A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Floriano Pesaro. Região Metropolitana - IPVS Cerca de 8 milhões de pessoas pobres (Fonte: Fundação Seade, 2004)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Floriano Pesaro. Região Metropolitana - IPVS Cerca de 8 milhões de pessoas pobres (Fonte: Fundação Seade, 2004)"— Transcrição da apresentação:

1 Floriano Pesaro

2 Região Metropolitana - IPVS Cerca de 8 milhões de pessoas pobres (Fonte: Fundação Seade, 2004)

3 São Paulo muito desigual uma cidade Foto: Luiz Arthur Leirão Vieira (Tuca Vieira) - Paraisópolis FALTA ESPAÇOSOBRA ESPAÇO

4 São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas milhões de habitantes Não há espaços de lazer e convivência 3,4 milhões de pessoas pobres (até ½ SM por pessoa da família)

5 Periferia: residem em favelas ou loteamentos clandestinos famílias São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas

6 famílias de pessoas miseráveis (até ¼ SM por pessoa da família) Lixo

7 7 A pobreza é mais do que falta de renda; é uma privação multidimensional nas vidas humanas e suas causas repousam não apenas na falta de crescimento, mas na falta de participação, nas vulnerabilidades a choques e em obstáculos a oportunidades, Sakiko Fukuda – Parr Site PNUD Pobreza X Direitos Humanos

8 8 A persistência da pobreza, entretanto, é ainda o maior desafio da atualidade e compromete decisivamente a eterna aspiração por um mundo melhor. A pobreza afeta um terço da população mundial -e a atual crise financeira ameaça aumentar ainda mais esse contingente. Existe uma correlação direta entre pobreza e violação dos direitos humanos; entre menos recursos e oportunidades e igualdade de direitos e dignidade. Os pobres são privados dos padrões de vida adequados, sobretudo em relação à saúde, à assistência médica, à alimentação e à moradia. Freqüentemente são privados do direito à educação (especialmente educação de qualidade), a chave para um futuro melhor. São vítimas de um ciclo perverso: não têm seus direitos respeitados porque são pobres e continuam pobres porque seus direitos são sistematicamente violados. Portanto, a luta contra a pobreza é a luta em prol dos direitos humanos. Pobreza X Direitos Humanos

9 TERRITORIAL: Delimitação da área de abrangência nos territórios de maior vulnerabilidade social; SOCIAL: Estabelecimento de critérios e medidas para a seleção das famílias mais vulneráveis residentes nas áreas de abrangência previamente delimitadas. Seleção dos Territórios e do Público-Alvo

10 Política de enfrentamento à pobreza Focalização de investimentos públicos governamentais e não governamentais com ganho de sinergia nos territórios mais vulneráveis; Promoção do acesso da população mais vulnerável aos seus direitos mínimos de forma emancipatória, promovendo o desenvolvimento comunitário sustentável; Consideração de que a segregação espacial é um fenômeno presente nos centros urbanos e que contribui decisivamente para a permanência dos padrões de desigualdade social que os caracteriza.

11 Focos de Atenção Não existe uma solução única ou simples para o enfrentamento da pobreza – os diferentes obstáculos requerem ações articuladas com diferentes setores. crescimento econômico melhoria nos serviços maior segurança social inclusão social e participação desenvolvimento de habilidades e capacidades

12 Tem como centro das ações o núcleo familiar, as comunidades e a intervenção em redes. Vai além do benefício financeiro e da cobrança de contrapartidas. Investe no atendimento domiciliar e no acompanhamento sócio- educativo e, acima de tudo, aposta na intersetorialidade. Famílias em atividades sócio-educativas na Brasilândia Programa Ação Família – viver em comunidade

