A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Vanderlei FELIZ ANO NOVO RUBEM FONSECA. Prof. Vanderlei Características gerais: Abordagem de diferentes grupos sociais Linguagem condizente ao grupo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Vanderlei FELIZ ANO NOVO RUBEM FONSECA. Prof. Vanderlei Características gerais: Abordagem de diferentes grupos sociais Linguagem condizente ao grupo."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Vanderlei FELIZ ANO NOVO RUBEM FONSECA

2 Prof. Vanderlei Características gerais: Abordagem de diferentes grupos sociais Linguagem condizente ao grupo social abordado Cotidiano da metrópole Violência desmedida Personagens solitários Relações humanas falidas Obra censurada em 1976

3 Prof. Vanderlei FELIZ ANO NOVO

4 Prof. Vanderlei Narrado em primeira pessoa > ginásio / alfabetizado / raiz quadrada / ciente das desigualdades sociais > ideia de superioridade Narrador / Pereba > assistem a comemorações na TV x masturbação / drogas / álcool Chegada de Zequinha > incentiva o uso das armas de Lambreta (estavam na casa de uma senhora) Roubo de um Opala > discussão: um tiro de espingarda calibre 12 cola ou não o sujeito numa parede Invasão de uma casa > comida para alimentar o presídio inteiro Pereba > mata uma mulher: não cedeu ao sexo / Zequinha estupra outra > banalidade da violência

5 Prof. Vanderlei Narrador > atos de violência (arranca um dedo/anel com uma dentada / defeca e limpa-se na cama) x saber racional Seu Maurício > cobaia da discussão: narrador atira no peito > não colara na parede Tem que ser na madeira, numa porta. Parede não dá. > Zequinha atira em outro > cola na parede > banalidade da violência Subimos. Coloquei as garrafas e as comidas em cima de uma toalha no chão. Zequinha quis beber e eu não deixei. Vamos esperar o Pereba. Quando o Pereba chegou, eu enchi os copos e disse, que o próximo ano seja melhor. Feliz ano novo.

6 Prof. Vanderlei PASSEIO NOTURNO I

7 Prof. Vanderlei Narrado em primeira pessoa > executivo > situação $$$ x violência Relações familiares falidas > o narrador gosta de ficar só na biblioteca / esposa não dá atenção ao marido / filhos que pedem dinheiro Passeio noturno > hábito do marido > automóvel = símbolo de poder Busca por alguém > mulher = mais fácil > sugestão de que procuraria uma prostituta Atropelamento > catarse / orgulho da manobra / descrição fria da cena Vou dormir, boa noite para todos, (...) amanhã vou ter um dia terrível na companhia. > oposição violência x aparente normalidade

8 Prof. Vanderlei PASSEIO NOTURNO II

9 Prof. Vanderlei Narrador > executivo > relação com a primeira parte Narrador recebe um bilhete de uma mulher no trânsito: nome > Ângela + telefone Encontro com Ângela > ironias por parte do narrador Despedida > Ângela comenta que todos os homens se apaixonam por ela / carro = melhor que o narrador > Um completa o outro. Ângela é deixada antes da porta do prédio > Apaguei as luzes e acelerei o carro. Tinha que bater e passar por cima. Não podia correr o risco de deixá-la viva. Ela sabia muita coisa a meu respeito, era a única pessoa que havia visto meu rosto, entre todas as outras. Descrição fria do atropelamento Final: mesma cena: Amanhã vou ter um dia terrível na companhia. > rotina de saídas / frieza

10 Prof. Vanderlei DIA DOS NAMORADOS

11 Prof. Vanderlei Narrador > alternância > terceira pessoa + Mandrake > surgimento do personagem > criminalista / violento Alternância de focos / rompimento com a cronologia > Mandrake no quarto / J.J. Santos com Veveca Mandrake deixa uma loira/rica no seu apartamento para atender ao pedido do advogado Medeiros > J.J. Santos = seu cliente J.J. Santos > vai para um hotel com uma menina > travesti > Veveca > o banqueiro desiste do encontro e percebe que fora roubado e acusa- o > Veveca corta-se e ameaça se matar > Mandrake é chamado para resolver > nível de trabalho Mandrake leva $$$ > vaia a uma delegacia > Veveca = desmascarado: cortes antigos nos braços / $$$ embaixo da peruca Mandrake: Os bolsos cheios de dinheiro, Mercedes na porta e daí? Estava triste e infeliz. Nunca mais ia ver a loura rica, eu sabia.

