A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica."— Transcrição da apresentação:

1 XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica

2 COMO PREPARAR UM PÔSTER PARA UM EVENTO CIENTÍFICO Airton Cattani

3 LEIA AS INSTRUÇÕES Conteúdo Tamanho Local Fixação Horário Retirada…

4 FUNÇÃO DO PÔSTER SINTETIZAR INFORMAÇÕES E DADOS RELEVANTES DA PESQUISA

5 PÔSTER não é PAPER

6 estão mais vinculados ao estilo de vida e ao gênero, situando-se o nível socioeconômico numa escala menor, sendo que esse influencia mais nos hábitos de visita ao dentista (FISCHER, 1999) Quanto à busca por serviços odontológicos, a pesquisa sobre Condições de Saúde Bucal da População Brasileira revelou que 96,73% da amostra estudada foi ao dentista pelo menos uma vez na vida, sendo que 3,27% nunca visitaram o dentista. Dos entrevistados, 51,20% consultaram o serviço público (maior percentual entre jovens e menor entre idosos), 33,36% consultaram o setor privado e 10,89% consultaram o setor privado suplementar - planos de saúde (RIO GRANDE DO SUL..., 2003).O presente estudo visa colaborar com futuras ações de saúde para o município de Canoas, na tentativa de qualificar a saúde coletiva da comunidade canoense. O presente projeto está vinculado ao projeto que intitula-se Prevalência de Surdez e Outros Transtornos da Audição: Um Estudo de Base Populacional da População de Canoas, RS, Brasil. Essa pesquisa integra vários estudos satélites que visam levantar dados sobre outros aspectos da saúde da comunidade em estudo (BÉRIA et al., 2002). Entre as pesquisas satélites encontra-se a de saúde bucal, que visa descrever os hábitos de higiene bucal e o uso dos serviços odontológicos, com a finalidade de investigar a importância dos cuidados de higiene bucal na promoção e proteção da saúde da população de Canoas, assim como avaliar a utilização dos serviços odontológicos (ABEGG, 2002).Objetivo Investigar os hábitos de higiene bucal e a utilização dos serviços odontológicos de adolescentes do município de Canoas - RS.MetodologiaEstudo descritivo do tipo transversal de base populacional. O estudo utilizou dados secundários coletadas na pesquisa de base populacional realizada em 2002 com apoio financeiro da Christoffel Blindermission - (CBM, Bensheim, Alemanha) e com o apoio técnico e logístico da Organização Mundial de Saúde - (OMS, Genebra, Suíça), Universidade Luterana do Brasil - (ULBRA Canoas, RS) Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Sul - (FAPERGS) e Conselho Nacional de Pesquisa - (CNPQ) e que teve como objetivo principal coletar dados sobre prevalência de surdez e outros transtornos da audição. O estudo seguiu as normas e protocolos das pesquisas realizadas pela Organização Mundial de Saúde - OMS e valeu-se da Introdução: Embora as duas doenças mais prevalentes em Odontologia, cárie e doenças periodontais, sejam preveníveis ou passíveis de controle por meio de medidas relativamente simples, constata-se que em nível populacional os objetivos de uma melhor saúde bucal não são alcançados. Explica-se esse fato, pela prevalência e incidência dessas patologias estarem associadas a fatores como condições sociais, econômicas, políticas e educacionais e não apenas a fatores biológicos que interagem na etiologia dessas doença (MACIEL, 1994).controle da placa bacteriana, que traduz-se como o controle do acúmulo de microrganismos sobre os dentes, e a higiene oral é um dos mais difundidos métodos preventivos da cárie dentária e da doença periodontal, que pode ser efetuado por métodos mecânicos ou químicos (MALTZ, 1986, p. 117). Sendo a placa bacteriana o fator etiológico determinante de cárie e das doenças periodontais, a limpeza adequada e sistemática dos dentes é tida como a medida mais direta e abrangente de controle e tratamento das doenças dentárias (BUISCHI; AXELSSON, 1997)A escovação dentária é o meio mecânico individual mais amplamente utilizado para o controle de placa no mundo. O hábito de escovar os dentes passou a receber destaque especial nos últimos vinte anos por ser um dos método mais eficientes de levar flúor à boca com o uso do creme dental fluoretado, tornando-se uma das formas mais eficazes de prevenir a cárie dentária (AXELSSON, 