A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tipologias, Estilos e Arquétipos A psicologia de tipos específicos de caráter até o momento mal começou a ser esboçada (William James, 1902)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tipologias, Estilos e Arquétipos A psicologia de tipos específicos de caráter até o momento mal começou a ser esboçada (William James, 1902)"— Transcrição da apresentação:

1 Tipologias, Estilos e Arquétipos A psicologia de tipos específicos de caráter até o momento mal começou a ser esboçada (William James, 1902)

2 As tipologias, de certa maneira, surgiram da constatação das diferenças individuais. As pessoas são diferentes, tem atitudes, modos de agir e reagir que são influenciados, entre outros fatores, pela constituição hereditária, educação, influência ambiental e experiências de vida (JUNG, 1991, pág. 396).

3 Desde a antiguidade o homem tem se preocupado em classificar as pessoas de acordo com as diferenças e semelhanças nos seus temperamentos. Dessa forma, foram criados os sistemas tipológicos, sendo que os mais antigos podem ser observados na China e na civilização mesopotâmica (ZACHARIAS, 1995).

4

5

6 1) Sensação: aventura. Você é uma pessoa aventureira e batalhadora, que gosta de emoções fortes e não leva desaforo para casa. Você sabe se defender quando é atacado(a), mas quem te conhece pessoalmente sabe que por trás das aparências você é uma pessoa extremamente meiga, dócil, e muito influente com seus amigos.

7 2) Charge: gozador(a), bem- humorado(a). Todo mundo gosta da sua companhia porque você é agitador(a). Você gosta de brincar com tudo e com todos, e ama quando os outros fazem o mesmo com você. Embora algumas pessoas te olhem com reserva, você é um(a) amigo(a) pra vida inteira. Sua maior qualidade é a fidelidade.

8 3) Prestígio: energético(a), vivaz. Você é uma pessoa que gosta de viver e de curtir cada momento. Está sempre pronto(a) para dar e receber. A atividade que te dá mais prazer é se relacionar com as pessoas. Prepare-se para a fama, pois ela virá naturalmente. Você sempre será um(a) arrasador(a) de corações, mesmo que não queira.

9 4) Barra de cereais: esportista. Você ama os esportes em geral, independente de qual seja. Seu modo devida, seu temperamento, seu passado, seu futuro, tudo está relacionado ao esporte. Você é capaz de chorar quando seu ídolo esportivo se aposentar ou morrer. Quando não consegue participar, você se contenta em assistir pela TV (ou ao vivo).

10 5) Chokito: risonho(a), amável, aconchegante. Você é o par perfeito pra quem gosta de charge. Você ri de tudo, antes que alguém diga ou faça alguma coisa você já tá rachando o bico. Por isso as pessoas adoram sua presença e fazem questão da sua companhia quando saem. Além de tudo, você é uma pessoa animada e disponível pro que der e vier. Você possui um coração imenso. A memória do seu celular vive lotada de números.

11 6) Suflair: maduro(a), charmoso(a), com estilo. Você é o(a) namorado(a) que todo mundo gostaria de ter. É inteligente e versátil. Você sabe se relacionar afetivamente como ninguém, é atraente e deixa sua marca registrada em todos os seus relacionamentos. Você se encaixa bem em qualquer situação. As pessoas vivem suspirando por você. Como nem tudo é perfeito na vida, você é ciumento(a). Mas o seu bom desempenho afetivo e a sua fidelidade compensam essa deficiência.

12 7) Alpino: bem-articulado(a), elegante e fino(a). Você é uma pessoa chique, em todos os sentidos. É elegante,bem- educado(a) e sabe falar em público. Por causa do seu sucesso você acaba atraindo a inveja e o rancor de outras pessoas, tendo portanto muitos inimigos. Em contrapartida seus amigos são fiéis até a morte. Você daria um (a) ótimo(a) professor(a) ou palestrante. Seu principal defeito é ser desastrado(a). Não ande mascando chiclete ao mesmo tempo,que você poderá acabar tropeçando.

13 8) Lancy: ingênuo(a), amável, doce. Você gosta de tudo que é infantil, alegre e colorido. Você pode ser um pouco ingênuo(a), mas é cheio(a) de alegria e espontaneidade. Você tem a maturidade de um adulto e a singeleza de uma criança, o que faz de você uma pessoa feliz. No entanto a sua inocência pode acabar trazendo problemas. Abra os olhos para não cair em ciladas.

14 9) (sonho de valsa / serenata de amor / sedução): romântico(a), sensível e amoroso(a). Você é uma pessoa romântica, e não se importa com isso. Você adora presentear e ser presenteado(a). Flores, perfumes e delicadezas em geral é com você mesmo. Você adora dançar coladinho. Seu grande defeito é ser muito ciumento(a). Duas ou três pessoas já romperam com você por achar que você "gruda demais". Mas todos os seus ex- namorados(as) dizem que você é um (a) excelente amante.

15 Você nunca está contente com a situação atual, sempre buscando trabalhar para melhorar as coisas. Mas isso não significa que você nunca esteja contente, porque você é uma pessoa humilde e sábia, e a prova disso é que todo mundo adora seus conselhos. é calmo(a) e muito tranquilo(a) se dedica ás amizades, e é extremamente romântico(a), o namorado(a) ideal de toda mulher(o). pode não ser gostoso(a) mas sua marca permanece para sempre na vida de seus parceiros(as). Você será sempre o(a) "INESQUECIVEL. 10) Bis: sucesso e realização. O sucesso é a sua meta, e realizar-se é o grande objetivo da sua vida.

16 JUNG (1991, pág. 470) lembra que as mais antigas tentativas de estabelecer uma tipologia vem dos médicos, principalmente inspirados por Hipócrates (século V A.C.), quando definiu que o corpo humano era composto por quatro elementos básicos: ar, água, fogo e terra, que correspondiam respectivamente, no corpo humano, ao sangue, fleuma, bile amarela e bile vermelha.

17 Cláudio Galeno, médico da Grécia, que viveu no século II D.C., baseado em Hipócrates, estabeleceu uma tipologia, que persistiu por anos, definindo os tipos, de acordo com a proporcionalidade desigual dos quatro elementos presentes no corpo humano, sendo eles:

18 Elemento predominante Tipo de temperamento SangueSangüíneo FleumaFleumático Bile amarelaColéricos Bile negraMelancólicos

19 CORES – HUMORES (Hipócrates): AMARELO – SANGUÍNEOS (sangue – relacionado ao otimismo e à alta energia). Extrovertidos, otimistas e divertidos. VERMELHO – COLÉRICOS (bile – que controla a raiva). Aqueles que são líderes naturais e tendem a ser considerados obstinados. AZUL – MELANCÓLICOS (bile negra – indica a profundidade da inteligência e a tendência da pessoa à depressão). Gostam de uma vida organizada e tendem à flutuações de ânimo. VERDE – FLEUMÁTICOS (fleuma corporal- torna a pessoa constante, pacífica e passiva). Observam o mundo com um certo distanciamento e tendem a seguir a maioria.

