A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 1 – GOVERNO JOÃO FIGUEIREDO (1979 – 1985):

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 1 – GOVERNO JOÃO FIGUEIREDO (1979 – 1985):"— Transcrição da apresentação:

1 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 1 – GOVERNO JOÃO FIGUEIREDO (1979 – 1985):
Início dos Anos 80 – Década Perdida Conclusão do processo de abertura política. Crise econômica permanente (inflação, desem- prego, recessão, greves e violência ). Empréstimos e dependência do FMI

2 ESTUDANTES NA RUA- UFRGS
ANOS DÉCADA PERDIDA Movimento de Protesto e Greves Greve do CPERGS ESTUDANTES NA RUA- UFRGS

3

4 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 1979 – Inicio da Abertura Política
- Lei da Anistia.- Restrita Exceto para envolvidos com luta armada e atos terroristas. Retorno de exilados políticos : Brizola, Prestes, Miguel Arraes... Abrandamento da Censura Previa ( musicas – cinema ) Retorno de Brizola

5 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA - Volta do Pluripartidarismo
PDS (Partido Democrático Social) ARENA 1984 PFL (Partido da Frente Liberal) PP (Partido Popular) – Tancredo Neves 1982 PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) – Ulysses Guimarães MDB PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) – Ivete Vargas PDT (Partido Democrático Trabalhista) – Leonel Brizola 1980: PT (Partido dos Trabalhadores) – sindicatos paulistas

6 ANOS DÉCADA PERDIDA 1981 -Reação da “Linha Dura” à abertura política: Atentados terroristas em bancas de revistas, contra a OAB Atentado do Riocentro (30/04/1981). Desmoralização da “Linha Dura”

7 ANOS DÉCADA PERDIDA A Luta pela Redemocratização – Aspectos sociais e culturais - Surge da CUT ( Central Única dos Trabalhadores) ligada ao PT . - Teologia da Libertação – A igreja católica engajada - Movimento dos Sem Terras – 1981 – primeiras invasões de terras - Surge o MST

8 Movimentos culturais de Massa – A Era da Televisão
Domínio da Rede Globo com reprodutoras em todo o país Novelas ditando os padrões culturais , comportamentais e dominando a opinião pública. Nasce o poder da mídia .

9 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA Rock de Protesto - Difusão das Rádios FM
As rádios alternativa FMs - Fluminense RJ – Ipanema PoA. Grupos de Rock aparecem em todo o Brasil , RJ ,SP,RS,MG,BA BLITZ

10 ANOS DÉCADA PERDIDA

11

12 X ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA PDS ALIANÇA DEMOCRÁTICA* (PMDB + PFL)
JANANEIRO DE 1985: Eleições indiretas para presidente: PDS Paulo Maluf – presidente Mário Andreazza - vice ALIANÇA DEMOCRÁTICA* (PMDB + PFL) Tancredo Neves – presidente José Sarney - vice X Paulo Maluf Tancredo Neves 15/02/1985: Tancredo e Eleito

13

14 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 21/04/1985: Tancredo Neves morre.
José Sarney (vice), assume definitivamente a presidência.

15 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 2 – GOVERNO JOSÉ SARNEY (1985 – 1990):
PMDB – Transição Democrática Desconfiança inicial - ex-PDS (Arena) passado ligado a ditadura militar. “Emendão” (85) – aumentar credibilidade. Eleições presidenciais seriam restabelecidas. Voto para analfabetos. Liberdade partidária (incluindo o PCB e o PC do B). Liberdade sindical. Convocação de Assembléia Nacional Constituinte (formada por deputados eleitos para o Congresso Nacional em 1986).

16 Sucessão de planos econômicos.
PLANO CRUZADO (fevereiro/86) – Dilson Funaro:

17 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 1000 Cruzeiros = 1 Cruzado.
Congelamento de preços e salários (reajuste automático após inflação de 20% - “gatilho” salarial). Sucesso inicial – ampla adesão popular. Explosão do consumo – procura maior que oferta. Crise de abastecimento – ágio (inflação disfarçada). Redução de exportações Previsão de privatizações, que não ocorreram Moratória da dívida externa (suspensão de pagamento de juros).

