A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bibliometria do Cancro em Portugal: 1997 a 2006 Helena Donato HUC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bibliometria do Cancro em Portugal: 1997 a 2006 Helena Donato HUC."— Transcrição da apresentação:

1 Bibliometria do Cancro em Portugal: 1997 a 2006 Helena Donato HUC

2 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20082 Without publication, science is dead Gerard Piel Razões para escrever

3 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20083 A publicação científica é uma etapa-chave de todo projecto de investigação Etapa em que os resultados são submetidos ao escrutínio público Razões para escrever

4 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20084 Em Medicina, independentemente dos resultados espectaculares obtidos, a tarefa não estará completa até que esses resultados sejam publicados Primeiro faça boa ciência, depois publique boa ciência a naturalist´s life would be a happy one if he had only to observe and never to write Charles Darwin Razões para escrever

5 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20085 Razões para escrever Publish or Perish - todos nós ouvimos ou lemos estas palavras O número e qualidade de artigos publicados é importante, quiça um dos factores mais relevantes que decidem uma carreira

6 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20086 Introdução Bibliometria em conjunto com o peer-review tem sido usada para julgar e quantificar a importância de autores e investigações científicas

7 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20087 Introdução Estudos bibliométricos baseados em dados procedentes de publicações científicas, experimentaram grande desenvolvimento nos últimos anos nos países mais avançados Em Portugal há poucos estudos deste tipo, pelo menos na área da biomedicina Donato HM, De Oliveira CF. Patologia mamaria: avaliação da actividade cientifica nacional através de indicadores bibliométricos:1995 Julho 2005. Acta Med Port. 2006;19(3):225-34

8 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20088 Bibliometria O que é a Bibliometria? Ciência que permite a análise quantitativa e qualitativa da produção científica através da avaliação da literatura produzida O que estuda? Autores Assuntos Revistas Departamentos Países

9 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20089 Estudos Bibliométricos Baseiam-se na análise estatística de dados quantitativos e qualitativos procedentes da literatura científica Constituem ferramenta essencial para estudo da actividade investigadora Fornecem dados interessantes sobre a situação científica de um país ou tema de investigação Permitem avaliar rendimento da actividade científica e o seu impacto na sociedade

10 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200810 Indicadores Bibliométricos Aplicam-se fundamentalmente a artigos científicos, por considerar que estes são a manifestação mais elaborada de um investigador e permitem o seu reconhecimento profissional, reflectindo a bibliografia a actividade científica

11 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200811 Recursos de Bibliometria O recurso de bibliometria mais usado é o produzido pela Thomson Scientific (Institute for Scientific Information), o Web of Science (WOS) Avalia os artigos publicados em mais de 8700 revistas Publica também anualmente um índice (Journal Citation Reports) baseado nos artigos citados

12 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200812 Recursos de Bibliometria Até 2005 a WOS foi a única fonte disponível para efectuar análise de citações Em Novembro 2004 apareceram 2 competidores: Scopus Google Scholar 2005 marca o fim do monopólio de 40 anos da análise de citações feita pela Thomson Scientific

13 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200813 Google Scholar http://scholar.google.com

14 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200814 Google Scholar Desenvolvida pelo gigante da pesquisa na Internet o Google Não fornece lista de revistas incluídas nem datas de cobertura Cobre também preprints, websites académicos e governamentais Não indica os critérios aplicados na selecção Duplica citações, contabiliza a citação publicada em 2 formas distintas: Preprint em repositórios institucionais Artigo publicado em revista

15 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200815 Scopus http://www.scopus.com

16 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200816 Scopus Produzida pela Elsevier Não foi projectada como índice de citações Principal função é a pesquisa por assunto e autor Apesar de permitir saber o número de citações artigo a artigo, não dispõem de uma ferramenta semelhante ao JCR Oferece uma cobertura 20% superior à WOS na área médica (100% das revistas tratadas na Medline)

17 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200817 Scopus Análise de citações só após 1995 Elsevier é a editora com mais revistas tratadas (Elsevier é 15% da Scopus) 85% das revistas são escritas em inglês 0,43% em português

18 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200818

19 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200819

20 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200820 Web of Science (WOS) Optamos pela WOS: Maior detalhe de análise de citações que o Scopus Scopus tem mais revistas mas a selecção é menos criteriosa: escolhidas em função de terem um sistema de peer-review Fornece bons gráficos Tem dominado o campo da referência académica