20 Num Dia NormalNum Dia Péssimo Sociável, dinâmico, convincente, entusiasmado, persuasivo, expressivo. Excitado, frenético, indiscreto, extravagante, apressado. Competitivo, exigente, determinado, voluntarioso, resoluto, impulsionador. Agressivo, autocrítico, incentivador, arrogante, intolerante. Cauteloso, exato, deliberado, questionador, formal, analítico. Meticuloso, indeciso, desconfiado, frio, reservado. Interessado, encorajador, generoso, descontraído, amável. Dócil demais, meigo demais, muito confiante, teimoso.

21 Ao mesmo tempo que são diferentes, agem sob certas constantes, que observadas e avaliadas, permitem estabelecer certas estruturas típicas ou modalidades de função psicológica, originando as tipologias (JUNG, 1991, pág. 470).

22

23 A partir da obra do grego Teophastrus ( a.C.), Jean de La Bruyère, fez uma reflexão sobre o comportamento humano na sociedade de corte francesa do século XVII.

24 Diferente da tipologia psicológica do século XX, que observa a variabilidade comportamental dos indivíduos a partir das suas características essenciais, a tipologia de La Bruyère considerava o indivíduo no seu contexto social, nas suas relações com os outros.

25 A partir de personagens de diversos estilos como: o homem rico, o camponês, o homem soberbo, o comilão e outros, La Bruyère descrevia indivíduos com diferentes tipos de temperamentos.

26 Estilos cognitivos características pelas quais um indivíduo capta as informações do mundo e as formas preferenciais de organizar as informações

27 –Tradução das características de personalidade e do estilo cognitivo do indivíduo quando em estudo –Preferências em relação a forma como os conteúdos são apresentados e ensinados –Indicadores de como os estudantes percebem e interagem com os ambientes de aprendizagem –Forma preferencial usada pela pessoa para processar as informações, formar idéias e tomar decisões Estilos de aprendizagem

28 – são vistos em termos das condições nas quais ocorre a aprendizagem Estratégias de aprendizagem – são vistas como a variedade de técnicas que ajudam o aprendiz a analisar e compreender melhor a tarefa de aprendizagem

29 Analisando semelhanças e diferenças individuais, uma tipologia, por sua função, deveria ser entendida como um modelo de entendimento das pessoas e/ou de seu comportamento, estimulando a compreensão que a pessoa humana deve ter de si mesma e de seus semelhantes (JUNG, 1991, pág. 15).

30 Rudolf Steiner Ele diz que todos temos as quatro tipologias simultaneamente, uma mais predominante e as outras surgem em diferentes situações da vida. Na Antroposofia, de Rudolf Steiner, ele acredita que todos temos 4 tipologias (colérico, fleumático, sanguíneo e melancólico).

31 Mas ele acredita que devemos tentar utilizá-las em equilíbrio, dominando as mesmas para adequar nossas reações para as diferentes situações da vida. Por exemplo, em uma situação de apresentar uma palestra, para um fleumático, ele utiliza a sua força, mesmo que mínima, de seu colérico ou sanguíneo interior.

32 A verdade é que se você tentar manter as suas 4 tipologias em equilíbrio, como sugere Rudolf Steiner, será menos exaustivo buscar as mesmas em diferentes situações.

33 Tipologia de Temperamento - Le Senne iniciativa – disposição para a ação, com as modalidades, pessoas ativas (A) ou não ativas (nA) emotividade – disposição para interagir emotivamente a um acontecimento, sendo as pessoas emotivas (E) ou não emotivas (nE) reação – tempo de reação frente a um acontecimento, com as modalidades primariedade (P), ação rápida após o estímulo e secundariedade (S) reação posterior ao acontecimento. Analisa três variáveis, com duas modalidades cada

34 AEPPessoa Colérica AESPessoa Apaixonada AnEPPessoa Sanguínea AnESPessoa Fleumática nAEPPessoa Nervosa nAESPessoa Sentimental nAnEPPessoa Amorfa nAnESPessoa Apática

35 Tipologia da dominância cerebral - Herrmann Com o desenvolvimento da neuroanatomia, da neurofisiologia e mesmo da biologia e genética, tiveram bastante desenvolvimento as tipologias de dominância cerebral, que buscam explicar as características de determinados grupos através do entendimento do funcionamento cerebral, conforme a dominância específica de umas áreas sobre as outras.

36 Tipologia da dominância cerebral - Herrmann A D B C Direito Superior Esquerdo Superior Esquerdo Inferior Direito Inferior QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO

37 A Em geral: Lógico, analítico, quantitativo, baseado em fatos, abstrato, técnico No processo criativo: Mais voltados a preparação de dados e informações No Trabalho: Coleta dados, analisa questões, resolve problemas com lógica, argumenta racionalmente, mede com precisão, entende elementos técnicos, calcula. D Em geral: Holístico, sintetizador, integrador, tomador de risco, visão de futuro, experimental No processo criativo: Mais voltados à incubação de idéias No Trabalho: Antecipa mudanças futuras, reconhece possibilidades, tolera ambigüidades, integra conceitos e idéias, modifica ou desafia políticas estabelecidas, sintetiza elementos díspares em um todo, resolve problemas de modo intuitivo B Em geral: Planejado, organizado, detalhado, seqüencial, conservador, tradicional No processo criativo: Mais voltados a verificação de idéias No Trabalho: Percebe defeitos desapercebidos, aborda problemas de forma prática, mantém-se firme em suas questões, padrão de consistência, liderança e supervisão estáveis, implementa seus projetos nos prazos, mantém registros financeiros C Em geral: Emocional, interpessoal, baseado em sentimentos, cinestésico, intuitivo, humanista No processo criativo: Mais voltados a iluminação No Trabalho: Reconhece dificuldades interpessoais, antecipa como os outros irão de sentir, relaciona-se de forma empática, gerador de entusiasmo, persuasivo, ensina, concilia, entende elementos emocionais, considera valores

38 Ned Herrmann - The creative brain Quadralidade cerebral Analisa quantifica é lógico crítico gosta de números realista sabe como as coisas funcionam RACIONAL SALVAGUARDADOR EXPERIMENTAL SENSITIVO é sensível com os outros fala bastante/expressivo é emocional gosta de ensinar toca as pessoas sente adota ação preventiva estabelece procedimentos faz as coisas confiável organiza esmerado pontual planeja Brinca é curioso especula arrisca-se é impetuoso gosta de surpresas quebra regras imagina

39 Tipologia de Maccoby Maccoby (1977), iniciou no fim dos anos 60 uma pesquisa visando identificar o perfil das pessoas que criavam tecnologias nas grandes corporações norte-americanas. Ele achava que estas pessoas poderiam orientar caminhos de desenvolvimento para a humanidade, na medida em que suas inovações poderiam vir a se expandir para o mundo, e ao mesmo tempo, podiam influenciar na qualidade de trabalho e de vida das pessoas a sua volta.

40 Tipologia de Maccoby Seu projeto se tornou um programa de pesquisa da Harvard, chamado Projeto de Tecnologia, Trabalho e Índole e originou a tipologia apresentada no livro Perfil de Águia (MACCOBY, 1977, pág. 2 e 5).

41 O artesão seria o indivíduo que respeita os valores tradicionais – a ética do trabalho, o respeito pelas pessoas, o interesse pela qualidade e pela economia. Quando fala sobre o trabalho, seu interesse está no processo de fazer alguma coisa, de construir alguma coisa. Seria o protótipo do pesquisador-cientista, que desempenha seu trabalho numa organização.

