A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Embriologia Animal Prof. Protásio Moraes Prof. Protásio Moraes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Embriologia Animal Prof. Protásio Moraes Prof. Protásio Moraes."— Transcrição da apresentação:

1 Embriologia Animal Prof. Protásio Moraes Prof. Protásio Moraes

2 Aparelho reprodutor masculino de mamífero

3 Rede testicular interior dos túbulos seminíferos

4 Aparelho reprodutor feminino de mamífero placentário

5 Espermatogênese e ovogênese

6 Ciclo menstrual

7 Ovocitação - ovulação Ovário em ovocitação. Ovário em ovocitação. Sob o estímulo do LH, o folículo ovariano explode, provocando a ruptura da parede do ovário. Sob o estímulo do LH, o folículo ovariano explode, provocando a ruptura da parede do ovário. O ovócito II sai rodeado de células foliculares que comporão a corona radiata e a zona pelucida. O ovócito II sai rodeado de células foliculares que comporão a corona radiata e a zona pelucida.

8 Na tuba... O movimento da musculatura da tuba auxilia na captura do ovócito II no momento em que ele é expelido do interior do folículo ovariano. O movimento da musculatura da tuba auxilia na captura do ovócito II no momento em que ele é expelido do interior do folículo ovariano.

9 ...uterina Capturado pelas franjas do infundíbulo da tuba, o ovócito II é carregado por contrações musculares e por batimento ciliar da mucosa tubária.

10 Corrida... Mais de de espermatozóides podem ter sido ejaculados... Mais de de espermatozóides podem ter sido ejaculados... Apenas algumas centenas alcançam o ovócito II... Apenas algumas centenas alcançam o ovócito II... Apenas um fecunda!!! Apenas um fecunda!!!

11 Clivagens As clivagens tem como objetivo aumentar o número de células (blastômeros), sem aumentar o volume das células formadas. O objetivo é reestabelecer a relação da superfície da membrana com o volume do citoplasma. As clivagens tem como objetivo aumentar o número de células (blastômeros), sem aumentar o volume das células formadas. O objetivo é reestabelecer a relação da superfície da membrana com o volume do citoplasma.

12 Nidação – Implantação (placentação) No estágio de blastocisto, aproximadamente 6 dias após a fecundação o trofoblasto inicia a implantação no endométrio

13 Tipos de ovos e segmentação

14 Tipos de clivagem Clivagem holoblástica total Igual Ovos isolécitos Desigual Ovos heterolécitos

15 Tipos de clivagem Clivagem meroblástica parcial Discoidal Ovos telolécitos Superficial Ovos centrolécitos

16 Clivagem holoblástica

17 Figuras embrionárias as etapas do desenvolvimento Morulação A transformação do zigoto em mórula através das clivagens. A mórula corresponde a um maciço celular com o volume total aproximadamente igual ao da célula ovo

18 Blástula blastulação – implantação (nidação)

19 Gástrula gastrulação

20 Neurulação A partir da ectoderme (ectoderme neural) surge um grupo de células que se diferenciam numa espécie de goteira (goteira neural), que formará o tubo neural. Daí surgirá todo o sistema nervoso.

21 Cordados Nos cordados simultaneamente ao surgimento do tubo neural, a partir do teto do arquêntero (endoderme) Surgirá a notocorda. Funciona como eixo de sustentação e de orientação para a organogênese.

22 Invertebrados não possuem notocorda

23 Protocordados e vertebrados Protocordados mantêm a notocorda quando adultos Vertebrados substituem a notocorda por coluna vertebral (cartilaginosa ou óssea)

24 Protocordados x Vertebrados

25 Anfioxo - Cefalocordado

26 Balanoglossus - Hemicordado

27 Ascídea - urocordados

28 Vertebrados ciclostomados condríctesosteíctes anfíbios répteis aves mamíferos

29 Destino dos folhetos embrionários ECTODERME Todo o sistema nervoso. Epiderme e seus anexos: unhas, cascos, chifres, esmalte dos dentes, pêlos. Epitélio da boca, nariz e ânus. Ouvido interno, cristalino e retina. Hipófise, glândulas sudoríparas, mamárias e sebáceas, camada medular da supra-renal. MESODERME Todo o tecido conjuntivo (cartilagens, ossos, gorduras, sangue) e serosas. Todos os músculos e vasos sangüíneos. Sistema urogenital. Baço, córtex da supra-renal. ENDODERME Revestimento interno da bexiga, respiratório, digestório, reprodutor. Fígado, pâncreas e vesícula biliar. Amígdalas, tireóide, paratireóides.

30 Anexos embrionários Em anfíbios e peixes o único anexo observado é o saco vitelínico. Em répteis, aves e mamíferos adelfos encontraremos saco vitelínico, âmnion, córion e alantóide.

31 Monotremados Prototérios – Adelfos ornitorrinco e equidínia

32 Marsupiais didelfos – metatérios canguru, coala, gambá

33 Mamíferos placentários eutérios - monodelfos

34 Mamíferos placentários monodelfos O córion fetal fusiona-se ao endométrio uterino originando um órgão ricamente vascularizado e produtor de hormônios, denominado placenta

35 Placenta Legenda Legenda 1- miométrio 2- córion liso 3- bolsa amniótica 4- resíduo do saco vitelínico 5- placenta – córion frondoso 6 – cordão umbilical - alantóide

36 Placenta Esse órgão representa uma barreira permeável e muito seletiva, impedindo a livre circulação de certas substâncias entre o sangue materno e fetal.

37 Permeabilidade placentária Mãe – fetoFeto – mãe NutrientesExcretas HormôniosAnticorpos Alguns vírus Drogas

38 Desenvolvimento embrionário

39 Desenvolvimento humano meses 1, 2, 3, 4

40 Desenvolvimento humano meses 5, 6, 7, 8

41 Depois de tudo isso...

42 ... viram isso...!!!


Carregar ppt "Embriologia Animal Prof. Protásio Moraes Prof. Protásio Moraes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google