21 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200821 Objectivos Este estudo centra-se : Na contribuição dos autores portugueses na produção científica internacional na campo específico da Oncologia Na análise da produção científica correspondente ao período de 1997 a 2006

22 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200822 Objectivos Com informação compilada calcularam-se os seguintes indicadores: Quantitativos Qualitativos

23 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200823 Indicadores Quantitativos Índice de produtividade das instituições Índice de produtividade de autores Crescimento da produção nacional em publicações internacionais

24 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200824 Indicadores Qualitativos ou de Impacto Influência e a visibilidade da produção científica (Factor de Impacto) Os indicadores bibliométricos mais utilizados para medir a qualidade da actividade científica baseiam-se: No número de citações recebidas pelos trabalhos publicados No impacto das revistas onde foram publicados

25 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200825 Journal Citation Reports (JCR) Para aceder ao prestígio das revistas ou qualidade de publicação usámos o indicador chamado Factor de Impacto (FI) publicado anualmente no JCR, secção da Web of Science e calculado pelo Thomson Scientific O JCR categoriza as publicações por áreas específicas, estabelecendo ranking de prestígio Utilizámos o FI tal como figura no JCR de 2006 FI é calculado para as revistas que são indexadas na WOS

26 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200826

27 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200827 Factor de Impacto (FI) FI desenvolvido na década de 1960 por E Garfield e IH Sher, a partir da análise das citações ganhou aceitação como medida quantitativa da qualidade das revistas FI de uma revista num determinado ano é a razão simples do número de citações recebidas pelos artigos publicados nos 2 anos anteriores, relativo ao número total de artigos publicados nos mesmos 2 anos

28 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200828 Factor de Impacto (FI) FI = citações em 2006 de artigos publicados em 2005 e 2004 artigos publicados em 2005 e 2004 Ex.:

29 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200829 Factor de Impacto (FI) FI constitui um dos poucos meios, senão o único credível, para avaliar a influência de uma revista no mundo científico internacional. Apesar das indubitáveis limitações ganhou aceitação por parte da comunidade científica Publicar em revistas com FI aumenta a visibilidade, prestígio e influência entre os pares FI tem algumas fraquezas

30 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200830 Cuidado com uso do Factor de Impacto (FI) Não se pode comparar o FI de diferentes áreas Favorece áreas com número elevado de investigadores, quanto mais investigadores maior a possibilidade de citar revistas maior FI na categoria Obstetrics & Gynecology é de 6.793. Em Oncology o CA Cancer J Clin o 1º do ranking desta categoria tem FI de 63.342, significará que Oncology é 10X mais importante que Obstetrics & Gynecology ?

31 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200831 Cuidado com uso do Factor de Impacto (FI) Disciplinas diferentes têm práticas de citação distintas Revistas gerais dada a sua abrangência têm vantagem em relação às revistas de especialidades Revistas de investigação têm melhor posição que as clínicas: trabalhos clínicos citam artigos de investigação mas o inverso não se verifica trabalhos clínicos são muito lidos e usados para melhorar diagnóstico, tratamento, mas raramente são citados

32 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200832 Cuidado com uso do Factor de Impacto (FI) Tamanho da revista é importante - quanto mais artigos contém mais baixo pode ser o seu FI O tipo de artigos pode influenciar o FI - revistas que publicam artigos de revisão têm FI superiores Maior disponibilidade tende a aumentar o FI (free access= maximum visibility= higher chances to be cited) Artigos fracos e controversos podem aumentar FI O FI pode ser manipulado por autores e editores, através da auto-citação Domínio das publicações americanas (EUA 2.385) Preferência pela língua inglesa (UK 1.292 ; FR 137) Favorece campos em que a literatura rapidamente se torna obsoleta

33 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200833 Factor de Impacto (FI) Apesar das numerosas críticas que recebe, o FI converteu-se numa espécie de carta de apresentação das revistas científicas Um indicador de qualidade, porque se baseia no reconhecimento do seu valor pela comunidade científica através da citação Ferramenta mais utilizada pela comunidade científica internacional para avaliar a qualidade de um trabalho científico ou prestígio de uma revista

34 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200834 Recolha de Dados Estudo foi realizado utilizando a Bases de Dados Web of Science (WOS) – http://isiknowledge.com Utilizamos para estabelecer comparações Medline / Pubmed IndexRMP

35 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200835 Pesquisa Recolhemos todos os documentos publicados entre 1997 e 2006 sobre a nossa temática em que pelo menos um autor pertence a uma instituição portuguesa Considerámos todos os artigos independentemente da sua tipologia (revisões, ensaios clínicos, cartas, editoriais…)

