A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS A INFLUÊNCIA DA CULTURA E DA EXPERIÊNCIA DECISÓRIA SOBRE A PERCEPÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS A INFLUÊNCIA DA CULTURA E DA EXPERIÊNCIA DECISÓRIA SOBRE A PERCEPÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS A INFLUÊNCIA DA CULTURA E DA EXPERIÊNCIA DECISÓRIA SOBRE A PERCEPÇÃO DO PROCESSO DECISÓRIO INDIVIDUAL: Um estudo comparativo entre Brasil, França e Estados Unidos Amarolinda Costa Zanela Orientador: Prof. Henrique Freitas GESID-PPGA-EA-UFRGS

2 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS Tema e justificativa Questões de pesquisa Objetivos Metodologia Análise dos dados Resultados Limites Pesquisas futuras ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO

3 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS TEMA E JUSTIFICATIVA Decisão - Cultura - Experiência

4 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS QUESTÕES DE PESQUISA 1ª - Independentemente da cultura nacional ou do nível de experiência é possível identificar fatores comuns a respeito da forma como as pessoas percebem o processo decisório individual, especialmente se tomado o modelo da racionalidade limitada de Simon (1947) como padrão de referência? 2ª - Como a cultura atua enquanto fator de diferenciação na percepção do processo decisório individual? 3ª - Como a experiência decisória (vivência) dos indivíduos influencia a forma como eles percebem o processo decisório individual?

5 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS OBJETIVOS Objetivo Geral Identificar a percepção dos indivíduos sobre o processo decisório, verificando se variáveis como a cultura e a experiência decisória influenciam essa percepção. Objetivos específicos Construir uma base de dados (diferentes regiões e países) Realizar análise dos dados quantitativos e qualitativos Evidenciar perfis decisórios Aprimorar o conjunto de instrumentos de coleta de dados

6 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS METODOLOGIA Pesquisa survey de caráter exploratório Instrumentos de pesquisa (quanti-qualitativos) 1 - Associação de palavras 2 - Composição de frases 3 - Case 4 - Escala cultural-decisional 5 - Escala sócio-demográfica Amostragem não-probabilística por conveniência Amostra: 285 respondentes 103 brasileiros 102 franceses 80 americanos

7 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS ANÁLISE DOS DADOS PRIMEIRA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO: Etapas associadas ao modelo de referência de Simon (1947): Escolha, Concepção, Inteligência (com menor intensidade) Revisão e feedback não são identificados com frequência Considerando-se a nacionalidade, as fases não são evidenciadas com a mesma intensidade: Os franceses são os que menos evidenciam a fase de inteligência Os brasileiros são os que mais evidenciam a ocorrência da fase de revisão (cerca de 20%) Os americanos são o grupo onde as etapas do modelo (com exceção da etapa de revisão) são evidenciadas com maior frequência

8 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS ANÁLISE DOS DADOS PRIMEIRA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO: Relatando uma decisão tomada, os americanos são os que mais realizam as 3 fases básicas

9 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS Os respondentes evidenciam, através dos dados qualitativos, outros elementos relacionados ao processo decisório, como a importância dada: Ao coletivo (negociação, interação, comunicação) À ação (agir, fazer, decisões rápidas, concretas, etc.) Ao poder/responsabilidade Ao risco/inovação e progresso Elementos relacionados à etapa de ação/implementação, complementar ao modelo de referência de Simon (1947) PRIMEIRA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO: ANÁLISE DOS DADOS

10 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS Quanto ao estilo decisório, os respondentes: Em geral demonstram ser mais racionais do que emocionais, mais objetivos do que subjetivos ao decidir Baseiam-se frequentemente em números ao decidir Em geral demonstram decidir mais rápida do que lentamente Outros modelos de processo decisório: Outros modelos não são evidenciados, à exceção do que a análise das palavras associadas à decisão sugere: os franceses revelam uma tendência que aponta na direção do modelo político ANÁLISE DOS DADOS PRIMEIRA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO:

