A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FILOSOFIA MEDIEVAL ANTECEDENTES:ANTECEDENTES: PATRÍSTICA GREGAPATRÍSTICA GREGA EDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINOEDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FILOSOFIA MEDIEVAL ANTECEDENTES:ANTECEDENTES: PATRÍSTICA GREGAPATRÍSTICA GREGA EDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINOEDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINO."— Transcrição da apresentação:

1 FILOSOFIA MEDIEVAL ANTECEDENTES:ANTECEDENTES: PATRÍSTICA GREGAPATRÍSTICA GREGA EDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINOEDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINO EDITO DE TESSALÔNICA - 380 d.C. TEODÓSIOEDITO DE TESSALÔNICA - 380 d.C. TEODÓSIO

2 FILOSOFIA MEDIEVAL NASCIMENTO:NASCIMENTO: EPISTOLA DE SÃO PAULOEPISTOLA DE SÃO PAULO EVANGELHO DE SÃO JOÃOEVANGELHO DE SÃO JOÃO ESFORÇO DE CONCILIAR A NOVA RELIGIÃO 'CRISTIANISMO' COM O PENSAMENTO FILOSÓFICO DOS GREGOS E ROMANOS... CONVENCER OS PAGÃOS DA NOVA VERDADE.ESFORÇO DE CONCILIAR A NOVA RELIGIÃO 'CRISTIANISMO' COM O PENSAMENTO FILOSÓFICO DOS GREGOS E ROMANOS... CONVENCER OS PAGÃOS DA NOVA VERDADE.

3 FILOSOFIA MEDIEVAL INTRODUZIU:INTRODUZIU: IDÉIA DE CRIAÇÃO DO MUNDOIDÉIA DE CRIAÇÃO DO MUNDO IDÉIA DE PECADO ORIGINALIDÉIA DE PECADO ORIGINAL IDÉIA DE TRINDADEIDÉIA DE TRINDADE IDÉIA DE JUIZO FINALIDÉIA DE JUIZO FINAL IDÉIA DE RESSUREIÇÃO DOS MORTOSIDÉIA DE RESSUREIÇÃO DOS MORTOS

4 FILOSOFIA MEDIEVAL EXPLICAR... COMO O MAL PODE EXISTIR NO MUNDO QUE FOI.....EXPLICAR... COMO O MAL PODE EXISTIR NO MUNDO QUE FOI..... -CRIADO-CRIADO -PERFEITO-PERFEITO

5 FILOSOFIA MEDIEVAL IMPÔR;IMPÔR; - VERDADES REVELADAS- VERDADES REVELADAS - FÉ X VERDADES DA RAZÃO- FÉ X VERDADES DA RAZÃO - CONHECIMENTO RECEBIDO POR GRAÇA DIVINA- CONHECIMENTO RECEBIDO POR GRAÇA DIVINA - CONCILIAR FÉ E RAZÃO- CONCILIAR FÉ E RAZÃO

6 FILOSOFIA MEDIEVAL DISPUTASDISPUTAS Os que julgavam fé e razão irreconciliáveis e a fé superior à razão. (Creio porque absurdo)Os que julgavam fé e razão irreconciliáveis e a fé superior à razão. (Creio porque absurdo) Os que julgavam fé e razão conciliáveis mas subordinavam a razão à fé. (Creio para compreender)Os que julgavam fé e razão conciliáveis mas subordinavam a razão à fé. (Creio para compreender) Os que julgavam a fé e a razão irreconciliáveis – cada uma tem seu próprio conhecimento....não devem misturar-se.Os que julgavam a fé e a razão irreconciliáveis – cada uma tem seu próprio conhecimento....não devem misturar-se.

7 PATRÍSTICA AGOSTINHO DE HIPONA – 354 a 430 d.C Visão platônica

8 PATRÍSTICA 1 CONHECIMENTO HUMANO E VERDADES ETERNAS;  PROBLEMAS  A) Se conhecemos a verdade  princípio de não-contradição  a própria existência

9 PATRÍSTICA  B) Como conhecemos  Pelos sentidos – cores, odores, sabores...( sentir não é do corpo – sim da alma)  Razão Inferior – conhecimento científico (se ocupa do mundo corpóreo)  Razão Superior – conhecimento das verdades eternas – obtido por iluminação divina – não por reminiscência.  ILUMINAÇÃO – Quaedam lux sui generis incorporea.

10 PATRÍSTICA 2 - O MUNDO E O TEMPO  CRIADO... no tempo ou na eternidade?????  FASES DO TEMPO:  Passado – tempo que não é mais  Futuro – tempo que ainda não é  Presente – tempo que é agora, mas não será sempre  “O tempo não existe fora de nós”

11 PATRÍSTICA “O mundo é como uma mulher grávida: traz em si a causa das coisas que não virão à luz no futuro. Assim todas as coisas (de todos os tempos) foram criados por Deus”.

