A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DO SÊMEN DE EQUINOS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR Camila Hamond 1, Júlio Jacob 2, Gabriel Martins 1, Aline Pinna 1, Jorge Tié Costa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DO SÊMEN DE EQUINOS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR Camila Hamond 1, Júlio Jacob 2, Gabriel Martins 1, Aline Pinna 1, Jorge Tié Costa."— Transcrição da apresentação:

1 AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DO SÊMEN DE EQUINOS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR Camila Hamond 1, Júlio Jacob 2, Gabriel Martins 1, Aline Pinna 1, Jorge Tié Costa Reis 3,Vera Lucia de Jesus 2 1 Laboratório de Bacteriologia Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Niterói/RJ, Brasil. 2 Departamento de Reprodução Animal, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica/RJ, Brasil. ³ Médico Veterinário Autônomo. Contato: INTRODUÇÃO A saúde reprodutiva dos machos constitui fator importante para programas reprodutivo tanto na monta natural, quanto na Inseminação Artificial (IA). Dessa forma, além do exame clínico, recomenda-se os exames microbiológicos do sêmen e avaliação andrológica, a fim de melhorar o índice de fertilidade dos animais, em virtude da ocorrência de grande variedade de microrganismos do sêmen, sem o aparecimento de sinais clínicos de afecções genitais. No momento da cobertura, o pênis do garanhão carreia uma série microrganismos, tanto da microbiota normal, quanto do ambiente, que são depositados diretamente no lúmen uterino podendo levar a infecção do trato reprodutivo. O objetivo deste trabalho foi avaliar a microbiota do sêmen fresco de 10 garanhões, a fim de determinar a freqüência dos microrganismos e sua susceptibilidade aos antimicrobianos. MATERIAIS E MÉTODOS Foram utilizados 10 equinos, da raça Mangalarga Marchador, que tiveram o sêmen coletado com vagina artificial (Hannover), em seguida procedeu-se a avaliação macro e microscópica do sêmen, seguindo o Manual do CBRA (1998). Uma alíquota de 2mL de sêmen foram acondicionados em frascos estéries, com meio de transporte e encaminhados ao LABORLIFE/RJ, para a avaliação microbiologia do sêmen e de susceptibilidade dos isolados aos antimicrobianos. RESULTADOS Pseudomonas aeruginosa (80,0)% e Klebisiella pneumoniae (70,0%.) representaram a maioria dos isolados, seguidos de Escherichia coli (5,20%). A presença de outros agentes oportunistas também foi notada como Staphylococcus aureus, Proteus vulgaris e Enlerobacter sp, S. epidermidis, considerados como microbiota normal do trato genital dos garanhões. O isolamento de bactérias dos gêneros Streptococcus, Staphylococcus, Enterobacteriaceae no sêmen dos animais estudados vai de acordo com achados de estudos anteriores, que destacam estes grupos de microrganismos como principais agentes da endometrite eqüina, principal afecção relacionada à alterações reprodutivas em eqüinos. Nos testes de susceptibilidade, foi observado uma maior sensibilidade dos microrganismos isolados à Amicacina (70,0%), seguidos pelo Cloranfenicol (50%), Polimixina B (30%), Tetraciclina (30%) e Sulfa com Trimetropim (20,0%). CONCLUSÃO O estudo bacteriológico do sêmen é muito importante para prevenção e controle de infecções transmitidas de forma venérea, contribuindo para melhoria dos índices reprodutivos. Apesar dos gêneros isolados serem reconhecidamente microrganismos multi-resistentes, no presente estudo estas bactérias demonstraram uma elevada taxa de sensibilidade aos antimicrobianos. Este achado não reduz a importância dos diagnósticos microbiológicos e do teste de susceptibilidade aos antimicrobianos na escolha do antibiótico para o diluidor de sêmen e no auxílio do tratamento de infecções do trato reprodutivo.


Carregar ppt "AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DO SÊMEN DE EQUINOS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR Camila Hamond 1, Júlio Jacob 2, Gabriel Martins 1, Aline Pinna 1, Jorge Tié Costa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google