18 ANOS DÉCADA PERDIDA 1986: eleições para uma ANC congressual e governadores. PMDB foi o grande vitorioso – Plano Cruzado Eleição de Pedro Simon no RS , e Collor em AL. 22 governadores e 54% dos deputados. PLANO CRUZADO II (nov/86) – Dilson Funaro: Liberação parcial do congelamento de preços. Aumento de 80% no valor dos automóveis. Aumento de tarifas públicas e impostos

19 Ulysses Guimarães (PMDB) Presidente da Assembléia.
Fevereiro de 1987: Instalação da Assem. Nacional Constituinte: Ulysses Guimarães (PMDB) Presidente da Assembléia. Surgimento de novos Partidos Políticos – PSDB – PV PSB Outubro de 88 – Nova Constituição (“Constituição Cidadã”) Eleições diretas e secretas (em todos os níveis). Presidente: 5 anos (para Sarney) e 4 para os demais. Voto facultativo para analfabetos e menores entre 16 e 18 anos. Eleições para cargos executivos em dois turnos

20 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA Habeas Corpus. Habeas Data
Liberdade Partidária Criação do estado do Tocantins Fim da censura. Direito de greve. Férias com adicional de 1/3 do salário. Multa de 40% do valor do FGTS em casos de demissão sem justa causa. Licença maternidade (120 dias) e paternidade (4 dias). Seguro desemprego. Racismo = crime inafiançável.

21 ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA PLANO VERÃO (Jan/89) – Maílson da Nóbrega:
Tentativa de Sarney de influenciar as Eleições Presidenciais 1000 Cruzados = 1 Cruzado Novo. Novo congelamento. Abertura ao capital estrangeiro. Sem efeitos – volta da inflação (1782% ao ano em 89). Insatisfação popular.

22 ANOS DÉCADA PERDIDA A sucessão de Sarney: Pesquisas indicam a preferência pelo Candidato BRIZULA (Brizola ou Lula ) 22 Candidatos participaram do Primeiro Turno Silvio Santos Enéas -PRONA

23 Ulysses e Aureliano não perceberam que o país era outro e naufragaram!

24 ANOS DÉCADA PERDIDA Luís Inácio Lula da Silva atropelou Leonel Brizola no final da campanha do 1º turno, vencendo-o por apenas 254 mil votos. Ficou em 2º lugar. No 2º turno perdeu para Fernando Collor. Collor obteve 42,7% e Lula 37,9% dos votos.

25 ANOS 90 - DÉCADA DESPERDIÇADA
1-GOVERNO FERNANDO COLLOR DE MELLO (1990 – 1992): “Caçador de Marajás” Discurso: COLLOR = novo, moderno. Passado político pessoal e familiar ligado a ditadura militar.

26 Início efetivo do neoliberalismo no Brasil.
PLANO COLLOR (mar/1990) – Zélia Cardoso de Mello: Início efetivo do neoliberalismo no Brasil. 1 Cruzado Novo = 1 Cruzeiro. Confisco de investimentos (até poupanças) – máximo equivalente a US$1200. Aumento das Tarifas

27 Crise econômica sem precedentes.
Liberalização da economia , facilidades para importações. Tornar o Brasil moderno ,eficiente e competitivo (ISSO 9000) Privatizações de empresas estatais. Redução de gastos públicos (salários, aposentadorias e projetos sociais). Objetivo: queda da inflação por meio da redução de consumo. Resultados: Redução do consumo Redução da produção. Desemprego. Falências Crise econômica sem precedentes.