42 O lutador das selvas tem por objetivo o poder e enfrenta a vida e o trabalho como uma selva, onde a opção se coloca entre comer ou ser comido e onde os vencedores destroem os vencidos.

43 O homem de empresa, por sua vez, é o homem organizacional, ou indivíduo que tem o seu senso de identidade ligado diretamente ao ser parte da empresa protetora e toda-poderosa.

44 O jogador, cujo principal interesse está no desafio, na atividade competitiva onde ele possa comprovar que é um vencedor, aprecia novas idéias e técnicas. Seu principal objetivo de vida é vencer (MACCOBY, 1977, pág. 39 e 41).

45 TIPOLOGIA DE HANDY cada cultura, ou cada deus, opera a partir de suposições diferentes sobre a base do poder e da influência, sobre o que motiva as pessoas, como elas pensam e aprendem, como as coisas podem ser mudadas.

46 TIPOLOGIA DE HANDY Essas suposições resultam em estilos bem diferentes de administração, estruturas, procedimentos e sistemas de recompensa. Cada qual funcionará em certas situações, mas basta colocar o deus errado no lugar errado e haverá problemas (HANDY, 1991, pág. 9)

47 A Cultura-de-Clube tem como figura representativa a teia de aranha, cujas linhas se irradiam do centro, como num organograma tradicional. As linhas da teia mais importantes são as que envolvem a aranha no meio - Zeus, e o poder e a influência vão ficando menores a medida que se distanciam do centro.

48 Essa cultura é mais comumente encontrada em pequenas organizações empreendedoras e familiares, onde a figura de Zeus é destaque, como o empreendedor, referenciado por suas conquistas, sendo normalmente carismático e paternalista.

49 A Cultura-de-Função é representada pela figura de um templo grego e pelo deus Apolo, que era um deus guerreiro, protetor das crianças, dos carneiros, da ordem e das regras.

50 O culto à beleza e à perfeição eram associados a sua figura, pois Apolo nasceu iluminado e era considerado a verdadeira luz e o próprio sol. Essa cultura baseia-se nas funções e tarefas a serem cumpridas, independente das pessoas que compõem a organização.

51 Na Cultura-de-Tarefa a deusa é Atena e a figura representativa é a rede. Atena é a deusa dos guerreiros vitoriosos, que desde o seu nascimento aparece armada e disposta para a sua missão de ajudar seus súditos. A preocupação básica desta cultura é a solução contínua e bem sucedida dos problemas apresentados.

52 As organizações baseadas na cultura-de-tarefa organizam suas atividades em equipes de trabalho, cada membro é um especialista valioso, criativo e talentoso que contribui para solucionar o problema apresentado. Os conflitos são pequenos, uma vez que o respeito pelas capacidades individuais é valorizado e as recompensas são divididas.

53 CulturaClubeFunçãoTarefaExistencial DeusZeusApoloAtenaDionísio FiguraTeia de Aranha Templo GregoRedeEstrelas em um círculo PoderCentro da Teia Frontão do templo Nos nós da rede Coordenação Critério (Poder) Próximos da Teia Próximos do topo PeríciaTalento e Habilidade Caracte -rísticas Rapidez de decisão Estabilidade e Previsibilidade Solução de Problemas Individualimo

54 A Cultura Existencial é representada pelo deus Dionísio, tendo como símbolo a figura de um agrupamento individual de estrelas, reunidas em um círculo.

55 Dionísio é filho de Zeus, nasceu pobre e porque foi concebido fora do casamento, foi perseguido por Hera, esposa de Zeus. Depois de muitos conflitos e perseguições, Dionísio sobrevive e dedica-se a transformação das uvas em vinho, tornando-se um dos deuses do Olimpo.

56 Tipologia de Jung Dentre as tipologias mais difundidas, destaca-se a desenvolvida por Jung. Com formação psicanalítica, ele desenvolveu sua tipologia ao longo da sua prática clínica.

57 Tipologia de Jung Foi através da observação das ações e reações das pessoas que identificou a existência e a predominância de diferentes atitudes ou funções, ou seja, de diferentes disposições da psique para agir ou reagir em determinada direção.

58 Tipologia de Jung Libido: conforme Jung, é a energia psíquica. Energia é a intensidade do processo psíquico, seu valor psicológico. Mas não se trata de valor atribuído por considerações morais, estéticas ou intelectuais;

59 Tipologia de Jung o valor psicológico é simplesmente estabelecido por sua força determinante que se manifesta em certos efeitos (produções) psíquicos.(JUNG, 1991, pág. 432).

60 Tipologia de Jung Primeiramente, Jung descreve uma atitude com relação ao movimento da libido. O indivíduo pode ser extrovertido ou introvertido. O extrovertido (E) volta-se para fora da libido, pensa, sente e age em relação ao objeto, numa atitude positiva para com o objeto. Na extroversão há uma forte tendência, embora não exclusiva, determina pelo objeto.

61 Tipologia de Jung A extroversão pode ser ativa, quando ela é buscada intencionalmente; ou passiva, quando o objeto atrai por sua própria conta o interesse do sujeito, até contra sua vontade (JUNG, 1991, pág. 406).

62 Tipologia de Jung O introvertido (I), pelo contrário, volta-se para dentro da libido, pensa, sente e age de modo a deixar claro que seu interesse é sobre o sujeito, enquanto o objeto é secundário.

63 Tipologia de Jung A introversão pode ser ativa, quando o sujeito quer um isolamento em relação ao objeto; ou passiva, quando o sujeito não consegue reintegrar no objeto a libido que dele reflui (JUNG, 1991, pág. 430).

64 Tipologia de Jung Partindo destas duas atitudes, extroversão e introversão, Jung acrescenta quatro funções básicas, quais sejam, pensamento, sentimento, intuição e sensação, as duas primeiras consideradas racionais, as outras irracionais.

65 Tipologia de Jung As funções racionais tem mais um caráter ou associação com a capacidade de julgamento de um conteúdo ou estímulo. As funções irracionais, mais a compreensão do fenômeno dado.

66 Tipologia de Jung Da mesma forma, sensação e intuição são dois pares de opostos ou duas funções que se compensam mutuamente,

67 Tipologia de Jung assim como o pensamento e o sentimento, os quais, como funções autônomas, desenvolvem-se ontogenética e filogeneticamente a partir da sensação e da intuição. (JUNG, 1991, pág. 439).

68 Tipologia de Jung Dependendo do que predominar, pode haver o tipo sentimento introvertido, pensamento extrovertido, e assim por diante. Uma síntese das quatro funções básicas é apresentada a seguir.

69 AMARELO – Sentimental Extrovertido - (Cor Oposta: AZUL) São acentuadamente extrovertidos, radiantes e amigáveis. Normalmente são positivos e se preocupam com os bons relacionamentos humanos. Gostam da companhia de outras pessoas e acham que a vida tem que ser divertida. Abordam as outras pessoas de maneira persuasiva e democrática e irradiam o desejo de sociabilidade.

70 VERMELHO - Racional Extrovertido - (Cor Oposta: VERDE) As pessoas são extrovertidas e possuem muita energia. Propensas a agir e estão sempre em movimento. São positivas, orientadas em função da realidade e assertivas. São obstinadas e se concentram nos resultados e nos objetivos. Abordam as outras pessoas de forma direta e autoritária. Irradiam desejo de poder e controle.

