A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Faculdade de Motricidade Humana Universidade Técnica de Lisboa Carlos Neto F.M.H. ABRIL 2004 DESENVOLVIMENTO DE QUALIDADES FÍSICAS 13º AULA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Faculdade de Motricidade Humana Universidade Técnica de Lisboa Carlos Neto F.M.H. ABRIL 2004 DESENVOLVIMENTO DE QUALIDADES FÍSICAS 13º AULA."— Transcrição da apresentação:

1 Faculdade de Motricidade Humana Universidade Técnica de Lisboa Carlos Neto F.M.H. ABRIL 2004 DESENVOLVIMENTO DE QUALIDADES FÍSICAS 13º AULA

2 A corrida Início: meses após o início da marcha autónoma Padrão maturo: 5-6 anos Diferenças entre sexos: o padrão maturo é atingido no sexo feminino cerca de 12 meses depois dos rapazes. O início da corrida pode ser observado mais cedo nas reparigas. Pré-requisitos: força embro inferior equilíbrio coordenação e controlo Principais transformações verificadas na corrida, em função da idade: - contacto inicial com todo o pé evolui para contacto c/ calcanhar - guarda alta evolui para acção contralateral dos braços - passada curta (aumenta) e grande afastamento lateral dos apoios (diminui) - pequena extensão inicial do pé evolui para grande extensão do pé - redução do ângulo de extensão do joelho de suporte (34 para 15 graus entre os 2 e os 6 anos) - extensão completa do joelho no takeoff - aumento da duração da fase de vôo (swing) - redução da trajectória vertical do centro de massa DM

3 Velocidade de corrida entre os 5 e os 17 anos sexo masculino e feminino (Espenschade, 1960) Algumas referências de velocidade de corrida 2 anos7.2 Km/hsexo feminino 14 anos20 Km/h 5 anos13 Km/hsexo masculino 17 anos23 Km/h 11 anos20 Km/hadulto (atleta)35 Km/h DM

4 SUBIR e DESCER escadas - primeiras manifestações - entre os 10 e os 12 meses - com 13 meses mais de 50% das crianças sobe escadas de gatas - o subir é alcançado antes do descer - as acções com ajuda antecedem as sem ajuda - degraus mais baixos podem ser subidos antes de degraus normais tempo marcado alternado c/ apoio alternado s/ apoio (Wellman, 1937) 3 degraus11 degraus3 degraus11 degraus DM

5 FASES DO MOVIMENTO DE SALTAR DM

6 COORDENAÇÃO PRECISÃO DO MOVIMENTO AHUSTAMENTO POSTURAL EQUILÍBRIO VELOCIDADE REACÇÃO SIMPLES REACÇÃO COMPLEXA ACÇÃO SEGMENTAR FREQUÊNCIA GESTUAL FLEXIBILIDADE ACTIVA PASSIVA FORÇA ESTÁTICA DINÂMICA EXPLOSIVA RESISTÊNCOA RESISTÊNCIA AERÓBIA ANAERÓBIA LÁCTICA ANAERÓBIA ALÁCTICA Qualidades Físicas DM

7 Factores críticos: - ajustamento postural - regularidade do movimento - redução de paratonias e sincinésias - economia da acção - eficácia da acção - estabilidade da prestação - adaptabilidade da resposta - delegação de controlo A coordenação como o domínio progressivo de acções segmentares bem delimitadas Avaliação: - testes de coordenação geral - testes específicos de coordenação - check lists Exemplo de uma chek list para 6 anos de idade: Motricidade fina - vestir-se e despir-se sem ajuda - atar os cordões dos sapatos - desenhar um círculo e um quadrado - recortar com aproximação uma figura geométrica - transportar sem entornar um copo de água Motricidade Grosseira - subir a uma cadeira sem ajuda - deitar-se e levantar-se sem ajuda das mãos - parar uma corrida rápida a um sinal - saltar com 1/4 de volta - saltar a pé coxinho com ambas as pernas (10 metros)

8 fina Algumas referências de velocidade de corrida Pursuit Rotor Task M F M F Iowa - Brace coordenação motora grosseira

9 IIIIVIIIV Evolução da coordenação segmentar (Williams, 1980) DM

10 > s Prestação em equilíbrio estático sobre trave (2 cm) N = 839 Equilíbrio M F DM

11 M F Hand-Grip Montoye e Lamphear (1977) M F força tracção bicípede Meinel e Schnabel (1975) Desenvolvimento da força (3ª infância e adolescência) Correlação elevada entre o hand-grip e outras medidas de força Aumentos de 65% entre os 3 e os 6 anos. Duplica entre os 6 e os 12 anos (M). Incrementos de 360% entre os 6 e os 18 anos. DM

12 M F Salto Vertical Johnson (1968) M F salto em comprimento a pés juntos (Fleishman (1964) e Williams (1982 ) cm Desenvolvimento da força (infância e adolescência) DM

13 Flexibilidade - Grau de mobilidade de um segmento em relação às suas articulações. - É o maior comprimento que se pode imprimir a um músculo afastando as suas inserções. Depende de: - elasticidade - plasticidade - visco-elasticidade - extensibilidade - mecanismos reflexos - facilitação tónica - regulação pelo cerebelo - configuração articular - cartilagem, cápsulas e ligamentos - morfologia - sexo - idade - prática física e hábitos motores - factores ocasionais e ambientais É medida por: - acções articulares simples - medidas compostas (várias articulações) - medidas angulares - medidas lineares - apreciação subjectiva - palpação - em situação activa - em situação passiva DM

14 idade coxo-femural tronco cotovelo ombro Hupprich e Sigerseth (1950) Desenvolvimento da Flexibilidade Aspectos de interesse: - especificidade articular - associação a efeitos degenerativos do envelhecimento - sempre superior no sexo feminino - beneficia de efeitos de treino, mesmo na velhice - fraca correlação entre diferentes medidas - declínios no sexo feminino a partir dos 12 anos - declínios no sexo masculino a partir dos 10 anos - declínios mais rápidos depois dos 50 anos - na prova do sit-and-reach DM

15 Freq. Cardíaca de Repouso recém-nascido ano 100 adolesc. tardia (M) adolesc. tardia (F) jovem adulto (M) 75 jovem adulto (F) 79 depois dos 60 anos decresce (Malina & Bouchard, 1991) (Montoye, Willis & Cunningham, 1974) F M 1 4 l.min l.min M F (Larson, 1974) (Astrand, 1952) Consumo de Oxigénio Desenvolvimento da Resistência DM

16 Desenvolvimento da Resistência F M Capacidade Vital F M 1 4 litros (Ferris & Smith, 1953) Taxa de Hemoglobina (Gramas por cc) Mugrage & Andresen, 1936) Taxa de Hemoglobina DM


Carregar ppt "Faculdade de Motricidade Humana Universidade Técnica de Lisboa Carlos Neto F.M.H. ABRIL 2004 DESENVOLVIMENTO DE QUALIDADES FÍSICAS 13º AULA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google