A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Por uma escola do Futuro ! Para uma escola de Futuro ! Uma visão do exterior João Manuel C.Serpa Animador sociocultural Fev 2000 INOVAÇÃO & INTERCÂMBIO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Por uma escola do Futuro ! Para uma escola de Futuro ! Uma visão do exterior João Manuel C.Serpa Animador sociocultural Fev 2000 INOVAÇÃO & INTERCÂMBIO."— Transcrição da apresentação:

1

2 Por uma escola do Futuro ! Para uma escola de Futuro ! Uma visão do exterior João Manuel C.Serpa Animador sociocultural Fev 2000 INOVAÇÃO & INTERCÂMBIO Associação sociocultural para a inovação e mudança educativa

3 Conhecer o chão que pisamos...

4 Percentagem de População entre anos por nível de educação mais elevado 1996 PAÍSESATÉ AO 3º CICLO E.B.ENSINO SECUNDÁRIOENSINO SUPERIOR AUSTRIA29638 BÉLGICA DINAMARCA FINLANDIA FRANÇA ALEMANHA GRÉCIA IRLANDA ITÁLIA62308 LUXEMBURGO PORTUGAL80910 HOLANDA ESPANHA SUÉCIA REINO UNIDO MÉDIA OCDE40 20 PORTUGAL ,114,219,7 FONTE::OCDE

5 E OS NOVOS EUROPEUS FONTE::OCDE

6 Os cenários prospectivos

7 Cenários para o sistema educativo: Décadas 2000/2020 DESIGNAÇÃOCARACTERÍSTICAS PESO PREVISTO SOCIEDADE EDUCATIVA Generalização a toda a sociedade de actividades de formação permanente. A educação como reinvindicação social principal. Utilização e ocupação sistemática dos novos dispositivos e dos meios de comunicação de massa 0,2 SOCIEDADE DUALIZADA 2 sistemas educativos em funcionamento simultaneo. Acumulação dos factores de diferenciação. Aumento da conflitualidade no interior do sistema,donde reforço do papel interventivo do estado. O apoio financeiro condicionado à avaliação e fiscalização Instabilidade ou contradição entre a necessidade de satisfazer as expectativas sociais e a necessidade de satisfazer exigências competitivas. 0,4 CRISE REGRESSIVA Competição entre a inteligência da força e a inteligência educada. Dualização conflitual da sociedade em função das competências, com reflexos nas crescentes desigualdades de rendimentos. Sistema de ensino gerido em função de médias, com nivelamento por parametros médio-inferiores,impedindo a formação de recursos humanos devidamente qualificados. Na ausencia de recursos humanos qualificados a procura empresarial cessa ou tende a dirigir-se para outras fontes 0,4 Adaptado e resumido de Aguiar, J., A Sociedade e o Estado: Novas dinamicas, novas missões da educação, ed. DAPP,1999

8

9 Velhos e novos paradigmas

10 MODELO ANTIGO MODELO NOVO CARACTERÍSTICASIMPLICAÇÕES TECNOLÓGICAS DE GESTÃOFINANCEIRAS LEITURAS E/OU EXPOSIÇÃO DISCURSIVA NA SALA DE AULA EXPLORAÇÃO INDIVIDUAL PCS EM REDE COM ACESSO À INFORMAÇÃO ABSORÇÃO PASSIVAAPRENDIZAGEM AMIGÁVEL REQUER INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO E SIMULAÇÃO TRABALHO INDIVIDUAL APRENDIZAGEM EM EQUIPA E FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO PROFESSOR OMNISCIENTE PROFESSOR COMO GUIA APOIA-SE NO ACESSO A ESPECIALISTAS ATRAVÉS DE REDES INFORMÁTICAS CONTEÚDOS ESTÁVEIS CONTEÚDOS EM RÁPIDA MUDANÇA REQUER REDES E FERRAMENTAS DE PUBLISHING HOMOGENEIDADEDIVERSIDADEREQUER VARIEDADE DE MÉTODOS E FERRAMENTAS COMPREENSÃO DA NECESSIDADE DE MUDANÇA E MOTIVAÇÃO PARA A MESMA AUMENTO DOS RECURSOS DISPONIVEIS E SUA AFECTAÇÃO RIGOROSA. CAPACIDADE DE LIDERANÇA EM GERAL E DA INOVAÇÃO E MUDANÇA EM PARTICULAR APROVEITAMENTO DO QCA III, SUJEITO A CONTROLO QUALITATIVO RIGOROSO MOTIVAÇÃO PARA O REAL ENVOLVIMENTO DE TODOS OS ACTORES DISPONIVEIS ORIENTAÇÃO DETERMINADA PARA AS PARCERIAS. (PARCERIAS NÃO FILANTROPISMO) CULTURA DE AVALIAÇÃO QUALITATIVA E ACEITAÇÃO DO CONTROLO PÚBLICO DEMOCRÁTICO PROCURA DE RECURSOS PRÓPRIOS. DISCRIMINAÇÃO SALARIAL POSITIVA

11 Algumas condições para a afirmação do novo paradigma. Uma efectiva cultura de participação democrática. Gestão de tipo novo e cultura de avaliação qualitativa. Projecto educativo,actores e parcerias. Estratégias activas face à resistência à mudança e ao desvio tecnocrático. JS 2000

12 0 detentor mais seguro dos poderes últimos da sociedade é o povo ele próprio; se pensamos que o povo não é suficientemente clarividente para exercer aquele controlo com inteira competência, o remédio não está em lhe retirar o controlo, mas em informar a sua competência. Thomas Jefferson

13 Algumas dúvidas e perigos Existem na escola as forças e motivações necessárias à mudança ? Embora desejáveis, os pequenos passos na direcção certa, serão suficientes ? Evitar a introdução de roturas controladas, hoje,...não conduzirá à rotura descontrolada a curto prazo ? JS 2000

14 0 detentor mais seguro dos poderes últimos da sociedade é o povo ele próprio; se pensamos que o povo não é suficientemente clarividente para exercer aquele controlo com inteira competência, o remédio não está em lhe retirar o controlo, mas em informar a sua competência. Thomas Jefferson

15 Até que en... FIM


Carregar ppt "Por uma escola do Futuro ! Para uma escola de Futuro ! Uma visão do exterior João Manuel C.Serpa Animador sociocultural Fev 2000 INOVAÇÃO & INTERCÂMBIO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google