28 ANOS 90 - DÉCADA DESPERDIÇADA
- Plano Collor II: Criação do FAIF; aumento do IOF; criação da tablita; aumento das tarifas públicas; redução das tarifas de importação. profunda recessão.  Inflação média: 1.750% ( )

29

30 ANOS 90 - DÉCADA DESPERDIÇADA
Mai/92: Pedro Collor (irmão do presidente) faz graves denúncias na Revista Veja. “Esquema PC” – corrupção. PC FARIAS: ex-tesoureiro de campanha de Collor e peça-chave no esquema de corrupção. Foi assassinado em junho de 1996.

31

32 ANOS 90 - DÉCADA DESPERDIÇADA
Mobilizações populares contra Collor: “Caras Pintadas”/ “Fora Collor”. Set/92 – Congresso aprova o Impeachment Dez/92 - Collor renuncia momentos antes, mas tem seus direitos políticos suspensos por 8 anos.

33 ANOS 90 - DÉCADA DESPERDIÇADA
2 – GOVERNO ITAMAR FRANCO (1992 – 1995): Discreto e com passado honesto. Governo de Coalizão Nacional Continuidade de privatizações. Dificuldades econômicas (inflação de 2700% em 1993). Abril de 1993: Plebiscito – Forma e sistema de governo . MONARQUIA X REPÚBLICA* PARLAMENTARISMO X PRESIDENCIALISMO*

34 ANOS 90 - DÉCADA DESPERDIÇADA
Atitudes folclóricas: Retorno do Fusca (94 – 96). Carnaval de 94 – Assediado pela modelo e Lilian Ramos. Agosto de 1993: FHC assume o Ministério da Fazenda. 1000 Cruzeiros = 1 Cruzeiro Real. Criação da URV (aproximadamente 1 dólar).

35 1Julho de 1994: Início efetivo do PLANO REAL
1 URV = 1 Real (2750 Cruzeiros Reais). Redução de custos de produtos importados. Modernização tecnológica. Queda da inflação. Estabilidade econômica. Ampla popularidade.

36 O governo FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (1995 – 2003): PSDB + PFL + PTB + PPB.
Tentativa de manutenção da estabilidade política e econômica. 1997 – Aprovação de emenda constitucional que permitia a reeleição para cargos executivos. Foi o primeiro presidente reeleito da História do Brasil. Amplo programa de privatizações – Vale do Rio Doce , setores de energia elétrica e telecomunicações (Telebrá - Embratel)

37 Abalos em funções de crises internacionais – México (1994), Rússia (1998), Argentina (2001).
Desvalorização do Real, aumento de taxas de juros, aumento da dívida interna. Crescimento pequeno do PIB Massacre de Eldorado dos Carajás (PA – 17/04/1996).

38 A dívida externa quadruplicou- Adoção do Câmbio Flutuante
Instituição da CPMF e da Lei de Responsabilidade Fiscal; Racionamento energético Destaque internacional para o Programa Brasileiro de combate a AIDS Queda na popularidade do Presidente FHC

39

40 O governo LUÍS INÁCIO LULA DA SILVA (2003 - 2010)
Continuidade da estabilidade econômica. Conservadorismo na gestão fiscal e monetária Autonomia ao Banco Central (BC) para manter um controle na taxa de inflação (meta definida pelo governo) Sucesso no que diz respeito a metas econômicas: o Risco Brasil atingiu o seu menor índice, controle das metas de inflação de longo prazo.

41 Crises e escândalos de corrupção permanentes: escândalo
dos Correios, esquema do Mensalão (2004 – 2005), crise dos Cartões Corporativos (2008), entre outros, levando a queda de vários ministros dos diversos escalões do governo, tais como José Dirceu, Antonio Palocci, Benedita da Silva, Luiz Gushiken

42 2004: Exército brasileiro comanda a Missão das Nações
Unidas para a Estabilização no Haiti, composta de 6700 homens de 16 países. • Programas sociais: Bolsa Família, Fome Zero Luz para todos. 2007 – Governo anuncia o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, um programa do governo que visa aplicar investimentos massivos em vários setores do país.


Carregar ppt "ANOS 80 - DÉCADA PERDIDA 1 – GOVERNO JOÃO FIGUEIREDO (1979 – 1985):"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google