11 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS Dimensões da cultura nacional de Hofstede (1991): Não se pode classificar os 3 grupos de maneira conclusiva quanto a todas as 5 dimensões Resultados ajudaram a traçar um perfil dos respondentes de cada um dos 3 países Qualitativamente: Os brasileiros são os que mais associam a decisão à idéia de ação, inovação, praticidade, rapidez. Revelam um estilo mais dinâmico Os franceses denotam ter uma visão mais política do processo decisório, e um estilo mais reflexivo Os americanos não revelam características que associem de forma particular à decisão, posicionando-se de forma mais neutra, revelando atribuir importância ao ambiente no qual se insere o decisor SEGUNDA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO: ANÁLISE DOS DADOS

12 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS Percepções diferentes.... ANÁLISE DOS DADOS

13 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS Os três grupos não falam dos mesmos tipos de decisão: Os americanos pensam em decisões de carreira Os franceses falam basicamente em decisões pessoais Os brasileiros são os que mais relatam decisões de negócio Considerando-se a camada cultural gênero os dados apontam as seguintes tendências, relativamente: As mulheres demonstram maior subjetividade nas decisões tomadas Demonstram maior aversão à incerteza, em relação aos homens Mostram-se menos voltadas para o longo prazo SEGUNDA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO: ANÁLISE DOS DADOS

14 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS TERCEIRA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO: Restrições existentes em relação à amostra considerada. É possível apontar as seguintes tendências, relativamente: Os menos experientes se colocam como menos objetivos e os que menos se baseiam freqüentemente em números ao decidir. Dizem buscar alternativas arriscadas com menor freqüência e demonstram maior individualismo Os mais experientes se colocam como mais objetivos, baseando-se em números com maior freqüência ao decidir. Posicionam-se como os mais coletivistas. Tendem a arriscar mais e revelam tendência a uma menor aversão à incerteza CONCLUSÃO DA ANÁLISE DOS DADOS

15 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS RESULTADOS A verificação da ocorrência do modelo da racionalidade limitada de Simon (1947) Perfil sobre como brasileiros, franceses e americanos percebem o processo decisório, nas questões sondadas Evidências de diferentes tendências de percepção do processo decisório, considerando-se o gênero Evidências da influência da experiência decisória sobre a decisão, apesar das restrições em razão da amostra considerada Uma metodologia peculiar de análise dos dados qualitativos Um dicionário de palavras em português, inglês e francês que os três grupos relacionaram com a tomada de decisão Sugestão de redução do instrumental de pesquisa, resultando em um novo instrumento de pesquisa a ser utilizado

16 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS LIMITES DA PESQUISA Amostra utilizada: método de amostragem - resultados só podem ser considerados em relação à amostra definida. Limitações especialmente em relação à 3 ª questão de pesquisa A fragilidade dos construtos das dimensões da cultura nacional segundo Hofstede (1991), especialmente os de aversão à incerteza e distância de poder Tempo exigido para a análise dos dados qualitativos, dificultando a realização de trabalho em equipe

17 ©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS PESQUISAS FUTURAS A utilização do instrumental concebido e aprimorado A mesma base de dados da pesquisa pode ser reutilizada visando o estudo de outras questões Elaboração de novos construtos com questões escalares para avaliação de variáveis culturais, especialmente as 5 dimensões - Hofstede (1991) Investigações ainda mais apuradas sobre as diferentes percepções sobre a decisão de acordo com o gênero e a experiência individual Franceses: evidências revelam uma tendência que aponta na direção do modelo de processo decisório político.


Carregar ppt "©Mestre: Amarolinda Costa Zanela - Orientador: Henrique Freitas GESID/PPGA/EA/UFRGS A INFLUÊNCIA DA CULTURA E DA EXPERIÊNCIA DECISÓRIA SOBRE A PERCEPÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google