A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Microbiologia dos Alimentos. Alimentos meio adequado para o crescimento microbiano - deterioração (prontos para consumo - aumento dos custos) - disseminação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Microbiologia dos Alimentos. Alimentos meio adequado para o crescimento microbiano - deterioração (prontos para consumo - aumento dos custos) - disseminação."— Transcrição da apresentação:

1 Microbiologia dos Alimentos

2 Alimentos meio adequado para o crescimento microbiano - deterioração (prontos para consumo - aumento dos custos) - disseminação de infecções - intoxicações - produção de alimentos - conservação de alimentos 1. Introdução

3 2. Composição microbiana dos alimentos Frutos: Leveduras na casca das uvas - fermentação para fabricação do vinho pH 2,3-5,0 - baixa incidência de bactérias Carnes: Corte e manuseio - bactérias proteolíticas, lipolíticas, fungos e ocasionalmente patógenos (Clostridium perfringens, Staphylococcus aureus) Leite: Microbiota característica do ambiente Bactérias do ácido lático, leveduras, coliformes, Pseudomonas Patógenos: Staphylococcus (mastite), Mycobacterium, Brucella, Salmonella, Coxiella Microbiota própria Adquirida com o processo/manuseio

4 Deterioração: Qualquer alteração na aparência, odor, sabor decorrentes da atividade metabólica dos microrganismos O tipo de deterioração depende: - tipo de alimento - microrganismo envolvido (bactérias entéricas raramente deterioram frutos) - número de microrganismos presentes 3. Microrganismos e a deterioração de alimentos

5 Ranço: Alimentos ricos em gordura Microrganismos lipolíticos, principalmente bactérias Quebra das gordurasácidos graxosglicerol Putrefação: Alimentos ricos em proteínas (p.ex. carnes) Bactérias proteolíticas Proteínasputrescina, cadaverina, H 2 S, NH 3 Azedamento (fermentação) e coagulação: Leite Bactérias do ácido lático Lactoseácido lático + outros ácidos Principais processos de deterioração de alimentos

6 Inibir o crescimento microbiano preservar a qualidade 4. Controle dos microrganismos em alimentos O crescimento segue o padrão geral: fase lag, exponencial... Depende de condições como temperatura e valor nutritivo do alimento Somente quando a concentração atingir certo nível a deterioração pode ser observada

7 Forma mais comum de conservação Refrigeração (4 a 10 ºC): inibição das reações enzimáticas, levando à paralisação do crescimento microbiano - Crescem os psicrotolerantes Congelamento (-20 ºC): água congelada não está disponível para o metabolismo. Formação de cristais de gelo que danificam a membrana - Pode haver crescimento em bolsas de água não congelada 4.1 Frio Processos de preservação

8 Pasteurização 63 ºC por 30 min (LTLT: low temperature long time) 72 ºC por 15 s (HTST: high temperature short time) O tempo e temperatura, estão definidos para eliminação da Coxiella burnetti (patógeno mais resistente – 61,6 °C) Esterilização UHT (ultra-high temperature): 150 ºC por até 3 s sistemas contínuos elimina o gosto de leite cozido 4.2 Calor

9 Secagem: sol, câmaras secagem, liofilização alimentos perdem água, provocando a inibição do crescimento Adição de solutos (elevação da pressão osmótica) - adição de açúcar: doces, geléias, - secagem: leite condensado, frutas secas - adição de sal: carnes e peixes - defumação 4.3 Redução da atividade água (Aw)

10 Atividade de água e crescimento de microrganismos em alimentos Valor de a w Microrganismos geralmenteAlimentos que apresentam inibidos nesse valoresses valores de Aw 0,95Pseudomonas, Escherichia, ProteusAlimentos frescos altamente Shigella, Klebsiella, Bacillusperecíveis e frutas, carnes, Clostridium perfringens, algumaspeixes e leites enlatados; levedurassalsichas cozidas e pães; alimentos contendo 40% de sacarose ou 7% de NaCl 0,95-0,91Salmonella, Vibrio parahaemolyticusAlguns queijos, carne curada, alguns C. botulinum, Serratia, Lactobacillussucos de frutas concentrados, Pediococcus, alguns bolores, alimentos contendo 50% de leveduras (Rhodotorula, Pichia)sacarose ou 12% de NaCl 0,91-0,87Muitas leveduras (Candida, TorulopsisSalame, Bolos, queijos secos, Hansenula), Micrococcusmargarian, alimentos com 65% de sacarose ou 15% de NaCl 0,87-0,80Maioria dos bolores (PeniciliumMaioria dos sucos de frutas micotoxigênicos), S. aureus, concentrados, leite condensado maoria das Saccharomyces, adoçado, xaropes de chocolate Debaryomycese de frutas, farinha, arroz, grãos secos, bolos de frutas 0,80-0,75Maioria dos procariotos halofílicosPresunto, geléias, marzipan, frutos Aspergillus micotoxigênicosglacês, marshmallows Fonte: Adaptado de Beuchat (1981)

11 Diminuição do pH do alimento A maioria dos organismos deteriorantes não crescem em menos de pH 5. O ácido pode ser adicionado ou produzido no processo - ácido acético: picles - ácido lático: leite fermentado, iogurte, chucrute 4.4 Acidificação Nos alimentos fermentados, as bactérias não se desenvolvem bem em pH abaixo de 4 – processo autolimitante.