71 AZUL – Racional Introvertido (Cor Oposta: AMARELO) Querem conhecer e atender o mundo que os rodeia. Gostam de refletir antes de agir e mantém um ponto de vista distanciado e objetivo. Valorizam a independência e o intelecto. Preferem se comunicar por escrito, objetivando manter a clareza e a exatidão. Irradiam o desejo de analisar. Vivem a vida de acordo com os princípios, os fatos e a lógica que encontram na realidade. Gostam de analisar todas as possibilidades, visando garantir que irão evitar avaliações ilógicas ou mal informadas. São planejadores, administradores, organizadores e acadêmicos; e têm a capacidade de executar sistematicamente as tarefas, desde o início até a sua conclusão.

72 AZUL – Racional Introvertido (Cor Oposta: AMARELO) Como resultado de sua minuciosidade, mostram-se freqüentemente relutantes em expressar rapidamente suas decisões. Os fatos, a lógica e os princípios podem parecer mais importantes que as amizades ou a gratificação pessoal, podendo assim, serem ocasionalmente encarados como distantes e até mesmos frios.

73 VERDE - Sentimental Introvertido (Cor Oposta: VERMELHO) Se interessam pelos sentimentos e pelo relacionamento com as pessoas. Sua preocupação com o bem-estar alheio pode freqüentemente emprestar calor pessoal a uma relação. São sensíveis dos valores implícitos nas ações das pessoas e podem funcionar como barômetros quanto à consciência ética das ações empreendidas por uma organização. Podem ser lentos ou se mostrar relutantes em modificar seus valores pessoais, apesar da lógica aparente de uma organização ou situação. Tendem a evitar decisões que possam envolver a violação de seus valores ou arriscar o desconhecido.

74 Tipologia de Jung O pensamento é uma função psicológica racional, que de acordo com suas próprias leis, ordena os conteúdos da consciência em forma de conceitos. O pensamento pode ser ativo ou passivo.

75 Tipologia de Jung O ativo é um agir da vontade, subordina os conteúdos de representação a um ato voluntário de julgamento.

76 Tipologia de Jung O pensamento passivo é um acontecer, há uma disposição de conexões conceituais que formam os julgamentos que, as vezes, se contrapõem à intenção, podendo não ter direção definida, embora posteriormente possa chegar a uma conclusão sobre sua orientação.

77 Tipologia de Jung Para Jung, há pensamento quando se trata de conjugar representações através de um conceito, quando existe, pois, um ato de julgamento, quer seja ele fruto de nossa intenção quer não (JUNG, 1991, pág. 434).

78 Tipologia de Jung Uma pessoa que oriente sua atitude global pelo princípio do pensamento pertence ao tipo pensamento.

79 Tipologia de Jung O sentimento é uma função psicológica racional, caracterizada por um processo que se realiza entre o eu e um dado conteúdo. É uma espécie de julgamento que se distingue do julgamento intelectual ( o pensamento) por não visar o estabelecimento de relações conceituais, mas sim, a aceitação ou rejeição subjetiva (prazer ou desprazer) de um dado conteúdo.

80 Tipologia de Jung Pode ainda aparecer isolado, como uma disposição de ânimo (humor), e neste caso, poderá ter uma relação causal com conteúdos recentes, tanto conscientes como inconscientes.

81 Tipologia de Jung O sentimento ordena os conteúdos da consciência de acordo com o seu valor, podendo ser mais concreto ou mais abstrato. Quanto mais concreto, mais subjetivo e pessoal será o valor. Quanto mais abstrato, mais geral e objetivo. Esses valores, em geral, são atribuídos segundo leis da razão, as quais também governam a formação de conceitos.

82 Tipologia de Jung O sentimento também pode ser ativo ou passivo. O sentir ativo é uma função dirigida, onde se atribui valores a partir do sujeito, segundo uma intenção, a qual privilegia o sentimento e não o intelecto.

83 Tipologia de Jung O sentir passivo é uma função não dirigida, que se caracteriza pelo fato de um conteúdo estimular ou atrair o sentimento, forçando a participação do sujeito (JUNG, 1991, pág. 442).

84 Tipologia de Jung Uma pessoa que oriente sua atitude global pelo princípio do pensamento pertence ao tipo sentimento.

85 Tipologia de Jung A intuição é uma função irracional, que transmite a percepção por via inconsciente, tanto de objetos internos como externos ou de suas relações.

86 Tipologia de Jung Na intuição, qualquer conteúdo se apresenta como um todo acabado sem que saibamos explicar ou descobrir como este conteúdo chegou a existir

87 Tipologia de Jung É uma espécie de apreensão instintiva, não importando o conteúdo (JUNG, 1991, pág. 430). A intuição tem o caráter de certeza e exatidão, pois seus conteúdos tem um caráter de dados, e não derivados ou produzidos, como é o caso das funções racionais.

88 Tipologia de Jung A intuição pode ser objetiva ou subjetiva. A objetiva se baseia em percepções subliminais do objeto e em pensamentos e sentimentos sublimais que os evocam. A intuição subjetiva é a percepção de fatos subjetivos inconscientes que provém essencialmente do sujeito.

89 Tipologia de Jung Há também a intuição concreta e a abstrata. A concreta transmite percepções que se referem à realidade das coisas, é um processo reativo porque resulta dos fatos dados. A intuição abstrata transmite as percepções de relações de idéias, necessitando de certo elemento diretivo, o que pode ser uma vontade ou uma intenção (JUNG, 1991, pág. 430).

90 Tipologia de Jung Uma pessoa que oriente sua atitude global pelo princípio do pensamento pertence ao tipo intuição.

91 Tipologia de Jung A sensação é uma função irracional, que proporciona a percepção de um estímulo físico, seja ele interno o externo, por isso é idêntica a percepção. A sensação é uma percepção consciente, ao contrário da intuição, cuja percepção é inconsciente. A percepção pode ser concreta ou abstrata. No primeiro caso, está ligada as sensações dos órgãos dos sentidos ou do próprio corpo, por isso, é em si, um fenômeno reativo.

92 Tipologia de Jung A sensação abstrata salienta a característica mais notória da percepção, não prescinde da vontade, isto é, de um elemento de direção. Uma pessoa que oriente sua atitude global pelo princípio do pensamento pertence ao tipo sensação (JUNG, 1991, pág. 439).