12 PATRÍSTICA 3 – MAL E LIBERDADE PROBLEMA: Se Deus é a causa de tudo o que acontece, como se explica o mal?

13 PATRÍSTICA CAUSA DO MAL NÃO É DEUS – trata-se de privação de perfeição CAUSA DO MAL ( AVERSIO) – Aversão do Bem (mal moral = pecado) CULPA do Homem – afasta-se do bem (Mal físico = doenças, sofrimento, tormentos...) DE ONDE VEM ESTA AVERSIO -------- da LIBERDADE Male facimus ex libero voluntatis arbitrio (fazemos o mal pelo livre arbítrio da vontade)

14 PATRÍSTICA  LIBERDADE É UM BEM? - sim – condição de moralidade  E A CULPA ? - mal original ------ necessita da graça para fazer o bem

15 ESCOLÁTICA INFUÊNCIA ARISTOTÉLICA MANUTENÇÃO DA DISCUSSÃO ENTRE FÉ E RAZÃO

16 ESCOLÁTICA 1. FASE – SÉC. VI AO IX PREPARATÓRIO OBSCURIDADE CULTURAL DECADÊNCIA MORAL

17 ESCOLÁTICA 2. FASE – SÉC. IX AO XIII  REFORMA MONÁSTICA  RENOVAÇÃO POLÍTICA DA IGREJA  LUTAS PELA INVESTIDURA  SISTEMATIZAÇÃO – RAZÃO E FÉ

18 ESCOLÁTICA 3. FASE – SÉC. XIV  DIVÓRCIO ENTRE RAZÃO E FÉ – COM GUILHERME DE OCKHAM

19 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) “O QUE DISTINGUE O GÊNIO DOS HOMENS DESTE TEMPO É O PERFEITO EQUILIBRIO ENTRE FÉ E RAZÃO, ENTRE A AUTONOMIA DO HOMEM E A SUA MAIS COMPLETA SUBMISSÃO A DEUS ”

20 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) PONTOS DE DISCUSSÃO: RAZÃO E FÉ TEOLOGIA E FILOSOFIA

21 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) 1 – FÉ E RAZÃO PROBLEMA; RELAÇÃO ENTRE FÉ E RAZÃO FÉ E RAZÃO SÃO MODOS DIFERENTES DE CONHECER RAZÃO: ACEITA A VERDADE POR CAUSA DE SUA EVIDÊNCIA INTRÍNSECA. FÉ: ACEITA A VERDADE POR CAUSA DA AUTORIDADE DE DEUS REVELANTE CONSEQUÊNCIA: A FILOSOFIA E TEOLOGIA SÃO DIFERENTES

22 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) FÉ E RAZÃO, FILOSOFIA E TEOLOGIA NÃO PODEM CONTRADIZER-SE PORQUE DEUS É AUTOR COMUM. LOGO VERDADE E RAZÃO NÃO PODEM ENTRAR EM CONFLITO COM A VERDADE REVELADA. “A VERDADE NÃO PODE JAMAIS CONTRADIZER A VERDADE”.

23 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) 3. EMBORA A RAZÃO SEJA SUFICIENTE PARA CONHECER AS VERDADES FUNDAMENTAIS DE ORDEM NATURAL E SEJA AUTONOMA NO ESTUDO DAS COISAS NATURAIS, ELA É INCAPAZ, POR SI SÓ, DE PENETRAR NOS MISTÉRIOS DE DEUS, QUE É SEU BEM ÚLTIMO. Razão não atinge os mistérios da Fé.

24 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) 4. A RAZÃO PODE PRESTAR PRECIOSO SERVIÇO À FÉ. COMO??? Demonstrando aquelas coisas que são preâmbulo da fé. Ilustrando por meio de certas semelhanças, as coisas que pertencem a fé. Opondo-se as coisas que são ditas conta a fé.

25 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) 2 – A FILOSOFIA DO SER ( METAFÍSICA)  A PERFEIÇÃO MÁXIMA É O SER: NÃO A IDÉIA DE SER, MAS O ATO DE SER - Fundamento moral – enquanto todo agir tem como finalidade última, a realização de um modo de ser.  OS SERES PROCEDEM DO SER POR CRIAÇÃO – Alguma coisa que participa da perfeição do ser  A CRIAÇÃO É UMA PARTICIPAÇÃO DOS SERES, POR SEMELHANÇA, NA PERFEIÇÃO DO SER - Participação na substância.

26 TOMÁS DE AQUINO (1225 -1274) 2 – A FILOSOFIA DO SER ( METAFÍSICA)  A LIMITAÇÃO DA PERFEIÇÃO DO SER NAS CRIATURAS É DEVIDA À POTÊNCIA, ISTO É, À ESSÊNCIA - OU RELAÇÃO – ATO E POTÊNCIA  ENTRE OS DIVERSOS SERES E ENTRE ELES E O SER HÁ ANALOGIA OU SEMELHANÇA - Uma vez que as coisas criadas são feitas à semelhança da natureza Divina.  TOMÁS DE AQUINO, COLOCA A FILOSOFIA A SERVIÇO DA VERDADE E ESTA A SERVIÇO DE DEUS.


Carregar ppt "FILOSOFIA MEDIEVAL ANTECEDENTES:ANTECEDENTES: PATRÍSTICA GREGAPATRÍSTICA GREGA EDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINOEDITO DE MILÃO – 313 d.C. CONSTANTINO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google