A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PEDOFILIA. O que é pedofilia? O que é pedofilia? Distúrbio de conduta sexual, onde o indivíduo adulto sente desejo compulsivo, de caráter homossexual.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PEDOFILIA. O que é pedofilia? O que é pedofilia? Distúrbio de conduta sexual, onde o indivíduo adulto sente desejo compulsivo, de caráter homossexual."— Transcrição da apresentação:

1 PEDOFILIA

2 O que é pedofilia? O que é pedofilia? Distúrbio de conduta sexual, onde o indivíduo adulto sente desejo compulsivo, de caráter homossexual (quando envolve meninos) ou heterossexual (quando envolve meninas), por crianças ou pré-adolescentes. Este distúrbio ocorre na maioria dos casos em homens de personalidade tímida, que se sentem impotentes e incapazes de obter satisfação sexual com mulheres adultas Muitos casos são de homens casados, insatisfeitos sexualmente. Geralmente são portadores de distúrbios emocionais que dificultam um relacionamento sexual saudável com suas esposas.

3

4 O portador de Pedofilia se sente seguro na ação sexual e no controle da situação diante da criança. A maioria dos casos constatados envolviam homens em média 15 anos mais velhos que sua vítima. Em populações de baixa renda, a ocorrência, quase sempre, vem acompanhada do uso de bebidas alcoólicas. Grande parte dos casos são de contatos incestuosos ( envolvendo filhos ou parentes próximos). A maioria dos casos é descoberta por outro indivíduo adulto,que fica sem saber como lidar com a situação. Se você, adulto, se enquadra na posição do "descobridor", procure um profissional para orientação. Assim você estará ajudando a criança e o portador do distúrbio de conduta. Essa doença não escolhe classe social nem escolaridade. Muitos pedófilos são tidos como cidadãos respeitados na sociedade.

5

6 A pedofilia tem cura? O paciente pode expor seu problema, chegar à compreensão e ao entendimento do fenômeno e superá-lo. Outros admitem que os planos de tratamento nunca erradicarão a pedofilia, uma vez que a vontade de cura estará sempre nas mãos do doente. E, já que ele atua sem sentimento de culpa, jamais entenderá o mal que causa. A verdade é que ainda não existe uma resposta definitiva para a questão.

7

8 Porque elas não contam? Porque elas não contam? Medo: a criança pode ter sido ameaçada pelo agressor, pode ter medo de ser castigada pelos pais, por ter feito algo errado, ser rejeitada, ter que enfrentar reações negativas, ser tratada de forma diferente,ser expulsa de casa. Confusão e sentimentos conflituosos: o indivíduo pode atender às necessidades da criança para obter seu afeto, a criança pode não compreender o que ou por que isso acontece com ela e ficar confusa quando o abusador é alguém que ela ama e confia.. Culpa: sente que é culpada por ter se relacionado com o agressor. Dor e/ ou vergonha: as crianças ficam bastante abaladas, parecendo-lhes mais fácil permanecer no silêncio do que revelar o abuso.

9

10 Sinais de alarme O fato de não contarem aos pais e educadores o sucedido pode estar relacionado a vários fatores: nem todos os atos sexuais são dolorosos, e a criança pode até experimentar de algum prazer com o abuso sofrido, alguns pedófilos fazem com que o ato pareça extremamente normal, gerando confusão na mente da criança. Independente da forma de reação do menor, o abuso sexual é um crime, e a criança necessita sentir o apoio e a compreensão dos adultos que podem protegê- la.

11

12 Indicadores compartimentais: excessivo interesse ou incômodo fora do normal por assuntos de natureza sexual, problemas em dormir, pesadelos, depressão, incômodos em contatos físicos, comentários de que seu corpo está sujo, algo errado com os órgãos genitais repulsa em ir para a escola, agressividade fora do normal, fantasias de atos de abuso sexual, desenhos assustadores em que são utilizadas as cores preto e vermelho, comportamento suicida, medo de uma determinada pessoa, tentativa de fazer o mesmo com outra criança. Indicadores físicos: feridas na região anal ou genital, irritação ou infecção, aparecimento de uma doença venérea, coceira na região anal ou genital, hemorragia perto da região genital.

13

14 A criança resolveu contar e agora? É importante que pais, educadores ou a pessoa escolhida para a confissão mantenha calma suficiente para perceber que a criança vítima do abuso precisa mais do que nunca do seu apoio e que lhe seja transmitida segurança. É importante saber respeitar os sentimentos expressos e, por mais difícil que seja a tarefa, compreender que terão papel fundamental e determinante para a futura recuperação da criança e na forma como esta aprenderá a lidar com o sucedido.

15

16 Algumas dicas: Manter a calma e ser paciente, pois o que a criança está partilhando é muito doloroso para ela. Deixar a criança falar e contar o que ocorreu com as suas próprias palavras. Ouvir atentamente e acreditar nela Fazer com que a criança saiba que fará tudo o que está ao seu alcance para protege-la Não faça promessas que não possam ser cumpridas. Permita que a criança veja sua preocupação, no entanto, tenha cuidado para que ela não sinta que poderá magoá-lo (a). Dizer a criança que acredita nela, elogiar sua coragem e agradeça pela confiança demonstrada em contar-lhe o que aconteceu.

17

18 Conseqüências do abuso: Em 100% dos casos, as crianças molestadas sexualmente sofrem de dificuldades sexuais ou emocionais na vida adulta. Provocam danos na estrutura e nas funções do cérebro, incluindo aquelas que desempenham papel importante na cognição, na memória e nas emoções. Comportamentos que podem se transformar em pedofilia.

19

20 Incesto É a união sexual licita entre parentes. Existe um texto do Antigo Testamento que explica essa prática entre Ló e suas filhas. Elas embriagaram seu pai e cometeram incesto, julgando-o ser o ultimo homem no mundo. Os estudo sobre essa atividade conclui que o preconceito é natural para manutenção da estrutura familiar. Os estudo sobre essa atividade conclui que o preconceito é natural para manutenção da estrutura familiar. Há um grande tabu neste assunto, dificultando a literatura. Há um grande tabu neste assunto, dificultando a literatura.

21

22 Foram realizados estudos sobre o comportamento incestuoso. Foram realizados estudos sobre o comportamento incestuoso. Houve um relato da maioria dos caso de relacionamento: Houve um relato da maioria dos caso de relacionamento: Entre irmão; Mãe e filho; Casos raros entre pai e filha. 72% dos entrevistados nunca relataram suas experiências incestuosas. 72% dos entrevistados nunca relataram suas experiências incestuosas.

23

24 Essa prática sexual gera conflitos posteriores ocasionando varias disfunções sexuais como: Essa prática sexual gera conflitos posteriores ocasionando varias disfunções sexuais como:Frigidez;Anorgasmia;Impotência.


Carregar ppt "PEDOFILIA. O que é pedofilia? O que é pedofilia? Distúrbio de conduta sexual, onde o indivíduo adulto sente desejo compulsivo, de caráter homossexual."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google