93 Estilos de aprendizagem – Myers-Briggs Type Indicator

94 Atividade-chaveEscalas de preferências Energização Orientação para a vida/ direção de interesses Extroversão (E) Extrair energia do mundo exterior (pessoas, atividades ou coisas) Introversão (I) Extrair energia do mundo interior (idéias, emoções ou impressões) Atenção Processo de informação/ preferência de percepção Uso dos Sentidos (S) Confiam em experiência imediata e prática Uso da Intuição (N) Confiam no significado de suas experiências Decisão Processo de tomada de decisão Pensar (T) Organizar a informação para decidir de forma lógica, por um caminho objetivo Sentir (F) Organizar a informação para decidir de forma pessoal pelo valor das coisas Viver Orientação para o mundo externo Julgar (J) Viver de forma planejada e organizada Perceber (P) Viver de forma espontânea e flexível

95 Estilos de aprendizagem – Myers-Briggs Type Indicator Avalia 8 preferências organizadas em 4 escalas bipolares, que combinadas em uma matriz formam 16 tipos de personalidade (Myers e Myers, 1980) SSNN IISTJISFJINFJINTJJ IISTPISFPINFPINTPP EESTPESFPENFPENTPP EESTJESFJENFJENTJJ TFFT

96 EXPANDINDO SUA CRIATIVIDADE (de acordo com o livro de Daniel Zetune)

97 O AVENTUREIRO (E) Eu não tenho muito respeito pelo talento. Talento é genético. O que você faz com ele é o que conta. (Martin Ritt) O NAVEGADOR (I) O que está atrás de nós e o que está à nossa frente são pequenos fatores, comparado ao que está dentro de nós. (Ralph W. Emerson) O EXPLORADOR (E) Líder é aquele que sobe na árvore mais alta, estuda a situação inteira e grita: ´selva errada!. (Stephen Covey) O VISIONÁRIO (I) Eu fecho meus olhos para poder enxergar. (Paul Gauguin)

98 O PILOTO (E) Você fará coisas tolas, mas faça-as com entusiasmo. (Colette) O INVENTOR (I) Existe o risco que você não pode se dar ao luxo de correr, que é não correr riscos. (Peter Drucker) O HARMONIZADOR (E) A verdadeira vida é quando pequenas mudanças ocorrem. (Leon Tolstoi) O POETA (I) O que não me mata, torna-me mais forte. (Albert Camus)

99 Tipologia de Jung ISTJ O NAVEGADOR + O PILOTO Sérios, quietos, sucesso na concentração e detalhes, minuciosos. Práticos, ordeiros, simples, lógicos, realísticos e dependentes. Verificam que tudo esteja bem organizado. Responsáveis. Decidem o que querem fazer e trabalham para conseguir, firmemente, sem se importarem com protestos ou distrações.

100 Tipologia de Jung ISFP O POETA + O AVENTUREIRO Quietos, calmos, amigáveis, sensíveis, delicados, modestos quanto às suas habilidades. Evitam desavenças, não forçam suas opiniões ou valores. Geralmente não se importam com a liderança mas são sempre fiéis a seus seguidores. Não se importam de receber coisas feitas porque desfrutam o momento presente e não querem estragá-lo com pressa desmedida ou esforço.

101 Tipologia de Jung INFP O POETA + O EXPLORADOR Observadores quietos, idealistas, leais. É importante que a vida exterior seja coerente com a interior. Curiosos, rápidos para identificarem possibilidades, sevem freqüentemente como catalisadores para a implementação de idéias. Adaptáveis, flexíveis e dóceis a menos que um valor seja ameaçado. Desejam entender as pessoas e meios de preencher o potencial humano. Pouca preocupação com bens ou ambiente.

102 Tipologia de Jung INTP O INVENTOR + O EXPLORADOR Quietos e reservados. Divertem-se pesquisando teorias ou temas científicos. Gostam de resolver problemas com lógica e análise. Interessados principalmente em idéias, não gostam muito de festas ou conversa fiada. Tendem a ter interesses exatos definidos. Precisam seguir carreiras onde sejam úteis e que seu interesse forte possa ser usado.

103 Tipologia de Jung ESTP O AVENTUREIRO + O INVENTOR Bons na resolução imediata de problemas. Gostam de ação, gostam de tudo o que apareça. Tendem a gostar de coisas mecânicas e esportes, com amigos ao lado. Adaptáveis, tolerantes, pragmáticos; focados na obtenção de resultados. Não gostam de explicações longas. Dão-se bem com coisas reais que possam ser trabalhadas, manuseadas, separadas ou postas juntas.

104 Tipologia de Jung ESFP O AVENTUREIRO + O POETA Simpáticos, cordatos, amigáveis, gostam de tudo e tornam as coisas mais alegres para os outros através de sua própria diversão. Gostam de ação e de fazer as coisas acontecerem. Sabem o que está acontecendo e se unem ansiosamente. Acham que lembrar de fatos é mais fácil do que dominar teorias. São melhores em situações que necessitam de senso comum e habilidade prática com pessoas.

105 Tipologia de Jung ENFP O EXPLORADOR + O POETA Entusiastas quentes, animados, inventivos, imaginativos. Capazes de fazer quase tudo o que lhes interesse. Rápidos com uma solução para qualquer dificuldade e prontos para ajudar qualquer pessoa com problemas. Geralmente confiam em sua habilidade de improvisação ao invés de se prepararem antes. Podem usualmente encontrar razões fortes para qualquer coisa que desejem.

106 Tipologia de Jung ENTP O EXPLORADOR + O INVENTOR Rápidos, inventivos, bons em muitas coisas. Companhia estimulante, alertas e bem falantes. Podem brigar por diversão vendo o outro lado da questão. Talentosos na resolução de novos e desafiadores problemas, mas podem negligenciar deveres rotineiros. Aptos para se voltarem a um novo interesse após o outro. Habilidosos em encontrar razões lógicas para o que desejam.

107 Tipologia de Jung ESTJ O PILOTO + O NAVEGADOR Práticos, realistas, simples, com cabeça natural para negócios ou mecânica. Não se interessam por teorias abstratas; querem aprender para aplicar o conhecimento imediatamente. Gostam de organizar e gerenciar atividades. São geralmente bons administradores; são decididos, implementam decisões rapidamente; cuidam de detalhes de rotina.

108 Tipologia de Jung ESFJ O HARMONIZADOR + O NAVEGADOR Coração mole, falantes, conscienciosos, cooperadores natos, membros ativos de comitês. Precisam de harmonia e podem ser bons em criá-la. Estão sempre fazendo alguma coisa boa para alguém. Trabalham melhor com motivação e elogios. Interesse principal em coisas que afetem a vida das pessoas diretamente e visivelmente.

109 Tipologia de Jung ENFJ O HARMONIZADOR + O VISIONÁRIO Receptivos e responsáveis. Têm preocupação real com o que os outros pensam ou querem e tentam levar as coisas com respeito verdadeiro pelos sentimentos dos outros. Podem apresentar uma proposta ou dirigir uma discussão em grupo com facilidade e tato. Sociáveis, populares, simpáticos. Responsáveis para elogiar e criticar. Gostam de ajudar os outros e auxiliam as pessoas a atingirem seu potencial.

110 Tipologia de Jung ENTJ O PILOTO + O VISIONÁRIO Francos, decididos, líderes em atividades. Desenvolvem e implementam sistemas compreensivos para resolver problemas organizacionais. Bons em qualquer coisa que requeira raciocínio e conversa inteligente, tais como falar em público. São geralmente bem informados e gostam de aprender.

111 Tipologia de Jung ISFJ O NAVEGADOR + O HARMONIZADOR Quietos, amigáveis, responsáveis e conscienciosos. Trabalham duro para resolver suas obrigações.Trazem estabilidade a qualquer projeto ou grupo. Detalhistas, caprichosos, precisos. Seus interesses geralmente não são técnicos. Podem ser pacientes com detalhes necessários. Leais, considerados, perceptivos, preocupados com os sentimentos das pessoas.

112 Tipologia de Jung INFJ O VISIONÁRIO + O HARMONIZADOR Atingem o sucesso pela perseverança, originalidade e desejo de fazer o que seja necessário ou o que desejem. Colocam seus melhores esforços no trabalho. Calmamente vigorosos, conscienciosos, preocupados com os outros. Respeitados por seus princípios firmes. Provável que sejam honrados e seguidos por suas claras visões de como melhor servir o bem comum.

