A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. 2 A SEGMENTAÇÃO DO MERCADO FINANCEIRO 3 AGENTES : AGENTES : l Unidades superavitárias (poupadores) l Unidades deficitárias (tomadores) l Intermediários.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. 2 A SEGMENTAÇÃO DO MERCADO FINANCEIRO 3 AGENTES : AGENTES : l Unidades superavitárias (poupadores) l Unidades deficitárias (tomadores) l Intermediários."— Transcrição da apresentação:

1 1

2 2 A SEGMENTAÇÃO DO MERCADO FINANCEIRO

3 3 AGENTES : AGENTES : l Unidades superavitárias (poupadores) l Unidades deficitárias (tomadores) l Intermediários Financeiros MECANISMOS DE FINANCIAMENTO: MECANISMOS DE FINANCIAMENTO: l Financiamento indireto (ou intermediado) mercado de crédito l Financiamento direto mercado de capitais O PROCESSO DE FINANCIAMENTO

4 4 Ações (ordinárias e preferenciais) - parcela do capital social Debêntures - títulos de dívida de médio e longo prazo Notas Comerciais (commercial papers) - título de dívida de curto prazo Quotas de Fundos de Investimento; Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) – securitização de recebíveis Fundos de Investimento em Participações (Private Equity) – empresas emergente Fundos de Investimento Imobiliário Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) PRINCIPAIS VALORES MOBILIÁRIOS NEGOCIÁVEIS NO MERCADO DE CAPITAIS (art. 2º da Lei 6.385/76)

5 5 Nova definição de valor mobiliário introduzida no art. 2º da Lei nº 6.385/76 pela Lei nº /2001: Art. 2 o São valores mobili á rios sujeitos ao regime desta Lei: (...) IX - quando ofertados publicamente, quaisquer outros t í tulos ou contratos de investimento coletivo, que gerem direito de participa ç ão, de parceria ou de remunera ç ão, inclusive resultante de presta ç ão de servi ç os, cujos rendimentos advêm do esfor ç o do empreendedor ou de terceiros. PRINCIPAIS VALORES MOBILIÁRIOS NEGOCIÁVEIS NO MERCADO DE CAPITAIS (art. 2º da Lei 6.385/76)

6 6 FONTES DE FINANCIAMENTO A LONGO PRAZO Em % (fonte Banco Central )

7 TIPO DE OFERTA VOLUME 2005 %VOLUME 2006 %VOLUME 2007 % AÇÕES DEBÊNTURES NOTAS COMERCIAS QUOTAS FIDC QUOTAS FIP CRI OUTROS TOTAL OFERTAS REGISTRADAS EM 2005/2007 (R$ MILHÕES)

8 8 VOLUME DE TÍTULOS EMITIDOS (03/09) (EM R$ BILHÕES)

9 9 Mercado Primário compreende o lançamento de novas ações e outros valores mobiliários no mercado, com aporte de recursos à companhia ou aos acionistas vendedores. Mercado Secundário Uma vez ocorrendo o lançamento inicial ao mercado, as ações e os demais valores mobiliários passam a ser negociadas no Mercado Secundário, que compreende as bolsas de valores e os mercados de balcão. Uma vez ocorrendo o lançamento inicial ao mercado, as ações e os demais valores mobiliários passam a ser negociadas no Mercado Secundário, que compreende as bolsas de valores e os mercados de balcão. OS MERCADOS

10 10 Principais Mercados NEGOCIAÇÕES DE AÇÕES DE CIAS ABERTAS MERCADOS: À VISTA, DE OPÇÕES E TERMO MERCADO DE TÍTULOS PRIVADOS DE RENDA FIXA Debêntures Cotas de FIDC CRI Cotas de FII Notas Promissórias MERCADO DE NEGOCIAÇÃO DE CONTRATOS FUTUROS Índice Ibovespa Taxa de juro Taxa de câmbio e Commodities (dólar, ouro, boi gordo, etc) Operações de Swaps

11 11 Principais Índices do Mercado Indicadores de variações de preços de mercado Parâmetros para avaliação de performance de investimentos Instrumentos de negociação no mercado futuro IBOVESPA – índice Bovespa: – principal indicador do mercado (59 ações): Liquidez: As ações integrantes da carteira teórica do Índice Bovespa respondem por mais de 80% do número de negócios e do volume financeiro verificados no mercado à vista na BOVESPA. Capitalização bursátil: As empresas emissoras das ações integrantes da carteira teórica do Índice Bovespa são responsáveis, em média, por aproximadamente 70% do somatório da capitalização bursátil de todas as empresas com ações negociáveis na BOVESPA

