbra Cursos de Especialização Tecnológica disponíveis: Automação, Robótica e Controlo Industrial Construção Civil e Obras Públicas Construção e Administração de Websites Energia e Automação Tecnologia e Programação de Sistemas de Informação Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Tecnologia e Gestão Automóvel

78 78 Cursos de Especialização Tecnológica 2º exemplo: Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra Cursos de Especialização Tecnológica disponíveis: Aplicações Informáticas de Gestão (Formulário de candidatura online)

79 79 Cursos de Especialização Tecnológica 3º exemplo: Universidade de Aveiro

80 80 Cursos de Especialização Tecnológica Exemplos de CET na Universidade de Aveiro:

81 81 Onde podem obter mais Informações?

82 82 Podem obter mais Informações Para obter informações sobre o ensino secundário, o ensino superior e o acesso ao ensino superior pode dirigir-se: Ao Centro de Informação e Relações Públicas do Ministério da Educação Av. 5 de Outubro, 107, R/C, Lisboa Telefone: / Fax: À Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular - Júri Nacional de Exames Av. 24 de Julho, º, Lisboa À Direcção-Geral do Ensino Superior - Direcção de Serviços do Acesso ao Ensino Superior Av. Duque DÁvila, n.º 137, Lisboa Telefone: / Fax: l: / Sítio de Internet: Para obter informações sobre os cursos do ensino superior, dos seus planos de estudo e dos pré-requisitos exigidos para acesso a cada um deles, deverá dirigir-se directamente aos estabelecimentos de ensino superior.

83 83 Podem obter mais Informações Para obter informações sobre o ensino secundário, o ensino superior e o acesso ao ensino superior pode dirigir-se: Aos gabinetes de acesso ao ensino superior

84 84 Podem obter mais Informações Para obter informações sobre o ensino secundário, o ensino superior e o acesso ao ensino superior pode dirigir-se: Aos gabinetes de acesso ao ensino superior

85 85 Documentos de suporte Guia Geral de Exames 2011 Guia das Provas de Ingresso do Ensino Superior Público 2011 Guia das Provas de Ingresso do Ensino Superior Privado e Universidade Católica Portuguesa 2011 Concurso Nacional de Acesso: 2010 em Números


Carregar ppt "CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES (CNO) da ESCOLA SECUNDÁRIA DE CANTANHEDE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google