12 Prof. Vanderlei CORAÇÕES SOLITÁRIOS

13 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > repórter de polícia > demitido por falta de crimes interessantes > procura o jornal Mulher Mulher > foco: classe C / todos assumiam pseudônimos femininos / banalidades > papel da imprensa Dr. Nathanael Lessa > assinaria a coluna De mulher para mulher > consultório sentimental > cartas = tragédias pessoais x respostas = espécie de autoajuda > ironia O narrador > escreve fotonovelas > nome adotado: Clarice Simone > produções de 15 minutos > ironia no nome Cartas de Pedro Redgrave > homem que gosta de se vestir como mulher > carta verdadeira

14 Prof. Vanderlei Confidências Nathanel x Pedro Redgrave Pesquisador motivacional > o jornal era consumido por homens da classe B > surpresa / revolta no editor Peçanha Pedro Redgrave > Peçanha > desmascarado ao dar uma carta inédita entre outras aprovadas ao narrador Era uma brincadeira, disse depois, tentando acender um charuto. (...) Minha vida dá um romance... Isto fica entre nós dois, está certo? Eu não sabia bem o que ele queria que ficasse entre nós dois, a vida dele dar um romance ou ele ser o Pedro Redgrave. Mas respondei: Claro, só entre nós dois. Obrigado, disse Peçanha. E soltou um suspiro que cortaria o coração de qualquer outro que não fosse um ex-repórter de polícia.

15 Prof. Vanderlei ABRIL, NO RIO, EM 1970

16 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > Zé Protagonista > sonho de se tornar jogador de futebol > seria visto num jogo pelo técnico do Madureira Braguinha > ressalta a Zé a virtude do cuspe de Gérson > Limpo, transparente, cristalino. / ressalta também que os jogadores não tinham sexo durante os treinamentos > mística em torno da virtude Ansiedade frente ao jogo / evita a namorada, Nely Confronto de cuspes Zé x Jeová: Nós dois cuspimos ao mesmo tempo, o meu cuspe saiu fino, mas o dele, filho da puta, saiu ainda mais fino. Eu cuspi raspando a boca e soprando o cuspe com força pra fora, enquanto ele, moleque safado, nem abriu a boca, com um barulinho de traque o cuspe esguichou dos seus lábios fechados. Final: Jeová chamado para conversar com um sujeito

17 Prof. Vanderlei BOTANDO PRA QUEBRAR

18 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > desempregado / ex-presidiário / só consegue ofertas de atos ilegais > depende da mulher > Mariazinha > mãe solteira / costureira > confronto ordem x desordem Mariazinha pede uma conversa: queria procurar um homem trabalhador para servir de pai a sua filha > encontra um balconista > Hermenegildo Situação do narrador: nem empregos braçais são obtidos Vaga de segurança numa boate > ordem do dono: Bicha louca, crioulo e traficante não entra, entendeu? x exceções: fica brabo quando o narrador barra um travesti > importante Discussão com o dono da boate > o narrador insinua que o receio de ter homossexuais na casa = suspeito Narrador tira um homem da boate (aceita sua saída) > provoca uma briga > cobra dinheiro pelos ferimentos

19 Prof. Vanderlei O OUTRO

20 Prof. Vanderlei Narrador > executivo > trabalho burocrático > trabalho em casa > irritado com um feriado > taquicardia > indicado uma redução de carga de trabalho Narrador ajuda um pedinte > descrito como um homem ameaçador > torna-se sempre presente na sua via > opressão / sentimento de ameaça Caminhadas / nova rotina longe do trabalho > presença do pedinte Narrador > seguido até sua casa pelo pedinte > tiro > homem transforma-se num menino > influência da opressão de sua vida