12 12 Outros Índices de Mercado Outros Índices de Mercado IBrX-100 (Índice Brasil): 100 ações mais negociadas, em termos de nº de negócios e volume financeiro – (ponderado pelo valor de mercado) IBrX-50 (Índice Brasil) Índice Small Cap (SMLL) - empresas de menor capitalização Índice Mid Large Cap (MLCX) - empresas de maior capitalização IGC (Governança Corporativa): Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada - são todas as cias negociadas nos Níveis 1 e 2 e no Novo Mercado ISE - ÍNDÍCE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL: empresas socialmente responsáveis ITAG - ÍNDÍCE DE AÇÕES COM TAG ALONG DIFERENCIADO ÍNDICE SETORIAIS (Elétrico, Telecomunicações e Industrial)

13 COMPARATIVO DAS BOLSAS ( fonte WEF)

14

15 BOVESPA Média diária de negociação R$ Bi 4,900 5, negócios diários Pessoas físicas 2,448 1,624 1,230 0,81 5 0, (julho)

16 16 PARTICIPAÇÃO DOS INVESTIDORES NA BOVESPA (julho/08)

17 17 Novas fontes de recursos para financiamento de projetos ou pagamento de dívidas; Criação de liquidez para o patrimônio dos acionistas, fundos private equity; Remuneração de administradores (opções de compra); Facilita operações de reestruturação societária (aquisições, fusões, incorporações); è Imagem institucional - maior exposição ao mercado - melhora da qualidade de crédito da empresa; Informação: O Combustível do Mercado - Obrigatórias ou espontâneas: Relatório da Administração, Demonstrações Financeiras Anuais e respectivo Parecer de Auditoria Independente; DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas; ITR - Informações Trimestrais IAN - Informações Anuais AGO/E (s): edital e atas Divulgação de Fatos Relevantes VANTAGENS PARA A EMPRESA NA ABERTURA DE CAPITAL

18 18 è Participação de intermediários financeiros (líder e consorciados) è Distribuição primária (aumento de capital – recursos para cia.) è Distribuição Secundária (venda por antigos acionistas – controladores, Fundos Private Equity e Venture capital) è IPO (oferta inicial – abertura de capital) è Bookbuilding - precificação è Quiet period è Oferta Global è Oferta para investidores individuais è PROSPECTO: Documento de divulgação da Oferta Pública Aponta os fatores de risco relevantes (podem influir na tomada de decisão dos investidores) Informa a atuação da companhia e seu mercado AS ETAPAS DE UMA OFERTA PÚBLICA UNDERWRITING

19 19 Fundo de Private Equity (Fundos de Investimento em Participações -FIP) Companhias fechadas com potencial de crescimento para posterior listagem em bolsa de valores – (Venture Capital) 1. Compra de posições relevantes em empresas abertas menores, pouco líquidas ou mal gerenciadas (operações alavancadas) 2. Empresas estáveis e bem gerenciadas, mas com fluxo de caixa maior que a taxa de juros (operações alavancadas) 3. Alguns casos de Sucesso: ALL, DASA, GOL, Localiza, Lupatech, Natura e Submarino. Capital semente (Angel Investor): investimento na fase pré-institucional, visando a imediata criação de uma empresa a partir de um projeto, produto ou tecnologia CAPITAL EMPREENDEDOR (VENTURE CAPITAL)

20 20 OPERAÇÕES RECENTES DE UNDERWRITING

21 QUANTIDADE DE OFERTA DE AÇÕES (até 03/09)

22 OPERAÇÕES DE ABERTURA DE CAPITAL (IPO) (03/09)

23 23 VOLUME DAS OFERTAS DE AÇÕES (23/08) (EM R$ MILHÕES)

24 PARTICIPAÇÃO DE INVESTIDORES EXTERNOS NAS OFERTA PÚBLICAS DE AÇÕES (EM %)

25 25 Investimento estrangeiro em mercado saldo + valorização (em US$ bilhões – julho/08)