113 Tipologia de Jung INTJ O VISIONÁRIO + O PILOTO Têm mente original e grande energia para seus próprios propósitos e idéias. Têm visão de longo alcance e encontram rápido padrões significativos em eventos externos. Nos campos que lhes interessam, têm um poder bom para organizar o trabalho e levá-lo até o fim. Céticos, críticos, independentes, determinados, têm altos padrões de competência e atuação.

114 Tipologia de Jung ISTP O INVENTOR + O AVENTUREIRO Observadores frios – quietos, reservados, observam e analisam a vida com curiosidade destacada e flashes inesperados de humor original. Geralmente interessados em causa e efeito, como e porque coisas mecânicas trabalham e na organização de fatos, usando princípios lógicos. Excedem-se ao atingirem o núcleo de um problema prático e encontrarem a solução.

115 A INTERPRETAÇÃO E ANÁLISE DO QUESTIONÁRIO DOS ARQUÉTIPOS (de acordo com o livro- O despertar do herói interior- Carol S. Pearson)

116

117

118 ANÁLISE DA TURMA DE XXX: 1- EXPLORADOR 2-EXPLORADOR-AMANTE Tema-Terra Prometida (Identidade). Compromisso consigo (porque está mais associado ao explorador), visando a sabedoria ( iluminação-liberdade). O objetivo é servir a Verdade. 3-SELF. No momento de vida atual, parece haver um desejo de expressar-se no mundo, vivenciando a totalidade.

119 ANÁLISE FIALHO: 1-EXPLORADOR E GOVERNANTE 2-MAGO-GOVERNANTE Tema-Redenção (poder) e Pais Arquetípicos (responsabilidade). Transformar o mundo sem estagnar (porque a pontuação do governante é maior do que o mago). 3-SELF- O estágio da jornada heróica do retorno, do viver a totalidade. OBS – O arquétipo do órfão obteve uma pontuação abaixo de 15. No caso, a análise do mesmo também é muito importante no momento de vida atual. Este símbolo precisa de mais atenção e cuidado.

120 Interpretação do IMH. 1. Não há arquétipo melhor ou pior. 2. Cada um tem suas dádivas e lições. 3. Escores mais elevados indicam os arquétipos que deveriam estar muito ativos na sua vida.

121 1. Escores mais baixos, especialmente menores que 15 indicam arquétipos que você está reprimindo ou negligenciando, porque: a) Deu-lhe excessiva ênfase no passado e desenvolveu uma espécie de alergia a ele, e talvez queira permanecer afastado deste arquétipo. Você não o aprova e, portanto não se permite expressá- lo (ou observar a sua expressão) na sua vida. Representa atributo negativo, inconsciente, em relação aos quais as outras pessoas talvez estejam mais conscientes que você mesmo.

122 1. O reconhecimento das partes renegadas proporciona um maior número de alternativas para você reagir a situações e reduz a probabilidade de você ser surpreendido por manifestação dos atributos menos positivos do arquétipo. Se permitir a plena expressão do arquétipo, é provável que a sua expressão ocorra de uma forma mais positiva e que isto vá lhe proporcionar mais energia e variedade para a sua vida.

123 2- Ver o tema arquetípico constelado no momento (vide IMH-Esquema-resumo (em anexo). No esquema, somar as pontuações de cada dupla arquetípica – órfão+inocente, guerreiro+caridoso, amante+explorador, criador+destruidor, mago+governante e sábio+bobo. Aquela que tiver maior pontuação é a que está mais ativa no momento). 3- Ver a fase da jornada heróica em que a pessoa se encontra (aquela que tiver a maior pontuação: ego, alma e Self).

124 Nenhum teste pode ser usado para conhecer mais coisas a respeito de V. do que aquilo que V. mesmo já sabe. Se achar que um arquétipo é mais ou menos ativo na sua vida do que o indicado pelo teste, ajuste o escore da maneira que for necessário.

125 ANÁLISE DO TESTE O teste dos arquétipos compreende três níveis de análise: 1- Ver o arquétipo dominante no momento (aquele que tiver a pontuação mais alta).

126

127 dESDE os primórdios, o homem preza pela sua segurança, num inconstante desejo de estabilidade e controle, protegendo-se de qualquer ameaça ao seu bem-estar. mUDAM-SE as ameaças, mudam-se os tempos, mas o desejo de proteção permanece. oS indivíduos relacionam-se com esses desejos a partir do modelos arquetípicos do Prestativo, do Criador e do Governante.

128

129 eSTÁ menos focado em seus próprios problemas e mais preocupado em resolver os problemas alheios. tEM uma percepção consciente da vulnerabilidade humana. Ama teu próximo como a ti mesmo!!

130 dESEJO bÁSICO: pROTEGER os outros do mal; mETA: aJUDAR os outros; mEDO: eGOÍSMO, ingratidão; eSTRATÉGIA: fAZER coisas pelos outros; aRMADILHA: aUTOMARTÍRIO; enganar os outros ou ser enganado por eles; dOM: cOMPAIXÃO, generosidade.

131 eXEMPLOS:

132 aS campanhas de marketing que utilizam o perfil do Prestativo, tocam as pessoas pelo lado emocional e sentimental. mUITAS vezes uma marca acaba tendo sucesso pela forma que idealiza um mundo mais perfeito e zeloso, o que faz os consumidores de hoje, conciliarem-se com o desejo de ser generosos e zelosos com seus próprios conflitos externos ou as pressões da vida moderna.

133 eSTRATÉGIAS das empresas: dEMONSTRAR que realmente se importa com o cliente e com o seu bem-estar, não que está apenas querendo vender alguma coisa; iNCENTIVAR boas causas, como ONGs e implantar idéias, como filosofias de vida.

134 Para que as crianças tenham um desenvolvimento saudável, é importante que elas desfrutem de todos os momentos da infância, mesmo que se sujem. Este aprendizado quase sempre termina em roupas sujas e cheias de manchas. Mas agora, sujeira e manchas não são mais um problema, pois chegou o novo OMO Multiação. A nova Fórmula Avançada (...)

135 Omo possui uma preocupação constante com a área de Responsabilidade Social. A marca tem por princípio apoiar ações solidárias existente no país, nos mais diversos segmentos. Veja abaixo algumas notícias que relatam a participação de Omo em várias iniciativas nesta área: Unicef/Criança Esperança IPA (International Association for the Child´s Right to Play) AACD/Teleton

136 tEM o dom de canalisar seus sentimentos e emoções na criação de um poema, numa composição musical, em uma pintura ou num produto. Se pode ser imaginado, poderá ser criado!!

137 dESEJO: cRIAR algo de valor duradouro; mETA: dAR forma a uma visão; mEDO: tER uma visão medíocre ou ser medíocre na execução; eSTRATÉGIA: dESENVOLVER controle e aptidão na área artística; tAREFA: cRIAR cultura, expressar a própria visão; aRMADILHA: pERFECCIONISMO, criação equivocada.

138 eNCONTRAMOS organizações do Criador nas artes, no design e em outros campos que exigem alto grau de pensamento imaginativo fora dos padrões tradicionais. eSTRATÉGIAS das empresas: eLEMENTOS que permitem ao consumidor um pouco do faça você mesmo em alguns produtos. mUITAS vezes, os produtos são comparados à obras-de-arte, ou mesmo acabam incorporando uma.