36 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200836 Estratégia de Pesquisa O termo usado foi a explosão de Neoplasms Pesquisa também em linguagem natural (ex: tumor*, cancer*, etc) Limite: 1997 a 2006 Limite: Portugal no campo Address na WOS e no Affilliation na Pubmed

37 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200837 Resultados WOS 1.384 artigos PubMed 1.047 artigos Desses 179 foram publicados em revistas portuguesas IndexRMP 575 artigos

38 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200838 Resultados

39 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200839 Resultados A contribuição científica portuguesa na produção científica internacional no campo da Oncologia durante o período estudado, teve um crescimento de 214%

40 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20084021-01-2014Actualizações em Oncologia 200840 214% Evolução da produção de Artigos Científicos 1997-2006

41 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200841 Resultados Quanto aos idiomas de publicação dos documentos são: 99% em inglês 0,4% em espanhol 0,2% em francês 0,1% em alemão

42 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20084221-01-2014Actualizações em Oncologia 200842 Línguas

43 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200843 Produtividade dos Autores Portugueses Quanto à distribuição por autores: 10 autores são responsáveis por 46% dos documentos, contribuindo com mais de 40 trabalhos no mínimo

44 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200844

45 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200845 Co-autoria Em biomedicina a regra é a co-autoria nos trabalhos, os autores portugueses seguem essa tendência internacional Taxa de co-autoria tende a aumentar ao longo dos anos Pequeno aumento no número médio de autores por documento

46 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200846 Análise Qualitativa dos Resultados Análise de dados qualitativos procedentes da literatura científica permite avaliar: O rendimento da actividade científica e o seu impacto na comunidade A repercussão do conjunto da produção científica portuguesa na área da Oncologia determinada pelo número de citações obtidas pelos artigos publicados

47 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200847

48 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200848

49 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200849 Análise Qualitativa dos Resultados Trabalhos efectuados em colaboração internacional recolheram maior número de citações Artigos de investigação são mais citados que os clínicos Os 1.384 artigos foram publicados em revistas com FI atribuído

50 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200850

51 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200851

52 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200852 Análise Qualitativa dos Resultados Categorias do JCR mais utilizadas são: Oncology Pathology

53 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200853 21 Categoria - Oncology 7ª

54 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200854 35 45 2ª 1ª

55 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200855 27 23 Categoria - Pathology 3ª 6ª

56 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20085621-01-2014Actualizações em Oncologia 200856

57 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20085721-01-2014Actualizações em Oncologia 200857

58 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200858 Conclusão Contribuição portuguesa na produção científica internacional na área da Oncologia no período estudado é de 0,21 %

59 21-01-2014Actualizações em Oncologia 20085921-01-2014Actualizações em Oncologia 200859 Produção científica mundial (0,21%)

60 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200860 Conclusão Literatura científica portuguesa nesta área sofreu um aumento considerável nos últimos 10 anos, a nível quantitativo (214%), mas também a nível qualitativo

61 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200861 Conclusão Crescente visibilidade da investigação avaliada pelo incremento experimentado no número de artigos publicados em revistas internacionais de prestígio, publicação em revistas bem posicionadas no ranking da sua categoria Incremento da colaboração Internacional Aumento qualitativo (evolução positiva da investigação portuguesa na área)

62 21-01-2014Actualizações em Oncologia 200862 Leituras recomendadas Bakkalbasi N, Bauer K, Glover J, Wang L. Three options for citation tracking: Google Scholar, Scopus and Web of Science. Biomed Digit Libr. 2006 Jun 29;3:7 Falagas ME, Pitsouni EI, Malietzis GA, Pappas G. Comparison of PubMed, Scopus, Web of Science, and Google Scholar: strengths and weaknesses. FASEB J. 2007 Sep 20; [Epub ahead of print] King DA. The scientific impact of nations. Nature 2004;430(6997):311-6. Manske PR. The impact of the impact factor. J Hand Surg [Am] 2004;29(6):983-6 Moya-Anegon FD. Coverage analysis of Scopus:a journal metric approach. Scientometrics 2007;73(1), 53-78 Nayak BK. The enigma of impact factor. Indian J Ophthalmol. 2006 Dec;54(4):225-6. Scully C, Lodge H. Impact factors and their significance; overrated or misused? Br Dent J 2005 ;198(7):391-3


Carregar ppt "Bibliometria do Cancro em Portugal: 1997 a 2006 Helena Donato HUC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google