1999). No espaço interdental, a placa pode ser controlada utilizando-se o fio dental, palito, escova unitufo e escova interdental (EGELBERG, 1999).Uma boa higiene bucal é parte integrante das práticas de saúde geral e é significativa como elo no seu estabelecimento (WOODALL, 1977). Mulheres e pessoas com estilo de vida mais saudável escovam seus dentes mais freqüentemente, sendo que métodos adicionais de higiene bucal estão também relacionados a um padrão de vida mais saudável. Dessa forma, em nível populacional, hábitos de higiene bucal efetivaram-se nos domicílios sorteados, por meio de um questionário semi- estruturado e foi realizada no período de dezembro de 2002 a maio de Os dados foram digitados em um programa especialmente elaborado para este estudo (USCA - Utilização dos Serviços de Saúde de Canoas) sendo utilizada a técnica de dupla digitação, com o objetivo de alcançar uma melhor confiabilidade e para que não fossem aceitos valores que não os definidos, em todos os campos foram preenchidas regras de validação. O controle de qualidade dos dados foi realizado em 11, 6% dos domicílios, que foram sorteados da amostra total estudada especialmente para o controle de qualidade. Essa etapa foi executada de duas formas: por telefone ou por meio de entrevistas. A confiabilidade observada foi de 93% (Kappa = 0,93). RESULTADOS: Da amostra de 261 adolescentes entrevistados, 47,9% (125) pertencem ao sexo masculino e 52,1% (136) ao sexo feminino. Os adolescentes pertenciam a famílias cuja renda média é de R$ 1.634,00. Quanto à escolaridade 62,8% (164) possuem 8 anos de escola formal sendo que 37,2% possuem 9 ou mais anos de escolaridade. A média da escolaridade é de 8,22 anos. Quanto aos hábitos de higiene bucal 100% da amostra relatou limpar os dentes com o auxílio da escova e creme dental, sendo que apenas 34,1% (89) revelou usar fio dental. Quanto ao número de vezes que os adolescentes limpam os dentes, 21,1% dos jovens revelaram escovar os dentes 4 ou mais vezes ao dia, sendo que cerca da metade, 53,6% (140), alegou limpar 3 vezes ao dia. 22,2% (58) limpam 2 vezes, e apenas 3,1% (8), limpam 1 vez ao dia. Um total de 69,7% (182) dos adolescentes limpa os dentes antes do café, e 39,1% limpam depois do café, sendo que a maioria dos jovens da amostra talento + dedicação = resultado amostra da pesquisa rincipal a qual constitui-se de 1415 indivíduos. A amostra deste estudo foi composta por 261 adolescentes, com idade entre 14 e 19 anos, residentes nos domicílios dos setores censitários sorteados. A pesquisa contou com dez duplas de entrevistadores, que visitaram 1040 domicílios, distribuídos em quarenta setores censitários. As entrevistas costuma limpar os dentes. Karsltad, Sweden: Quintessence Publishing, p.BÉRIA, Jorge Umberto et al. Prevalência de surdez e outros transtornos da audição: um estudo de base populacional em Canoas, RS, Brasil. Canoas: ULBRA, Projeto de Pesquisa, Faculdade de Medicina, Fonoaudiologia e Pós-graduação em Saúde Coletiva. Universidade Luterana do Brasil, 2002.BUISCHI, Yvonne de Paiva; AXELSSON, Per. Controle.) Atualização em Periodontia e Implantodologia. São Paulo: Artes Médicas, p. MACIEL, S. M. Saúde bucal infantil: a participação da mãe. São Paulo: USP, Tese ( Doutorado em Saúde Pública), Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, 1994.MALTZ, Mariza. Prevalência de cárie e doença periodontal. In: Toledo, Orlando Ayrton. Odontopediatria: fundamentos para a prática clínica. São Paulo: Editora Panamericana, p. RIO GRANDE DO SUL. Secretaria da Saúde. Divisão de Atenção à Saúde. Secção de Saúde Bucal. Projeto SB_RS Condições de saúde bucal da população do Rio Grande do Sul. Projeto SB Brasil Condições de Saúde Bucal da População Brasileira. Ampliação da Amostra para o Rio Grande do Sul - Relatório Final. Porto Alegre: SES, 2003.WOODALL, Irene R. Prevenção da Doença Periodontal. In: GENCO, Robert J.,COHEN,Walter D., GOLDMAN, Henry M. Periodontia contemporânea. 2.ed. São Paulo. Santos Editora, p. Atlântico Uruguai Argentina mecânico da placa dental realizado pelo paciente. In: KRIEGER, Léo ( coord.). ABOPREV - Promoção de Saúde Bucal. São Paulo: Artes Médicas, Estela (coord Evite o excesso de informações