12 4.5 Enlatamento - Nicholas Appert funda em 1802 a primeira fábrica de conservas e recebeu o prêmio de Napoleão. Altas temperaturas aplicadas a alimentos hermeticamente fechados em latas - Temperatura inadequada: problemas com os termofílicos anaeróbios - Deteriorações mais comuns em enlatados: - azedamento: Bacillus stearothermophillus, B. coagulans, Lactobacillus spp. - produção de gás: leveduras, lactobacilos, clostrídios Um pouco de história: Em 1795 o governo de Napoleão Bonaparte ofereceu um prêmio de 12 mil francos a quem inventasse um novo método de preservação de alimentos para o exército.

13 Radiação ionizante: raios gama (cobalto 60) sem radiação residual e sem afetar a qualidade Atualmente, nos EUA, aves e hambúrgueres estão sendo irradiados para controlar a E. coli 0157:H7 e outros patógenos entéricos 4.6 Irradiação 44 KGrays na esterilização de produtos cárneos servidos em vôos espaciais (NASA) 4,4 KGrays para hambúgueres normais

14 4.7 Aditivos Diversos produtos químicos são considerados como seguros. Alguns são utilizados há anos, sem evidência de toxicidade, outros já são mais controvertidos. * inorgânicos: - Óxido de etileno, NO 3 -, NO 2 - * orgânicos: - ácido ascórbico: laticínios, sucos - benzoato de sódio: refrigerantes - propionato de cálcio: pães Em combinação com o ácido ascórbico (Vitamina C), o benzoato de sódio pode formar o benzeno, que é cancerígeno.

15 5. Microrganismos na produção de alimentos

16 Alimentos preparados com o uso de microrganismos AlimentoMatéria primaPrincipal MicrorganismoGrupo PiclesPepinosLactobacillus spp. Pediococcus spp. Bacilos, Gram + Cococ, Gram + Leite fermentadoLeiteL. acidophilusBacilos, Gram + PãoFarinhaSaccharomyces cerevisiaeLevedura RicotaLeite pasteurizadoL. bulgaricusBacilos, Gram + KoumissLeite de éguaL. bulgaricus Torula, Mycoderma Bacilos, Gram + Leveduras KefirLeite fresco,Streptococcus spp. Lactobacillus spp. Leuconostoc Acetobacter Cocos, Gram + Bacilos, Gram + Cocos, Gram + Bacilos, Gram - IogurteLeite pasteurizadoL. bulgaricus S. thermophilus Bacilos, Gram + Cocos, Gram + ShoyuArroz, SojaL. delbrueckii Aspergillus oryzae Sacharomyces rouxii Bacilos, Gram + Fungo filamentoso Levedura QueijosLeiteS. lactis S. cremoris L. citrovorum L. dextranicum Outros microrganismos Cocos, Gram + Bacilos, Gram + Fungos CervejaGrãos de cereaisSaccharomyces spp.Leveduras VinhoSuco de uvaSaccharomyces cerevisiae Sacch. champagnii Leveduras Salames e salsichas curadas Porco/GadoPediococcus cerevisiaeCocos, Gram + Presunto curadoPorcoAspergillus, PenicilliumFungos

17 Iogurte Lactococcus thermophillus Lactobacillus bulgaricus Sabor: diacetil, acetaldeído Queijos Lactococcus lactis Lactococcus cremoris Lactobacillus citrovorum Lactobacillus dextranicum Outros: fungos

18 Creme de Leite Streptococcus cremoris, S. diacetylactis: ácido – coagulação Leuconostoc cremoris: voláteis – sabor e aroma Manteiga: mesmos microrganismos

19 Saccharomyces cerevisiae

20 Kefir: alimento à base de leite preparado por microrganismos - Originário do Cáucaso, um presente de Alá Lactobacilli Lactobacillus alactosus L. brevis L. casei subsp. casei L. casei subsp. pseudoplantarum L. casei subsp. rhamnosus L. casei subsp. tolerans L. coryneformis subsp. torquens L. fructosus L. hilgardii L. homohiochi L. plantarum L. pseudoplantarum L. yamanashiensis Streptococci/Lactococci Streptococcus cremoris Str. faecalis Str. lactis Leuconostoc mesenteroides Pediococcus damnosus Leveduras Saccharomyces cerevisiae S. florentinus S. pretoriensis Candida valida C. lambica Kloeckera apiculata Hansenula yalbensis

