A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação do Desempenho. Estabelecimento no Plano de Actividades, dos objectivos estratégicos para a Escola. Estabelecimento dos objectivos para os SAE,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação do Desempenho. Estabelecimento no Plano de Actividades, dos objectivos estratégicos para a Escola. Estabelecimento dos objectivos para os SAE,"— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação do Desempenho

2 Estabelecimento no Plano de Actividades, dos objectivos estratégicos para a Escola. Estabelecimento dos objectivos para os SAE, Sector Auxiliar, Cozinha, Bufete, etc… Ciclo anual de Gestão Art.º 5º da Lei n.º 10/2004 de 22/03

3 Negociação dos objectivos a atingir por cada trabalhador. Elaboração do Relatório de Actividades. Avaliação dos Desempenhos.

4 Dos funcionários, agentes e demais trabalhadores e dos dirigentes intermédios. Dos Serviços e Organismos da administração directa do Estado e dos Institutos Públicos Avaliação dos Desempenhos Art.º 1º da Lei n.º 10/2004 de 22/03

5 Auto-avaliação. Serviços de controlo e auditoria. Entidades externas. Avaliação dos Serviços e Organismos Art.º 18º da Lei n.º 10/2004 de 22/03

6 Negociação de objectivos e resultados a atingir. Auto-avaliação. Avaliação prévia. Harmonização das avaliações. Fases do procedimento Art.º 13º da Lei n.º 10/2004 de 22/03

7 Entrevista com o avaliado. Homologação. Reclamação. Recurso hierárquico.

8 c) A definição dos objectivos deve ser clara e dirigida aos principais resultados a obter pelo colaborador no âmbito do plano de actividades do respectivo serviço. b) Os objectivos devem ser acordados entre avaliador e avaliado no início do período da avaliação prevalecendo, em caso de discordância, a posição, do avaliador; a) O processo de definição de objectivos e indicadores de medida, para os diferentes trabalhadores, é da responsabilidade de cada organismo; Objectivos Art.º 3º da Dec. Reg. n.º 19-A/2004 de 14/05

9 f) Os objectivos devem ser sujeitos a ponderação, não podendo cada um deles ter valor inferior a 15% ou a 20%, consoante tenham sido fixados, respectivamente, em cinco ou menos objectivos. e) São objectivos de responsabilidade partilhada os que implicam o desenvolvimento de um trabalho em equipa ou esforço convergente para uma finalidade determinada; d) Os objectivos a fixar devem ser no máximo cinco e no mínimo três, dos quais pelo menos um é de responsabilidade partilhada;

10 2 - De acordo com os indicadores de medida de concretização previamente estabelecidos, cada objectivo é aferido em três níveis: Nível 5 – superou claramente o objectivo; Nível 3 – cumpriu o objectivo; Nível 1 – não cumpriu o objectivo; 3 – a avaliação desta componente resulta da média ponderada dos níveis atribuídos.

11 i) ser sempre vistos como uma melhoria e não como algo que a UO já faz; iii) ser estabelecidos em todos os níveis da estrutura hierárquica (em cascata) sobretudo devido à forma piramidal da estrutura funcional da Administração Pública; ii) ser em número limitado; Critérios Gerais para definição de objectivos Res. Cons. Min. N.º 53/2004 de 21/04 (pag. 2397)

12 iv) começar por serem definidos pela gestão de topo, para que, aos vários níveis da estrutura hierárquica, todas as UO ajustem os seus objectivos ao objectivo global comum; v) ser acertados entre o superior hierárquico e o seu subordinado, para que este assuma o compromisso de os atingir; vi) ser suporte para a UO, reflectindo as necessidades mais importantes para as suas funções;

13 vii) estar sempre orientados para resultados, isto é, enunciados em termos de uma consequência desejada, com o fim de melhoria; viii) ir para a além de simples intenções; ix) ser simples, concisos e claros nas suas finalidades;

14 xii) ser individualizados, isto é, cada objectivo deve reportar a uma e só uma UO (não deve, portanto, ter-se como objectivo algo que requeira a colaboração de outra UO); xi) ser mensuráveis, isto é, estar associados a indicadores de aferição do grau do seu cumprimento (indicadores de desempenho previamente identificados); x) estar alinhados com os objectivos da reforma e ainda com os estipulados num nível hierárquico superior;

15 xiii) ser accionáveis, isto é, nenhum objectivo deve incidir sobre questões fora do controle da respectiva UO; xiv) ser realizáveis; xv) ser bem definidos no tempo, contemplando, portanto, o prazo previsto para a sua consecução;

16 Produtividade e gestão da despesa Qualidade de serviço e impacto na sociedade Instrumentais: Motivação Gestão dos R. H. Outros Avaliação de Desempenho Tipologia de objectivos Res. Cons. Min. N.º 53/2004 de 21/04 (pag. 2398)

17 Exemplos práticos de objectivos de qualidade de serviços e impacto na sociedade Reduzir em 5% o número de erros na elaboração dos contratos Elaborar a Conta de Gerência no prazo de 15 dias, após o encerramento do ano económico Instruir processos dos contratos do pessoal docente no prazo de 48 horas Atingir a taxa de 20%, por via electrónica, das comunicações escritas Avaliação de Desempenho

18 Exemplos práticos de objectivos de produtividade e gestão da despesa Aumentar, diariamente, em 30% o n.º de requerimentos tratados informaticamente para as inscrição nos exames nacionais Aumentar em 10% o n.º de certidões de habilitações passadas por funcionário Aumentar em 100% a elaboração de requisições oficiais Avaliação de Desempenho

19 Exemplos práticos de objectivos instrumentais Aumentar em 5% o n.º médio de horas gastas mensalmente em reuniões de coordenação Aumentar em 10% o n.º médio de horas gastas anualmente em formação Elaborar Manual de Padrões de Qualidade para os SAE Avaliação de Desempenho

20 Passo 1 – Definir intenção de melhoria e indicadores base associados Exemplos: Intenção: Melhorar o registo dos livros oficiais da contabilidade Indicadores base: N.º de erros Prazos de registo Os 5 passos para a definição de objectivos Res. Cons. Min. N.º 53/2004 de 21/04 (pag. 2399)

21 Passo 2 – Seleccionar indicadores relevantes para a unidade em conta Exemplos: Indicadores elementares seleccionados: N.º de erros na escrituração dos livros oficiais da escola N.º de erros na escrituração dos livros Caixa N.º de erros na escrituração do Conta-Correntes. Prazos para o registo no RDF Prazos para o registo do livro Caixa.

22 Passo 3 – Verificar a consistência para os indicadores definidos Os indicadores definidos medem de facto o que se pretende?

23 Passo 4 – Especificar em detalhe os indicadores a utilizar Definir metodologias de cálculo Fontes de informação

24 Passo 5 – Definir aspirações de melhoria relativamente à situação de partida Transformar a intenção em objectivos Ou seja Quantificar a intenção


Carregar ppt "Avaliação do Desempenho. Estabelecimento no Plano de Actividades, dos objectivos estratégicos para a Escola. Estabelecimento dos objectivos para os SAE,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google