21 Prof. Vanderlei AGRURAS DE UM JOVEM ESCRITOR

22 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > José > só num apartamento = prazer > chegada de uma freira pedindo ajuda = encapuzado > ele a ameaça, nu, com uma faca Lígia > ameaça suicidar-se quando ele fala em separação > ela datilografa o romance escrito por ele > finge ser broxa para dar fim ao romance Questionamentos: o que seria melhor para um jovem escritor: prêmio ou um suicídio? Suicídio de Lígia > remédio / bilhete: ele seria um escritor ruim > ele muda o bilhete: elogios / ciúme José vê o que Lígia escrevera > não era o que ele ditava Acusado do crime: remédio dele / depoimento de jovens com quem conversa: as envenenaria / troca dos bilhetes

23 Prof. Vanderlei O PEDIDO

24 Prof. Vanderlei Narrador > terceira pessoa Amadeu > pobre / biscateiro / viúvo > procura Joaquim > dono de um depósito de garrafas > diferentes situações sociais / amigos no passado / emigraram juntos para o Brasil Amadeu pede dinheiro a Joaquim para visitar a ex-nora > perdera o filho médico num acidente > Joaquim = menos ressentido > desgraça do outro = conforto Joaquim > filho = Manuel > vagabundo x filho de Joaquim > motivo da briga Amadeu pergunta pelo filho do outro > reaviva a mágoa Amadeu > sai > chora x Joaquim o procura arrependido > tarde

25 Prof. Vanderlei O CAMPEONATO

26 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > Açoreano > mediador de concursos > responsável pelo Campeonato de Conjunção Carnal Miro Palor (magro / calvo / recordista: 14 vezes em 24 horas) x Maurição Chango (forte / grande / desafiante) Açoreano > expõe as regras: estímulos áudiovisuais e gráficos / presença de um fiscal / mínimo de ejaculação Miro = 15 x Maurição = 10 Último concurso > deixara de seduzir > retrato do mundo moderno

27 Prof. Vanderlei NAU CATRINETA

28 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > José > aniversário de 21 anos = cumprir missão familiar masculina presente no Decálogo do tio Jacinto > vive com quatro tias solteiras misteriosas Ermelinda > namorada > parte da missão Uma das tias comenta que um dos ancestrais estivera na Nau catrineta > Ermê conhecia a lenda > viagem de Jorge Albuquerque Coelho > ele teria impedido o canibalismo a bordo Tradição familiar teria iniciado na Nau catrineta > missão de José: comer a namorada

29 Prof. Vanderlei 74 DEGRAUS

30 Prof. Vanderlei 74 degraus = 74 parágrafos Narrador > alternância de narradores > Teresa / Elisa / Pedro / Daniel Teresa > casada com Alfredo > cai > cama > sofrimento > morte Teresa x Elisa > sugestão de um envolvimento / atração Pedro > visita Teresa (Elisa vai embora) > ele = admirador de Alfredo > não consegue ter uma ereção > esgana Teresa (não morre) Chegada de Elisa > brincadeira surreal > Elisa monta em Pedro > ele é golpeado por Teresa Chegada de Daniel (marido de Elisa) > morto pelas duas

31 Prof. Vanderlei ENTREVISTA

32 Prof. Vanderlei Conto dialogado Homem x mulher > cliente x prostituta Ele > puxa conversa sobre seu passado > ela fora casada / grávida / traída / flagra o marido com a amante e a golpeia / apanha até abortar / o ex-marido é espancado por seus parentes / o ex-marido tenta uma reconciliação / foge do Norte / comenta que ele a perseguia Sugestão de que ele seria o próprio marido

33 Prof. Vanderlei INTESTINO GROSSO

34 Prof. Vanderlei Narrador > primeira pessoa > repórter > liga para um escritor > agenda uma entrevista Escritor > exige $$$ por palavra transcrita > proposta aceita Escritor sobre sua obra > personagens sem dentes / pornografia / lado podre da metrópole / condena a censura Intestino grosso > nome de uma obra do escritor Espécie de profissão de fé do próprio autor


Carregar ppt "Prof. Vanderlei FELIZ ANO NOVO RUBEM FONSECA. Prof. Vanderlei Características gerais: Abordagem de diferentes grupos sociais Linguagem condizente ao grupo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google