26 COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA POR CATEGORIA (julho/08)

27 NÚMERO DE INVESTIDORES PESSOAS FÍSICAS (emissões recentes) EMPRESA BM&F BOVESPA Redecard Camargo Correa Imobiliária São Martinho Log-In GAFISA Iguatemi Shopping Centers UOL CSU Cardsystem14.362

28 28 Companhias Listadas em Bolsa Evolução da Capitalização de Mercado (22/08) R$ 2,01 trilhões 398 empresas negociadas

29 Fundos de Investimento (maio/2008)

30 30 l Certificado negociável que representa um determinado número de ações de empresas não americanas; l Emissão feita por um banco depositário americano lastreada em ações depositadas em um banco custodiante no país de origem; l Aplica-se a ações já emitidas (mercado secundário) ou ações provenientes de aumento de capital (mercado primário). ADR - AMERICAN DEPOSITARY RECEIPT

31

32 32 ADRs MAIS NEGOCIADOS EM 2007

33 33 l Os Home-Brokers das corretoras estão interligados aos sistemas operacionais da BOVESPA e permitem que o investidor envie ordens automáticas de compra e venda de ações através da Internet l CORRETORAS PARTICIPANTES: 58 NÚMERO DE INVESTIDORES (junho/08): ( em 2003) l PARTICIPAÇÃO NA BOVESPA (junho/08): è 29,26% da quantidade de negócios è 11,62% do volume negociado (R$ 28,4 bilhões) l LEGISLAÇÃO: Instrução CVM nº 380/02 HOME-BROKER

34 34 è Proteção ao investidor: l GOVERNANÇA CORPORATIVA - conjunto de práticas adotadas na gestão de uma empresa que afetam as relações entre acionistas (controladores e minoritários), diretores e conselheiros; l boas práticas de Governança Corporativa adota como linhas mestras: transparência, prestação de contas (accountability), eqüidade e proteção aos acionistas minoritários; l Reforma da Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº /01); O CONTEXTO ATUAL DO MERCADO BRASILEIRO

35 35 l O Novo Mercado: espaço para a negociação de ações de empresas que: l Adotem boas práticas de governança corporativa; l Forneçam total transparência às suas demonstrações financeiras e atos da administração; l Proporcionem liquidez e dispersão de ações no mercado. l Nível 1 – Nível 2 – Novo Mercado NOVO MERCADO DA BOVESPA

36 36 l Total de Empresas: 165 l Representaram (jun/08): - 58% do valor de mercado das companhias - 66% do volume financeiro - 72% da quantidade de negócios

37 37 Segmento de Listagem IPO Número de operações de IPO 2004/2008: 110 n (até 22/08)

38 38 CVM COMPETÊNCIA E ATUAÇÃO

39 39 è Lei 4.728/65 - Lei do Mercado de Capitais que disciplinou e proporcionou o desenvolvimento desse mercado; è Lei 6.385/76 - criou a CVM introduzindo no mercado uma instituição governamental destinada exclusivamente a regulamentar e desenvolver o mercado, fiscalizar as Bolsas de Valores e as companhias abertas; è Lei 6.404/76 - A nova Lei das S/A que revogou uma legislação ultrapassada de 1940; è Essas Leis foram alteradas pela Lei 9.457/97, Lei /2001 e Lei /07. ESTRUTURA LEGAL DO MERCADO DE CAPITAIS

40 40 l AUTARQUIA FEDERAL VINCULADA AO MINISTÉRIO DA FAZENDA, MAS SEM SUBORDINAÇÃO HIERÁRQUICA l ADMINISTRADA POR UM PRESIDENTE E QUATRO DIRETORES NOMEADOS PELO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, APROVADOS DE SENADO E COM MANDATO l DECISÕES POR DELIBERAÇÃO DO COLEGIADO l PROCESSOS ADMINISTRATIVOS SANCIONADORES – DIREITO PÚBLICO ADMINISTRATIVO CVM

41 41 Estrutura Organizacional COLEGIADO SUPERINTENDÊNCIA GERAL SRE SM I SINSFISOIDEMAIS ASSESSORIAS SEPSDM

42 è Colegiado : (Presidente e Diretores) Órgão de deliberação colegiada Não têm função executiva (exceção do Presidente) Traça a política da Instituição Aprova as Instruções Julga os litígios administrativos de competência da CVM Grau de recurso em face das decisões de seus órgãos técnicos è Superintendências Executivas São responsáveis por todas as tarefas administrativas e operacionais da Instituição Objetivo: continuidade administrativa Atividade Administrativa na CVM