13 Garantir a inclusão da população em situação de vulnerabilidade social, priorizando o atendimento às famílias mais vulneráveis por meio de acompanhamento sócio-educativo, promoção de oficinas, palestras, passeios, eventos comunitários e visitas domiciliares. Desta forma, identifica as demandas da comunidade, vis- à-vis as ofertas de serviços públicos governamentais e não governamentais da região. Foto: Karime Xavier Objetivos do Programa

14 Instituído pelo Decreto n° /06 Portaria n° 3.979/06 Guarda-Chuva de Programas Sociais de 12 Secretarias CASA DA FAMÍLIA

15 45 CASAS DA FAMÍLIA Construção de Projeto de Vida. Amplo Acesso a Informação. Formação, Qualificação e Capacitação Profissional. Geração de Renda. Auxilio na Confecção de Projetos. Orientação e Informação para Projetos de Micro-Crédito. Garantia de um espaço de trabalho permanente com participação e integração comunitária Oficina de culinária no CRAF Liga das Senhoras Católicas, de Raposo Tavares Casas da Família

16 Família na Comunidade Objetivo: fortalecer relações e laços intra- familiares. Estratégia: visitas domiciliares; grupos de orientação e apoio para pais; grupos sócio-educativos com adultos, jovens e crianças; oficinas de convivência e de valores, de mediação de conflitos; atividades de lazer, cultura e outros. Objetivo: fortalecer vínculos e relações entre a comunidade, promover o desenvolvimento local. Estratégia: visitas domiciliares, jovens e idosos; oficinas de intervenção comunitária; atividades que estimulem mobilização e ações de grupo e outros. Objetivo: acesso aos serviços, promover noção de direitos e deveres. Estratégia: visitas domiciliares; palestras e cursos informativos, oficinas de implementação das ações de capacitação e inserção produtiva, oficinas de caráter político e cívico e outros. Núcleo familiar mais fortalecido Ampliação do Capital Social,Comunidade mais organizada Cidadão mais engajado,exercendo seu direito cívico Dimensões do Programa Vida em Família Vida de Direitos e Deveres

17 Dimensões saúde educação trabalho eixos temáticos justiça esporte, lazer e recreação habitação Vida de Direitos e Deveres verde e meio ambiente cultura participação e parceria Família na Comunidade Vida em Família necessidades especiais Dimensões X Eixos Temáticos

18 Resultados 2006 Avaliação da Satisfação das Famílias Beneficiárias

19 Documentação: –90% das famílias com todos os adultos com documentação –97% das famílias com todas as crianças e jovens registrados; Educação: –61% das famílias com algumas ou todas as crianças de 0 a 6 anos em creches; –78% das famílias com todos os adolescentes até 14 anos na escola –71% das famílias com todos os adultos alfabetizados Saúde: –59% das famílias em que todos os membros foram ao serviço de saúde em caso de doença –33% das famílias em que alguns membros procuraram o serviço em caso de doença. Resultados

20 Relações processos e contextos Retroalimentação assistida Trabalho em rede Intersetoridade Articulação Agregar valores Trabalho integrado Governo e Sociedade Civil Elaborar e implantar metodologias e estratégias para o atendimento as famílias na proteção social especial – Programa São Paulo Protege (em andamento) Desafios

21 Auto-conhecimento Empatia Relações Interpessoais Manejo de emoções e sentimentos Manejo de tensões e stress Comunicação assertiva Pensamento crítico Pensamento criativo Solução de problemas Tomada de decisões Habilidades para a vida

22 Floriano Pesaro – Orkut: Floriano Pesaro MENOS DESIGUALDADE = MAIS PAZ TELEFONES IMPORTANTES Pessoas em Situação de Rua: / 5554 PMSP: 156 Denúncia de Trabalho Infantil MPT 2º REGIÃO: Denúncia de Violência contra Crianças e Adolescentes: 100 Obrigado


Carregar ppt "Floriano Pesaro. Região Metropolitana - IPVS Cerca de 8 milhões de pessoas pobres (Fonte: Fundação Seade, 2004)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google