139

140 aSSUME o controle das situações. Tem como tarefa assumir a responsabilidade por tornar a vida o mais previsível possível. O poder não é tudo... É só o que importa!!

141 dESEJO bÁSICO: cONTROLE; mETA: cRIAR uma família, empresa ou comunidade próspera e bem-sucedida; eSTRATÉGIA: eXERCER a liderança; mEDO: cAOS, ser destituído; aRMADILHA: tORNAR-se mandão, autoritário; dOM: rESPONSABILIDADE, liderança.

142 o arquétipo do Governante aprecia as organizações hierárquicas, pois, nelas, você sabe onde está pisando. Seu papel está claramente definido por uma descrição de cargo que diz exatamente qual a função de cada um; eSTRATÉGIAS das empresas: nORMALMENTE, as marcas e propagandas do Governante apelam para o desejo das pessoas de serem bem-sucedidas e importantes.

143 { } arquétipos o inocente o explorador o sábio

144 { } diferentes estratégias para alcançar a realização

145 { } do inocente o paraíso o final é sempre feliz

146 { } realização do explorador o processo o caminho

147 { } realização do sábio o pensamento conclusões próprias

148 { } o inocente

149 { } paraíso agora, prazer família, infância, amor, lar natureza (paraíso)

150 { } o inocente honestidade certeza, segurança, conforto nostalgia, tradição

151 { } o inocente design cores branco, claras, tons pastéis, suaves espaço brancos

152 { } o inocente design imagens e texto simples, limpos e clássicos

153 { exemplos

154 {

155 { exemplo :)

156 { exemplo :(

157 { } simples bom saúde correto o inocente

158

159 { } o explorador

160 { } processo, viagem, energia liberdade, independência variedade, escolha, opção

161 { } o explorador design cores fortes, contraste aspectos únicos, inesperados misturar estilos

162 { } o explorador design imagens ao ar livre – montanhas, céu viagens natureza

163 { } o explorador dar liberdade forte expressar individualidade movimento

164 { exemplos

165 { } o explorador fugir do padrão o momento, novo, moda identidade própria

166 { exemplo :)

167

168 { } o sábio

169 { } pensamento, aprendizado formador de opinião sofisticação, tecnologia

170 { } o sábio design cores azul-claro, cinza, bege e branco sofisticação

171 { } o sábio design textos informação na forma escrita comprovação do que se afirma

172 { exemplos

173 {

174 { } informação pensar conhecimento comprovação o sábio

175 { exemplo :)

176 { exemplo :(

177

178 Arquétipos + Herói + Fora-da-lei + Mago

179 + Herói Desejo: provar o próprio valor por meio da ação corajosa e difícil Meta: exercer a mestria de modo a melhorar o mundo Medo: fraqueza, vulnerabilidade, amarelar Estratégia: tornar-se tão forte, competente e poderoso quanto lhe for possível ser Armadilha, Sombra: arrogância, desenvolver a necessidade de que exista sempre um inimigo Dons: competência e coragem

180 + Herói

181

182

183 + Fora-da-lei Desejo básico: vingança ou revolução Meta: destruir aquilo que não funciona (para ele próprio ou para a sociedade) Medo: não ter poder, ser comum ou inconseqüente Estratégia: rebentar, destruir ou chocar Armadilha: passar para o lado sombrio, criminalidade Dom: irreprimível, liberdade radical

184 + Fora-da-lei

185

186 + Mago Desejo básico: conhecer as leis fundamentais do funcionamento do mundo ou do universo Meta: tornar os sonhos realidade Medo: conseqüencias negativas, inesperadas Estratégia: desenvolver uma visão e vivê-la Armadilha: tornar-se manipulador Dom: encontrar resultados "ganha-ganha"

187 + Mago

188

189

190 Tipologia de Jung CLASSIFICADOR DE TEMPERAMENTOS DE KEIRSEY CLASSIFICADOR DE TEMPERAMENTOS DE KEIRSEY É parecido com o MBTI, só que pode se acessar pela INTERNET

191 Questionário elaborado por David Keirsey, traduzido e adaptado por Nídia Pavan Kuri e Marcius F. Giorgetti Versão atualizada em 11/11/1997. Copyrighted © 1997 David Keirsey

192 1. Numa festa você interage com muitos, incluindo estranhos interage com poucos, seus conhecidos 2. Você se considera mais realista do que especulativo especulativo do que realista 3. É muito pior ter a "cabeça nas nuvens", ser sonhador ser "escravo da rotina" 4. Você é mais impressionado(a) por princípios emoções 5. Você é mais atraído(a) pelo convincente comovente

193 6. Você prefere trabalhar com prazos de entrega sem amarrações 7. Você tende a escolher cuidadosamente impulsivamente 8. Nas festas você geralmente permanece até tarde, com energia crescente retira-se mais cedo, com energia decrescente 9. Você se sente mais atraído(a) por pessoas sensatas pessoas criativas 10. Você se interessa mais pelo real possível

194 11. Ao julgar os outros, você se inclina mais para as leis do que para as circunstâncias circunstâncias do que para as leis 12. Ao tratar com outras pessoas, você tende a ser mais objetivo(a) pessoal 13. Você é mais pontual descompromissado(a) 14. Incomoda-lhe mais ter as coisas inacabadas concluídas 15. No seu grupo social você em geral está a par do que acontece com os outros está por fora das novidades

195 16. Ao realizar as tarefas de rotina, você prefere fazê-las da maneira usual da sua própria maneira 17. Os escritores deveriam dizer as coisas com clareza expressar as idéias com o uso de analogias 18. Você é mais atraído(a) pela consistência das idéias pelas relações humanas harmoniosas 19. Você se sente mais confortável fazendo julgamentos baseados na lógica em valores pessoais 20. Você prefere as coisas negociadas e decididas não negociadas e indefinidas

196 21. Você se definiria como mais sério(a) e firme condescendente 22. Ao telefonar você está seguro(a) de que dirá tudo o que precisa ensaia de antemão o que irá dizer 23. Os fatos "falam por si mesmos" ilustram princípios 24. Os visionários o(a) aborrecem fascinam 25. Você é mais freqüentemente uma pessoa calculista acolhedora

197 26.É pior ser injusto(a) impiedoso(a) 27. Usualmente, deve-se permitir que as coisas aconteçam por seleção e escolha cuidadosa fortuitamente e ao acaso 28. Você se sente melhor depois de ter comprado, adquirido tendo a opção de comprar 29. Na companhia de outras pessoas, você inicia a conversação espera ser abordado(a) 30. O senso comum é raramente questionável freqüentemente questionável

198 31. Com freqüência, as crianças não se fazem úteis o suficiente não exercitam suficientemente a imaginação 32. Ao tomar decisões, você se sente mais confortável seguindo as normas a intuição 33. Você se considera mais firme do que gentil gentil do que firme 34. Você considera mais admirável a habilidade para se organizar e ser metódico(a) a habilidade para se adaptar e ser maleável 35. Você valoriza mais o fechado, definido aberto, com opções