43 43 è Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e atos ilegais de administradores,controladores e administradores de investimentos em valores mobiliários; è Assegurar o acesso do público a informações sobre os valores mobiliários negociados e sobre as companhias emissoras; è Evitar ou coibir modalidades de fraude ou manipulação destinadas a criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço de valores mobiliários; è Assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de Bolsa de Valores e de balcão ATRIBUIÇÕES DA CVM (Lei 6.385/76)

44 44 Principais Funções l Normativa l Fiscalizadora l Julgadora l Sancionatória l Registrária l Consultiva ou de orientação l Fomento CVM

45 Função Normativa è Instruções: regulam as matérias previstas expressamente nas Leis 6.404/76 e 6.385/76 è Deliberações: atos do Colegiado que constituam competência específica do mesmo nos termos de Regimento Interno è Pareceres de Orientação: orientação aos agentes do mercado e aos investidores sobre matéria que cabe à CVM regular è Notas Explicativas: torna público as razões pelas quais o Colegiado aprovou determinada Instrução Audiência Pública - art. 8 º, § 3 º, inciso I, da Lei n º 6.385/76

46 Função Fiscalizadora e Julgadora Processo Administrativo Sancionador : ä Rito Sumário: Instrução CVM nº 251/96 (estabelece as hipóteses de aplicação ä Rito Ordinário: Deliberação CVM nº 538/ Termo de Acusação 2.Inquérito Administrativo è Relatório Final e Termo de Acusação Julgamento pelo Colegiado Possibilidade de Celebração de Termo de Compromisso: (§ 5º, do artigo 11, da Lei nº 6.385/76 e Deliberação CVM nº 390/01) Possibilidade de recurso ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional: ( Decreto nº 1935/96, artigos 2º, I, c, e 3º e § 4º do art.11 da Lei nº 6.385/76)

47 Função Sancionadora INABILITAÇÃO SUSPENÇÃO 382 MULTA ADVERTÊNCIA ABSOLVIÇÃO Número de Processos Sancionadores concluídos

48 Penalidades previstas no art. 11 da Lei nº 6.385/76 è Advertência; è Multa: (não excederá o maior dos seguintes valores) R$ ,00 (quinhentos mil reais); 50 % do valor da emissão ou operação irregular; ou três vezes o montante da vantagem econômica obtida ou da perda evitada em decorrência do ilícito. è Suspensão ou Cassação de autorização ou registro para atividade das atividades tratadas na Lei nº 6.385/76. è Suspensão, inabilitação ou Proibição temporária (até 20 anos) de exercício de cargo e atuação no mercado. Função Sancionatória

49 è CRIMES CONTRA O MERCADO DE CAPITAIS: (Capítulo VII-B, da Lei nº 6.385/76) MANIPULAÇÃO DE MERCADO; USO INDEVIDO DE INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA (Insider Trading); e EXERCÍCIO IRREGULAR DE CARGO, PROFISSÃO, ATIVIDADE OU FUNÇÃO Função Sancionatória

50 Função de Registro è Registro de companhia de capital aberto Registro de distribui ç ão p ú blica de valores mobili á rios è Registro de Auditor Independente è Registro de profissionais do mercado (analista, consultor, administrador de carteira, agente autônomo de investimento) è Registro de Fundos de Investimento Registro de investidor não residente no Pa í s

51 51 l Companhias abertas l Intermediários Financeiros l Bolsas de Valores (Bovespa e BM&F) l Administradores de carteiras l Analista de Mercado de Capitais l Agentes Autônomos de investimento l Empresas de auditoria e consultoria l Investidores Institucionais l Investidores Estrangeiros l Investidores em geral Instituições envolvidas com o Mercado de Capitais

52 52 Para fiscalizar os mercados secundários a CVM observa: l Alterações nos volumes de negociação das ações em relação à sua média histórica; l Aumento de liquidez das ações (número de dias negociados); l Oscilação significativa de preços. Fiscalização da CVM

53 53 Filtro de exceções on line


Carregar ppt "1. 2 A SEGMENTAÇÃO DO MERCADO FINANCEIRO 3 AGENTES : AGENTES : l Unidades superavitárias (poupadores) l Unidades deficitárias (tomadores) l Intermediários."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google