A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ludwig Krippahl, 2007 Programação para as Ciências Experimentais 2006/7 Teórica 11.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ludwig Krippahl, 2007 Programação para as Ciências Experimentais 2006/7 Teórica 11."— Transcrição da apresentação:

1 Ludwig Krippahl, 2007 Programação para as Ciências Experimentais 2006/7 Teórica 11

2 Ludwig Krippahl, Na aula de hoje... Excel Macros Histogramas. Referência dinâmica (OFFSET) Formatação condicional Cálculo condicional (SUMIF, COUNTIF) Strings Informação sobre conteúdo das células Trabalho 2

3 Ludwig Krippahl, Macros «Macro-instrução» Conjunto de instruções que é executado como uma só (significado inicial, 1970s). Hoje em dia tem um significado mais geral, refere-se a qualquer programa escrito numa linguagem usada para controlar uma aplicação. No caso do Excel, Visual Basic.

4 Ludwig Krippahl, Macros Gravar macro:

5 Ludwig Krippahl, Macros Gravar macro: Tools->Macro->Record new Macro Dar nome (e.g. Ordenar).

6 Ludwig Krippahl, Macros Gravar macro: Tools->Macro->Record new Macro Dar nome (e.g. Ordenar). No final, carregar no stop

7 Ludwig Krippahl, Macros Alternativas para correr a macro: Tools->Macro->Macros->Run Usar a combinação de teclas definida quando gravámos (ou definir uma em Tools->Macro- >Macros->Options Atribuir a macro a um objecto na folha (um botão, um desenho). Para um desenho, click botão da direita e Assign Macro.

8 Ludwig Krippahl, Macros Bom para tarefas repetitivas de formatação, ordenação, reposicionar dados, etc.

9 Ludwig Krippahl, Macros Para ver o código: Tools->Macro->Visual Basic Editor Modules

10 Ludwig Krippahl, Macros Sub Ordena() Columns("A:B").Select Selection.Sort Key1:=Range("A2"), Order1:=xlAscending, Header:=xlGuess, _ OrderCustom:=1, MatchCase:=False, Orientation:=xlTopToBottom, _ DataOption1:=xlSortNormal End Sub

11 Ludwig Krippahl, Histogramas Função FREQUENCY( Dados; Separadores) É uma função que devolve um vector de dimensão igual a um mais o número de separadores, com as contagens dos elementos entre os separadores (ou maiores que o último)

12 Ludwig Krippahl, Histogramas DadosSeparadores FREQUENCY

13 Ludwig Krippahl, Referências dinâmicas OFFSET( Célula de referência, a partir da qual contamos as linhas e colunas; Linhas; Colunas; Altura; Largura) Tem que ser usada como argumento de outra função (e.g. SUM, AVERAGE...)

14 Ludwig Krippahl, Referências dinâmicas Exemplo: OFFSET(A1,3,5,2,4) Grupo de 2x4 (altura x largura) células a começar da 3ª linha e 5ª coluna a contar da A1.

15 Ludwig Krippahl, Referências dinâmicas Exemplo:

16 Ludwig Krippahl, Referências dinâmicas É útil para fazer depender a referência de um valor calculado. Por exemplo, com COUNTA, que conta o número de células não vazias. Exemplo =SUM(OFFSET(A1;1;1;COUNTA(B:B)-1;1)) Soma a coluna dos gastos, qualquer que seja o numero de entradas (o -1 desconta o cabeçalho Gastos).

17 Ludwig Krippahl, Formatação Condicional Seleccionar células Format->Conditional Formatting Especificar condições e formatação se as condições forem preenchidas (Exemplo: a vermelho e bold se o gasto for maior que 100).

18 Ludwig Krippahl, Formatação Condicional Seleccionar células Format->Conditional Formatting Especificar condições e formatação se as condições forem preenchidas (Exemplo: a vermelho e bold se o gasto for maior que 100).

19 Ludwig Krippahl, Cálculo Condicional COUNTIF(células, condição) Conta quantas preenchem condição Condição é uma string >20, =12 SUMIF(células, condição, células a somar) Soma as células no último argumento que correspondem às do primeiro que cumprem a condição.

20 Ludwig Krippahl, Strings LEN(string) Comprimento. CONCATENATE(S1;S2;...) União das strings LEFT(string, numero de caracteres) Devolve os primeiros caracteres da string RIGHT(string, numero de caracteres)

21 Ludwig Krippahl, Informação sobre células ISBLANK(célula) True se está vazia ISNA(célula) True se é um erro do tipo #N/A ISERR(célula) True se qualquer erro excepto #N/A ISNUMBER, ISTEXT, ISERROR...

22 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Modelo:

23 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Tem dois parâmetros mas a taxa de recuperação é 1 sobre o tempo médio de hospitalização.

24 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Dados: Doente com alta: Ver radiografias em anexo. Deu entrada a 4 de Maio de Sofre de miopia Teve alta a 10 de Maio de 2007.

25 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Dados: Data em que ficou infectado: Ver radiografias em anexo. Deu entrada a 4 de Maio de Sofre de miopia Teve alta a 10 de Maio de 2007.

26 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Dados: Data em que recuperou (já não conta como I): Ver radiografias em anexo. Deu entrada a 4 de Maio de Sofre de miopia Teve alta a 10 de Maio de 2007.

27 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Dados: Doente que ainda não teve alta (só tem data de entrada): Sofre de miopia Deu entrada a 21 de Maio de Tomou três aspirinas.

28 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Dados: Os dados são datas de entrada e saída Modelo O modelo é acerca do número de susceptíveis, infectados, e recuperados Datas Em cada lote os dados são até ao dia da última entrada. Não podemos saber quantos infectados há depois (quantos entram ou saem)

29 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Actualizar Substituir todos os ficheiros.txt pelos que vêm no novo lote (pacientes sem alta podem já ter tido alta). Exemplo: Maio21.zip: ficheiros 1 a 27 Maio28.zip: ficheiros 1 a 70, para substituir os outros e adicionar mais dados

30 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Ajuste do modelo Pelos ficheiros podem obter o valor de I para cada dia da epidemia (até à data do lote de ficheiros) e o valor da taxa de recuperação. Ajustem o modelo de forma a que o número de infectados no modelo corresponda o melhor possível ao número de infectados observado.

31 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Resultado final Um sistema prático e fácil de usar para se actualizar os dados e ver no Excel a simulação, os dados, e a informação pedida (máximo de infectados ao mesmo tempo, total de afectados ao fim de 100 dias, a simulação para 100 dias, etc...) Deve estar explicado na folha Excel como usar o sistema.

32 Ludwig Krippahl, Trabalho 2 Resultado final

33 Ludwig Krippahl, Próxima aula Dúvidas sobre o trabalho Dicas sobre o exame Estrutura do enunciado Tipos de perguntas Alguns exemplos Revisões, ou o que quiserem (enviem sugestões antecipadamente)

34 Ludwig Krippahl, Dúvidas


Carregar ppt "Ludwig Krippahl, 2007 Programação para as Ciências Experimentais 2006/7 Teórica 11."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google