7 ESTRUTURA DO PÔSTER INTRODUÇÃO OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO

8 ELEMENTOS BÁSICOS DO PÔSTER TEXTOS DADOS (TABELAS, GRÁFICOS, DIAGRAMAS, ESTATÍSTICAS...) IMAGENS (DESENHOS, FOTOGRAFIAS, ILUSTRAÇÕES...)

9 ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO TÍTULO DO TRABALHO AUTOR ORIENTADOR INSTITUIÇÃO

10 INFORME UM ENDEREÇO PARA

11 QUAL A QUANTIDADE DE TEXTO?

12 NEM MUITO NEM POUCO...

13 SOMENTE O NECESSÁRIO

14 DEVO CITAR AS REFERÊNCIAS? SIM, COM O DEVIDO DESTAQUE

15 DESTAQUE AS CONCLUSÕES

16 CUIDADO COM A DIAGRAMAÇÃO

17 A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objetivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos setores de costura de uma indústria calçadista de grande porte, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Os setores de produção das indústrias de calçados constituem um segmento industrial de relevante significado econômico e social para o Estado do Rio Grande do Sul. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros fatores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar postural e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

18 A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós- graduação em Saúde Coletiva na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objetivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos setores de costura de uma indústria calçadista de grande porte, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Os setores de produção das indústrias de calçados constituem um segmento industrial de relevante significado econômico e social para o Estado do Rio Grande do Sul. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros fatores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar postural e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador. Distribua o texto em colunas

19 QUANTO ESPAÇO USAR?

20 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

21 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Deixe espaço em branco para o olho respirar

22 CUIDADO COM AS FONTES Não existe só Times New Roman

23 Nunca use fontes artísticas para o texto, apenas para título e subtítulos

24 QUAL O TAMANHO DAS FONTES? No mínimo 25

25 JUSTIFICADO OU ALINHADO?

26 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

27 CAIXA ALTA ou caixa baixa?

28 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem- estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. OS INDICADORES DETECTADOS NA PESQUISA SE DESTINAM A INCENTIVAR NOVOS ESTUDOS, A FIM DE DESCOBRIR FATOS RELATIVOS A UM CAMPO BASTANTE DÚBIO E REFORÇAR OS CONCEITOS NA ANÁLISE DA MELHOR POSTURA DE TRABALHO NO SETOR DE COSTURA DA INDÚSTRIA CALÇADISTA, VISANDO MAIOR CONFORTO E BEM-ESTAR DOS TRABALHADORES. O TRABALHO BUSCA AVANÇAR COM O CONHECIMENTO CIENTÍFICO E O CONHECIMENTO PROVENIENTE DO SENSO COMUM, PROCURANDO TRAZER, PARA UM DEBATE MAIS CONSISTENTE, A MANIFESTAÇÃO DIRETA DAQUELE QUE EXECUTA A ATIVIDADE NO SETOR DE COSTURA: O TRABALHADOR. Caixa alta somente para título

29 USAR FIGURAS DE FUNDO? Sim, mas com cuidado para não prejudicar a leitura do texto

30 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

31 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem- estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

32 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem- estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

33 FUJA DOS CLIPARTS!!!

34 CUIDADO COM A RESOLUÇÃO

35

36

37 USE PRINCÍPIOS DE COMPOSIÇÃO

38 Alinhamento Simetria Ordem Hierarquia Oposição Contraste Simplicidade Equilíbrio…

39 CUIDADO COM O CONSTRASTE

40 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Evite situações como esta

41 CUIDADO COM AS S S C C O O R R E E Não use todas ao mesmo tempo

42 QUE PROGRAMA USAR?

43 PowerPoint CorelDraw PhotoShop Ilustrator FreeHand

44 O QUE SE VÊ NA TELA NÃO É O QUE SE VÊ IMPRESSO...

45 FAÇA SEMPRE UMA CÓPIA IMPRESSA

46 Divulgando na Internet Formato: jpg Largura: 600x900 pixels Resolução: 72 dpi

47 DICA: USE UM MOSQUITO

48 NÃO DEIXE PARA A ÚLTIMA HORA

49 Recomendações da American Gastroenterological Association (AGA) para a Digestive Disease Week 2004 Quais os erros mais comuns na elaboração de um pôster? Dificuldade de ler o pôster a uma distância de 1,20m ou mais; Excesso de informações; Objetivos e conclusões não destacadas.

50 1.Cabeçalho: Cabeçalho deve empregar no mínimo fonte 150 pontos (33 mm), indicando o título do trabalho, autor(es) e instituição. 2.Texto: Letras do texto devem empregar fonte com 36 pontos (10mm). 3.Destaque as seções: Numere ou destaque cada seção para guiar o leitor do pôster. O uso de cores é um método efetivo de separar as seções e garantir um impacto visual. Verifique se a combinação de cores não prejudica a leitura. 4.Desenvolvimento: Seu pôster deverá incluir 3 a 5 breves sentenças destacando as informações necessárias para compreender a pesquisa e porque foi feita. As questões da pesquisa ou as hipóteses de trabalho a serem testadas devem ser clara e sucintamente apresentadas. 5.Metodologia: Destaque brevemente a metodologia, apresentando apenas detalhes de novos métodos ou modificações de métodos já utilizados. 6.Gráficos: Resultados apresentados sob a forma de gráficos são muito mais efetivos do que blocos de texto. Use legenda para símbolos, e incluía a interpretação dos resultados abaixo de cada gráfico. 7, Conclusões: Apresente as conclusões sucintamente, em fonte maior. (Muitos leitores lêem isso primeiro. Assim, as conclusões devem ser facilmente compreendidas).

51 PESQUISE...

52 NA DÚVIDA, CONSULTE UM PROFISSIONAL...

53 COMO PREPARAR UM PÔSTER PARA UM EVENTO CIENTÍFICO Airton Cattani


Carregar ppt "XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica XVIº Salão de Iniciação Científica XII Feira de Iniciação Científica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google