A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As empresas e o combate à pobreza, ao desemprego e à exclusão Logoplaste 18 de Abril de 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As empresas e o combate à pobreza, ao desemprego e à exclusão Logoplaste 18 de Abril de 2009."— Transcrição da apresentação:

1 As empresas e o combate à pobreza, ao desemprego e à exclusão Logoplaste 18 de Abril de 2009

2

3 Fundada em fábricas em 17 países: Angola, Austria, Brasil, Canada, Espanha, E.U.A, França, Holanda, Irlanda, Italia, Malásia, México, Portugal, Reino Unido, República Checa, Rússia e Ucrânia. Entre as 5 maiores empresas europeias transformadoras de matérias plásticas. 2ª maior empresa brasileira transformadora de matérias plásticas. Numero 1 em unidades integradas na Europa e Brasil toneladas de matéria-prima processada em milhões de embalagens vendidas em factos

4 evolução das vendas 4 milhões de euros Compound Annual Growth Rate 18% 1992 LOGOPLASTE COMEÇA EXPANSÃO INTERNACIONAL Taxa de Crescimento Anual 18%

5 ANGOLA AUSTRIA BRASIL CANADA EUA ESPANHA FRANÇA HOLANDA IRLANDA ITALIA MALÁSIA MEXICO PORTUGAL REINO UNIDO REP. CHECA RUSSIA UCRÂNIA 53 fábricas

6 objectivo : garantir o futuro Satisfação dos clientes. Confiança. Inovação e diferenciação Crescimento. Capacidade de resposta global Rentabilidade e equilíbrio financeiro Mobilização de talentos. Qualidade, motivação e cultura Responsabilidade social e ambiental activa Best practices e next practices One Logoplaste. Promover sinergias

7 7 evolução dos recursos humanos

8 necessidade de talentos Talento: Capacidade técnica, valores, alma e paixão Base de competitividade. Cultura e conhecimento. Empresa não é o que faz mas sim o que sabe Paradoxo: Quanto mais somos mais a empresa depende de cada um de nós

9 9 Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil responsabilidade social

10 Crianças e adolescentes com problemas de desenvolvimento Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil Autismo Síndrome de Asperger Dislexia Síndrome de défice de atenção e hiperactividade Síndrome de Down Síndrome de X Frágil 1 em cada em cada em cada a 5% de crianças em idade escolar 1 em cada em cada 2000

11 11 objectivos do CADin Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil Ser um dos principais centros Europeus no tratamento das disfunções de desenvolvimento infantil. Ser uma referência europeia na investigação nas áreas de neuropediatria, pedopsiquiatria e pedofisiatria. Ser acessível aos segmentos mais pobres da população Ajudando à integração das crianças com deficiência na sociedade portuguesa

12 o projecto Iniciativa de cidadania promovida em Janeiro de 2003 por várias empresas focadas na responsabilidade social. Fundadores Banco Comercial Português Banco BPI Caixa Geral de Depósitos CAP GEMINI Portugal Fundação Calouste Gulbekian Fundação Oriente Fundação Stanley Ho GALP Energia Logoplaste

13 13 estrutura de suporte Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil 13 Medicos 39 Especialistas 11 Administrativos 2 Voluntários

14 14 evolução Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil Número de pacientes

15 15 actividade 2008 Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil Diagnosticar, avaliar, intervir Novas familias Consultas Avaliações Sessões de apoio Apoiar (Bolsa Social) Consultas Avaliações Sessões de apoio % de utilizadores em intervenções suportadas pela Bolsa Social 26% 35% 33%

16 16 opções estratégicas Garantir o futuro. Sustentabilidade a longo prazo Valorizar as pessoas. Mobilizar talentos Promover uma política activa de responsabilidade social.

17 17 responsabilidade social Valores profissionais iguais aos valores pessoais Solidariedade é uma necessidade / dever ético num país com carências profundas e não o tributo que o capitalismo presta à virtude

18 18 responsabilidade social Oportunidade para criar valor partilhado entre a sociedade e a empresa Factor de coesão e motivação Vantagem competitiva na relação com clientes

19 19 pobreza em Portugal Cerca de pobres. 18% da população tem menos de 378 euros de rendimento por mês. Antes de transferências sociais a pobreza atinge 40% da população Após transferências sociais 26% dos portugueses com mais de 65 anos são pobres. A pobreza atinge 21% dos jovens com menos de 17 anos. Das famílias com 3 ou mais crianças 43% são pobres após trasnferências sociais.

20 20 evolução da educação Portugal UE Jovens anos com ens. secundário 47,1% 53,4% 69,6% 75,2% Abandono escolar jovens anos 40,6% 36,3% 20,6% 16,9% População anos com ens. secundário 22% 27,5% 57,4% 67,5%

21 21 crescimento económico Desde 2002 estamos a empobrecer relativamente à UE. Crescemos em média metade da zona Euro. Nos últimos 10 anos apenas crescemos mais que a Itália no conjunto dos 27 países da UE. Passámos de 25º em 2004 para 43º no ranking de competitividade do World Economic Forum A produtividade tem evoluído marginalmente. De 67,7% de média da UE em 1998 passámos para 70,7% em Temos aumentado o nosso endividamento externo sistemáticamente desde Taxa potencial de crescimento do PIB caiu para 1,2% - 1,5%.

22 22 novas políticas públicas Promover a qualificação dos recursos Alterar a afectação de recursos Valorizar as empresas em especial as PME para potenciar capacidade de criar riqueza e reduzir pobreza

23 23 novas políticas públicas promover a qualificação de recursos Ensino secundário. Abandono escolar jovens que nos últimos dez anos abandonaram o ensino

24 24 novas políticas públicas alterar a afectação de recursos Despesa pública Investimento público Sistema fiscal Legislação laboral Lei das rendas Licenciamento dos investimentos Lei das falências etc

25 25 novas políticas públicas valorizar as empresas Novo discurso e nova prática. País depende de empresas competitivas em especial das exportadoras Visão global da economia. Medidas transversais. Importância das PME

26 26 renovação das estratégias empresariais novo pensamento estratégico e nova filosofia de gestão Visão alargada dos mercados. Novo mundo deve ser o próprio mundo. Pelo menos a Europa. Melhorar a qualidade do investimento. Sustentabilidade depende da rentabilidade dos activos e não do valor dos activos e vendas. Dar um novo valor às pessoas. Qualificar. Desenvolver e reter talentos é decisivo. Apostar na inovação e no conhecimento. Empresa não é o que faz mas o que sabe. Promover alianças e integrar redes de empresas. Quem compete são ofertas e não empresas.

27 27 obrigado! Logoplaste


Carregar ppt "As empresas e o combate à pobreza, ao desemprego e à exclusão Logoplaste 18 de Abril de 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google