A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E TI: O CASO DA UFRGS 1 Autores Braga, Ana Maria Leite, Denise Musse, Jussara Machado, Geraldo Ribas Genro, Maria Elly Julho/2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E TI: O CASO DA UFRGS 1 Autores Braga, Ana Maria Leite, Denise Musse, Jussara Machado, Geraldo Ribas Genro, Maria Elly Julho/2009."— Transcrição da apresentação:

1 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E TI: O CASO DA UFRGS 1 Autores Braga, Ana Maria Leite, Denise Musse, Jussara Machado, Geraldo Ribas Genro, Maria Elly Julho/2009

2 Histórico 1895 Escolas Profissionais e de Educação Superior 1934 Universidade de Porto Alegre – UPA, sob a tutela do Estado do RS 1947 Universidade do Rio Grande do Sul – URGS 1950 Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, sob a tutela da União 2

3 Universidade que abrange todas as áreas do conhecimento, desenvolvidas através do ensino, da pesquisa e da extensão. Professores: Alunos: de graduação presencial de graduação a distância de pós-graduação de ensino fundamental, médio e técnico Técnicos Administrativos: UFRGS 2008

4 – PAIUB/PAIUFRGS - avaliação institucional: interna e externa - 1º ciclo - MEC/UFRGS – avaliação externa - MEC - (ENC) desempenho dos alunos e (ACE) avaliação dos cursos de graduação – MEC/UFRGS – PAIPUFRGS - avaliação institucional interna - 2º ciclo - UFRGS – SINAES/PAIPUFRGS - avaliação institucional: interna e externa - 3º ciclo - MEC/UFRGS SINAES/PAIPUFRGS - avaliação institucional: interna e externa - 4º ciclo - MEC/UFRGS 4 Avaliação Institucional Permanente

5 ESTRUTURA DA IES PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO Secretaria de Avaliação Institucional – SAI (criada em 2000) Núcleos de Avaliação das Unidades – NAUs (criados em 1994) num total de 29 Comissão Própria de Avaliação – CPA (criada em 2004) Centro de Processamento de Dados – CPD (criado em 1968 e atende a toda a UFRGS) Infra-estrutura da Universidade à disposição da avaliação. 5

6 Competências da CPA Coordenar os processos internos de avaliação a serem executados pela SAI e pelos NAUs; Coordenar o trabalho, desenvolvido pela SAI e pelos NAUs, de sistematização e prestação de contas quanto às informações solicitadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP); Delegar à SAI a competência da execução do processo de avaliação, que será desenvolvido em conjunto com os NAUs; Manter-se sistematicamente informada sobre todos os procedimentos desenvolvidos pela SAI e pelos NAUs; Estabelecer calendário de reuniões sistemáticas para acompanhar o desenvolvimento do processo avaliativo. 6

7 Competências da SAI Integrar, como membro, a CPA; Coordenar, com a CPA, e articular com as Unidades Acadêmicas e os diversos setores da Administração Central, o desenvolvimento do Projeto de Avaliação Institucional PAIPUFRGS/SINAES; Subsidiar as Unidades Acadêmicas e Escolares com dados e informações necessárias e pertinentes para a execução do PAIPUFRGS/SINAES; Organizar e desenvolver seminários e outros eventos necessários para ancorar o desenvolvimento das atividades do Projeto PAIPUFRGS/SINAES; Auxiliar as Unidades Acadêmicas e Escolares na realização de seus eventos internos; Sistematizar os processos e resultados das ações de avaliação, em relatórios parciais e em publicação final, em comum acordo com a CPA e encaminhá-los aos devidos fins. 7

8 Competências dos NAUs Implantar o processo de avaliação das Unidades, segundo o PAIPUFRGS/SINAES, envolvendo a comunidade acadêmica; Realizar eventos que sirvam de suporte teórico e prático ao processo de avaliação; Responsabilizar-se pela análise do diagnóstico de sua Unidade, coordenando o processo de Avaliação Interna; Participar de grupos de trabalho organizados pela SAI; Elaborar o projeto de avaliação interna da Unidade, contemplando suas peculiaridades e especificidades, entendendo as dimensões do PAIPUFRGS/SINAES como referências orientadoras; Organizar relatórios de avaliação de acordo com o cronograma geral do PAIPUFRGS/SINAES. 8

9 CONCEPÇÃO DE AVALIAÇÃO 1º Ciclo Avaliativo Meta: Repensar a universidade desejada para o século XXI, no sentido do auto- conhecimento, do reconhecimento de suas potencialidades e desempenhos buscando perspectivas inovadoras de ação de todos os seus partícipes, nas distintas instâncias organizacionais que a constituem. 9