199 36. Uma interação nova e pouco rotineira com outras pessoas o(a) estimula e revigora consome as suas reservas de energia 37. Você é, mais freqüentemente, uma pessoa do tipo prático uma pessoa do tipo fantasioso 38. Você tem uma maior propensão a ver como as outras pessoas são úteis como os outros vêem 39. É mais satisfatório discutir um assunto a fundo chegar a um acordo sobre um assunto 40. O que mais comanda você é a sua cabeça o seu coração

200 41. Você se sente mais à vontade com um trabalho que siga um acordo pré-estabelecido que se desenvolva sem um plano estabelecido 42. Você tende a buscar o sistemático o imprevisto 43. Você prefere muitos amigos com contatos superficiais poucos amigos com contatos intensos 44. Você se deixa guiar mais pelos fatos princípios 45. Você se interessa mais por produção e distribuição projeto e pesquisa

201 46. É mais elogioso ser considerado(a) uma pessoa muito lógica uma pessoa muito sentimental 47. Você se autovaloriza mais por ser decidido(a), firme dedicado(a), devotado(a) 48. Com mais freqüência, você prefere uma afirmação final e inalterável uma afirmação preliminar e provisória 49. Você se sente mais confortável depois de tomar uma decisão antes de tomar uma decisão 50. Com ou para pessoas que não conhece, você conversa longamente e com facilidade tem pouco a dizer

202 51. Você confia mais em sua experiência sua intuição 52. Você se considera mais prático(a) do que criativo(a) mais criativo(a) do que prático(a) 53. Você aprecia mais em outra pessoa a clareza do raciocínio a força dos sentimentos 54. Você está mais inclinado(a) a ser justo(a), imparcial compreensivo(a) 55. Na maioria das vezes, é preferível ter certeza de que esteja tudo acertado deixar que as coisas simplesmente aconteçam

203 56. Nos relacionamentos, a maior parte das coisas deveriam ser renegociáveis casuais e circunstanciais 57. Quando o telefone toca você se apressa para atender primeiro espera que alguém atenda 58. Você aprecia mais em si mesmo(a) o forte senso de realidade a imaginação viva 59. Você se sente mais atraído(a) pelos fundamentos pelas implicações 60. Parece-lhe pior ser muito apaixonado(a), veemente objetivo(a)

204 61. Você se vê, basicamente, como "cabeça-dura" "coração-mole" 62. Atrai-lhe mais uma situação estruturada e programada não estruturada e imprevista 63. Você se considera uma pessoa mais rotineira do que original original do que rotineira 64. Você tende a ser uma pessoa de fácil aproximação reservada 65. Você prefere textos mais literais mais figurativos e simbólicos

205 66. É mais difícil para você identificar-se com os outros utilizar-se dos outros 67. Você prefere possuir a clareza da razão a força da compaixão 68. É maior defeito não saber discernir ser crítico 69. Você prefere os acontecimentos planejados imprevistos 70. Você se considera uma pessoa mais ponderada e cuidadosa do que espontânea espontânea do que cuidadosa e ponderada

206 Estilos de aprendizagem – modelos lógicos Os modelos de estilos de aprendizagem são organizados segundo uma categorização de seus elementos, desde aqueles que focam as condições mais externas na aprendizagem até aqueles que são baseados na teoria da personalidade (Modelo Onion de Curry)

207 Categorias –Preferências relativas ao modo de instrução e fatores ambientais – o ambiente preferido pelo estudante durante a aprendizagem –Preferências de interação social – interação dos estudantes na classe –Preferências de processamento da informação – como o estudante assimila a informação –Dimensões de personalidade (Psicologia analítica de Carl Jung) – influência da personalidade em relação a como adquirir e integrar a informação

208 Estilos de aprendizagem – modelos lógicos Modelos mais utilizados em pesquisas de educação em engenharia –Experiential Learning Model –Felder-Silverman Learning Style –Hermann Brain Dominance Instrument –Myers-Briggs Type Indicator –Keirsey Temperament Sorter

209 Estilos de aprendizagem – Experiential Learning Model (Kolb, 1984) Percepção – como os indivíduos captam informações –Conceitualização abstrata (AC) – preferência por análise lógica e planejamento sistemático –Experimentação concreta (CE) – preferência por experiências específicas e envolvimento pessoal Transformação – como os indivíduos transformam a experiência em conhecimento –Experimentação ativa (AE) – preferência por fazer as coisas para obter resultados –Observação reflexiva (RO) – preferência por examinar idéias sob vários pontos de vista para obter resultados

210 Estilos de aprendizagem – Experiential Learning Model Estilos de aprendizagem – enfatizam certas habilidades de aprendizagem –Convergente – Pensar (AC) e Fazer (AE) –Divergente – Sentir (CE) e Observar (RO) –Assimilador – Pensar (AC) e Observar (RO) –Conciliador – Sentir (CE) e Fazer (AE)

211 Modelo CAIUS – Computer Aided Instruction Using Styles Estilos de aprendizagem mapeados a partir das escalas do MBTI – especificações para CAI (curso de Design) Foco –Do mais prático para o mais imaginativo –Do mais detalhado para o mais conceitual –Da análise objetiva para valores mais subjetivos Direção –Do concreto para o abstrato ou do abstrato para o concreto Iniciativa –Da iniciativa do sistema para a iniciativa do aprendiz –Do mais guiado para o mais exploratório Exemplos –Centrados em coisas ou centrados em pessoas (Durling, 1996)

212 Modelo CAIUS – Computer Aided Instruction Using Styles (Durling, 1996)

213 MultiAgent System PLANG – MAS- PLANG Universidade de Girona (Espanha) Motor do Agente INTERFACEINTERFACE I N T E R F A C E Base de Conhecimentos Agente de Informação Motor do Agente INTERFACEINTERFACE INTERFACEINTERFACE Histórico da seção, quadro de comunicações. Agente Assistente Material didático e estratégias pedagógicas Materiais Selecionados Técnicas de Navegação Tipo de Estudante Navegação Adaptativa Apresentação Adaptativa Ações do Estudante Solicitação de troca de Estilo de aprendizagem Novos Casos Estilo de Aprendizagem Inicial Solicitação de troca de Estilo de aprendizagem Penha et al. ( 2002)

214 MISTRAL Universidade de Concepción (Chile) Lagos, Labraña e Leiva ( 2002) Chave ingresso do usuário Chave incorreta Primeira vez que utiliza a plataforma Teste conhecimentos prévios Teste estilos de aprendizagem Informações no módulo aluno Adapta plataforma Executa atividades Avalia conhecimentos Adapta estratégia Abrir arquivo modelo do aluno Abrir arquivo mo- delo pedagógico Abrir arquivo módulo expert

215 Estilos de aprendizagem – orientação no ensino de engenharia LSI (Kolb) – Orientação para o estilo assimilador –Apresentação formal de material, raciocínio indutivo MBTI – Orientação adequada para o tipo INTJ –Introversão – usam aulas expositivas e tarefas individuais –Uso da intuição – focam a ciência da engenharia ao invés de projeto e operações –Pensar – enfatizam análise abstrata e negligenciam interações inter-pessoais –Julgar – concentram na realização de tarefas pré- definidas e programadas ao invés de exploração de idéias e resolução criativa de problemas (Felder, 1996)


Carregar ppt "Tipologias, Estilos e Arquétipos A psicologia de tipos específicos de caráter até o momento mal começou a ser esboçada (William James, 1902)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google