21 Bebida tradicional de nômades criadores de rebanhos das estepes russas. O leite de égua dá origem a uma bebida saudável após uma fermentação alcóolica e láctica. A ação medicinal do koumiss é devida ao grande complexo de substâncias e elementos curativos que ele contém, tais como fermentos, microelementos, antibióticos, vitaminas A, Bl, B2, B12, D, E, C (grande teor), álcool etílico, ácido lático, gás carbônico e outros. Koumiss

22 Picles Lactobacillus spp. Pediococcus spp. Chucrute

23 6. Doenças transmitidas por alimentos Importante área emergente Alimentos processados: grande responsabilidade para as empresas Infecções e intoxicações originadas por uma única fonte pode afetar grande número de indivíduos

24 Doenças de origem microbiana veiculadas por alimentos Categorias de doenças: * infecções - microrganismo ativo presente nos tecidos - ingestão do patógeno através do alimento contaminado (muitos desses agentes também são transmitidos pela água) * intoxicações - microrganismo ativo ausente nos tecidos - ingestão da toxina bioativa pré-formada

25 6.1 Infecções a. Gastroenterites Bacillus cereus: toxina liberada no trato intestinal Infecção que atinge o sistema gastrointestinal ocasionando diarréias, cólicas intestinais e vômitos. - decréscimo na absorção de fluidos - aumento da secreção de fluidos do sangue para o intestino Vegetais crus, carnes, leite e derivados, farinhas contendo esporos b. Salmoneloses Salmonella thyphimurium: espécie mais comum, presente no intestino dos animais e esgotos. S. typhi: febre tifóide Carnes, salsichas, aves, ovos, leite e laticínios, produtos à base de ovos crús Contaminação: manuseio por indivíduos portadores, água contaminada Maria Tifóide "I can cook"

26 c. Escherichia coli patogênicas Escherichia coli enterotóxica (linhagens ETEC), produtora de enterotoxinas potentes - verotoxina:diarréia hemorrágica e insuficiência renal. Linhagem E. coli O157:H7 produz grande quantidade da toxina Alimentos crús ou mal cozidos, particularmente carnes moídas processadas em grande escala, água. d. Campilobacteriose Campylobacter jejuni e C. fetus Bastonetes Gram negativos, microaerófilos, principais responsáveis por diarréias bacterianas em crianças - C. fetus: abortos em bovinos e ovinos Aves, porco, mariscos crús - todas as carcaças de frango e peru contêm C. jejuni

27 d. Listeriose Listeria monocytogenes – presente em todos os ambientes - Bastonetes ácido tolerantes, psicrotolerantes e halotolerantes - Pessoas imonocomprometidas: septicemia, meningite, encefalite, infecção intra-uterina Carne, laticínios, produtos frescos Contaminação: solo, água e. Hepatite A Picornavírus (RNA vírus) - Inflamação e necrose do fígado Frutos do mar coletados em águas poluídas, leite Contaminação: contaminação fecal da água ou alimento

28 a. Intoxicação por estafilococos Staphylococcus aureus – intoxicação bastante comum (gastroenterites) Cremes, doces recheados, carnes, pudins, saladas com maionese Contaminação do alimento: pelo manipulador, seguida pela multiplicação da bactéria no alimento não refrigerado e produção de enterotoxinas (7 tipos) termoestáveis. b. Intoxicação por clostrídios Clostridium perfringens: bactéria anaeróbia, produtora de endósporos Carnes, aves e peixes, crús ou cozidos Toxinas: enterotoxina produzida quando a bactéria esporula no intestino, após ser ingerida com o alimento. Sintomas: alteração da permeabilidade das células epiteliais do intestino, produzindo sintomas de gastroenterites. 6.2 Intoxicações

29 Clostridium botulinum: bactéria anaeróbia, produtora de endósporos (botulus, do latim, salsicha) Carnes, vegetais enlatados, peixes fermentados, alimentos embutidos, batatas assadas,... Toxinas: exotoxina (proteína sensível ao calor, 80 ºC/10 min) geralmente fatal. - 1 g mataria 30 bilhões de ratos.

30 Botulismo Sintomas: a toxina liga-se às membranas pré- sinápticas nos neurônios motores na junção neuro-muscular, bloqueando a liberação de acetilcolina, impedindo a contração do músculo.


Carregar ppt "Microbiologia dos Alimentos. Alimentos meio adequado para o crescimento microbiano - deterioração (prontos para consumo - aumento dos custos) - disseminação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google