10 CONCEPÇÃO DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo Avaliativo Meta: Avaliar o cumprimento da missão da Universidade na sua finalidade de educação e produção de conhecimento integrados no ensino, na pesquisa, na extensão, na gestão acadêmica e administrativa, em cada Unidade Acadêmica e na Universidade como um todo, tendo por base os princípios da Pertinência Social e da Excelência sem Excludência. 10

11 CONCEPÇÃO DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo Avaliativo Meta: Avaliar o cumprimento da missão da Universidade na sua finalidade de educação e produção de conhecimento integrados no ensino, na pesquisa, na extensão, na gestão acadêmica e administrativa, através da auto- avaliação realizada pelos docentes, técnicos administrativos e discentes, em cada Unidade Acadêmica e na Universidade como um todo, levando em consideração os resultados das avaliações externas. 11

12 TI E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 1º Ciclo: –Modelo centralizado –Computador de grande porte (mainframe) –Informações: poucas, dispersas e redundantes Em 1995: –Explosão do uso dos microcomputadores –Múltiplas aplicações departamentais –Informações redundantes e inacessíveis 12

13 TI E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Em 1996: projeto Democratização da Informação –Melhorar a qualidade da informação –Modernizar a gestão acadêmica –Agilizar os processos administrativos 2º Ciclo (2003/2004): –Informações integradas e disponíveis –Todas as áreas informatizadas ou em processo de informatização 13

14 TI E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 3º Ciclo ( ) –Plena utilização de TI –Infraestrutura moderna e adequada –Capacitação e atendimento ao usuário –Informação disponível, de fácil acesso, e trabalhada. 14

15 TI E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Processos de apoio à Gestão e à Avaliação Institucional: –em 2001, Alocação de Vagas Docentes –em 2005: Indicadores SINAES Avaliação do docente pelo discente Sistema de Informações Gerenciais 15

16 Alocação de vagas docentes

17

18

19

20 Indicadores SINAES

21

22

23

24 Avaliação pelo discente

25

26

27

28

29

30

31 Sistema de Informações Gerenciais

32

33

34 INOVAÇÕES E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Consolidação da democratização da informação Modernização da instituição Atualização constante da informação Agilização de todos os serviços prestados Divulgação de grande parte do que é produzido Elevação do conhecimento em relação às estruturas e quefazeres Aumento da capacidade de decisão dos gestores nos diferentes níveis. 34

35 RESULTADOS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS 1º Ciclo reuniões interdepartamentais para decisões comuns em relação aos currículos; estudos e implementação de melhorias curriculares; medidas comuns para disciplinas com maiores índices de reprovações e implementação de um sistema de jubilamento Dados sobre evasão Perfil sócio econômico dos estudantes da UFRGS 35

36 RESULTADOS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS 2º Ciclo Estudos sobre: acompanhamento de egressos, análise da alocação, qualificação e desempenho com vistas a valorização dos técnico-administrativos; otimização do processo de avaliação docente e de disciplina pelo discente; e análise das condições físicas e de equipamentos para subsidiar as prioridades de infra-estrutura da Universidade. 36

37 RESULTADOS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS 3º Ciclo Atendimento à Lei do SINAES, com a criação e composição da CPA Definição, conjunta com o CPD, do banco de dados e de indicadores, com disponibilização on line Elaboração do Regimento interno da CPA e aprovação no Conselho Universitário – CONSUN Relatório do 3º ciclo ( ) obedecendo às 10 dimensões do SINAES Relatório do 4º ciclo ( ) obedecendo às 10 dimensões do SINAES Recepção e acompanhamento da Comissão Externa de Avaliação. 37

38 PERSPECTIVAS Implementação de projeto de pesquisa junto a gestores para conhecer sua opinião sobre: 1) Qual é a concepção que você tem sobre avaliação institucional com base no que é feito pela Instituição? 2) Quais os impactos dos processos de avaliação institucional nas políticas de ensino, de pesquisa, de extensão e de gestão? 3) Que avanços as Tecnologias da Informação (Sistemas informatizados diversos, Sistema de Avaliação On-Line) possibilitaram aos processos de avaliação institucional? 38

39 FIM OBRIGADA 39


Carregar ppt "AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E TI: O CASO DA UFRGS 1 Autores Braga, Ana Maria Leite, Denise Musse, Jussara Machado, Geraldo Ribas Genro, Maria Elly Julho/2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google